1. Spirit Fanfics >
  2. Guerra das almas >
  3. CAPÍTULO 215

História Guerra das almas - Capítulo 215


Escrita por: joaovpf23

Capítulo 215 - CAPÍTULO 215


Na luta de Claire contra Inveja, no momento em que Inveja vai atacar Claire que está caída no chão, Claire arremessa o seu sabre normal em Inveja, mas ela segura a espada e a enfia nos braços de Claire


Inveja: pobre coitada... É uma pena que você não tenha aproveitado bem essa sua aparência perfeita, mas não se preocupe, eu vou aproveitar bem por você


Claire: vai... Se fuder!


Inveja se deita e começa a olhar Claire bem nos olhos


Inveja: você quer saber o motivo de eu ter matado a sua mãe?


Claire: o quê?


Inveja: talvez você tenha esse direito, deixa eu ver bem por onde começo... Há alguns anos atrás, eu era apenas uma desafortunada que morava no bairro das asas perdidas, eu não tinha tantos motivos para viver, usar drogas era praticamente o meu almoço e jantar, mas até que um certo dia, algumas pessoas de uma campanha que servia para ajudar o pessoal daquele bairro surgiram, e entre eles, estava a sua mãe...


Claire: (enquanto ela conta essa história, preciso me concentrar em curar minha coluna e também pensar num jeito de sair daqui)


Inveja: aí! Você se escuta o que tô falando!


Claire: tá bem, continua essa história doentia de como você tentou roubar o corpo da minha mãe


Inveja: naquele tempo, sua mãe fazia de tudo naquele lugar, inaugurava um monte de canto para os sem-tetos morarem, também ajudou a abrir alguns lugares para alimentar os esfomeados, e aqueles outros que servia pro pessoal desabafar os seus problemas. Muitos se beneficiaram nesse tempo, e eu também... Naquele tempo, eu era uma mera prostituta que fazia de tudo para sobreviver, me prostituía até mesmo por quem não iria me pagar nada, quando a campanha de sua mãe chegou, ela me ajudou com tudo que podia, me ensinou que eu poderia ser melhor do que aquilo, mas não era verdade, eu nasci imperfeita!


Claire: isso é o que você pensa, você poderia ter tido uma vida boa se tivesse escutado ela, mas você acabou decaindo por escolha própria


Inveja: ah sim, eu já escutei muito isso, principalmente da sua mãe, era fácil falar aquelas coisas quando você nasce em uma família estável, enquanto a minha nem sequer me deram um nome! Eu vivi a minha vida toda invejando os outros por saber que nunca iria ter a chance de ter algo, eu pensava como seria se eu vivesse na pele daquelas pessoas, e foi isso que pensei quando vi sua mãe, uma mulher que tinha tudo! Um corpo belo, uma linda voz e qualquer outra coisa, mas eu era o oposto dela, uma mulher horrenda, uma depósito de esperma e cheia de doenças! Mas eu percebi algo, sua mãe desperdiçou a perfeição dela por um homem que nem ligava para ela, e ainda vivia se sujando por causa daqueles porcos imundos daquele bairro maldito


Claire: era escolha dela, se ela quisesse ajudar os outros, ela ajudava, e sobre esse lance do meu pai, a culpa não era dela se ela pensava que ele era o homem ideal, muitas garotas jovens pensam isso quando arranjam alguém pela primeira vez


Inveja: errado, errado, ERRADO! Ela não tinha que fazer aquelas coisas, ela era perfeita demais para se misturar com a escória daquela cidade, e por isso, eu pensei muito no que eu poderia fazer para tirar ela de lá, tentei causar tumultos, provocar os mentalmente instáveis para ataca-la, mas nada dava certo, ela continuava lá o tempo todo, tentando fazer com que o seu corpo ficasse imperfeito, eu até mesmo tentei matar você para que ela saísse de lá, mas acabou dando errado


Claire: como é?


