História Gucci Gang "VMIN" - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags 95line, Abo, Alfa, Bangtan Boys (BTS), Hoseok, Jhope, Jimin, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Lemon, Namjin, Namjoon, Ômega, Park Jimin, Sope, Suga, Taehyung, Vkook, Vmin
Visualizações 30
Palavras 6.688
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Helooo!
Boa leitura!

Capítulo 8 - Corvette Preto


Fanfic / Fanfiction Gucci Gang "VMIN" - Capítulo 8 - Corvette Preto


⎯ Não te interessa.

Deliberadamente o ômega funga abaixando a cabeça dando as costas novamente para Taehyung que instintivamente agarra o pulso alheio. ⎯ Tá com ciúme Italiano? - a mão forte o aperta com força na mesma densidade que a ação impensada provoca em si uma sensação de vulnerabilidade  e Jimin gosta do que sente, embora consciente  relute com todo seu ser  para não render-se a dominancia do alpha. O que acaba sendo em vão, pois, com Taehyung o ômega não sente medo, o alpha não oferece perigo. E sua agressividade não o deixa intimidado. Jimin reage e se desvencilha de seu aperto. ⎯ Belo espetáculo. - Park rebate ignorando a pergunta feita por ele e o maior ri achando cômico a forma como o ômega tenta  disfarçar suas emoções. ⎯ Quer saber, - o alpha se inclina um pouco sobre ele, mantendo as orbes âmbar penetrante sob os olhos alheios.  ⎯ Vendo suas bochechas corarem desse jeito,  posso afirmar que tem uma pontinha de ciúme aí. - Taehyung se abre em um largo sorriso divertido e o ômega só por um momento tenta desviar o olhar deste que é o sorriso mais lindo do mundo. Tímido, Park  abaixa a cabeça, o corpo todo está febril, sentindo o poderoso poder que inevitavelmente este alpha exerce sobre si. Taehyung ligeiramente corre os olhos sobre ele e percebe o quanto Jimin  é  surpreendente, mudando seu visual  de: “cãozinho de grife” para o “piloto de verdade”. Na sua cabeça, entre os fios brilhantes está adornando uma bandana azul escura que cobre sua testa – e isto é a primeira coisa que captura a atenção do alpha. Ah, sim, ela combina com ele, e Kim admite isso para si mesmo. Finalmente Jimin pela primeira vez parece um corredor de rua de verdade, vestido com uma jaqueta de prata sobre uma camiseta preta estampada, jeans escuro  com rasgos nos joelhos e, como uma conclusão  para o visual perfeito  coturnos curtos com solas pesadas. Ao sentir o olhar intenso  sobre si, Jimin se encolhe ainda mais e Taehyung o toma levando a mão até o queixo do ômega levantando suavemente a  cabeça. ⎯ Tô vendo que finalmente encontrei  um oponente digno nesta corrida. - ele levemente assenti para o ômega que tenta a todo custo controlar sua respiração descompassada. E sem perceber Jimin não se esquivou daquela ação súbita  do maior. Ele apenas cora suspirando fracamente sobre a sensação gostosa de seu toque inofensivo. E mais uma vez ele se sente vulnerável ao olhar lascivo deste alpha. Uma onda de calor o consome, o ômega sente as pernas fraquejarem e na pequena menção de outra aproximação do alpha Jimin pondera e se afasta.

 ⎯ Desiste! não vou  facilitar pra você hoje. - diz o ômega esboçando seu sorriso mais atrevido se referindo a corrida e Taehyung morde o lábio envolvido pelo charme ousado deste ômega.

"Um beijo? Aqui? não, ele não teria coragem..." o loiro se perde em seus pensamentos. Enquanto o olhar do alpha permanece penetrante sobre si. Jimin sente que para este alpha o muito ainda é pouco.  Ele não vai parar e o ômega não está pronto para ceder.

"Inegavelmente tentador, tão lindo que ele poderia se prender a este ômega para sempre." Taehyung sorri olhando em seus olhos azuis. Mal sabendo Park Jimin que o alpha está oficialmente disposto a ultrapassar e vencer  todos os seus joguinhos. Mais do que uma competição Taehyung está loucamente apaixonado por ele. 

⎯ Você não está com ... - continua Taehyung, mas é bruscamente  interrompido por Hoseok. ⎯ Como está o clima, Taehyung-ah? - pergunta o mais velho ao se aproximar e Jimin vê nisto uma brecha, o momento perfeito para fugir do alpha. ⎯ Melhor impossível - Taehyung responde pensativo, vendo Jimin escapar mais uma vez. O vermelho rapidamente puxa de seu bolso um cigarro o equilibrando entre os dentes.

 Com um breve olhar confere todos os  carros  a sua volta analisando os veículos de seus rivais, observando e constatando por si mesmo que cada um ali é familiar para ele. Exceto um. No total, seis corredores participam da corrida, os quais quatro dos pilotos e suas máquinas  já estão presentes esperando na linha de largada. Não muito tempo depois rugindo seu motor pesadamente  um lamborghini laranja também surge e  toma seu lugar na largada. Taehyung sacode a cabeça, sem  esperar por isso. Do veículo  sai o alpha chamado Onew, o suposto informante secreto. No meio da multidão ambos se tratam discretamente, o sujeito acena brevemente   para Taehyung. O integrante da gang Hu não se conteve com o desafio moderado da competição.  "Não acredito! O descarado veio e ainda  vai participar" - sorri Taehyung por cima dos ombros voltando sua atenção para outro veículo  ao lado.

