História Gravidez inesperada - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais, Suga
Tags Você × Yoongi
Visualizações 145
Palavras 693
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi anjinhos, adivinha quem não conseguiu aguentar de ansiedade e vai postar capítulo hoje, mesmo

Capítulo 2 - Início de gravidez


Fanfic / Fanfiction Gravidez inesperada - Capítulo 2 - Início de gravidez

>>04:00<<madrugada>>2 semanas depois<<

Acordo exatamente as 4:00 da madrugada em ponto, tinha acabado de ter um daqueles sonhos eróticos com o yoongi, eu estava totalmente suada, então resolvo tomar uma banho, me levanto,pego minha toalha e vou em direção ao banheiro, tirei minha roupa e entrei no chuveiro.

Umas coisas me atormentavam, porque eu tinha que ter esses sonhos, porque tinha que ser tão real, e mexer tanto assim comigo ao tal ponto.

Termino meu banho, me enrolo na toalha eu vou até meu quarto, lá coloco outro pijama, e desço para o andar abaixo ,para colocar meu pijama suado pra lavar, assim que coloco no cesto de roupa suja ,me viro e dou de cara com minha mãe.


S/n: mãe você me assustou -digo fazendo um pouco de drama e colocando minha mão no peito, porém minha mãe ainda me encarava séria.

Mãe: o que está fazendo à essa hora da noite acordada?

S/n: eu vim tomar banho, mãe depois agente se fala, eu estou com muito sono

Dou-lhe um beijo na bochecha, desejo uma boa noite e subo pro meu quarto.

Na verdade eu não estava nem um pouco com sono, ainda mais depois do sonho, aquelas imagens não saem da minha cabeça, coloco minha cabeça sobre o travesseiro, e começo a sentir uma pequena dor de cabeça ,fecho meus olhos na tentativa de fazer passar, tentativa falha, fechei meu olho e consegui dormir


>>13:00 <<tarde>
>

Acordo com alguém me sacudindo, deduzi ser minha mãe, pela suas mãos macias

Mae: você está atrasada para a faculdade, ACORDA - ela passa sua mão pelo meu pescoço -meu deus você está com febre muito alta - eu nem sei se estava, só sei que eu mal conseguia abrir o olho, uma coisa estranha sobe pela minha garganta, como já sabia o que era corri para o banheiro e lá vomitei, minha mãe vem logo atrás e segura meu cabelo até eu terminar de vomitar.

Mãe: escova os dentes e coloca uma roupa, que eu vou chamar seu pai pra te levar no hospital

Ela sai e eu dou descarga, e escovo meus dentes, eu estava fraca, sei lá o que estava acontecendo comigo ,vou até meu quarto e coloco uma calça jeans e um moleton que vinha até metade da minha coxa, lógico eu peguei do meu pai, minha mãe volta dizendo que meu pai tá esperando lá fora com o carro, desço as escadas e finalmente entro no carro, minha mãe foi atrás comigo enquanto eu coloquei minha cabeça sobre seu colo.

[...]

Estava esperando o resultado dos exames que fiz, fique a tarde inteira fazendo exames, e tava mais que na hora de sair os resultados. Sem eu perceber o médico se aproxima

Md: os resultados saíram, e devemos informá-los que a jovem está grávida de 2 semanas e a gravidez e de risco, assim que a partir do quinto mês de gestação o bebê poderá nascer a qualquer momento.

Eu estava confusa, meu pai estava confuso, minha mãe estava confusa, como eu tava grávida se eu era virgem

S/n: isso está errado, não tem como eu engravidar

Md: bom... os aparelhos que usamos são os melhores, se não acreditar...eu fiz minha parte

[...]

Mãe: você vai abortar essa criança e não contar pra ninguém, não tou a fim de andar na rua com pessoas me acusando de não educar minha filha, VOCÊ É UMA VERGONHA.

- não vou abortar, você tá louca, a criança não tem culpa de nada 

- então vai embora da minha casa.

Fiquei paralisada, se eu sair dessa casa pra onde eu vou? É meu pai nem me ajuda, também ele tem mais medo da minha mãe que qualquer outra pessoa, ele só observava calado.

- Okay, mais nunca mais quero te ver de novo, EU TE ODEIO! 

- ótimo! 

Ela saiu e bateu a porta do meu quarto com força, pego a mala grande em cima do guarda-roupa coloco as coisas que mais uso e preparo uma mochila, quando chego na saída da casa, me pai me olha, eu olho no olho dele é o abraço.

- sentirei sua falta pai, uma dia voltarei pra te tirar desse inferno





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...