História Gravity falls:O outro lado dos ciphers - Capítulo 19


Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Dipper Pines, Mabel Pines, Personagens Originais, Stanley "Stan" Pines
Tags Billdip, Mawill Gravity Falls
Visualizações 36
Palavras 1.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, seres do multi-verso! Aqui é a MeninaNerdOtaku e eu vou escrever essa temporada! Espero que gostem do meu jeito de escrita! ^-^

※○◎Playlist◎○※
Será (Legião Urbana)
Not Gonna Die (Skillet)
Discord (Eurobeat Brony)
※○◎Playlist◎○※

Capítulo 19 - SEGUNDA TEMPORADA: Deuses gregos são uns babacas



(P.O.V Autora)

Gravity Falls estava um caos.

Pessoas matando, gritando, correndo e brigando pelas ruas. A Fumaça da Loucura (N/A: era esse o nome?) havia atingido grande parte da cidade e inclusive a mansão de nossos heróis, deixando Bill, Dipper e Isa malucos; destruindo uns aos outros no salão de entrada.

O barulho chamou a atenção de Tayrone, que estava ativando os sistemas de segurança da mansão.

Ele desceu e viu um caos quase maior que o da cidade (tinha um demônio louco ali, então já era esperado).

— Essa não... — murmurou ele. Como Kill havia roubado seus poderes, não iria conseguir fazer muita coisa atirando neles, e a ainda eram sua família e amigos. Não queria machucá-los.

Tayrone acabou não percebendo quando Bill lançou uma bola de fogo em sua direção. Estava preparado para o impacto, quando uma mão agarrou seu pulso e de repente se viu em um lugar escuro, com sombras de todas as formas se movimentando. Olhou para ver quem o arrastava e era Sombra. Ficou um pouco aliviado ao ver que pelo menos uma de seus amigos ainda estava normal.

Depois eles saíram das sombras para o enorme estábulo em que os dois grifos, Aryli e Billdip, estavam.

— Obrigado Sombra. — falou recuperando o fôlego. O apelido dela fazia mais sentido agora.

— De nada. Agora se apresse! Aquela fumaça já vai nos alcançar! — gritou a de cabelos pretos. 

Tayrone, como qualquer ex-ser-mais-poderoso-do-universo, não discutiu.

-alguns minutos depois-

Quando eles estavam acabando, ouviram o som de alguma parede quebrando em algum lugar da mansão e viram a fumaça verde entrando aos poucos no estábulo. Os grifos se agitaram e Sombra praguejou em grego algo faria Isa orgulhosa se a mesma não estivesse louca. Tayrone estava preparado para qualquer coisa que viesse. Poderia estar ser seus poderes universais, mas isso não o faria recuar. Era um Cipher E um Pines. Nunca recuaria em desespero.

Até que se lembrou de um detalhe: sua família. Como faria para ajudá-los? E como os impediria de se matarem?

— Sombra — chamou atenção da semi-deusa, que havia tirado uma katana sabe-se-lá de onde — Precisamos achar um jeito de ajudar nossa família. Você sabe como evitar essa fumaça ou o que é?

Sombra encarou o Tayrone e por um momento ela fez uma expressão triste. Mas acabou respondendo enquanto todos recuavam conforme a fumaça de aproximava.

— Aquilo é Fumaça da Loucura. Um tipo de magia maligna de alto nível que nenhum mago mortal pode lançar. Deixa quem respira insano, forçando a pessoa a fazer coisas que não queria. E não, não tem como evitar.

— Então quem ou o que lançou esse feitiço? 

— ... — pela sua expressão, Sombra parecia querer voltar o mundo das sombras — Um Lich.

Nada mais precisava ser dito. Tayrone sabia como Liches eram. Malignos, calculista e frios. Magos que separaram a alma do próprio corpo para obter imortalidade para expandir seu conhecimento sobre magia sem.coisas triviais como sede, sono, morte... Os atrapalhassem.

Depois de recuarem bastante, resolveram montar nos grifos e voar para fugir da fumaça. Tinha tudo para dar certo: a Fumaça da Loucura não se aproximava tão rápido, o portão da saída era bem quebrável e Billdip parecia bem com a ideia de Sombra montando nele. Mas o destino é agitado, imprevisível e estranho como um certo demônio de TPM. Então CLARO que as coisas complicaram.

Bill apareceu com os olhos rodeados por uma fumaça verde e acertou a perna de Tayrone como se ele nem fosse o filho dele. Então Aryli se assustou, Sombra foi tentar ajudar o amigo é a fumaça se aproximava mais, agora perigosamente próxima.