⎯ Quem é o cara do corvette? - Tae pergunta, mantendo a atenção sobre o supercarro tentando distinguir a pessoa  através do pára-brisa densamente escurecido do Chevrolet preto.

 ⎯ Eu não tenho idéia - o falcão franze a testa e se afasta  do carro desconhecido, parado em frente ao irmão. ⎯ Conheço todo mundo aqui - disse o mais velho, roubando o cigarro do menor que ainda estava apagado ⎯ Mas este aí  nem saiu do carro. Será algum tipo de novato notório? - Ele riu baixinho, dando um click no isqueiro.

 ⎯ Ele tem um carro grande para um novato - Kim sorriu pegando de volta o cigarro de seu irmão, dando uma tragada generosa ⎯ Quem mais vai dirigir? 

⎯ Um deles ainda não chegou  - diz Jeon se aproximando, com os braços cruzados sobre o peito. “Alguém chamado LJ, eu não sei quem é - o ômega  deu de ombros.

⎯ LJ? - Taehyung riu. Outro novato? - o alpha abusa da confiança, erguendo uma sobrancelha. ⎯ Quer saber? foda-se, só quero que isso comece logo de uma vez.

 ⎯ Devo te desejar boa sorte? - Hoseok ri sarcasticamente. ⎯ Bom,   de qualquer forma, dez mil já estão no seu bolso maninho. - Hoseok sorriu dando um tapinha no ombro do irmão. 

⎯ Tá me zuando? Esses franguinhos vão comer poeira. - Taehyung se gaba. ⎯ Não faço isso pela grana. Uma roda do Koenigsegg custa dez mil. Eu faço isso por prazer, você sabe.

 ⎯ Então aproveite, irmão - o Chon mais velho piscou e caminhou para o lado da estrada onde estavam outros espectadores e carros que não participavam da corrida. Dois minutos depois, atrás do Venom GT, Tae vê suegir um aventador vermelho muito familiar  e toda atenção foi voltada para o possante. Taehyung jogou o resto do cigarro no chão e apagou com a ponta do coturno velho e surrado, movendo-se na direção do lamborghini que havia chegado. A porta do lado do motorista subiu suavemente e Park Jimin saiu do carro. ⎯ Então você é o desconhecido misterioso chamado LJ? - pergunta Taehyung, indo em direção ao ômega. ⎯ Sou eu - Jimin sorri  se recostando  no capô do lamborghini colocando as mãos nos bolsos da jaqueta. ⎯ E aqui estamos nós novamente na mesma estrada. Você está com medo? - perguntou o ômega e  aos ouvidos do alpha aquilo soara como um novo desafio, ele sorri e arqueia uma sobrancelha. ⎯ Não tenho nada a temer, Jimin - diz o alpha confiante. Corrida com curvas é o que posso fazer de melhor -  Tae pisca para ele  e se afasta indo em direção ao Agera. ⎯ Então boa sorte, rei das estradas - o ômega dá de ombros, virando e entrando no lamborghini.

A garota da largada já está aposta em sua tarefa. Na frente dos carros ela balança as mãos e os motores ganham vida. O alpha agarra o volante com mais força e pressiona o pedal, ganhando impulso. O Agera vibra agradavelmente, pronto para dar um empurrão. Atrás dele um motor também  rosna impaciente, e Taehyung tem um sorriso nos lábios ao ver pelo retrovisor a face bonita refletida do ômega. O rugido do Aventador também é ouvido lá atrás - o alpha pode distinguir seu som claramente entre os demais. Taehyung quer ver do que este  ômega é capaz em uma corrida real contra vários oponentes. A garota da grade sinaliza e abaixa as mãos bruscamente, e os carros giram o motor saindo do local, voando pela estrada noturna em direção à floresta escura. o Aston Martin fica imediatamente atrás do Koenigsegg, de Taehyung  encontrando-se em terceiro lugar após o Venom GT, que mantém a posição aderindo ao pára-choque traseiro do Agera. Taehyung pressiona a marcha e os ponteiros decolam  mudando de velocidade. O veículo levemente  "sacode" no desvio da primeira curva e corre para a frente, preparando-se para o primeiro turno. Logo mais a frente  há uma estrada sinuosa e, no meio da estrada, começará um passeio sobre um penhasco. Taehyung olha pelo espelho retrovisor, girando o volante e entrando na curva acentuada. Uma nuvem de fumaça surge atrás, como neblina, bloqueando a visão dos carros rivais. O alpha está esperando o aventador aparecer por trás, mas outro lamborghini  laranja aparece em seu lugar. Carros um após o outro entram na curva, como se deslizassem sobre o gelo, deixando traços pretos de borracha queimada no asfalto. O Green Dodge fica vergonhosamente para trás, encontrando-se em sexto lugar, e bem na frente dele, o Aston Martin monta em quinto, tentando ficar à frente do Corvette voador. Jimin desponta em terceiro, segurando um o lamborghini laranja  atrás de si que teimosamente  avança sobre o  pára-choque, do Aventador, porém o ômega é rápido e não permiti que ele  avance. Jimin segui em zigue-zague, não cedendo seu segundo lugar de prata ao lambo-laranja. O ômega pressiona o pedal do acelerador até o fim e, quando a curva começa, ele aciona bruscamente os freios, entrando na deriva. Ele segura o volante com força, controlando a curva e grunhe bastante quando o lamborghini laranja está atrás. À sua frente já é visível grandes faróis de luz vermelha do Agera. Taehyung percebe os faróis do aventador de Jimin atrás de si e sorri. ⎯ Ele é bom  - admite, olhando no espelho e aumentando a velocidade. As voltas começam a aparecer com mais frequência, e Taehyung gira o volante para a esquerda e depois para a direita, não nivelando o carro por um segundo. Ele traz as rodas traseiras, joga o Agera de um lado para o outro e um penhasco começa a surgir logo a sua frente. Taehyung diminui um pouco a velocidade e concentra-se inteiramente na estrada, iluminada apenas pelo farol alto do Koenigsegg.

