1. Spirit Fanfics >
  2. Grávido do meu vizinho - ABO >
  3. Carne nova no pedaço e Insegurança

História Grávido do meu vizinho - ABO - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Oiie, td bom??
Depois de três meses, eu voltei. É a vida, né!?

Booom, tenho dois avisos pra vocês.

Primeiro: Tenho dois imagines novinhos no meu perfil, sendo um deles parceria com a @Mayon_ . Deem muito amor pra minhas bebês. Deixarei os links nas notas finais.

Segundo: Essa fanfic está chegando a reta final. Mais uma dúzia de capítulos( ou mais) deve acabar.

Bora pro capítulo!!

Capítulo 11 - Carne nova no pedaço e Insegurança


Três meses depois.

A barriga de cinco meses já era evidente. Cada dia que passava ela começava a pesar. Os desejos cada vez mais era estranhos - na minha visão era maravilhosos, já dos outros era horrível - , os chutes do lobinho começava a cansar. Ele é muito elétrico, talvez seja de família. E eu era assim quando estava na barriga - palavras da minha mãe. 

- Vamos Jungkook, decida logo! Não podemos demorar aqui. - minha mãe reclamou.

Bom, hoje é sábado e estamos no shopping; comprando algumas roupinhas pro bebê e vendo preços das coisas principais.

- Agora que você tá prenha do Jimin e carrega uma marca dele, por que vocês ainda não moram juntos? - Taehyung perguntou.

Ele fez um escândalo pra poder vir junto e de vez quando - sempre - discorda da minha opinião com minha mãe.

- É verdade! - S/n falou, mas logo colocou a mão no queixo pensativa. - Se bem que o coitado do Jimin, estaria morto antes de se mudarem. Você sabe como o pai do Gukkie não foi com a cara dele.

- É pra vocês me ajudarem com as roupas e não falar da minha vida. - falei cansado. A barriga de cinco meses começava a pesar e se desse seis passos já estaria respirando igual a um cachorrinho.

- Tu me respeita, moleque! - a ômega mais velha falou me dando um tapa na nuca. - Tá achando que tá falando com seus amigos?

- Que amigos, tia? - o Kim se intrometeu. - Pelo que sei ele só tem a mim e ao Yoon.

Deus, desisto.

Andei, quase se arrastando, pra fora da loja. Não gostei de nenhuma das roupas que tinham e muito menos dos móveis, tudo muito repetitivo. Azul e rosa. Por Deus.

Nesse meses eu e o Jimin passamos a conviver melhor, claro sem deixar as farpas de lado. Todos os nossos assuntos são voltados ao bebê, que ainda não sabemos o sexo e a classificação. O doutor disse que em alguns meses ia conseguir saber se é alfa, ômega ou beta.
Se for ômega imagino que o Jimin será o mais ciumento, e eu o mais liberador. Mas o que vier, vai ser amado por todos da família.

Decidimos que o Taehyung será o padrinho, só que ele ainda não sabe; estamos pensando em falar só quando o filhote nascer.

1.(...)

Já tínhamos chegado do shopping e guardado todas as compras, que eram poucas. Taehyung foi deixado em casa em segurança, até estranhei dele não ir pra casa do Min já que vive lá; e minha mãe saiu com meu pai, afim de terem uma noite de pais. E agradeço por eles terem saído, assim posso assistir meus filmes e comer sem escutar eles reclamarem dos meus hábitos.

Estava indo pra cozinha pegar mais pipoca, quando a campainha tocou. Bufei e dei meia volta indo até a porta, contando mentalmente pra não gritar com a pessoa. Acho que são os hormônios da gravidez.

Abri e tive uma pequena surpresa em ver a silhueta conhecida. A alfa que não via alguns anos estava bem na minha frente, com um sorriso no rosto e os braços abertos. Mas ao me ver, quer dizer, assim que pousou os olhos na minha barriga, baixou os braços e cerrou os olhos na minha direção.
Já vi que vou ter muito o que explicar. 
Antes dela falar, abracei - com todo o cuidado por causa da barriga - e passei o nariz no pescoço dela, sentindo uma nostalgia me pegar.  O cheiro de limão me fez lembrar da minha infância, quando ainda era um pequeno - que de pequeno não tinha nada - ômega que adorava o colo da alfa. Sempre que me sentia mal ou quando chorava, corria para os braços da mais velha; que fazia carinho no meu cabelo e contava alguma história pra me distrair.

- Senti sua falta, Noona. - falei pra alfa.  Contando com meus pais ela é a terceira  pessoa o qual eu correria se estivesse em perigo.

- Também senti, coelhinho. - disse após separar o abraço. — Agora me diz, depois de 5 anos que a gente não se ver, você me aparece grávido?! Cadê aquele Jungkook que falava que só ia engravidar depois de terminar a faculdade?

2. (...)

— COMO ASSIM?! - depois de ter explicado toda história pra alfa, resultou nisso. Falei fui marcado no cio pelo irmão do meu melhor amigo e que estou com cinco meses. Só acho que ela não reagiu bem quando falei que parei no hospital, por causa do Jimin.

E se eu fosse ela, também reagiria assim. 

— Mas como você está? - perguntei, querendo encerrar o assunto e saber mais da vida da alfa. 

Vi um sorriso nascer nos lábios dela e esperei até contar a novidade. Que por sinal era muito boa: ela finalmente está conhecendo alguém e não parece ser apenas uma noite. Os olhos brilharam em falar do alfa — ela nunca ligou dos estereótipos de Alfa e  Ômega ou Alfa e Beta. Em ela falar que está namorando uma pessoa da  mesma classe não é novidade, desde pequena ela é assim. 

— Só tem uma coisa que não entendi, - a loira começou. —, você é marcado e está esperando um filho dele, certo? -  concordei com a cabeça, então prosseguiu. — Por que você não mora com ele?  

Ela tem razão, mas não vejo motivos de dividir um teto com  ele. Prefiro deixar as coisas do jeito que tão.

— Já sei! - a alfa falou de repente, me assustando e assustando o lobinho. — Vocês só não moram juntos, por causa do tio Woo né? Por a tia S/n não ia impedir, estou certa? 

— Não é nada disso. - pus um fim. — A gente não vai morar juntos coisa nenhuma, só estamos nos dando bem por causa do bebe. E nem quero morar com ele, eu hein. 

Vendo que começava a me estressar, a mais velha mudou o assunto. Passamos boa parte da tarde falando sobre o passado e o presente. 
Quando a noite começou a surgir, a Jiwoo foi embora. enquanto via o carro sumir na esquina da rua, avistei o park saindo da casa dele. pela feição dele, ele estava calmo —até demais, por sinal.

Acenei para ele sorrindo em seguida, mas nem notou. tudo bem, não guardo rancor. ele pelo menos podia dar um oi, nem isso fez.

Resolvi deixar de lado ele e ir entrar, finalmente poderia dizer em paz. a casa estava em um silêncio maravilhoso, mas ainda faltava alguma coisa.

[°°°]

Desde ontem jimin não trocou nenhuma palavra com o ômega, se sentia traído. depois de vê-lo abraçado  aquela alfa, seu lobo ficou com raiva.

Não iria perguntar quem era, porquê não namorava o Jeon, só tinha um filho pra vir e a marca. eles também não tinham estabelecido como seria o relacionamento deles, só estavam se dando bem por causa do bebê.

Mas estava claro que Jimin se sentia inseguro.

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...