História Greek Legend - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jung Hoseok, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Suga, Taegi, Taeseokmin Bitches, Vga
Visualizações 12
Palavras 1.474
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


por favor, se você acompanha GL leia as notas finais.

Capítulo 3 - Sábado de Sol


Fanfic / Fanfiction Greek Legend - Capítulo 3 - Sábado de Sol

Ah, manhã de sábado… O sol estava ameno e por algum motivo eu decidi que seria um ótimo motivo correr, ou pelo menos tentar, sair um pouco dessa minha vidinha sedentária de magrelo sobrevivente de junk food e jantinha da mamãe.


Coloquei meu tênis velho e um shorts e sai pelas ruas começando uma corridinha, mas… Só começando mesmo porque com dois minutos senti que meus pulmões iriam explodir, a respiração descompassada e o coração acelerar. Senhor! Em que momento me tornei tão sedentário?!


Por conta desse ataque cardíaco, decidi que seria melhor apenas andar, porque sou muito novo 'pra morrer e ainda de uma forma tão inutilmente escrota com uma corridinha de dois minutos.


Entrei por algumas ruas do bairro enquanto andava, agora em velocidade um pouco mais rápida. Já que o foco era me exercitar, que eu fizesse direito, né


Eu estava muito bem, feliz, alegre, miss fitness, próximo bodybuilder coreano – sem exageros e ironias, longe de minhas pessoa, nunca nem vi essas coisas –

Até que um jato de água é jogado em minha direção, molhando meu lindo corpinho, que já 'tava todo nojento suado, enquando eu virava uma esquina.


É por essas e outras que eu fico em casa, enfiando comida no cu. Se eu estivesse pleno na minha cama, assistindo meus animes e enfiando comida no rabo, eu duvido que isso aconteceria.


—MEU DEUS MOÇO! ME DESCULPA!! – Uma voz gritou.


— PORRA, TU NÃO PRESTA ATENÇÃO ONDE TU APONTA ESSE CARALHO NÃO? – Eu berrei de puro ódio, sem olhar para a cara do energúmeno que me molhou porque eu estava tirando o excesso de água do rosto.


— MEU QUERIDO, A EDUCAÇÃO FICOU ENFIADA NO CU? – berrou de volta. Ai meu querido, eu tirei as mãos do meu rostinho querido e me preparei para mais um barraco, puxei o ar encarei a pessoa que teve a audácia de molhar e ainda se achar no direito de falar assim comigo e adivinhem? Era o anão da biblioteca.


— OLHA AQUI PINTOR DE RODAPÉ, EU VOU ENFIAR MINHA EDUCAÇÃO TODINHA NO SEU RETO ANAL, PORQUE AO QUE ME PARECE, EU QUE ESTOU NO ENSINO MÉDIO SEI USAR MEU CÉREBRO MELHOR DO QUE VOCÊ QUE ESTÁ NA FACULDADE, JÁ QUE NAO SABE NEM MIRAR UMA MANGUEIRA DIREITO! – Soltei, rodei a baiana.


— Sabe usar tão bem o cérebro que nem desculpas sabe aceitar sem começar um escândalo – Voltou a usar um tom normal e me olhar de cima a baixo com a cara de deboche, alguém me segura que eu vou dá na cara dele.


— Minha flor, você me molha e ainda reclama quando reclamo sendo que estou no meu direito? Me dá licença que eu tenho mais o que fazer. – Falei colocando as mãos na cintura, e expulsando o ar dos pulmões junto com um pouco de raiva. Eu já estava dando as costas para ir embora quando ouço a voz da peste de novo.


— Ow, fala 'pra aquele teu amigo dançarino, o do cabelo ruivo, que eu quero trocar uma ideia com ele. – Falou um pouco mais alto, porque eu já estava um pouco distante.


— Meu querido, eu tenho cara de pombo correio? 'Pra 'ta enviando recadinho 'pra lá e 'pra cá? Vira homem e vai atrás do que te interessa e não me faça mais perder tempo. – Voltei a “correr” voltando o caminho de casa antes que ele me respondesse. O dia já estava um lixo e ele ainda vem me tratar como menino de recado, tava querendo muito uma treta mesmo.


Olha, mas é muita cara de pau pra pouca altura daquele meliante. A pessoa me molha, grita comigo e ainda quer mandar recado 'pro meu amigo. Eu juro que quero voltar lá e cometer um crime de ódio.


🔅


Depois do fracasso dos meu exercícios, quando eu cheguei em casa, fiz o que faço de melhor: tomei banho e dormi até meu vizinho resolver que era uma ótima idéia arrastar os móveis de lá pra cá.


Como meu sono tinha sido interrompido, eu resolvi continuar minha leitura sobre mitologia grega e puta que pariu, Zeus é muito arrogante.


Mano, Prometheus 'tava lá só ensinando os humanos a serem independente e a madame do Zeus ficou enciumada? Parecendo criança mimada tirou o fogo dos humanos e ficou putinha quando o Prometheus foi lá e ensinou os humanos a lidarem com o fogo, não satisfeito Zeus vem de vingancinha e amarra o Prometheus e faz com que um águia diariamente coma seu fígado, Prometheus sendo imortal estava condenado a quase morrer todos os dias. Até que Hércules salvou ele e colocou um Centauro no lugar  Eu fico muito indignado com essas coisas, até nas lendas gregas tem gente mimada e egoísta que ainda por cima está no trono.


Releve meu mau humor, meu vizinho me acordou.


Mas se pararem 'pra pensar, os mitos e crenças vieram para explicar o que não entendemos e o comportamento das pessoas em geral, e esse conto só me lembra o quão filha da puta as pessoas conseguem ser por atenção e viveram com a constante necessidade de diminuir alguém para se sentirem melhores.


