História Guardian Angel - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Percy Jackson
Tags Annabeth, Charlena, Hdo, Lazel, Percabeth, Percy Jackson, Pjo, Romance, Solangelo, Thaluke, Wico
Visualizações 138
Palavras 1.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lírica, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 21 - Capítulo 21


Fanfic / Fanfiction Guardian Angel - Capítulo 21 - Capítulo 21

Capítulo 21

Eu já estava enjoado de não fazer nada.

Na verdade eu estava fazendo muita coisa desde que Annabeth fora para São Francisco há um mês, mas não era essa a questão. A grande questão era que eu já participara de festas, reuniões, ganhei o campeonato de natação da cidade e o estadual com a escola, estava treinando feito um louco para a próxima competição. Entrara para o grupo de arte com Hazel e me descobrira péssimo desenhando, além de ser um inútil em musica, já que não conseguia tocar nem o triangulo no momento certo. Também passei um tempo com Theodore Finch e tentei atuar, ele me dissera que eu não emocionaria nem o tipo de bêbado chorão.

Eu contei tudo isso para Annabeth, e tudo oque ela me disse foi:

"Legal, espero que tenha se divertido! Você não bebeu muito, certo?"

"Parabens! Estou orgulhosa de você, Cabeça de Alga!"

"Parabéns!"

"Não se machuque."

"Você nunca foi bom."

"Céus, Percy."

E sobre o teatro ela nem me respondera. Digo, ela não comentou nada sobre isso, e já faziam três dias. Ela mal respondia meus "Bom Dia", só me mandava um emogi de beijinho.

Era sobre esse "nada" que eu estava cansado. Eu não fazia nada com ela, ou algo para fazê-la falar comigo. E era uma bosta.

Meu único consolo era que ela não estava assim só comigo. Thalia me disse que mandava textos falando oque achara dos livros e Annabeth só respondia com um "lagal" ou corrigindo o nome ou algum acontecimento. Leo lhe contava piadas por mensagem e ela lhe respondia sempre com três "k's". Annabeth odiava escrever ou receber "k's" como risada.

Quando perguntei para minha mãe se Annie havia conversado com ela, dona Sally me mostrou as conversas, e eram mais ou menos assim:

"Bom Dia, Annie! Dormiu bem?"

"Ah sim, a vista é linda!"

"Olá, meu amor. Tudo bem por ai?"

"Já almocei sim."

"Annie, você já fez novas amizades?

"Cenara está mandando outro beijo para você"

Eu não entendi nada, e quando pedi uma explicação para minha mãe, ela me disse mais ou menos isso:

-Ela está se acostumando com uma nova casa, em uma nova cidade e com uma nova família, Percy. – Minha mãe sorria e passava a mão em meu rosto, sentada ao meu lado no sofá da sala – Cenara a colocou em um milhão de cursos e na melhor escola da cidade, que tem um horário ainda mais pesado do que a que você estuda. Nos foi avisado que nosso contato com ela seria limitado. No começo nem tanto, mas agora que ela já se acostumou... Ela deve estar fazendo tudo que pode, querido. Não a julgue tudo bem?

***

-Jason, me dê logo esta merda de controle, você vai nos fazer perder! – Piper berrava, pulando em cima do namorado e tentando agarram o controle, atrapalhando-o ainda mais.

-Pips, você vai nos fazer perder! – Ele berrou de volta, tentando tira-la de suas costas sem tirar os olhos da TV.

Eu ri enquanto eles discutiam e observei Leo jogar, apertando os botões como um lunático, com a língua pra fora e os olhos arregalados.

Estávamos todos reunidos no sótão dos Valdez, onde era tudo equipado com aparelhos tecnológicos de ultima geração, inclusive duas tevês de 50 polegadas e uma, a que usávamos, que eu nem sabia o tamanho. Computadores, videogames e outras bugigangas se espalhavam pelo enorme cômodo sem paredes para dividi-lo em algo menor. A única coisa que havia ali eram pilares, e entre muitos deles haviam bancadas cheias de ferramentas para que Leo, Charles, Hefesto e Piper fizessem suas próprias bugigangas. Eles podiam ficar horas e horas ali sem cansar. Em um canto, haviam maquetes e varias plantas de edifícios, Annabeth passava um bom tempo ali também.

Dei um pulo e acabei caindo do pufe onde estava quando Leo soltou um berro em comemoração. Olhei para Hazel com cara feia quando me levantei, já que a mesma tinha se ajoelhado e tinha as mãos na barriga de tanto rir de mim.

-Exagerada. – falei, observando rir mais, até ficar sem ar e eu ser obrigado a ajudar.

-ISSO AI PORRA!!! – Thalia se juntou na comemoração, trocando soquinhos com o Valdez e fazendo sua típica dancinha da vitória. – Quem é o próximo perdedor?

Estávamos em uma competição em duplas envolvendo um jogo de luta que eu não sabia o nome, e a única coisa que eu entendi fora as duplas, já que o esquema do placar e quem jogaria com quem em cada rodada eu não havia entendido nada.

Olhei para Nico sentado em uma poltrona de retalhos. Ele fazia os placares já foi único que não quis jogar. Ele olhava com a testa franzida para os papeis com os pontos em suas mãos, olhando varias em varias e varias vezes para todos. Por fim, deu de ombros e anotou qualquer coisa antes de focar sua atenção em nós.

-Agora é Wiil e Hazel contra Thalia e Leo. Leo não pode jogar agora pois ele jogou a ultima. – Ele falou, com a confiança de um dono de uma multinacional, como se soubesse de tudo e aquilo que falasse fosse mesmo importante.

Hazel se voluntariou para ir e Thalia a olhou como se fosse a presa mais deliciosa que já tinha visto.