 Jimin permanece boquiaberto surpreso  quando subitamente  o corvette preto aparece instantaneamente na frente dele bloqueando completamente a sua passagem. O próprio Chevrolet diminui um pouco, forçando o ômega a desacelerar,  retendo  e ditando sua vontade sobre o Aventador vermelho enquanto ao mesmo tempo continua a bloquear o caminho. Tomado pela raiva Jimin começa a  pressionar bruscamente o acelerador, quase colidindo o pára-choque com o carro alheio a sua frente, mas o Chevrolet continua e o impede sem piedade.

 ⎯ O que? ... - Kim, com uma  irritação indisfarçável, observa o lamborghini  laranja avançar sobre seu  Agera. Onew pisa fundo e a flecha voa, e, em segundos o para-choque se aproxima  com um grunhido, da traseira de Taehyung a partir disto curiosamente o corvette preto  reduz quase  parando quando o lamborghini laranja finalmente chega na frente."O que esse cara pretende?"  Jimin franze o cenho e ganha velocidade novamente, olhando perplexo  para o corvette à sua frente. Taehyung derrapa novamente na próxima curva, girando o volante  aplicando uma leve pressão no freio. Ele tenta não pensar em quem está atrás dele, porque a única coisa que importa para ele é chegar à linha de chegada. Porém antes disso há um sério obstáculo pela frente, e embora  para Taehyung não seja sua primeira corrida nesta estrada, à noite ainda assim o abismo sem fundo parece assustador, não só ele como para  qualquer corredor. O alpha se preocupa um pouco mas logo um barulho ensurdecedor de pneus e um golpe no chão  estrondam brutalmente  por trás distraindo seus ouvidos. O alpha lança um olhar tenso para o espelho retrovisor e quase perde o controle do volante. O impacto é catastrófico. O carro atrás rola capotando  várias vezes, atingindo o chão com tamanha força que literalmente é possível sentir a vibração. Estilhaços de vidro e faróis quebrados se espalham em diferentes direções, desintegrando-se em pequenas partículas. O coração de Taehyung se agita batendo em um ritmo furioso, e suas mãos quase soltam o volante. O corvette ultrapassa o Agera  como um foguete, no qual Taehyung  percebe um grande arranhão, o que certamente não estava lá antes da corrida. Com toda velocidade o corvette bateu contra o lamborghini,  e acelera rapidamente  se escondendo na escuridão. Taehyung aperta os lábios suprimindo  segurando   mais firme  as mãos ao volante. Sem hesitar, ele pressiona o acelerador e corre atrás do Corvette Chevrolet. Várias perguntas sem  resposta o tomam instantaneamente  bem ali e voam adiante ao longo da estrada, na qual agora há menos curvas. De dois tubos de escape, como se saíssem da boca de um dragão, uma chama azul explode e o  nitro é ativado. Taehyung aperta sua mandíbula, segurando a raiva por dentro. "Você precisa ser rápido, precisa descobrir quem é o causador de todos os  acidentes nas corridas". Mas o corvette desaparece instantaneamente da vista, fundindo-se com a escuridão, até as luzes traseiras não podem serem vistas. Taehyung sabe com toda certeza de que um corvette não tem tanta potência quanto o seu Koenigsegg, mas por alguma razão o maldito Chevrolet estava mantendo uma grande vantagem, e isso aconteceu literalmente em uma fração de segundo. E mais uma pergunta fica sem  reposta. Por que alguém projetaria neste carro tal potência incompatível, aumentando o poder centenas de vezes mais? Do zumbido nos ouvidos formou-se a confusão completa na cabeça deste alpha. Em Taehyung, a cena de um lamborghini capotando a deriva é transmitida em sua mente repetidamente. 

"Lamborghini vermelho. "Não, não ..."

 Ele sussurra, quase inaudível, balançando a cabeça negativamente olhando para si mesmo, como se estivesse no vazio. E o alpha se lembra da posição do ômega quando seu lamborghini estava páreo a páreo ao corvette. O Agera desacelera fazendo uma curva acentuada com um chiado alto de pneus, voltando na direção oposta. No velocímetro, trezentos e cinquenta por hora - velocidade, que nem todas as máquinas podem desenvolver. Taehyung cuspiu em revolta milhões de palavrões  que só aumentam seu tempo para o local do acidente. "Por isso Jimin está atrasado". Taehyung está espumando zangado consigo mesmo, quase esmurrando a própria face, porque se distraiu com o corvette, deixando de seguir o movimento do Aventador no espelho retrovisor. O egoísmo vil e o desejo de vencer prevaleceram. Taehyung deveria  ter mais cuidado com um carro desconhecido, por que deixou sua curiosidade estúpida o dominar sua ansiedade para  descobrir quem estava dirigindo o maldito corvette?. 

