História Grávida do inimigo de seu pai - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Aline Penhallow, Céline Herondale, Clary Fairchild (Clary Fray), Emma Carstaris, Imogen Herondale, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jem Carstairs, Jeremiah, Jocelyn Fairchild, Jonathan Christopher Morgenstern, Jordan Kyle, Julian Blackthorn, Kaelie, Lilith, Lily, Luke Graymark, Magnus Bane, Maia Roberts, Maryse Lightwood, Max Lightwood, Rainha Seelie, Raphael Santiago, Raziel, Sebastian Verlac, Simon Lewis, Tessa Gray, Valentim Morgenstern
Tags Clace, Malec, Sizzy
Visualizações 111
Palavras 962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIEEE
VORTEI COM MAIS UM CAP PRA VCS
POVU EU TENHO OUTRAS HISTÓRIAS, QUEM QUISER LER ENTRA NO MEU PERFIL @Cassie_fray
OBG DND
BOA LEITURA

Capítulo 2 - Minha salvação é uma mulher


-- Grávida?!! -- pergunto olhando para meu pai -- Isso é mentira não?.

 

 

-- Não Clarissa -- Meu pai me olha cabisbaixo -- Tem ideia de como isso é um problema!.

 

 

-- O que o senhor pretende fazer comigo e com esse bebê? -- pergunto 

 

 

-- Essa criança não pode nascer, amanhã vou chamar Lilith para tirar essa coisa de dentro de você -- me olha sério 

 

 

-- Papai por favor não, essa criança não tem culpa, por favor não tire a vida dela, a culpa foi minha -- imploro 

 

 

-- Não Clarissa, pare já! Você já sabia que ele era meu inimigo e mesmo assim dormiu com ele -- fala seco

 

 

-- Papai essa criança não tem culpa -- tento parecer calma quando na verdade estava com os nervos a flor da pele 

 

 

-- Não tente nada Clarissa -- ele fala saindo e Aline vai atrás dele -- Não deixem sair do quarto! -- ele fala com dois guardas que logo fecham as portas 

Fico horas chorando ali encolhida nas minhas próprias pernas. Até que me lembro que Sophie faz tudo que eu mando. Vou a uma mesa que tinha no meu quarto e começo a escrever uma carta a Jace 

 

Jace sou eu Clary, aconteceu uma coisa totalmente desesperadora. Estou grávida de um filho seu, meu pai está surtado e quer que eu aborte a criança então por favor me responda rápido. 

Termino de escrever a carta e a coloco em um envelope, vou andando em direção ao criado mudo perto da minha cama e toco o sino 

 

 

-- Pois não senhora -- os guardas abrem a porta dando passagem para ela entrar 

 

 

-- Eu quero que faça uma coisa para mim, mais isso tem que ficar em segredo tá bom? -- explico 

 

 

-- Sim senhora, o que deseja que eu faça? -- perguntou e eu sorrio

 

 

-- De está carta para o carteiro e fale para entregar ao príncipe das ilhas do sul por favor -- a entrego a carta 

 

 

-- Sim senhora -- ela fala e sorrio outra vez -- Eu ouvi quando o médico falou que a senhora está grávida.

 

 

-- O que esta querendo insinuar com isto?.

 

 

-- Que a senhora pode confiar em mim, eu falei com minha sobrinha Isabelle e ela falou que poderia ajudar a senhora a fugir desses castelo por enquanto, somente para ter a criança.

 

 

-- Está falando sério -- falo com os olhos já cheios d'água 

 

 

-- Sim senhora estou -- afirma com a cabeça sorrindo -- Mais tem que ser essa noite.

 

 

-- Tudo bem -- falo animada 

 

 

-- Agora eu vou antes que desconfiem de algo - assinto sorrindo e ela apenas sai do quarto levando a carta consigo 

 

***

 

Já estava na hora do jantar. Esperava Sophie vir me chama 

 

 

-- Senhora desça já esta na hora do jantar -- entra no quarto

 

 

-- Oh... Sim já vou -- respondo 

 

 

-- Isabelle vira depois do jantar -- sussurra e eu assinto descendo em direção a cozinha

 

Assim que chego a mesa meu pai finge que eu nem estou ali, aquilo doeu como uma lamina em brasa na minha garganta. Como em silêncio, eu poderia não demonstrar mais estava triste com tudo aquilo 

Termino de comer. Não comi tanta coisa pois sabia que iria passar mal, na verdade nem ao menos comendo pouco deixei de passar. Sinto meu estomago embrulhar e faço uma careta 

 

 

-- Clary está se sentindo bem? -- pergunta minha mãe 

 

 

-- Mamãe tá doendo -- falo choramingando, na mesma hora meu pai me olha serio 

 

 

-- Clarissa o que está doendo?!-- dessa vez foi meu pai que perguntou 

 

 

-- Minha barriga -- coloco a mão na mesma 

 

 

-- Clarissa você tomou vinho -- Aline arregala os olhos -- Está louca, isso faz mal -- ela vem até mm

 

 

-- Eu não sabia -- minha respiração já estava pesada 

 

 

-- Leve-a para seu quarto e de um chá e maça com canela para ela Sophie -- fala minha mãe e Sophie vem até mim

 

 

-- Mamãe eu te amo -- a abraço forte, aquele abraço ia ser o ultimo que daria nela 

 

 

-- Eu também meu amo -- se afasta de mim e eu subo com Sophie 

 

 

-- Senhora está bem? -- Sophie pergunta preocupada

 

 

-- Sim, não estou sentindo nada eu não queria mais ficar ali -- sorrio

 

 

-- Desde quando a senhora mente assim?.

 

 

-- Desde o dia que conheci Jace.

Nós duas rimos.

***

Todos ja estavam dormindo. Eu já estava pronta. Escuto pasos e me escono 

 

 

-- Ué cade a princesa? -- perguntou uma mulher com a pele branca, cabelos longos e negros, com a boca vermelha como sangue. Na hora que a vi lembrei de uma historia "Branca de neve"

 

-- Estou aqui --  saio o meu esconderijo 

 

-- Ah... Sou Isabelle mais me chame de Izzy -- me comprimenta 

 

-- Sou Clarissa mais m chame de Clary -- faço o mesmo

 

-- Sim Clary.

 

Depois de alguns minutos ja não estamos mais no castelo

 

*** 

 

Estamos ino para casa de Izzy, ela falou que ficava na floresta 

 

 

-- Nossa -- falo vendo a linda casa 

 

-- Eu sei que não é nada comparado ao que voce tem mais é isso -- sorri sem graça

 

 

-- Na verdade isso é perfeito -- sorrio simpatica

 

( Por Jace )

 

-- Senhor está carta acabou de chegar da ilha do oeste. É da princesa Clarissa -- meu  criado entra no quarto me entregando a carta 

 

 

-- Obrigado Jordan -- agradeço

 

 

-- Não a de que senhor -- falo e sai do quarto 

 

Assim que termino de ler a carta uma explosão de sentimentos passa por mim. Deus eu iria ser pai

Pai do filho da mulher que amo. Um amor totalmente proibido!


Notas Finais


JACE AMA CREURI OOOOWWWWTTT
NÃO SE ACUSTUMEN COM ESSE AMOR PQ MUITA TRISTEZA VEM AI
KKK
ATÉ O OTO CAP MY AMOREX


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...