Enquanto Thalia começava a quase quebrar o controle e Leo começava a berrar, fui para o lado de Nico e arranquei os papeis de sua mão. Nele estavam pontos sem sentido em uma escala bagunçada e com uns desenhos de caneta preta que obviamente foram feitos sem nenhuma atenção.

-Como diabos você está organizando isso? – Perguntei olhando para ele.

-Não tenho ideia. – Ele falou e deu de ombros. – O que Thalia me disse para fazer não tinha sentido, então...

-Então como você está montando as partidas?

-Aleatoriamente. – Ele pegou o celular do bolso e começou a jogar um joguinho de zumbis.

-Então não vai tem um vencedor?

-Não. Só estou esperando vocês cansarem disso.

-E por que você está anotando tudo isso?

Ele me olhou e deu de ombros, e quando abriu a boca para me responder, o telefone fixo começou a apitar escandalosamente.

Leo acenou com a mão e continuou berrando para Thalia, então Will foi atender. Troquei um olhar com Nico e voltamos a observa-lo. Quem diabos ainda usa o telefone fixo?

-Alo? – Will falou, tranquilo como só ele, e depois abriu um sorriso enorme – Annabeth! Como vai?

Eu, por mais incrível que pareça, não demorei para registrar que era Annie no telefone e sai correndo. Thalia largou o controle e pulou o sofá, correndo junto comigo em direção ao Will. Luke e Leo estavam em nosso alcance, e os outros, pela gritaria, não estavam nem um pouco mais descentes.

-Que bom que está tudo bem! – Will falava, empurrando a cabeça de Thalia para um lado e me chutando para o outro – Todos estamos bem também, por que sumiu?

-Cale a boca e me passe o telefone, Solace! – Gritei, empurrando o braço dele para um outro lado e tentando pegar o telefone de sua outra mão.

-Não antes de mim, Jackson! – Thalia berrou de volta, batendo em minha mão.

Luke também entrou na disputa, xingando e me empurrando para longe.

-Ei. – Hazel batia o pé – Eu também quero falar com ela, sabiam?

-E você está ao vivo para todos loirinha. – Leo disse mais alto que todos, com o quadril apoiado em uma das bancadas ao lado da caixa do telefone, olhando para as unhas com uma expressão de superioridade.

-Oi pessoal.

Meu coração disparou quando escutei sua voz. Eu nem me lembrava da ultima vez que havíamos conversado descentemente. Os outros não estavam muito diferentes. Luke estava sorrindo feito idiota enquanto Thalia e Piper davam pulinhos.

-Eu estou escutando esse barulho de pulos, gente. Calma, sou só eu!

Sua voz parecia divertida, mas alguma coisa no fundo do meu cérebro me dizia algo que resolvi não dar atenção naquele momento. Apenas me aproximei mais da caixinha de onde sua voz era reproduzida.

-Annie. – Chamei – Está tudo bem por ai?

-Sim! – Ela confirmou – Tudo bem sim, e ai?

-Está bem também. Só sentimos a sua falta. – Hazel falou – Por que não nos responde?

-Aconteceu um pequeno, ahn, acidente com meu celular. Desculpa gente, eu também estou com saudades, mas não vou poder responder vocês por um tempo.

-Mas o nosso encontro ainda está de pé, certo? – Thalia se pronunciou, ansiosa.

-Ah, Thalia...- A loira lamentou – Eu estou com tantas aulas...

-Como assim? – Thalia respondeu – Como assim "tantas aulas" Annabeth!? Nós combinamos todos os detalhes desse encontro!

-Eu estou atolada de trabalhos...

-Annabeth!

Thalia parecia indignada e eu mesmo estava triste por ela. Não entendia como Annie podia se negar a isso por causa de trabalhos. Mesmo sendo bem estudiosa, não era algo que ela geralmente faria.

-Me desculpe.

-Annie. – Luke segurou os ombros de Thalia e tomou o controle da situação – Está tudo bem ai mesmo? Não está precisando de nada?

-Sim, tá tudo bem . Eu est...

-Annabeth? – Cenara respondeu, e pelo volume de sua voz, estava bem perto do telefone.

-Eu tenho que ir. – Annabeth parecia triste – Eu amo vocês, gente.

-Mas nós nem conversamos! – Piper exclamou. – Silena e Charles estão pra chegar, e você nem falou com os tios, falou?

-Eu nem te contei sobre meus projetos de robótica , Annie. – Leo lamentou.

-Pede mais um tempinho, Annie. – pedi. – Por favor.

-Desculpa, gente. Eu realmente não posso. Até.

E então a linha ficou muda.

***

O campeonato tinha acabado.

A ligação de Annabeth apenas nos deixou mais para baixo do que já estávamos. Nos reunimos novamente no sofá, pufes e poltronas, deixando um canal de musica na tv.

-Ela estava tensa. – Luke falou, pensativo.

Eu concordei com a cabeça. Assim que ela desligou, resolvi dar atenção ao que tanto me incomodava e cheguei à mesma conclusão.

-Mas ela parecia feliz no comecinho... – A voz de Leo fora sumindo conforme sua frase ia terminando.

-Isso não muda nada. – Luke falou, com a cabeça baixa. – Ela estava incomodada com alguma coisa.

-E que coisa é essa? – Nico perguntou.

Luke suspirou e jogou a cabeça para trás enquanto todos os olhares caiam sobre ele.

-Eu não sei. – Falou. –Ainda.


Notas Finais


Hey guys, sorry for all. Acho que vocês não acreditam em mais nada do que eu falo né? Mas enfim, esse atraso não culpa minha, sou incente. Enfim, me digam o que acharam do capítulo, ok? See you, people.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...