 Na estrada à  frente já existe carros visíveis e  parados ao lado dos destroços. Taehyung  aperta os olhos levemente pelo brilho repentino entre a floresta escura e fumaça ainda presente. O lamborghini capotado está completamente  envolvido em chamas. O alpha desacelera impacientemente antes de chegar e sai correndo do carro, avançando a passos largos  sobre o Aventador destruído. Vários pilotos estão parados perto de seus carros, sem ousar se aproximar do Lamborghini, basta olhar com arrependimento e medo. Taehyung  quer gritar com todos eles, agarrá-los pela garganta  porque esses malditos ainda permanecem  inativos, sem sequer tentar salvar o piloto  desconhecido. "Malditos covardes" grita ele arriscando a própria pele em volta da carcaça estilhaçada. De repente, o oxigênio desaparece dos pulmões; o ar fede  e  queima a borracha e o calor é intenso. Taehyung suspira, está  apavorado, ele  corre, em volta do veículo  tentando distinguir o ômega dentro do carro. 

O alpha  grita, mas a voz sai suprimida pelo desespero. Taehyung se aproxima mais, tentando chegar perto do  lamborghini. "Jimi-i-n" Por dentro, tudo se parte em pequenos  pedaços, derretendo como borracha sobre rodas. Na visão perturbada e  estarrecida do alpha ele se convence de que Jimin está dentro do supercarro. Tae fica pouco menos de  cinco metros, distante, dá mais  um passo à frente, reduzindo essa distância prestes a saltar e entrar no carro em chamas para resgatar  Jimin em seus braços a partir daí sem vida ou com vida, isso realmente não importa. O alpha não assimila o perigo em si,  sua vida, não é nada. Lá, no inferno fumegante  envolto em fogo, Jimin se consome, e o resto  já não importa mais. As chamas incandescentes aumentam espantosamente e  um repentino clarão aparece  diante dos olhos e  nos ouvidos um ensurdecedor zunido  retunbam violentamente. O tanque de gasolina explode. Taehyung  vê grandes olhos azuis  cheios de dor e medo e perde o fio da realidade.




 Flashes brilhantes piscam diante dos olhos no fundo da escuridão, como fogos de artifício no céu noturno. Há um zumbido nos ouvidos e a maçã do rosto queima, beliscando a pele, algo quente e pegajoso flui lentamente ao longo da bochecha, acumulando-se no queixo. Taehyung está ferido certamente por algum estilhaço, ele  cai de joelhos sobre o asfalto, coberto com cacos de vidro, que grudam na pele nua. O alpha paralisa em choque e a  dor não é sentida. Gotas grossas de sangue pingam  de sua face diretamente para o asfalto empoeirado, brilhando como rubis à luz de uma chama brilhante. Parece a este alpha que ele parou de respirar, e o coração no peito não bate. A vida congelou, pausada por tamanha  tragédia. Na língua o gosto metálico se intensifica e aos poucos, sua própria respiração pesada é finalmente ouvida, como se através da espessa cobertura do desespero e do medo ele se reconhecesse outra vez.


 As Mãos gentis e quentes de alguém tocam o rosto de Taehyung e o levantam. Ainda assutado o Alpha encara os olhos alheios, saindo do abismo da escuridão. "Jimin"  ... Nas grandes orbes, o pavor e a  emoção sem limites, congelaram as lágrimas.  "Jimin", - Taehyung sussurra roucamente  estendendo a mão para o rosto do ômega, acariciando sua delicada bochecha com o polegar, certificando-se de sua realidade. Jimin  está vivo e bem. São e salvo. Taehyung  dá  um passo para o lado apertando os olhos, só então  percebendo que o lamborghini do loiro, está  parado sem nenhum  arranhão a alguns metros dali. Ele suspira profundamente e fecha os olhos, passando os dedos pelos cabelos e apertando levemente as raízes. Medo e pânico prevaleceram sobre a mente, cruelmente brincando com suas emoções. Por serem dois lamborghinis Taehyung acabou se enganado movido pelo calor da situação assim projetando em sua mente  o veículo abatido a imagem do lamborghini do ômega sendo que a forte chama não permitiu que o alpha determinasse a cor do carro. A mente simplesmente se desligou. Ao seu lado  dentro do ômega as emoções se misturam  ele, olha fixamente para o rosto de Taehyung, confuso e inconscientemente aperta a bochecha na palma da mão quente. 

⎯ Taehyung  ... 

E  o ômega é surpreendido. O alpha o puxa para si e Jimin se vê em  um abraço apertado, ele fecha os olhos, e relaxa nas mãos deste alpha. Taehyung  pressiona o ômega contra si como se  ele estivesse  prestes a desaparecer em um segundo, e o ômega sente o batimento cardíaco louco do alpha bater contra as próprias costelas. O nariz toca levemente os ombros largos e o ômega aspira o cheiro amadeirado da pele do alpha. Contudo Jimin se afasta, ele desfaz a expressão suave em seu rosto e o sentimento pesado da vingança  lhe invade envenenando sua racionalidade. O pensamento critico do ômega se evapora e, em questões de segundos  ele se sente totalmente tomado pela revolta.

⎯ Foi você -  o ômega sussurra se afastando.

⎯ Eu pensei ...- diz Taehyung, engolindo o nó na garganta olhando nos olhos do ômega,  ⎯ Pensei que era você e-e ..." e o seu carro... - o alpha tenta prosseguir e ignora as palavras alheias.

