História Growing - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho)
Tags Swan Queen, Swanqueen
Visualizações 387
Palavras 1.246
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, FemmeSlash, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EU ERREI! O capítulo que tá grandão é o próximo, e não esse, mas pra me desculpar, uma atualização fora do dia habitual! E preparem o coração pro gancho do final ;)
Obrigada pelos comentários, vocês são demais! xox

Capítulo 17 - Mais novidades


Graham entrou na sala e ajudou Regina a dispor as bolsas de papel sobre a mesa.

“Espero que goste do que eu escolhi, Senhorita Swan...” – Ele disse com um sorriso.

“Você sabe que pode me chamar de Emma!” – Ela respondeu animada, indo até a mesa para ver qual seria seu almoço aquele dia.

“A senhorita está em um almoço com minha chefe, provavelmente um almoço de negócios – Graham disse com ar de zombaria – “e eu quis manter as coisas formais...”

“Se a comida esfriar é culpa sua...” – Regina disse, rolando os olhos. Ela estava realmente animada em passar um tempo a sós com Emma.

“Senhorita Mills, a sua salada é fria...” –  rebateu com tom de provocação, e Regina corou.

“M-mas a massa de Emma não! Da Senhorita Swan, quero dizer...” – Ela tentou.

Graham riu.

“Eu vou colocar o sorvete no frigobar...” – Ele disse se encaminhando para um canto da sala e guardando a caixa com as sobremesas, e logo depois se despediu das duas.

“Tenham um bom almoço...”

“Obrigada” – Regina respondeu, e olhou pra Emma ao notar que a mulher não havia respondido – e o motivo era o mais ‘Emma Swan’ possível: ela já estava de boca cheia.

“Emma!” – Ela fingiu estar brava depois que Graham já havia saído e fechado a porta atrás de si.

“O quê? Vocês tavam demorando, e o cheiro parecia delicioso! Nossa, esse é simplesmente o melhor espaguete à carbonara que eu já comi na vida!” – Emma disse antes de enfiar outra garfada na boca.

“Você é fã de massas assim?” – Regina perguntou, abrindo sua salada e despejando sobre ela o molho que veio à parte.

“Muita coisa! Calzone, lasanha, espaguete, salada de macarrão, ravioli, me dá que eu traço tudo!”

“E você come com frequência?”

“Sim, por quê?” – Emma perguntou, levantando uma sobrancelha.

“Não imaginava, como você faz pra manter esse corpo esbelto, musculoso e lindo?”

Emma sentiu seu corpo derreter.

“Hm, é, muito exercício...”

“Ah, você vive na academia, então?” – Regina provocou antes de colocar mais uma garfada na boca.

“Nah, eu me exercito em casa mesmo, tem um que eu faço sempre, que é o levantamento de Henry...”

Regina quase engasgou de rir.

“Como é?”

“Pois é, ser mãe de um meninão dengoso daquele traz lá alguns benefícios para o corpo...” – Emma disse, flexionando os músculos, e fazendo Regina suspirar em silêncio.

Elas ficaram quietas por um tempo, até que o barulho de Emma abrindo a lata de refrigerante preencheu o silêncio.

“Isso é uma droga para o organismo, mas é tão, tão bom...” – Regina fitou Emma com olhos de desejo enquanto a loira virava a lata na boca.

“Hm, quer um pouco?”

“Eu não deveria...”

“Claro que deve, toma!” – Emma esticou a lata, e Regina deu uma golada grande, virando a cabeça pra trás; o pescoço de Regina ficou completamente exposto, e Emma sentiu uma enorme vontade de atravessar a mesa e beijá-lo bem do jeito que Regina gosta, mas decidiu se controlar.

 

Uma vez acabado o almoço, as duas estavam comendo a sobremesa, quando Regina comentou:

“Desculpa se eu estiver soando indiscreta, mas eu tava dando uma olhada nos horários que você me mandou – você me parece ter muito tempo livre no trabalho ultimamente, tá tudo bem?”

“Hm, é, você sabe né, a crise... a gente tá tendo alguns horários cortados, o que honestamente não é muito bom pra mim, então se você souber de alguém precisando de alguma coisa...”

“Do quê, especificamente?”

“Ah, consultoria, ou algum freela de design, qualquer coisa assim...”

“Eu vou ficar de olho” – Regina disse com um sorriso sincero, antes de levar mais uma colherada de sorvete à boca.