Inveja: sua mãe levava você várias vezes para o bairro para que você visse ela ajudando os outros, mesmo que você nem sequer pudesse lembrar de algo depois, e isso foi minha maior ideia, tentar matar você que ela finalmente saísse de lá! No dia que ela foi realizar um discurso, ela estava segurando você nos braços, você era o alvo perfeito, Clarice nem sequer estava ligando pelo espaço aberto em que você e ela estavam. No momento que eu iria atirar, ele surgiu


Claire: quem?


Inveja: aquele que vocês conhecem apenas como Fênix


No flashback deste momento, Inveja está em um beco escuro mirando em Claire, mas Fênix surge de repente atrás dela e a desarma sem que ela percebesse


Fênix: me responda, por qual motivo você desejaria matar uma criança?


???: De onde você...?


Fênix: fique quieta, não quer que ninguém lhe perceba aqui, não é? Para me apresentar, por enquanto, eu ainda não sou ninguém, mas e você, quem seria você?


???: Eu... Não tenho nome...


Fênix: o quê? Uma pessoa sem nome? Isso deve ser difícil para você, ser alguém praticamente inexistente, comparada a alguém igual aquela mulher no palco. Todos a reconhecem, todos a adoram, mas e você? Ninguém liga para você!


???: Por que... Por que pessoas que nem ela nascem com tudo e eu não possuo nada?! A pele dela a branquinha e macia, a minha é escura e doente! Pessoas como ela nascem e nem sequer usam suas perfeições de um jeito certo


Fênix: você não possui um nome, correto? Neste caso, eu poderia lhe dar um?


???: Um nome?


Fênix: exato, e eu tenho o nome perfeito para você. A partir de agora, seu nome será Inveja!


Inveja: mas porquê logo Inveja?


Fênix: receio que será um nome bem apropriado para você, e você talvez poderá entender no futuro o porquê lhe chamo disso agora


Inveja: está bem, eu vou aceitar esse nome estranho


Fênix: que bom. Agora como recompensa, você poderia trabalhar comigo?


Inveja: um... Emprego?


Fênix: sim, um emprego como você jamais viu, e para começar ele...


Ele entrega a arma para Inveja e faz com que ela mire em Clarice


Fênix: aperte o gatilho!


Inveja: mas se eu fizer isso, ela vai acabar ficando imperfeita


Fênix: não precisa se preocupar com isso, até porque, a sua criança também pode ser bastante perfeita no futuro, não concorda?


Inveja: a criança?


Ela olha Claire profundamente


Inveja: a criança... Vai ser perfeita!


Fênix: ótimo, agora faça o que mandei


Inveja atira em Clarice e cria um grande alvoroço, Fênix cria um portal e os dois vão embora. Voltando ao futuro


Inveja: desde então, eu esperei muito tempo para que você crescesse e se tornasse perfeita, mas o chefe Fênix nunca me autorizou a tomar o seu corpo, mas finalmente, aqui estou eu, preste a fazer o seu corpo ser meu!


Claire fica alguns segundos calada e pensativa 


Claire: realmente... O Fênix é alguém bem criativo para nomes. Você é apenas uma vadia escrota que a única ambição é ficar roubando cadáveres e matar gente inocente, tudo em nome de um cara que se acha algum purificador


Ela volta a mover suas pernas e transforma o pé direito em uma estaca de madeira e tenta desferir um ataque na cabeça de Inveja, fazendo ela desviar, Claire aproveita a oportunidade e retira o seu sabre normal dos braços, usando o pé esquerdo que está transformado em planta, ela vai cortando os membros costurados de Inveja e faz ela se afastar um pouco. Vendo que tem chance para fugir, Claire pula pela janela e transforma as mãos em planta para subir até o telhado


Inveja: maldita!


Ela paga o grande saco de escuridão e atravessa a área da janela, criando um grande buraco, depois escala até o topo do telhado. Claire e Inveja se encaram


Claire: minha mãe foi uma pessoa perfeita, mas sua única imperfeição foi estar no lugar errado e na hora errada, mas em seu nome, eu vou fazer justiça e finalmente acabar com a pessoa que tirou sua vida!



FIM DO CAPÍTULO 215



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...