⎯ Sim, claro você pensou que era eu - Jimin levanta o tom de voz em um sorriso sinico  irreconhecível. 

⎯ M-mas se você está aqui, quem era ...não, não pode ser - o alpha olha para as chamas elevando  as mãos até a cabeça e se contorce ignorando totalmente as acusações do ômega ao seu lado. 

⎯ Esse lamborghini  - Taehyung corre para perto do carro ainda ouvindo as  chamas tripidarem sobre o aço quente   ⎯ Não pode ser ...Onew - ele se desespera novamente se dando conta de que a vítima de fato era  seu informante.

⎯ Para! - grita o ômega em uma súbita explosão de raiva e Taehyung olha para ele com os olhos arregalados. ⎯ Chega Taehyung, para de mentir. Jimin levanta seu olhar inexpressivo e vazio para ele. ⎯ Você o matou - ele diz cerrando o maxilar. ⎯ Você é o assassino, assim como você fez com Lee Jung, você o matou - grita o ômega avançando sobre o alpha com os punhos fechados. Por um segundo Taehyung se esquiva ainda tonto tentando processar as palavras deste ômega.

⎯ Lee jung?... tá falando de quê? - o alpha mais uma vez se esquiva das investidas do outro, mas desta vez o segura detendo seus golpes tão frágeis. Park está em surto totalmente  descontrolado reagindo pela fúria  e a revolta adormecida por anos. Taehyung o segura pelos punhos não reconhecendo naqueles olhos cheios de ódio e rancor outrora o mesmo ômega sedutor e pacífico. Ele balança a cabeça sem entender absolutamente nada. Nenhuma daquelas palavras ditas pelo ômega fazia qualquer sentido. ⎯ Me solta - Jimin o empurra para longe e respira fundo retendo mais ar em seus pulmões. ⎯ Você matou ele, você matou meu irmão - repete o ômega com a voz embargada,  nos olhos pequenos as lágrimas já  se acumulavam. 

⎯ Lee Jung ... - Taehyung hesita pensativo ... ⎯ Então, você....- ele levanta o olhar surpreso para Jimin "LJ".... e assim o alpha assimila todas as conexões existentes. 

⎯ Você matou meu irmão!

você o matou ...

você o matou ...

você o matou ...

Repete o ômega incansavelmente avançando sobre o corpo alheio novamente. Literalmente sucumbindo a sua revolta. Pelo choque o ômega não consegue pensar direito, ele está confuso. Jimin  não suporta  e chora copiosamente. Os dois giram os corpos agarrados um ao outro e o loiro ainda tenta ataca-lo enquanto Taehyung apenas se esquiva se defendendo. Eles lutam feito duas crianças do Jardim de infância sendo finalmente vencidos pela exaustão caindo sentados no asfalto. 


Um breve silêncio  pairou entre eles.


⎯ Ele era meu melhor amigo - grita Taehyung em plenos pulmões e pela primeira vez  o ômega ouve a voz poderosa do alpha. e Inconsientemente se encolhe absorto em todo turbilhão de sentimentos. 

⎯ Você não sabe de nada - nos olhos do alpha um brilho triste reluz minimamente e Jimin se acalma, mas não esboça nenhuma reação talvez ainda relutante com os sentimentos conflitantes querendo dar ao alpha  este espaço, ou alguns segundos  necessários para  uma explicação  humanamente possível.

⎯ Você mesmo viu Jimin ...v-você estava atrás do corvette. - o alpha se pronuncia novamente, ele também está confuso então, por hora decide ignorar o assunto sobre Lee Jung. Enquanto o ômega permanecia calado e apático caído ao seu lado.

Ao observar o ômega Taehyung  tomou uma decisão, ele precisava fazer algo.


⎯ Aaahh esquece, precisamos sair daqui o mais rápido possível antes que os policiais cheguem. - diz o alpha olhando  para a estrada assustado.  

⎯ Ta-aehyung ...aonde..

⎯ Você vem comigo. - a voz do alpha soa com firmeza, apertando a mão do ômega com força para que ele nem tente resistir. E Jimin não consegue dizer nada, apenas se permite ser levado. Hoje certamente Taehyung  não será capaz de deixar Jimin sozinho, não depois do que aconteceu. Taehyung substituí o nervosismo pela calma  ao agradecer pela vida do ômega, tendo sua raiva voltada para quem iniciou o acidente. 

Ambos não serão capazes de adormecerem está noite. Taehyung sabe, que, será impossível  pregar os olhos imaginando que o ômega estará completamente sozinho em sua casa.  Absorto pelo choque Jimin não consegue  pensar em nada. 

⎯  M-meu carro. - o loiro hesita segurando a mão de Taehyung com seu olhar distante ele ainda parece perdido, Porém Jimin não tem forças para lutar e obedientemente cede  não se importando com o que pode estar a  espera por ele  em sua mansão. Taehyung  tira o telefone do bolso da jaqueta discando rapidamente o número de seu irmão. Depois de um sinal sonoro, Hoseok responde. 