Os mitos e religiões só refletem o que a humanidade tem em si.


Depois de eu ter me estressado o suficiente com esse livro, já estava anoitecendo quando resolvo descer pra comer, quando estou no meio da escada ouço meus pais falarem em voz baixa.


— Uma hora você vai ter que contar para ele – Ouvi meu pai dizer baixo mas em tom preocupado.


— Ainda não é tempo, querido. Logo ficarei boa e nem sequer precisarei preocupa-lo. – Mamãe fala em tom ameno.


— Ele é nosso filho, Minjoo! Ele tem todo o direito de saber! – Papai alterava levemente seu tom.


Okay, agora eu tô preocupado.


Terminei de descer quase correndo, pondo-me na cozinha diante dos dois que pareciam duas velas de tão bancos.


— Querido, o jantar está quase pronto. – Minha mãe tentando disfarçar, disse enquanto se voltava às panelas.


— Eu realmente preferiria ser burro como vocês acham que sou…


Os olhos de ambos caíram sobre mim e em seguida eles se entreolharam, eu não sei dizer se estavam surpresos ou apreensivos.


— Taehyung, o que está querendo dizer? Sua mãe só disse que o jantar está quase pronto.


— Quando vocês vão resolver me contar o que está rolando aqui? Agora vocês vivem cochichando, saindo para lugares sem dizer para onde vão e ainda fica esse clima pesado aqui! – Eu já estava os observando há um tempo, meu pais nunca foram do tipo de esconder nada de mim, mesmo ambos sendo reservados. — Eu sei que o clima não tá legal desde que me assumi para vocês, mas mesmo assim eu nunca escondi nada e nem vocês!


—O jantar está pronto.– Minha mãe disse com sua péssima mania de fingir que nada está acontecendo.


—VOCÊS PODERIAM NO MÍNIMO PARAR DE FINGIR QUE NADA ESTÁ ACONTECENDO!– Gritei com a força que me restava enquanto bati minhas mãos com força na mesa, mas neste momento, algo que doeria fisicamente, nem sequer fez efeito comparado a como eu me sentia.


—Minjoo, é melhor contarmos…– E meu pai se pronunciou finalmente.


Minha mãe puxou uma cadeira, sentir-se ao lado do meu pai e fez sinal para que eu me sentasse junto. Ela passa as mãos sobre o rosto, as cruza de frente ai, olha para meu pai e respira fundo antes de me encarar de volta.


—Querido, por favor, eu quero que entenda que eu só não quero lhe preocupar e…


— E eu quero que entenda que eu sou seu filho!


—Deixe-a continuar...– Meu pai soltou em um fio de voz, encarei-a novamente.


— Taehyung, há uns dias eu venho me sentindo mal, com dores na garganta que acabam por refletirem em outros locais. Em primeiro momento eu achei que fosse apenas uma inflamação… – Ela então respirou fundo novamente. — Mas descobri que tenho um tumor que ja estava começando a ramificar e prestes a avançar– Eu não queria que aquilo estivesse acontecendo na minha vida.— Graças ao diagnóstico e ao tratamento, eu estou conseguido evitar avanços dele…


Minha mãe não conseguia continuar e meu pai apenas olhava para o nada, eu senti minha garganta seca e meu peito pesar uma tonelada…


— Mãe, por favor, não esconda nada de mim… Eu sei que sou novo, mas eu posso ficar do seu lado, mas por favor, apenas me deixe ficar…


Eu não tenho porque segurar lágrimas e não conseguiria nem se quisesse. Tudo que sinto é um misto de desespero e preocupação, me sinto estagnado, só consigo chorar.


Eu nunca tive esperanças sobre o mundo ser algo perfeito e sempre soube que a vida tem dessas para aprontar, mas nunca, em nenhum momento pensei que isso chegaria a mim deste modo.


Neste momento, o jantar esfria e nossos rostos estão cobertos por lágrimas, não há uma palavra a ser dita, o silêncio nos envolve como um ato solene de respeito a dor mas ainda sim há uma esperança…


Nem sempre um sábado de sol, resultará em um bom sábado.


Notas Finais


Olá, caso alguém goste e acompanhe GL, primeiro eu gostaria de me desculpar. Me desculpa porque eu sei como é ruim ter uma fic que você gosta sendo apagada do nada, mas não foi bem do nada.
agora umas coisinhas:

1- Eu estava e ainda estou sobrecarregada com meus estudos e consequentemente sem tempo para escrever direito e eu sou MUITO exigente com o que eu escrevo.

2-O capítulo final de GL já está escrito, o que faz com que eu não perca o rumo da história, mesmo com o hiatus.

3- GL é uma história que particularmente me deixa triste, eu já escrevi muitas(porém GL é a única que posto) e nenhuma me toca tanto quanto essa e é o que faz com que eu tenha um apego muito grande pela forma com qual eu escrevo, pois quero que você sintam o que eu sinto ao lerem ela. Os pontos cômicos dela são basicamente o traço do Tae que eu resolvi deixar pq é muito similares a um meu, quando tudo tá uma merda ache algo pra dar risada.

4-o Tae é pensado sobre a personalidade de uma pessoa que eu amava, mas não no sentido namorada, mas no sentido amiga, e como ocorreram coisas que acarretaram a eu me afastar dela GL será meu último obrigada a essa pessoa que foi importante pra mim e hoje é indiferente.

5- As atualizações não vão ter uma dada certa, me desculpem novamente

6- obrigada, muito obrigada a você que está aqui, me apoia e apoia essa maravilha de shipp que infelizmente é flop. @twitter: ggzbae


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...