História Guardiões do Destino - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Crossover, Originais
Visualizações 6
Palavras 1.193
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Heróis do amanhã


Fanfic / Fanfiction Guardiões do Destino - Capítulo 1 - Heróis do amanhã

Depois de ter contato algumas histórias que havia criado quando criança e remodelado ainda quando adolescente, não pense que é só isso, ainda tenho muito o que mostrar para você. Mas antes disso, vamos olhar para as histórias que contei. Ora, um garoto que é recrutado pelo exército, além de se encontrar em uma época futurística, um jovem lutador de rua que perdeu seus pais, uma garota que possui o DNA de gente e cobra, além de ser imortal, uma garota do Japão que é criada por índios brasileiros e uma garota que mora no mundo dos sonhos e governa um país que lembra o Egito. E se essas e mais algumas histórias se cruzarem? Já imaginou a reação que um teria ao ver o outro? Só que mais a fundo dessa afirmação, o que poderia motivá-los a se encontrar? 

A história começa quando havia quatro pessoas, que não pareciam ser normais, mas sim, algum tipo de divindade. O ano é de 2020. Essas quatro pessoas eram conhecidas como os Quatro Guardiões. Receberam esse nome justamente por visar os quatro períodos de um dia, além de controlarem o tempo. Essas quatro pessoas eram formadas por três garotas e um garoto. Uma delas era loira, tinha asas de anjo e usava um quimono azul celeste, além de botas amarelas. A outra já era ruiva, usava óculos escuros, um casaco simples, que não era muito pesado para frios rigorosos. Usava calças laranjas e tênis de marca. A outra garota tinha o cabelo branco, usava vestido cinza e asas que lembravam de um demônio. O vestido não era muito longo, era da altura da cintura e ela usava botas brancas. O garoto era moreno, usava suéter e tinha uma espada. Usava tênis de marca. 

Certo dia, eles estavam se revesando para visitar a Terra. Eles faziam isso para poderem cumprir com a função de visar o mantimento de determinado período do dia. Nesse momento, a garota de cabelos brancos saía da Terra e estava no Mundo Divino. Ela olhava para a garota ruiva e o garoto e dizia:

- Eu preciso falar com vocês. 

- O que houve? - disse o garoto. 

- Eu sonhei com o futuro. - disse a garota de cabelos brancos. 

- E como era o sonho? - indaga a ruiva. 

- O futuro que eu sonhei... Era apocalíptico. - dizia a grisalha. - Eu vi que um inimigo conhecido do futuro iria mostrar suas garras e iria atacar a Terra no ano de 2020.

Os dois ficaram arrepiados. Nunca imaginariam que isso iria acontecer. Aliás, quem é esse inimigo? 

- Nós três precisamos aproveitar e viajar para o futuro. - disse a ruiva. - Algo não está me cheirando bem. 

- E não era só isso. - disse a grisalha. - No meu sonho, esse inimigo tinha a ambição de matar mais gente. 

- E quem seriam? - indaga o garoto. 

- Pessoas importantes, que ajudam os outros sem pedir nada em troca. - disse a grisalha. - Pessoas que sofreram em suas vidas e adotaram uma filosofia própria e a defendem com unhas e dentes. 

- Você está falando que esse inimigo está atrás de... Heróis? - indaga a ruiva. - Francamente essa história de herói não existe. 

- É mesmo, irmãzinha? Você anda desatualizada. - disse o garoto. - Durante a noite, eu costumo passar em cada canto desse mundo e sim, existem heróis. 

- Tipo quem? - indaga a ruiva. 

O garoto então não disse nada. 

- Bem... - ele começava a falar. - Esse heróis que eu vi, devem ser os que você sonhou. Você não se lembra como eram, irmãzinha? 

A garota grisalha disse:

- Sim, eu lembro. Eram sete pessoas daqui do presente e um do futuro. Tinha um garoto que tinha o cabelo verde, uma garota com a pele verde, uma outra com o cabelo ruivo e tinha uma outra que eu acho que não é do Mundo Real. 

- Por que acha isso? - indaga o garoto. 

- Eu sei identificar os indivíduos de seus mundos, sabia? - a grisalha ri. 

- E os outros três? - indaga a ruiva. 

- Eu não lembro bem deles. - disse a grisalha. 

- Você não se lembrar? Tem uma memória boa para lembrar sonhos. - disse a ruiva. 

- Eu sei, mas o sonho que tive parecia tão real. - disse a grisalha. 

Os dois começaram a ficar pensativos. 

- Eu acho que devíamos reunir esses heróis. - Disse o garoto. - Se esse inimigo pretende matá-los, é porque tem um plano muito mal em mente e não estou gostando do que estou ouvindo. 

- Mas como vamos fazer isso? - indaga a ruiva. 

- Temos um dia para reunirmos. - disse o garoto. - Vou falar com a mana que está no mundo dos humanos para encontrar dois heróis. 

- Que tal dois dias, já que são oito heróis? - indaga a ruiva. 

- Vocês estão de acordo? - indaga o garoto. 

- Sim. - responde a grisalha. 

- Ótimo. Temos dois dias para reuni-los. 

Dito e feito. 

O garoto se comunicava por telepatia com a garota loira, que estava no mundo dos humanos. Ele explicou tudo à ela e imediatamente ela fala:

- Vou à China. 

- À China? - indaga o garoto. 

- Sim. Eu conheço alguém que vive lá na China, ele pode ser um desses sete heróis do presente. 

O garoto não havia pensado nisso e desejou boa sorte para a sua irmã, que usava seus poderes para se teleportar do Japão para a China. 

Enquanto isso, neste local, em Xangai, lá estava um garoto que era muito parecido com Aisbua, atual líder do Mundo dos Sonhos. A diferença era que ele era mais claro e os olhos eram mais nítidos, além de usar vestes distintas, mas da mesma cor. 

Ele estava de moto e parecia estar perseguindo um carro. 

- Droga, esse garoto não desiste nunca! - disse o carona, que parecia ser bandido, assim como o motorista. 

O garoto que pilotava a moto parecia que ia lançar mísseis com o próprio veículo. Estes eram lançados, mas não no carro. 

- Você é ruim de mira, hein? - indagava o bandido. 

O garoto sorrri e eles olhavam para a frente. Havia um enorme buraco que era fundo. Eles tentaram desviar, mas não conseguiram. Ficaram com o carro preso no buraco. 

Um tempo depois, o garoto estava com os bandidos ainda ali presos, até que chegou a polícia. 

- Obrigado pela ajuda de novo, Mega Boy. - disse o policial. 

- Não tem de quê. É sempre um prazer ajudá-los. - disse o tal do Mega Boy. - Agora se me der licença, preciso voltar para as ruas. 

- Claro. À vontade. - disse o policial. 

Ele então andava em sua moto e se afastava do ocorrido. Depois desta, a loira aparece na frente dele, o obrigando a freiar. 

- Qual o seu problema, moça? 

Ela estava sorrindo e disse:

- Quem diria que 7 anos se passaram e você ainda continua protegendo os chineses.

- Você... Me conhece? 

Mega Boy era o voluntário da garota loira. Será que ele aceitará realizar uma união de heróis? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...