⎯ Taehyung- o alpha ouve  a voz surpresa do  Chon mais velho. ⎯ Me escuta irmão, - Tae pausa e respira. ⎯ Houve um acidente, um piloto  morreu, daqui a pouco  os policiais vão chegar. Preciso de sua ajuda. E o irmão mais velho sussurra consentindo. ⎯ Venha  até o quarto quilômetro  e desapareça com o lamborghini  do italiano, entendeu?. - disse Taehyung de forma rápida e clara, sem deixar que o irmão inserisse uma palavra. ⎯ Explicarei tudo mais tarde, okay? -  ele estava prestes a desligar, quando o mais velho o impede.  Espere, Taehyung-ah! -  Hoseok diz apressadamente. ⎯  Você está bem? - há uma clara empolgação na voz do irmão, o alpha  ouve o barulho da porta de um carro. ⎯  Sim, te ligo mais tarde. -  Taehyung termina  a ligação e relutantemente libera  a mão do ômega quando eles se aproximam do königsegg Agera. ⎯  Não se preocupe com o carro, Hoseok irá buscá-lo. Sente-se. Jimin  assente e obedece, sentando no banco do passageiro. Taehyung  liga o carro e bate a porta, curvando-se na direção do porta-luvas. Os dedos tateam  em busca de algo dentro do cubículo escuro, os longos dedos  tocam no metal frio, apertando a alça de couro. Jimin olhou interrogativamente para Taehyung  e voltou seu  olhar para baixo, notando que, à luz do painel do Koenigsegg, o metal preto parecia uma arma.  O ômega morde o lábio e se vira, como se não tivesse notado nada. Certificando-se de que a arma estava no lugar, Kim fechou o porta-luvas e apertou as mãos sobre  o volante. Ao lado do, agora mais calmo Jimin  também não pode deixar de notar que um fio fino de sangue ainda escorria pela face do alpha. Jimin rapidamente puxa a bandana da cabeça e, dobrando-a, toca suavemente a maçã do rosto sangrando de Tae, apagando o rastro de sangue cobrindo a ferida. Os dois se olharam por alguns segundos e o alpha assentiu suavemente, afinal era hora de sair dali. 

Pressionando os pés,  no acelerador o rugido do Agera se espalha, abafando as vozes dos pilotos e curiosos  que ainda estavam  presentes observando as chamas crepitantes que destroem o lamborghini capotado. O Agera se afasta e voa, desaparecendo na escuridão da floresta. Ao redor dos arranha-céus intermináveis, através da janela a estrada elevada se  iluminava, como estrelas no céu. O brilho dos sinais de néon é refletido no revestimento preto do Agera que  ultrapassa o fluxo de carros. O ar da cidade misturado com os gases de escape entra na cabine através da  janela plana. Taehyung  estende a mão, segurando um cigarro entre os dedos. A nicotina precisa fluir suavemente por todo o corpo, acalmando os nervos esticados, trazendo a calma desejada. Ele precisa disso,  e  precisa agora, contudo o alpha desiste ao se lembrar de quê ao ao seu lado têm um ômega que odeia o cheiro de fumaça. Então o alpha apenas mantém o cigarro preso entre os dentes na sua delirante projeção de saciedade e com impaciência pressiona o pedal, acelerando para duzentos e cinquenta  cuspindo nos limites de velocidade. Jimin se inclina contra o vidro e morde o lábio, olhando para os numerosos edifícios passando diante de seus olhos e todas suas preocupações permanecem em algum lugar muito distante. Algo dentro dele está dizendo para confiar neste alpha. O ômega assume para si a culpa por ser  conivente com quaisquer que sejam os segredos de Taehyung. Só por agora o ômega quer seguir seus instintos. Ele quer seguir o alpha para onde ele for. Qualquer que seja o caminho.

 Taehyung  fica em silêncio o tempo todo. O volante enrolado em couro enruga com os dedos, olhando teimosamente para a estrada. A mandíbula é tensa, os nódulos  de preocupação  tocam o rosto e as sobrancelhas estão levemente franzidas. O alpha pensa profundamente em algo, e Jimin não quer interferir. Sim, a princípio  ele não quer dizer nada. Após o incidente, o corpo parecia ter perdido toda força e os olhos começaram a fechar , ele finalmente desiste e cobre os olhos, entrando lentamente no reino dos sonhos sob o suave e agradável rosnado do Konigsegg. Em uma mão apoiada sobre o joelho, o ômega ainda segurava sua bandana encharcada pelo sangue de Taehyung.

 Eu entendo. -  é ouvida a voz suave e rouca de Taehyung. Jimin acorda instantaneamente e vira a cabeça para o  alpha.  O que? - Park pergunta, quase inaudível. ⎯ Alguém quer me intimidar. - Taehyung  vira para Jimin, olhando em seus pequenos  olhos, que refletiam a luz das placas e lanternas.  O objetivo não era eu. E você também não. - o alpha continua após uma breve pausa e se vira para a estrada.  Lá, na estrada, você estava bem  atrás, do corvette logo  o Lamborghini laranja estava entre eu  e você.

  Bem, então ... - Jimin franze o cenho levemente e relembra o momento quando o corvette reduziu após o lamborghini laranja ultrapassa-lo, Jimin olha interrogativamente para Kim, "Foi tudo tão rápido, em questão de segundos o carro virou chamas" Por isso não houve espaço para assimilar o acidente. O ômega se culpa segurando um pedaço de tecido ensanguentado nas mãos.

 ⎯ O lamborghini laranja acabou sendo  a presa fácil para o corvette preto. -  concluiu Taehyung, apertando os lábios e encolhendo os ombros. E no ômega tudo se revira novamente pensando na ideia terrível de que  Lohan possa estar envolvido. 

