História Guardiões do Destino - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Crossover, Originais
Visualizações 4
Palavras 1.039
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Cellina e Kasumi


Fanfic / Fanfiction Guardiões do Destino - Capítulo 3 - Cellina e Kasumi

As horas passavam em Tóquio. As matas estavam ficando frias, mas a nossa querida shizen decidiu caminhar por aí. Era noite, por volta das oito horas e como inimigos não estavam aparecendo por lá, ela ficou livre de fazer o que quiser. 

- Nossa, faz muitos anos que vejo como a lua é bonita. - falava para si. 

- Fico feliz que tenha gostado da lua. - o garoto irmão de Gogo e Asa aparecia na frente dela. 

- Quem é você? - indaga Cellina e percebia que ele estava com orelhas distintas de um ser humano comum. - Você é um doende? 

- Hahahahaha, não.- responde o garoto.- Eu sou Yoru, o Guardião da Noite. 

- Guardião da Noite? - indaga Cellina. 

- Sim. E vim aqui para conversar com você. - disse Yoru. 

- Comigo? - indaga Cellina. - Mas o que eu fiz de errado? 

- Hahahahaha, nada, minha cara shizen. - disse Yoru. - Eu tenho mais três irmãs e cada uma delas rege um período do dia. 

- E no que eu posso ajudar? - indaga Cellina. 

- Bom. - Yoru caminhava de um lado e de outro. - Uma de minhas irmãs teve um sonho e nele um inimigo muito poderoso havia matado você e mais pessoas. 

- Por quê? - indaga Cellina. 

- Por serem pessoas boas e que ajudam os outros. - disse Yoru. 

- Mas isso não faz sentido. - disse Cellina. 

- Bem, vou te explicar. - disse Yoru, que se sentava e levitava. - Todos nós sabemos que quem derrota um vilão, é um herói, certo? 

Cellina começava a rir e falava:

- Me desculpe, mas essa coisa de herói não existe. 

- É mesmo? - indaga Yoru, que parecia ser sabido. - Você bancou uma heroína sua vida toda. Treinou durante muitos anos para estar aqui. 

- Está me dizendo que essas pessoas também são heróis? - indaga Cellina. 

- Exato e temos de unir vocês logo, pois no sonho de minha irmã, depois que esse inimigo mata vocês, ele vai dominar a humanidade. - disse Yoru. 

- E por que vocês não impedem isso? - indaga Cellina. 

- Porque nós não lutamos, apenas cumprimos nossas missões. - disse Yoru. - As entidades cósmicas e divinas não lutam, apenas alguns deuses e servos dos deuses. 

- Interessante. - disse Cellina. 

Yoru olhava para ela e disse:

- Eu posso ver nos seus olhos que você encontrou uma dessas pessoas. 

- Ahn? - indaga Cellina. 

- Ainda quando ela estava na barriga de sua falecida mãe. - disse Yoru. 

- Do que você está falando? - indaga Cellina. 

- Você se lembra de Kasumi Mizuna? - indaga Yoru. 

Cellina puxava pela memória em algum momento, até que se lembrou. 

- Aquela mulher ruiva. - disse Cellina. - Morreu? 

- Sim. - disse Yoru. - Ela e seu companheiro foram mortos por um antigo inimigo da família. 

Cellina estava abatida e indaga:

- Mas e a Kasumi? 

- Ela foi lançada no oceano e navegou sem perigo nenhum para o Brasil. - disse Yoru. - Fica bem longe do Japão e foi criada por uma tribo indígena. Hoje ela se chama Kasumi Potira. 

Cellina estava sem palavras. Não acreditava no que estava ouvindo. 

- Yoru, eu quero ver Kasumi. - disse Cellina. 

- Minha irmã irá falar com ela. - disse Yoru. - Então, você topa se unir a esse grupo de heróis? 

- Sim, eu topo. - disse Cellina. 

- Ótimo. Você deve ir para a Antártida. Vá para lá hoje mesmo. - disse Yoru. 

- Certo. - responde Cellina e agradece a ele. 

Ela então estaria voltando para o castelo para recolher suas coisas. 

Yoru sumia. 

Agora, as horas passavam ainda mais. No Brasil, já era madrugada. Os Guardiões tiveram que dar um tempo por causa do fuso horário. 

Kasumi não conseguia dormir e estava sentada olhando para o chão. 

Aparecia uma sombra de uma pessoa e a ruiva percebeu que era alguém diferente. 

- Droga, quem estaria aqui à essa hora? - indagava a ruiva para si. 

- Não se assuste. - era a última Guardiã, que se sentava do lado dela. - Meu nome é Yoake e sou Guardiã da Madrugada. 

- Você é a Guardiã da Madrugada? - Kasumi parecia surpresa. - Mas eu pensei que vocês fossem lendas. 

Yoake ria e fala:

- Claro que não, sua boba, senão não estaria aqui falando com você. 

- E o que a Vossa Divindade quer de mim? - indaga Kasumi. 

- Eu tive um sonho recentemente que envolvia você e mais pessoas, mas não da sua tribo. - responde Yoake.- Nesse sonho, um inimigo poderoso estaria matando você, eles e a humanidade. 

Kasumi parecia assustada. 

- Eu conversei com os meus irmãos e decidimos procurar por vocês. - disse Yoake. 

- E o que esssas pessoas têm em comum comigo? - indaga Kasumi. 

- Eles são heróis e você é uma heroína. - disse Yoake. 

- Eu? Uma heroína? - indaga Kasumi. - Não mereço tudo isso. Só sou uma humilde... 

-... Guerreira. - complementa Yoake. 

- Isso. - disse Kasumi. 

Yoake fala:

- Mesmo que você não queira se juntar aos outros, precisa se salvar. Vai negar minha oferta? Terá uma pessoa por lá que você não a conhece mas ela te conhece. 

- Quem?! - Kasumi olhava para Yoake. 

- Ela é uma shizen e te conhece ainda quando... Eu vou deixar você conhecê-la. - disse Yoake. - Então, você topa? 

Kasumi pensava sobre o assunto. Pode se proteger com essas novas pessoas e conhecer uma delas que sabe de sua existência. Ela então afirma:

- Sim. Eu aceito. 

- Ótimo. - disse Yoake. - Você deve ir hoje para a Antártida. Sei que ficou apegada à tribo, mas está na hora de você se manter viva ainda. 

Yoake sumia. 

Kasumi ficou ali pensativa. Será que fez a escolha certa? Ela olhava para seu pai que dormia e começava a chorar. Não queria sair de perto de seu povo, mas não tinha escolha. 

Até agora quatro pessoas foram chamadas. Asa e Gogo combinaram de falar com duas pessoas, uma de Portugal e a outra da Coreia do Sul. Será que aceitam a proposta? E Kasumi? Irá mesmo para Antártida? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...