História Guardiões do Destino - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Crossover, Originais
Visualizações 3
Palavras 1.209
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - A bruxa, o samurai e a princesa


Fanfic / Fanfiction Guardiões do Destino - Capítulo 4 - A bruxa, o samurai e a princesa

Nas terras de Portugal, já era dia. O horário era por volta das nove horas da manhã. Por lá, vivia uma garota que tinha a pele mais branca que a neve, os cabelos também eram brancos, mas tingidos com luzes marrons, ela usava um casaco de lã, também da mesma coloração, branca, tinha calças pretas e botas brancas. Ela se chamava Branca Rios Aguiar. Ela não era uma simples pessoa, ela era a única sobrevivente da Guerra Wicca, um confronto secreto em que envolvia bruxos, bruxas, magos, feiticeiros e seus gêneros opostos de diversos países, mas não eram simples mestres da magia, eram chamados no meio deles de wicca, para diferenciar dos bruxos e bruxas mortais, que existiam na época. Sim, eles eram imortais, mas como o confronto foi tão intenso e doloroso, acabaram morrendo. Isso aconteceu ainda quando Branca era uma recém-nascida, ela nasceu no ano 20 d. C, foi a última wicca a nascer e apenas ela nascera após o nascimento de Cristo. O motivo da guerra foi por causa de um dos wiccas mais poderosos do meio deles, que ficou ambicioso por poder e desafiou muito o equilíbrio entre a Magia da Luz e Magia das Trevas, ambas era a especialidade desse wiccas. Branca dominava a Magia da Luz, diziam que ela seria uma excelente wicca. Não mentiram. 

Mas voltando aos dias atuais, Branca tem agora 2000 anos, mas aparenta ter 20 anos. Diferente de um shizen que envelhece na fisionomia a cada 10 anos, um wicca envelheceria a cada 100 anos, que foi o caso de Branca. Ela estaria caminhando pelas ruas de Lisboa, passara bastante tempo com os humanos. Uma pessoa de sobretudo aparece atrás dela e fala:

- Posso falar com você? 

Ela olha para trás e era Asa. A wicca dizia:

- O que foi? 

- Preciso que venha em um beco. - responde Asa, que pede para que ela a siga. 

Elas chegavam no beco e Branca indaga:

- Quem é você? 

- Me chamo Asa e sou a Guardiã da Manhã. - dizia a entidade divina. 

- Você é uma... Guardiã? - indaga Branca, surpresa. - Não acredito que você veio aqui no Mundo dos Humanos para me visitar. 

- É que você corre perigo. - disse Asa. - Mesmo sendo imortal, você corre risco de morrer. 

- Quem vai me matar? - indaga Branca. 

- Um inimigo que vem do futuro. - disse Asa. - Ele está se preparando para invadir essa época, matar você e mais heróis e dominar a humanidade a partir desta época. 

- Herói? Quer dizer que eu sou uma? - indaga Branca. 

- É sim. Você protegeu os humanos de diversos ataques de pessoas e criaturas extremamente perigosas. Reconhecemos você e essas pessoas como heróis. - disse Asa. - Eles estão em todo o lugar e você é um deles. 

Branca ficava surpresa com o que ouvia. Nunca iria imaginar se seria reconhecida pelos seus atos. 

- Eu te faço uma proposta. - disse Asa. - Se você se juntar à essas pessoas, a probabilidade de acabarem com esse inimigo é ainda maior. Você aceita? 

Branca no momento ficou pensativa. Queria sair e realizar o que lhe foi proposto, mas e as pessoas com quem convive? As deixaria ali? 

- Não se preocupe, protegendo mais pessoas não te de continuar protegendo Portugal. - disse Asa. - O mundo é num todo. Eu garanto isso. Você aceita? 

- Tudo bem. Eu aceito. - disse Branca. 

- Que bom. - Asa sorri. - Preciso que vá hoje mesmo para a Antártida. É lá onde todos nós estaremos reunidos. 