 Vou descobrir quem fez isso. - diz Taehyung olhando pacificamente para Jimin e depois de muito tempo o ômega experimenta novamente essa sensação acolhedora, então ele fecha os olhos desejando esquecer de tudo ao sentir-se tão seguro ao lado do alpha.



♨️




A luz dourada quente da lâmpada de assoalho difunde na escuridão da pequena sala de estar. No apartamento do alpha não existe um irritante relógio de parede, só o doce silêncio prevalece. As luzes da cidade noturna estão tentando entrar, através das  cortinas paradas. Um ruído suave e uma respiração pesada intermitente estão rompendo a sala, quebrando o silêncio da casa. Taehyung  está sentado no sofá, com as pernas esticadas sobre a mesinha de centro. Jimin paira sobre ele, sentado entre as pernas afastadas do alpha   tratando a ferida na bochecha alheia. O alpha assobia baixinho,  pela dor, aspirando ar entre dentes ele fecha os olhos, franzindo a testa levemente. 

⎯  Sinto muito. - Jimin  se desculpa em um sussurro, tentando infligir o mínimo de dor possível. ⎯ Está tudo bem. -  sussurra o alpha, umedecendo os lábios ressecados. Jimin  olha para o rosto do alpha  enquanto ele se inclina para trás  com os olhos fechados. Gradualmente a consciência do que aconteceu na estrada começa a chegar, fazendo cada vez mais sentido. Taehyung se volta para ele e claramente vendo em seus  olhos,  dor e medo que se transformaram  em lágrimas contidas. Jimin levanta a cabeça e os olhares de ambos se encontram. 

⎯ V-você... - as palavras saem com dificuldade depois de um tempo. ⎯ Você realmente achou que eu seria capaz de uma coisa dessas? - questiona o alpha  sem tirar os olhos do ômega. E Jimin se inquieta abaixando a cabeça, ele fica calado, apenas remoendo a memória dolorosa. 

 "Taehyung  queria segui-lo até o fogo. Esse maldito alpha louco" Ele realmente estava  disposto a correr esse risco arriscando sua própria vida  para salvar a vida do ômega. Como poderia uma pessoa assim ser um assassino? Os arrepios de Jimin o levam ainda mais através das lembranças de uma voz estridente gritando seu nome. Sobre olhos nos quais uma chama azul-alaranjada era refletida. O ômega pára de tratar o ferimento, endurecendo como uma almofada de algodão que absorveu todo sangue. Deixando de sentir o toque de Jimin, o alpha  abriu os olhos e o ômega o observava   com um olhar de vidro ilegível, como se ele tivesse se transformado em uma estátua, sem sequer piscava. Taehyung sentiu o coração lhe falhar uma batida.

 ⎯   O que foi? - sussurra roucamente a voz suave, inclinando-se um pouco para a frente. Jimin não aguenta sustentar o olhar de Taehyung e cede encostando a testa na testa do alpha,  fechando  os olhos apertando  a ardência, não deixando as lágrimas caírem. Um leve tremor percorreu a espinha quando os dedos de Taehyung  tocaram a parte de trás da nuca, descendo suavemente, acariciando suas costas. Seu hálito quente está tão perto que em seus lábios ele sente  cócegas. O ômega morde o lábio inferior e coloca uma mão no ombro de Tae, tentando segurar as emoções. O alpha  fecha os olhos e toca o nariz de Jimin com a ponta, do seu ouvindo a respiração sutil, da qual seus lábios formigavam. Tae inala o doce cheiro floral do ômega, e dentro do alpha tudo se agita, tudo está desperto como um vulcão prestes a eclodir. Ele quer  provar o calor,  e a sua suavidade desses lábios novamente. Um pequeno movimento e eles o tocarão. Tão perto, mas tão longe.


 Não ...  não é  nada, está tudo bem. -  a voz do ômega interrompe o momento.  Jimin finalmente exala, afastando-se bruscamente e balançando a cabeça. E mais uma vez o ômega não se permite sucumbir aos seus desejos. Ele começou a bisbilhotar um kit de primeiros socorros próximo, procurando mais curativo, como se nada tivesse acontecido a um segundo antes. Taehyung seguiu o olhar do ômega e suspirou, voltando sua posição encostando a cabeça no sofá. ⎯ Seus joelhos ainda estão ...- diz Jimin, gentilmente colocando o curativo na bochecha de Taehyung. O alpha abaixa a cabeça olhando para o ferimento, nos joelhos onde  pequenas marcas de sangue secaram  na pele nua. Mas a dor não é sentida. ⎯ Assim como na infância, quando eu realmente não conseguia ficar de pé. -  o alpha sorri, olhando para Park que retribui sorrindo levemente no canto dos lábios enquanto cai  para trás  sentando no tapete macio na frente de Taehyung. 

⎯ Agora eu vou cuidar disso...- Jimin diz baixo, colocandoo kit de primeiros socorros ao lado dele. 

