História Gravity Falls: Uma História - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Gravity Falls
Visualizações 108
Palavras 1.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu me sinto ótimo por estar de volta!
Todo sábado vai sair um capítulo novo da fic!
Obrigado pelo feedback da primeira temporada, tomara que a segunda seja tão boa quanto!

Capítulo 23 - Segunda Temporada - Recomeço


Pacífica On

- Dipper! Me responde por favor! – Dizia chorando com seu corpo em minhas mãos.

- Não pode ser! – Mabel não conseguia nem falar de tanta tristeza que percorria seu corpo naquele exato momento. Ele se abraçou com Ford e Stan.

- Ele se foi minha pequena... – Disse Stan com lágrimas nos olhos.

- Não chorem pessoal! Dipper não iria gostar que ficássemos assim! – Disse Ford segurando o choro.

- Dipper... Meu primeiro... e último amigo... – Dizia Gideão chorando muito.

Todos estavam chocados e muito tristes com a situação! Apesar de termos vencido Bill, isso pareceu mais uma derrota!

Os amigos de Mabel foram embora depois de prestarem suas condolências.

< Algum tempo depois >

É inverno! Os construtores se apressaram para terminar de arrumar as casas destruídas. Então todos puderam comparecer no enterro de Dipper. Depois de matar Bill, ele se tornou o herói da cidade. Era um dia chuvoso. Todos estavam de frente para seu túmulo. Depois daquilo, tentamos levar ele à um hospital, mas segundo os médicos, foi morte cerebral. Mabel se aproximou e começou:

- Dipper, meu irmão gêmeo! Na verdade, éramos os Gêmeos do Mistério. Ele sempre foi meu melhor amigo! Sempre pude contar com ele. O mesmo já teve que abrir mão de coisas importantes para me ajudar! Aonde quer que esteja... Eu queria que soubesse, que te amo! – Ela se afastou e Ford se aproximou do caixão.

- Dipper Pines! Um filho que eu nunca tive. Um discípulo bondoso e honesto. Um menino que amou e foi amado! Todos aqui presentes sentirão falta dele! – Ele se afastou enxugando o rosto de lágrimas! Stan não quis falar já que era ruim com palavras. Cheguei perto dele e disse:

- O Dipper foi o único que me deu atenção! Quando todos me excluíam por conta da minha família, ele me deu a mão e disse “somos amigos”. Depois disso, nos apaixonamos e namoramos! Dipper sempre será o amor da minha vida. Te amo! – Me afastei e dentro ao lado dos meus pais que me receberam com um abraço. Eles decidiram vir para mostrar seus sentimentos a família Pine.

Depois de enterrar Dipper, fizemos uma pequena oração para ele e para Will que também morreu em batalha. Quando estávamos saindo do cemitério, vi Mabel no portão me esperando.

- Mãe, pai, podem ir na frente! Vou ficar mais um pouco!

- Tudo bem, mas volte logo para casa! – Dei um abraço nos dois e fui em direção á Mabel. Primeiro, nos abraçamos bem forte.

- Você está bem? – Ela me perguntou

- Não vou ficar bem por um tempo...

- Ele está vendo a gente neste momento! Tenho certeza! Vamos ser fortes e superar Isso! – Ela falava com convicção e muita força! Mas eu a conheço muito bem. Ela estava desolada por dentro. Era o irmão gêmeo dela!

- Eu me sinto culpada pela sua morte! – Ela olhou para mim confusa. – Dipper pulou na minha frente para me salvar de Bill e morreu desse jeito!

- Você não é culpada disso! Ele decidiu por conta própria salvar a sua vida em troca da dele! Sua vida é algo muito importante para ele, então... não desperdice... ok? – Ela queria me animar, mas era claro que no fundo, ela estava sofrendo até mais que eu!

- Obrigada Mabel! – Dei mais um abraço nela e me despedi. Fui pra casa para não deixar meus pais esperando.

Algumas semanas se passaram desde o enterro. A cidade estava normal novamente, a cabana estava arrumada, todos estavam bem... não 100% é claro! A morte dele chocou a todos, mas de pouco em pouco, fomos nos recuperando.

