História Guerra das Aranhas - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Homem-Aranha, IKON
Tags Augusto Snicket, Heróis, Shippe
Visualizações 68
Palavras 2.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Segundo capítulo do combo 2/3! Mas não deixem pra comentar só no último rsrsrsrsr

Capítulo 16 - Capítulo 16: Calmaria


Fanfic / Fanfiction Guerra das Aranhas - Capítulo 16 - Capítulo 16: Calmaria

O apocalipse aranha tinha terminado com a morte de Poliana Pontes, os heróis aranha foram libertar os reféns sobreviventes quando as portas vieram abaixo e uma equipe da Colmeia adentrou ao recinto.

–Olha só o que temos aqui –Disse Bruno –Dois novos afetados. Prazer em conhecê-los, eu sou Bruno Benevolente, um dos três zangões da Colmeia. Uso os poderes a mim concedidos pela lei para lhes dar voz de prisão.

E lá estava Renan no meio de outra enrascada. Os dois estavam cansados e feridos e agora teriam que se meter em outra batalha?

–Isso é um absurdo! –Gritou uma mulher se pondo entre os heróis e os agentes –Eles salvaram a cidade, são heróis e não criminosos!

–Eles salvaram nossas vidas! –Gritou um homem indo para o lado da mulher.

–Onde vocês estavam quando os monstros nos atacaram?

–A Guerreira Aranha e o Aranha Noturna são os heróis da Cidade do Raio!

–Se for prende-los terá que passar por cima de nós!

Renan e Amanda sentiram um arrepio de emoção ao ver todas aquelas pessoas os defenderem. Bruno Benevolente ficou pensativo: “Eu devo passar por cima desses civis?”. A equipe de policia chegou pela mesma porta, entre eles estava Carol Castro tirando foto de tudo.

–Os heróis aranha salvam a Cidade do Raio do Apocalipse aranha! Essa vai ser a capa de todos os jornais! –Ela anunciou.

–Em nome da equipe de policia, eu lhes agradeço! –Disse Carlos Castro fazendo uma reverência e puxando uma salva de palmas.

Bruno trincou os dentes de raiva, pelo jeito não seria daquela vez que os levaria para Colmeia. Renan segurou a mão de Amanda e juntos se jogaram pela janela fugindo do zangão amarelo ao som de empolgados aplausos.

Durante a semana seguinte:

–O total de mortos ultrapassam 150 pessoas.

–Os reparos da cidade vão custar milhões.

–A cidade inteira foi salva por dois jovens.

Renan havia recebido o prometido abraço da Roberta, passou horas no telefone com seu pai lhe garantindo que estava tudo bem, recebera um abraço de urso da senhora BooJoo, e quando finalmente se deitou em seu colchonete no quarto do Jinhwan, apagou.

Os agentes da Colmeia levaram o corpo da Poliana Pontes, dos gêmeos e da maior quantidade das aranhas que conseguiu. As Industrias Moura, conseguiram pegar várias das aranhas. A Cidade do Raio ficou uma semana de luto, as aulas estavam suspensas nesse período.

Jinhwan acordara no meio da noite ouvindo o choro de Renan, ele se debatia em meio a um pesadelo horrível.

–Renan! Acorda! –Ele o segurou pelos ombros, Renan despertou arregalando os olhos, estava ofegante e suado, lágrimas escorriam pelos seus olhos –Calma, foi só um pesadelo.

–Eu sonhei que a Poliana devorava você e a Roberta, eu não conseguia salva-los, foi horrível, eu...

–Calma, foi só um sonho –Jinhwan o abraçou –Quer voltar a dormir? –Renan sacudiu a cabeça negativamente –Então eu ficou acordado com você, vem sentar na minha cama –Os se encostaram na parede –Pense nas coisas boas, você me salvou, salvou várias pessoas.

–Mas não salvei todo mundo, o policial foi morto à poucos metros de mim e... Eu atirei nela, atirei na cabeça da Poliana Pontes. Eu matei uma pessoa.

–É como a Roberta disse, você fez o que foi preciso para salvar a cidade. Você é um herói, é nosso herói –Jinhwan o abraçou e Renan se sentiu muito melhor –Vamos falar de outra coisa para você espairecer a mente.

–O que você estava fazendo com o B.I. num sexshop? –A pergunta do Renan pegou o outro de surpresa que gagueja todo para responder. Ele suspira.

–A gente foi parar lá no meio da confusão, estávamos indo para uma sorveteria.

