1. Spirit Fanfics >
  2. Green is the color of freedom >
  3. Capítulo 4

História Green is the color of freedom - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Heyyy, desculpem a demora, EAD não me deixa atualizar a fanfic com frequência, porém cá estou eu novamente com um capítulo recém saído do forno.
Espero que vocês gostem.
A propósito, as coisas talvez andem um pouco devagar, mas eu vou precisar explicar o passado do Deku e do Katsuki, além de precisar dar palco para os Kiribaku e Bakudeku, então me perdoem.
Caso queiram ver algum casal aqui ou algum vilão novo, podem me dar sugestões que eu vejo como faço para encaixar.

Capítulo 4 - Capítulo 4


Tomura odiava ver seus companheiros da liga parados sem fazer nada e a demora do esverdeado em sequestrar o filho de Endeavor o deixava cada dia mais frustrado e por conta disso, manteve Izuku ocupado durante a semana inteira, portanto o esverdeado não fora fazer sua visita diária ao bicolor, aquele fato estava deixando-o frustrado, pois sentia que Shouto era sua válvula de escape e nem mesmo isso pudera ter durante a semana.

— Hoje é sexta-feira, eu quero o garoto aqui dentro até amanhã.

Foi firme em sua ordem e o garoto suspirou baixo antes de responder.

— Esse não era o meu plano.

A risada sarcástica de Tomura fez os pelos do mais novo se arrepiarem, odiava quando o homem interferia em seus planos, pois quase sempre davam errado.

— E qual é o seu plano pequeno Izuku?

A falsa ternura vinda do homem quase fez Midoriya se sentir mal pela demora, mas já havia caído demais na lábia do platinado e dessa vez seria diferente.

— Eu queria conquistar a confiança dele, ser amigo dele e depois sequestrar.

— Certo, vá.

Deku achou estranho, mas se virou para sair, sendo impedido por uma faca que voou em sua direção quase o acertando.

— Você pensa que eu sou idiota? Eu quero esse garoto aqui dentro hoje. Faltam 5 minutos para o intervalo deles, vá e só volte com ele.

Izuku cerrou seus punhos e saiu da sala batendo a porta com força, logo chamando Kurogiri para que o levasse até o local de sempre.

Estava muito irritado.

O vento frio que tocou seu rosto assim que cruzou o portal e pisou no terraço denunciava que uma forte tempestade estava por vir, seu cabelo que antes era volumoso estava com as laterais quase raspadas por conta de uma brincadeira idiota de Denki e Toga; Apoiou-se na grade como costume e esperou o bicolor chegar, não demorando muito para acontecer, o maior se pôs ao lado do esverdeado e olhou na mesma direção que ele.

— Achei que não viesse hoje novamente.

— E te deixar com saudade de mim? Nem pensar.

Ambos riram.

— Como é ter dois poderes ao mesmo tempo?

Era uma pergunta que o bicolor escutava com certa frequência, porém nunca a respondia.

— Eu só uso meu lado gelado.

Aquela resposta surpreendeu Izuku, claro que havia avaliado muitas lutas do garoto ao seu lado, mas nunca havia reparado que ele usava apenas seu lado direito.

— Tem algum motivo pra isso?

Questionou Midoriya.

— Eu vou tentar ser o mais direto possível, ok?

— Ok.

Suspirou antes de falar a frase que chocou Izuku.

— Meu pai fodeu com a minha cabeça e eu não consigo usar meu poder de fogo por causa dele.

Izuku há muito tempo havia perdido sua vontade de derrotar os heróis e em determinado momento se pegou pensando na possibilidade de virar herói, mas situações como aquela o faziam mudar de ideia, não que a liga dos vilões fosse santa, óbvio que não era, mas deixavam suas intenções escancaradas e não eram falsos, não gostavam disso. Aquelas palavras fizeram algo reacender dentro de Izuku, algo que não sentia há muito tempo:

A vontade de derrotar todos os heróis.

— E você usa isso como forma de se rebelar?

— Sim.

Izuku riu. Ao longe o toque que indicava o fim do intervalo pôde ser ouvido pelos dois garotos e Shouto se desapoiou da grade pronto para se retirar, porém a mão fria do esverdeado o impediu de sair, o bicolor olhou para o menor e o viu de cabeça baixa.

— Aconteceu algo?

— Desculpa Shouto.

De imediato o maior não entendeu, sentiu algo em sua volta e viu uma massa negra flutuante que ele já conhecia, encarou seu amigo com um olhar confuso e assustado, ele fazia parte da liga e neste momento tudo fez sentido.

— Mas... Por quê?

— Eu só recebo ordens.

Midoriya então empurrou o outro para que realmente entrasse no portal e em poucos segundos já estavam no bar novamente; Olhando ao redor, o esverdeado não viu ninguém, nem mesmo Kaminari que costumava estar deitado no sofá estava ali então era apenas ele, Shouto e Kurogiri.

— Onde estão os outros?