O gemido que ela deu ao sentir o gosto do sorvete de creme e a forma como ela lambeu a colher até ficar limpa estavam mexendo com os hormônios de Emma.

“Pelo amor de Deus, mulher para com isso!”

“O quê?” – Regina perguntou, fingindo inocência.

“Você tá praticamente fazendo um oral nessa maldita colher!” – Emma disse, tentando falar baixo – ela tinha a tendência de levantar a voz quando frustrada.

“Hm, e isso está de deixando animadinha, Em-ma?” – Regina disse o nome da outra mulher em um sussurro baixo, que fazia com que os cabelos da nuca de Emma se arrepiassem toda maldita vez.

Emma deu mais uma olhada ao redor, e pelas paredes de vidro pôde ver o movimento de pessoas entrando e saindo de suas salas – o lugar estava muito cheio para que Emma pudesse fazer alguma coisa, e o pior era que Regina sabia disso.

“Você adora me provocar...”

“E você gosta de ser provocada...”

“Não quando eu não posso te jogar em cima da mesa e te pegar de jeito como você gosta...” – Emma disse com uma piscada de olho, e dessa vez foi o corpo de Regina que pareceu pegar fogo.

Uma batida na porta interrompeu o momento, mas pouco fez para sanar a tensão sexual que pairava no ar.

“Pois não?”

“Regis?” – MarÍa chamou sem abrir a porta – “Você tem visita!”

“Visita? Eu não tinha ninguém marcado pra esse horário, tinha?”

“E eu preciso mesmo de horário?” – Uma voz masculina falou, e Regina praticamente deu um pulo da cadeira.

“Não! Ah não!” – Ela sorriu animada, e correu de encontro ao homem que estava entrando na sala – “Dani!” – Regina o abraçou e o homem alto agarrou Regina pela cintura, girando-a no ar com facilidade.

“Ei, princesa!”

Emma olhava com atenção enquanto Regina acariciava o rosto do homem, parecendo querer reconhecer cada detalhe, seu sorriso era enorme.

“O que você tá fazendo aqui, homem?” – Regina sorriu, segurando as mãos do moreno.

“Vim te ver! Cheguei de viagem hoje, e vim pra ficar!”

Regina o abraçou mais uma vez, e Emma de repente se sentiu como uma estranha no ninho. E mais do que isso, seu estômago estava meio revirado, como sempre ficava quando ela estava nervosa.

“R-Regina? Eu acho que já vou indo...”

“Hum?” – Regina olhou pra ela como se tivesse esquecido que Emma estava lá, e isso fez o coração da loira ficar ainda mais apertado.

“E-eu já vou!”

“Mas tão cedo?”

“É, eu tenho que pegar o Hen...”

“Oh! Então tá. Foi um  ótimo almoço, Emma, deveríamos repetir!” – Regina sorriu, mas seus olhos não saíam do rosto do homem alto.

“É, deveríamos... Com licença” – Emma saiu sem se despedir, e María notou que havia algo de estranho no ar, mas discreta como era, resolveu ficar calada.

 

Já na saída, Emma se deparou com Graham.

“Mas fez igual cachorro magro, mal comeu e já vai embora?”

Emma teria provocado o assistente, mas naquele momento ela não estava lá de muito bom humor.

“Ela tinha outros compromissos...”

“Ela não tem outra reunião até as 15:30!”

“Chegou um cara aí, um tal de Dani...”

“Dani? De Daniel? Daniel Stevens?”

“E eu sei lá, cara...”

“Alto, cabelo preto e per-fei-to, musculoso, com um queixinho lindo...” – Graham disse com olhos sonhadores.

“Sim ele é alto, e musculoso? Nem tanto! E o cabelo dele tá longe de ser perfeito, brilhando daquele jeito deve ser óleo puro!” – Emma fez cara de nojo e Graham percebeu no ato que Emma estava botando defeitos onde não tinha, e ela deveria ter algum motivo pra isso.

“Então é ele mesmo, Senhor Daniel Stevens! Não sabia que estava de volta...”

“E quem é ele?”

Graham já estava se retirando, mas antes de ir disse uma frase que fez o mundo de Emma parar de girar, e seu coração acelerar.

“Ah, ele é o ex-noivo da Regina.”

 


Notas Finais


Só isso, ninguém importante não. Hehehehe
Até o próximo!
(lembrando que eu prometi uma fic leve, e a promessa continua, eu não vou fazer drama não! Mas um pouco de suspense não machuca ninguém, né? :p)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...