1. Spirit Fanfics >
  2. Guerra de sangue (Kakashi - Sasuke - Neji) >
  3. A Rival

História Guerra de sangue (Kakashi - Sasuke - Neji) - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - A Rival


Fanfic / Fanfiction Guerra de sangue (Kakashi - Sasuke - Neji) - Capítulo 10 - A Rival

Passou-se uma semana desde a morte de Juugo, o clima na faculdade foi melhorando. No início, todos me olhavam como se eu fosse o animal que o atacou. Como a Ino havia me falado, as investigações descartaram assassinato, pelas características das lacerações, o que eu achei um absurdo. 

Aos poucos as coisas normalizaram e eu consegui seguir a minha rotina. Fazia quase uma semana também que eu não via o Sasuke, eu pensava muito nele, pois os meus sonhos estavam cada vez mais rotineiros. 

Uma noite sonhava com ele outra noite com o Kakashi. O Professor Kakashi continuava com suas aulas, eu tinha uma ligeira impressão de que ele sempre estava de olho em mim, mas devia ser coisa da minha cabeça, por causa dos sonhos, alguma coisa nele me atraía. Estava tendo noites de sono ruins, o que debilitava o meu desempenho, tanto na aula, quanto no trabalho. A Ino ainda não tinha me passado o número do Psicólogo, mas eu iria cobrar. 

Meu coração estava feliz, Neji e eu nos víamos todas as noites depois do trabalho, fazíamos basicamente as mesmas coisas, passeávamos, conversávamos muito e claro, os beijos eram a melhor parte do nosso tempo junto. 

Sexta feira, último dia de aula da semana, caminhando até a sala, pensativa, eu esbarro em uma moça que saía de uma das salas do corredor. 

— Me desculpa!!! — disse levantado o rosto em sua direção 

Ela me olhava séria, como se me conhecesse de alguma lugar, pensando bem, seu rosto é familiar.

— Você é o novo brinquedinho do Neji não é? — Disse com olhar cínico e braços cruzados.

Eu me assustei com as palavras dela, eu não tive reação, foi muito brusco. 

— Além de tudo é pobre, ele me disse, o Neji adora fazer uma caridade — Sorrindo, passou a mão no cabelo, em tom de superioridade.

Eu entendi que ela tentava me ofender, mas eu não vou me rebaixar, apenas tentei sair, mas ela não deixou. Me segurando pelo braço, ela me olhava determinada. 

— Você é igual às outras, quando ele enjoar de você, e é só questão de tempo, ele volta correndo para mim — Ela tinha uma raiva estampado no rosto. 

— Toque em mim mais uma vez e não vai sobrar um fio de cabelo na sua cabeça — Puxei o braço com força. 

Caminhei pelo corredor chateada, quem é essa garota? Por que ela falou daquele jeito comigo? 

E o Neji? Ele falou realmente isso pra ela?

Entrando na sala, todos já estão lá, eu evito olha na direção do Neji, quero esclarecer tudo, mas estava com raiva e a faculdade não é lugar para lavar roupa suja. 

Durante a aula, eu percebo que ele tenta me mandar alguns sinais, mas eu continuo séria olhando pra frente. 

Vejo o celular piscando, é ele. 

“Aconteceu alguma coisa?”

Eu ignoro a mensagem e continuo olhando para a frente. Não estava prestando a atenção na aula, estava tentando lembrar da onde eu conheço àquela menina. 

Depois de muito pensar, eu lembrei, ela é a moça que estava acompanhando ele na noite do baile. Então o que ela falou estava certo, ela não mentiu.

Fiquei furiosa, no fundo eu sabia que ele não precisava me dar satisfação, a gente tinha ficado algumas vezes, mas eu estava com muito ciúme.

Então decidi não falar com ele até que o ciúme passasse, eu não quero dar uma de possessiva. 

Peguei o telefone e mandei uma mensagem para a Ino.

“Ino, eu não quero encontrar o Neji no intervalo, topa ir em algum lugar ?”

Digitando...

“Eita, o que esse Avatar albino fez com você? 😡


“Avatar albino?🤣


Digitando...