Questionou a Kurogiri e a massa roxa disse não saber. Shouto estava assustado e tentava a todo custo achar uma saída dali, mas sem sucesso.

— POR QUE VOCÊ FEZ ISSO COMIGO? VOCÊ ME TRAIU.

O maior segurou a gola do casaco de Izuku, as lágrimas manchavam seu rosto e ao ver isso o coração de Deku se despedaçou.

— Eu só-

— É necessário uma ameaça para você cumprir uma ordem minha não é?

A voz grossa atrás de Todoroki já era conhecida pelo mesmo, Shigaraki Tomura era um dos vilões mais conhecidos da liga e ao ver aquele portal sabia que o garoto de cabelos esverdeados estava com eles.

— Ele é todo seu, onde está o Bakugou?

— No quarto.

Limitou-se a dizer e então o esverdeado logo sumiu ao adentrar um corredor, Shouto se virou para o vilão e sentiu uma pancada forte em sua cabeça, sendo o rosto sorridente e vitorioso de Tomura, a ultima coisa que viu antes de perder sua consciência.

                                                                                                  xxx 

Acordou em um local completamente fechado e escuro, não tinha a mínima noção de qual período do dia estava e o único som que conseguia escutar, eram seus próprios batimentos, tentou se levantar, mas estava amarrado ao chão. Se perguntou por que não havia contado para seus professores que havia uma pessoa estranha nas dependências da escola e se perguntava/culpava, por ter abaixado a guarda de maneira tão facilmente.

O tempo parecia passar cada vez mais devagar e o garoto poderia jurar que enlouqueceria ali dentro, tentou usar seus poderes, mas provavelmente haviam injetado algo que o impedia de acender uma fagulha de fogo ou fazer alguma pedrinha de gelo, já que não conseguia de maneira alguma usá-los, para sua surpresa, a porta fora aberta repentinamente e conseguia apenas ver a silhueta de Izuku passar por ela, conseguiu ouvir ao longe risadas e gritos, deduziu que todos ali eram bastante amigos e uma pontada de esperança acendeu em seu peito para que bolasse um plano para sair dali. A figura que havia acabado de entrar acendeu a luz do ambiente e revelou estar com uma bandeja metálica com comidas e em sua mão esquerda tinha um copo, o esverdeado fechou a porta com um dos pés e se dirigiu até Shouto, colocando com delicadeza a bandeja e o copo no chão a sua frente.

— Come.

Izuku se limitou a dizer, ainda se sentia mal pelo que havia feito com seu amigo.

— Não vou comer, deve ter veneno ou algum sonífero.

Shouto empurrou a bandeja com um de seus pés e derrubou metade da comida que havia lá, o vilão suspirou alto e se sentou no chão gelado.

— Não coma então, eu me esforcei pra pegar essa comida sem o Kacchan brigar comigo, por que se dependesse do Tomura você só tomaria água.

O bicolor não falou nada, olhou para o lado com uma face emburrada.

— Por favor, não fica com raiva de mim... Eu só sigo ordens.

Todoroki finalmente o encarou, suas sobrancelhas estavam franzidas em uma face irritada.

— E tinha que cumprir justo essa? Não me deu sequer a chance de lutar.

— Se eu descumprisse essa, eu poderia ter morrido. A gente não vai te machucar.

— Muito difícil acreditar que vilões não vão me machucar.

O heterocromático falou, mas havia sentido sinceridade na voz do garoto, porém não poderia abaixar a guarda, não novamente, mas Izuku pareceu ter ficado irritado com a resposta.

— Escuta, você acha que a gente queria você? Se toca, a gente só quer seu pai e quando alcançarmos esse objetivo você vai ser descartado.

Aquilo incomodou o bicolor.

— Eu sou um nada pra você?

Rebateu sem nem mesmo saber o porquê de ter dito aquilo.

— Já estão tendo uma DR? Que rápido.

O filho de Endeavor reconheceu aquela voz de imediato, era Denki, ele estava parado na porta ao lado de uma garotinha loira que logo reconheceu ser Toga.

— Você...

O loiro acenou com um sorriso sarcástico cruzando seu rosto.

— Deku, o Dabi chegou e pediu pra falar com você.

A garota loira tinha um semblante calmo.

— Pode deixar que a gente faz companhia pro gatinho ali.

O bicolor sabia que coisa boa não viria, o esverdeado levantou e recolheu a comida a colocando mais perto do aprisionado.

— Aconselho você a comer, o Denki sente muita fome às vezes.

O menor se dirigiu até as mãos de Shouto e com isso precisou encostar seu rosto quase no ouvido do mesmo, a respiração de Deku fez os pelos do heterocromático se arrepiarem, então o mais novo sussurrou no ouvido do outro:

Me desculpa de verdade, eu gosto de você, eu me sinto em paz com você, mas... Eu não posso te deixar ir.

Desamarrou suas mãos e se levantou, saindo sem dizer mais nada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...