- Tudo bem. Eu vou para lá sim. Obrigada. - disse Branca. 

- Sim. Agora, eu vou sair. Te vejo mais tarde, Branca. - Asa sumia. 

Agora, essa situação se passa na Coreia do Sul. Era de tarde e o horário era meio-dia. Existia um garoto que zelava pela Espada Joseong, uma espada que dava poderes sinistros a quem tinha posse dela, além de uma armadura super resistente. Essa espada era passada de geração em geração para a família Min Dong. Hoje, Min-Dong-Kim é o portador dessa espada. Foram várias as pessoas do mal que queriam a posse do artefato mais poderoso da humanidade, mas o jovem não deixava. Também existia inimigos que queriam dominar o mundo, como qualquer outro. 

Nesse momento, ele estava treinando no dojo. Ele parecia mais agressivo, quando várias coisas sobre seu passado passava em sua cabeça. Ele sempre se culpou de não ter protegido quem amava várias vezes. 

- Com licença. - Era Gogo.

Ao ouvi-la, Dong foi ao instinto e ameaçou cortar o pescoço dela. Estava com a lâmina mirando sua garganta. 

- Quem é você? - indagava ofegante. 

- Você é Min-Dong-Ki não é? - indaga Gogo. 

- Sim, eu sou, mas me chame apenas de Dong. - dizia o garoto. 

- Você que sabe. - disse Gogo. 

- Quem é você? Por acaso é outra pessoa que quer a Espada Joseong? - indagava. 

- Que garoto rude que você é. - disse Gogo. - Não, eu não quero a espada. Eu quero você. 

O garoto fica com vergonha. 

- O quê?! - espantava-se. 

- Não no sentido que está pensando. - dizia Gogo. - Eu sou a Guardiã da Tarde e meus irmãos e eu queremos que você se una à uma equipe de heróis para... 

- Me desculpe, moça, mas eu trabalho sozinho. - disse Dong. 

- Você corre risco de vida. - disse Gogo. 

- Como assim? - Dong fica curioso. 

- Um inimigo poderoso vem do futuro para matar você e esses heróis. - disse Gogo. 

- Pelo visto ele é forte não é? Vai matar até essses tais heróis. - disse Dong. - Diga-me uma coisa. Quantos são ao todo? 

- Oito. - disse Gogo. 

- É um grupo bem grandinho. - disse Dong. 

- Tirando você são sete. - disse Gogo. - Precisamos de você, Dong. Pense no assunto. Se mudar de ideia, nos encontre na Antártida. 

- Entendi. - disse Dong. - Vou pensar sobre e assim irei para lá. 

- Obrigada e tenha uma boa tarde. - disse Gogo e sumia. 

Dong se assusta e fala:

- Devo estar sonhando. 

Yoro e Yoake também convocaram Núbia Olome, atual rainha de Cairo. 

Vamos às idades de cada um. A história de Mega Boy, que ainda não teve fanfic oficial, foi em 2013 com 15 anos. Em 2020, ano em que nossos heróis irão se encontrar, ele tem 22 anos. Midori já teve sua história ocorrida em 2014, com 18. Em 2020 ele tem 24 anos. Cellina teve sua história em 2015 e ela tinha 175 anos. Em 2020 ela tem 180 anos. Kasumi também foi no mesmo ano e ela tinha 16 anos. Em 2020 ela tem 21. Branca e Dong, que também não têm fanfic oficial, tiveram suas histórias ocorridas em 2019. Em 2020 eles tem 2000 (Branca) e 24 (Dong). E Núbia tinha 18 anos quando assumiu Cairo como princesa, em 2018. Em 2020 ela tem 20 anos, sendo a mais nova do grupo. 

Mas e Joe? Em 2112 ele tinha 15. Em 2120 ele tem 23 anos. Mas como ele se encontrará com os outros? Fiquem ligados, pois iremos viajar a cem anos no próximo capítulo. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...