–Não sabia que vocês dois tinham se tornado amigos, você nunca me falou nada.

–Não nos tornamos amigos... –Agora era a hora de contar –Nós temos um rolo.

–O quê?

–Renan... Eu gosto de garotos e... Estou saindo com o B.I. –Renan ficou boquiaberto.

–E eu achando que você tinha um amor secreto pela Carol. Porque nunca me contou nada sobre isso?

–Eu tinha medo que você se afastasse. Você é meu melhor amigo e tive medo de que tivesse nojo de mim, que por eu ser gay não quisesse dividir o quarto comigo e...

–Você costuma falar muita merda, Jinhwan, mas essa foi a pior de todas. Eu nunca me afastaria de você, muito menos por causa da sua sexualidade. Você e a Roberta me fazem me sentir seguro, sei que sou eu quem tem poderes, mas sem vocês não conseguiria ser um herói. Eu... Olha só pra mim, acordando assustado no escuro e você me consolando. Eu só vou dizer isso uma vez porque é vergonhoso: Eu te amo, cara.

Jinhwan quase rasgou os cantos da boca com tão largo que foi seu sorriso, eles se abraçaram apertado, agora podiam comentar sobre tudo.

–Ele te beijou na testa?

–Acredita nisso?

–E você se masturbou na biblioteca? Parece até título de vídeo pornô do Xvídeos, vou até pesquisar, vai que você tenha sido filmado e não sabe.

–Seu nojento! –Jinhwan deu um soco em seu braço.

Quando as aulas voltaram tudo parecia diferente, o casal mais popular do curso de Ciências Biológicas, Roberta e David, estavam se estranhando. Carol Castro tinha conseguido um estágio no Notícias do Dia, o maior jornal da cidade, e tinha ganhado fama na universidade, antes tinha que lutar para vender seus jornais, agora os alunos e professores faziam fila para compra-los. Jinhwan vivia escapando para trocar beijos com o B.I. no banheiro.

Renan e Amanda estavam sentados nas arquibancadas do campo de futebol.

–Você esta tendo pesadelos? –Ela perguntou.

–Todos os dias –Ele respondeu –Mas estão diminuindo, nem estou acordando chorando mais –Os dois riram.

–Você contou para sua equipe quem eu sou?

–Não, e você contou de mim?

–Também não.

–Amanda! –Uma garota gritou chamando a atenção deles –Esta todo mundo de esperando para recomeçar os treinos.

–Já estou indo, best! –Ela se voltou pra Renan –Tenho que voltar para meu mundo de líder de torcida. Nos vemos quando o mundo correr perigo novamente.

–É bom ter com quem contar, Guerreira Aranha.

–Digo o mesmo, Aranha Noturna.

–Não me diga que esta namorando com aquele Zé Ninguém? –Perguntou a garota.

–Claro que não, ele não faz meu tipo.

Renan estava voltando para seu prédio quando avistou David Danavam em outra arquibancada acendendo um cigarro. Renan foi até ele, puxou o cigarro de sua boca, jogou-o no chão e pisou.

–Você é um atleta, não devia fumar.

–Você ficaria surpreso com as drogas que os atletas costumam usar –O ar dele não era o de popular dono do mundo de sempre, ele estava pra baixo, meio perdido.

–Você esta bem? –Renan perguntou sentando-se ao seu lado.

–A Roberta deve ter comentado algo.

–Na verdade não.

–Estamos meio brigados, pode comemorar agora, este é um ótimo momento para você dar em cima dela. Afinal como você disse, ela já gostou de você e pode gostar de novo.

–Não sou esse tipo de pessoa –Disse Renan, mas um pedacinho dele queria pular de alegria torcendo para que os dois terminassem –Mas a minha primeira pergunta foi: Você esta bem?

–E porque você se preocuparia comigo? Não somos amigos.

–Mas você já me beijou duas vezes, acho que posso me preocupar um pouquinho –Renan o fez rir.

–Olha só quem aprendeu a fazer piadinhas.

–Estou fazendo um curso online –Mais risadas.

–Eu não sou como você, não tenho vários amigos. Pode me chamar de popular, mas não tenho muitas pessoas com quem conversar. Normalmente converso tudo com a Roberta, ela não é só minha namorada como também minha melhor amiga. Mas se o problema que tenho é com ela, aí fica difícil o dialogo.

–Você esta me pedindo para ser seu ouvinte?

–Pra quê? Pra você se animar com nossos problemas de casal?

–Há sempre essa possibilidade.