⎯ É tarde demais...Ji-min...-  Taehyung chamou, e Jimin levantou a cabeça, olhando interrogativamente para o alpha. O nome do ômega dito pelos  dos lábios de Tae parece tão gentil e bonito, nele o ômega sente notas de um  cuidado genuíno que ele  jamais imaginaria que esse alpha louco seria capaz de sustentar. Ele se vê no reflexo daquele  olhar, naqueles olhos escuros e calmos. Os arrepios de Jimin percorreram por sua espinha e as extremidades de suas orelhas coraram por algum motivo. ⎯ Fique aqui. - diz Taehyung, sem tirar os olhos dele. ⎯ Comigo. - a voz grave sussurra um pouco audível. Jimin abaixou a cabeça e mordeu o lábio, pegando uma nova almofada de algodão. Taehyung  não desvia o olhar, observando atentamente como o ômega gentilmente toca com cuidado pequenas feridas que se espalham num um joelho forte. Jimin não  respondeu ao pedido do alpha, mas Taehyung percebe  e entende que o ômega não terá nada com ele esta  noite. Não era a  hora e nem o momento certo.  ⎯Tente dormir depois que  você terminar o curativo. - diz simplesmente o alpha e o  ômega sorri por ele não  ter o deixado ainda mais constrangido. 

Para relaxarem um pouco, e distrair-se de pensamentos desagradáveis Taehyung sugeriu assistir alguma programação  na TV, que ele não ligava há muito tempo. Depois de um banho Jimin se juntou a ele  vestindo uma camiseta branca emprestada de Taehyung  que ultrapassava  seus quadris. Segurando um copo de chá quente de limão feito por Tae nas mãos  ele subiu no sofá com as pernas e as dobrou embaixo dele. Taehyung se senta ao lado dele com um copo de café gelado. Ambos estão assistindo com particular interesse a cena que se desenrola na tela. Parece que Jimin conseguiu se distrair um pouco, e Taehyung  se distraiu com Jimin, de vez em quando examinando o perfil perfeito do ômega  com as sobrancelhas levemente franzidas e os  lábios grossos e vermelhos pela quentura do chá. O ômega era mil vezes mais interessante do que as imagens bobas da tela.

⎯  Filmes sobre o futuro são bastante interessantes. - diz Jimin, pensativo, engolindo o chá sem tirar os olhos da tela. ⎯  É interessante procurar opções para o que acontecerá daqui à muitos anos. - o ômega franze a testa levemente, nem mesmo percebendo o olhar de Taehyung. ⎯ Pensar no fim do mundo é sempre muito triste e sombrio. Todo mundo morre, não há sequer um indício de continuação da  vida. - ele concluí. 

⎯ Mas essa previsão  para o fim da da humanidade é possível. - diz Taehyung finalmente desviando o olhar de Jimin. 

 Sim, mas é terrível de qualquer maneira, então vou acreditar no melhor. - Jimin sorri, lançando um breve olhar para Tae e voltando para a tela grande na frente dele. 

 Como eles... ele aponta com o queixo para os personagens principais do filme. Taehyung sorri e encolhe os ombros, bebendo café. O filme finalmente chega ao fim e o relógio no visor do celular já marca três e meia da manhã. Jimin permaneceu com os olhos fechados, e os joelhos pressionados contra o peito. Sua cabeça inclinou-se para o lado, caindo no ombro de Taehyung. O alpha ergue o olhar da tela e olha para Jimin adormecido, depois de um dia difícil. Seus lábios estão abertos e os cílios longos, um pouco trêmulos, projetam sombras na bochecha. A máscara de ouro do Italiano  desapareceu em algum lugar sob o qual agora havia uma criança inocente. Tão indefeso, acreditando num futuro melhor. Onde está o modelo de grife? Onde está o ômega atrevido e  inacessível que atormentou Taehyung com seus loucos jogos de resistência? E agora, ao que parece, Tae vê o verdadeiro Jimin, e isso é algo mágico. O alpha  mantém o ômega adormecido, carregando-o para o quarto. Jimin funga suavemente, com o nariz frio enterrado no pescoço deste alpha e não acorda. A fragrância floral é idealmente entrelaçada com o cheiro do alpha, impregnando a camiseta do ômega; lembrando uma floresta de manhã, a mesma que fica fora da cidade, escondendo perigosas estradas  e segredos inexplorados. 


Jimin cheira a Taehyung. 


O alpha  cuidadosamente coloca o ômega em sua cama delicadamente  o cobrindo com um cobertor macio. Tae fica sentado em uma cadeira próxima por alguns minutos, olhando para o rosto escurecido envolto no crepúsculo, ouvindo a respiração calma e constante e o farfalhar silencioso dos movimentos  do ômega durante o sono, então ele se levanta e sai da sala, fechando a porta atrás de si. Nem todos irão  dormir, parece que a  insônia não é  apenas por conta do café. Taehyung  tira a camiseta suja e suada e vai para a cozinha. As luzes da noite se apagam lentamente, e, através da janela aberta vem o barulho de carros que passam ocasionalmente e o twitter de madrugadores. O alpha pega um cigarro do maço e o pressiona entre os lábios. A luz piscou com o clique de um isqueiro e apagou-se instantaneamente. Taehyung não acendeu a chama, ele continuou parado na janela, olhando para fora balançando o cigarro entre os lábios. Seus pensamentos se voltam  para aquele sujeito maldito ... Lohan. E  dentro do alpha o desejo de justiça se intensificam correndo feito adrenalina em suas veias. Ele eleva o olhar em direção ao céu cinzento  onde o brilho de um novo dia já esta, se preparando para o amanhecer, Tae suspira e se vira, notando na mesa da cozinha a bandana de Jimin, na qual manchas  de sangue se  espalharam pelo tecido.




???




Notas Finais


iih Jimin surtou de vez hahaha..tadinho não aguentou a pressão do acidente
e Tae gente ...
tae é um cavalheiro ...um verdadeiro gentleman ...vamo com calma.

tá aí espero q tenham gostado do Cap
até o próximo 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...