É uma sexta-feira e eu decidi ir no shopping para me distrair um pouco. Estava caminhando quando de repente, um menino me chama. Ele era alto e bonito, tinha olhos Cinzas e cabelos loiros.

- Oi... Você me chamou? – Perguntei

- Sim! Meu nome é Scorpio, Scorpio Manson. Eu te vi de longe e te achei muito bonita...

- kkk obrigada! Você também não fica para trás! Meu nome é Pacífica Northwest.

- err.. Se não for incomodar... você poderia me passar seu número?

- Não incomoda não! – Ele me deu seu celular e eu coloquei meu número.

- Obrigado! Bom... eu vou indo então! A gente se vê por aí!

- Tchau! – Ele parou, olhou ora mim e disse:

- Aliás.... Seus olhos são lindos! – Fiquei sem reação. Ele virou e foi embora.

Ele foi se afastando e chegou perto de um amigo muito bonito também, ele tinha cabelos pretos sedosos e usava óculos. Se tivesse uma cicatriz, faria um belo cosplay de Harry Potter!

Após ele desaparecer com o amigo, eu me virei e dei de cara com Mabel. Ela estava acompanhada de Mike, que estava tomando um sorvete.

- Oi Mabel! Oi Mike!

- Oi!! – Ambos disseram.

- O que fazem aqui?

- Estamos apenas passeando! – Disse Mike

- Também estou!

- Então vamos juntos! – Disse Mabel

- Tudo bem!

Comecei a andar na mesma velocidade que eles.

- Aliás... meus olhos são bonitos?

- hun? – Disseram ambos.

- Deixa pra lá!

Continuamos andando pelo shopping e nos divertindo. Até que eu encontrei uma galinha longe da canja. Stefany estava vestindo um sapato numa loja de calçados. Infelizmente ela me viu e veio até mim.

- Olha olha, quem eu encontrei! A temporária.

- Temporária?

- Pois é! É uma questão de tempo até eu recuperar o Dipper! – Mabel fechou a cara e começou a lacrimejar. Mike olhou para baixo meio triste. Eu olhei pra Stefany com desprezo e dei um tapa em seu rosto. – VOCÊ É LOUCA?

- Eu tenho nojo de você! Diz amar ele, mas nem se preocupa de como ele esteja agora!

- Como assim?

- DIPPER MORREU SUA GALINHA! – Houve um silêncio tenebroso após minha voz ecoar pelo shopping inteiro.

- o-o-o que? – Ela estava confusa

- Você nem se quer sabia!

- Ninguém me contou...

- Você nem procurou saber! Eu não vou perder meu tempo com você.

Peguei na mão de Mabel e saí de lá, Mike veio junto. Graças a aquela desgraçada, o clima ficou horrível. Tentei nos animar, mas era muito tarde. Então resolvemos ir embora.

- Não fica assim tá? – Consolei Mabel. Olhei pra Mike e disse: - cuida dela ok? Tchau!

Fui pra casa e desabei na minha cama. Dormi mais rápido que o normal é tive um sonho... estranho! Estava em um lugar vazio, até uma voz ecoar no local.

- HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAAHAHAHAAH.

- Não... não pode ser! – Era ele! Era a voz dele! Era a voz de Bill... mas estava misturada com outra... um triângulo apareceu em minha frente.

- HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

- Não... NÃO! VOCÊ MORREU!

- Eu QUASE morri!

- Não é possível! – Eu estava chocada, mas algo aconteceu para me fazer desmaiar mesmo. Bill começou a mudar de forma... foi ficando mais humanoide.

- Dipper tinha o objetivo de deletar sua mente me levando junto! Mas por você estar na mente dele naquele momento, parte de mim foi pra sua mente... – ele continuou se transformando até se tornar um garoto, um menino de blusa vermelha, jaqueta, bermuda e um boné com um pinheiro. – Mas na transferência... nós nos fundidos!

- DIPPER!! – Cheia de lágrimas nos olhos, corri para abraça-lo, o mesmo me abraçou de volta e começou a chorar.

- Estava com tanta saudade! Amor da minha vida!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...