–Obrigado por me animar, mas se eu contasse os segredos que estão me deixando para baixo, a Roberta me mataria –David riu –Você não faz ideia como minha escolha de palavras foi engraçada. Eu vou indo –Renan o segurou pelo braço o surpreendendo.

–Piadas a parte, se algum dia precisar de alguém para conversar, prometo te ouvir e não tirar sarro... Talvez só um pouquinho.

–Obrigado, Renan.

Na sala de aula, Renan e Jinhwan jogavam jogo da velha rabiscando o caderno, enquanto que Roberta e David bebiam cada um, um refrigerante sem trocar palavras. A professora Togarma Torres entra na sala já dando um aviso.

–Devido as recentes tragédias, conversei com o diretor e com o senhor Moura, que os alunos precisam espairecer a mente. Então vamos todos acampar.

Começou um alvoroço de vozes animadas com a ideia. Togarma teve que bater na mesa para conseguir a atenção de volta.

–Escolhemos acampar no Vale da Lua –David e Roberta cuspiram o refrigerante na dupla da frente e se engasgaram violentamente chamando a atenção de todos –Algum problema vocês dois?

–Não, nada professora –Disse Roberta rapidamente e depois se desculpou com o pessoal da frente, ela e David se olharam alarmados.

–Que suspeito –Comentou Jinhwan –Alguma coisa aconteceu entre esses dois nesse tal Vale da Lua.

–Também achei isso.

–Será que foi lá onde eles transaram pela primeira vez?

–Você é muito safado. Vou avisar ao B.I. pra ter cuidado.

Na cidade vizinha ficava a Colmeia, a prisão mais segura e assustadora de todo o mundo. A maioria dos funcionários são agentes treinados, mas os carcereiros são afetados do meteorito que devastou a China. Bruno Benevolente, o zangão amarelo retornara para a Colmeia, estava indo se reportar para rainha quando foi barrado pelos outros dois zangões.

–Olha só quem retornou de mãos fazias –Disse o zangão vermelho, seus olhos eram escuros e sua pele negra, seu terno era idêntico ao de Bruno, mas a gravata era vermelha ao invés do amarelo, também possuía um clipe de gravata em formato de abelha. Ele falava enquanto mexia um isqueiro de ferro entre os dedos.

–Se você considera retornar com vários cadáveres de monstros para o setor de pesquisa como retornar de mãos vazias, então você esta certo, Apolo Antunes.

–Não devemos brigar entre nós, no entanto os últimos acontecimentos são preocupantes –Interveio o zangão azul –O Atirador de Metalvile escapou, novos afetados surgiram, um deles quase destruiu uma cidade inteira e ainda temos dois afetados adorados com heróis na Cidade do Raio –O zangão azul, era o mais jovem dos três, seus cabelos eram loiros e olhos escuros, seu terno era idêntico ao dos outros e também possuía o clipe de grava de abelha. Ele era o que mais chamava a atenção, pois sempre andava com um pássaro em seu ombro, uma arara azul.

–Obrigado por dizer o que todos já sabem, Danilo Dalas –Ironizou o zangão vermelho.

–Só estou dizendo que devemos tomar medidas mais sérias.

–Sérias como andar por aí com uma arara azul no ombro? Você sonha em ser algum tipo de pirata? –Apolo caiu na gargalhada e Bruno revirou os olhos.

–Se me dão licença, tenho que reportar a rainha, caberá a ela decidir o próximo passo.

Bruno era o mais sensato dos zangões, mas não subestimava seus companheiros, afinal, abaixo da rainha, os três eram os mais poderosos da organização.

Rodrigo Richard servia o jantar para sua mãe, imaginado como estaria seu filho. Depois do incidente do Apocalipse Aranha, ele pensara seriamente em arrastar o Renan de volta para casa, mas não podia fazê-lo. Por mais que quisesse ter seu filho sempre consigo, as crianças crescem e devem seguir sua vida. A campainha tocou lhe trazendo de volta de seus devaneios.

–Quem será a essa hora? –Rodrigo foi até a porta e ao abri-la levou um susto imenso, parado diante dele estava alguém que teve o rosto estampado em todos os jornais –Você?!

–Olá, senhor Richard, que tal me convidar pra jantar?

–Vitor Valente? –Rodrigo tentou fechar a porta, mas o homem era muito forte e empurrou a porta entrando na casa.

–Não seja deselegante e não me irrite, sabe muito bem o que acontece quando o Atirador de Metalvile se irrita.

E naquela noite o pai do Renan teria um convidado muito inesperado para o jantar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...