Bill ficou lançando bolas de fogo por todo o lado no que um dia fora um belo estábulo para grifos. Billdip tentou pará-lo fazendo guinchos que terminavam em miados (sons que os grifos fazem) para tentar fazê-lo notar que estava louco, mas foi atingido na asa esquerda.

A situação de Tayrone só não era pior porque ainda tinha sangue mágico, mesmo não podendo usar magia. Sombra colocou uma garrafa da água gelada amarrada na parte que Tayrone havia queimado a perna (era o que tinham no momento) e o levantou e tentou tirá-lo dali, mas ambos quase foram atingidos por uma bola de fogo e Tayrone gritou "Merda" quando bateu a perna. Sombra teria perfurado a si própria com a katana se não a tivesse jogado para onde a fumaça estava. Como a situação exigia medidas extremas, Tayrone deu a primeira sugestão plausível no momento:

— Use seu poder de viajar nas Sombras e nos tire daqui..— isso também levantou a questão do por que de Sombra não ter feito isso antes.

Sombra olhou ao redor. Ela não queria seguir aquela sugestão por algum motivo, mas se levantou e estendeu a mão para Tayrone e disse antes de entrarem no mundo das sombras:

— Não vou levar os grifos e se eu morrer a culpa é sua. 

Então entraram novamente naquele mundo escuro e disforme.

-quebra de tempo-

Depois, como se tivessem passado muito tempo submersos na água, os dois saíram do mundo das sombras arfando.

Mas antes que pudessem falar qualquer palavra, Sombra caiu no chão desmaiando. O seus estado parecia um pouco pior que o de Tayrone, que pelo menos ficou consciente para ver um céu azul ao meio-dia livre de nuvens, grama rasa e verde e mais a frente, uma cidade com uma arquitetura um tanto... Grega?

Mas antes que pudesse assimilar o que estava acontecendo, foi surpreendido por um raio que o cegou por uns momentos. 

Quando recuperou a visão, estava em um amplo salão de mármore branco, com colunas suportando o teto. Atrás dele, portões enormes deixavam a luz entrar. Ao seu lado, uma Sombra estranhamente revigorada apareceu. Ela usava uma túnica branca com detalhes pretos e os cabelos estavam trançados. Como, era um mistério.

E Tayrone teve vontade de rir. E Sombra, de todas as coisas sensatas que poderia ter dito, como "Tente descobrir o que está acontecendo ao invés de ficar rindo", ela escolheu dizer:

— Você também está ridículo.

Tayrone reparou que também usava uma túnica. Ele revirou os olhos e antes que pudesse dizer algo, uma voz forte chamou:

— Bem-vindos! — eles repararam no que tinha a frente deles: um trono de mármore enorme de uns dez metros com um ocupante que parecia estar na casa dos cinquenta anos usando trajes semelhantes aos deles. 

— Zeus... — murmurou Sombra como se fosse algo tão terrível quanto a Fumaça da Loucura. O cara enorme no trono (Zeus) continuou.

— Tayrone Cipher Pines, Skiá...

— Não fale meu nome completo. — falou Sombra. Zeus olhou para ela como se a atitude fosse mais comum que andar pra frente e continuou:

— É uma honra recebe-los. Vi que precisavam de ajuda, então interferi na viagem de vocês e os guiei para cá. Esse uso em excesso de viagem nas sombras desgastou a senhorita Skiá, mas nada que néctar e ambrosia não resolvam.

O motivo de Sombra não ter tirado eles da mansão pelas sombras apareceu, mas isso não importou muito já que Sombra fez uma expressão que Tayrone, até aquele momento, nunca vira Sombra fazer: uma expressão de raiva quase em escala Cipher. Não chegava tão perto, mas era quase que uma "imitação" admirável.

Zeus ou não percebeu ou ignorou. E pela segunda vez, continuou.

— Vocês descobriram que a Fumaça da Loucura foi lançada por um Lich. E eu darei as informações que querem e precisam em troca de um pequeno favor.

E então Tayrone compreendeu porque Sombra aparentemente não gostava muito dos deuses gregos:

Eles eram uns babacas.











Notas Finais


E foi isso! Esperam que tenham gostado e desculpe pela demora. (Fiz isso pelo celular e sem revisão)
E algum de vocês foi no show do Coldplay? Se não, apenas digo: perdeu algo em escala HISTÓRICA.
Voltando a fic.
Espero que gostem das ideias que tenho preparadas. Personagens novos vão aparecer, mistérios intrigantes como O Orfanato das Crianças Peculiares e irão surgir e iremos rir da desgraça de alguns personagens.
Vou tentar postar todo final de semana.
Beijo de anjo da morte! 🖤🖤🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...