“Ele é alto, tem um cabelo comprido, mas não é azul 😆


“Faz todo sentido 🤯 Eu te falo o que aconteceu assim que chegarmos no carro 😘


Digitando...

“Tá bom 😘


Faltando 5 minutos para acabar a aula, eu saio, Naruto como sempre estava dormindo na aula e nem notou, só quem notou, claro, foi o Neji, que ficou me olhando confuso. 

Fui direto para o estacionamento, encontrei o carro da Ino e esperei, ela chegou em questão de minutos.

— Me conta, o que aquele horroroso do Neji fez ? — Ela franzia o cenho 

— Não foi bem ele, eu estava indo pra sala de aula, quando esbarrei em uma garota, ela começou a me dizer um monte, disse que eu era o novo brinquedo do Neji, que ele adorava fazer caridade, por que eu sou pobre e que logo logo ele se cansaria de mim e voltaria para ela — disse sem respirar, estava zangada. 

— Mas amiga, o que o Neji tem com isso? — ele perguntou franzindo o cenho mais uma vez.

— “O que tem” ? Ele falou para ela sobre mim, eles devem ser próximos, o significa que ele mentiu para mim... — estava furiosa.

— Eu conheço o Neji a muitos anos, não faz muito o estilo dele ficar falando de ninguém não... — Ela me olhou desconfiada 

— Bom, eu lembrei da menina, era a acompanhante dele no baile — Fiz biquinho

— Claro, era nela mesmo que eu estava pensando... amiga, a Tenten é apaixonada no Neji desde pequena e ela é meio maluca mesmo.

— Sério?! ... De qualquer forma, eu não quero falar com ele, por que começamos a ficar agora e eu não quero dar uma de possessiva, dando um ataque de ciúmes — Eu estava envergonhada. 

— Relaxa amiga, vai pra casa depois da aula, descansa e amanhã liga pra ele. 

— Verdade, obrigada Ino — Dei um abraço apertado nela e voltamos para o segundo tempo da faculdade. 

No fim da aula, saio um pouco antes e pego o ônibus a tempo de não encontrar o Neji. No telefone, uma ligação perdida dele e algumas mensagens.

Não retornei. 

Fui direto para a mansão Uchiha, enquanto Sarada não descia, tomei a liberdade de tocar um pouco, era sempre bom poder aquecer os dedos. 

Sarada chega atrasada, como sempre, assim que o sol se põe, já era rotina. 

— Oi Sarada — sorri meio sem jeito, estava pensando no Neji. 

— Boa Noite Srta. S/N — Ela entra linda, com um belo vestido rodado vermelho. Uma menina encantadora, mas sempre triste. 

— Vamos iniciar a aula com a execução do exercício que eu passei na aula passada — Minha mente estava em outro lugar, por isso eu resolvi fazer uma aula exclusivamente prática. 

Volta e meia eu suspirava.

— Srta. S/N, tem alguma coisa diferente em você hoje — Ela me olhou com seu semblante sério de sempre. 

— Eu?, imagina — Tentei disfarçar 

— Eu consigo ver no seu semblante — Ela tocava a música que eu passei de maneira irretocável. 

— Não é nada Sarada, sério! — tentei fazê-la desencanar 

— Então eu não toco mais — Surpreendentemente Sarada reagiu de maneira totalmente infantil e birrenta e me fez estranhar. 

— Se você não tocar, eu falo para o seu pai — Eu achei fofo ela falando daquela forma, mas não podia transparecer isso, tive que ser séria. 

— Meu pai está viajando — Disse levantando a sobrancelha.

— O seu tio Madara... — Eu continuei

— Todos estão viajando. 

— E você tá sozinha? — Fiquei espantada

— Sim, você vai me falar? — Ela parecia não ligar

— Não é adequado eu conversar sobre essas coisas com você Sarada — Queria que ela entendesse.

— Tudo bem — Ela voltou a tocar, mas com um sorriso fofo de canto, parecia que ela sabia exatamente do que se tratava a minha tensão. 

Saindo da mansão Uchiha, eu toco no assunto com a Sra. Sena. 

— Eu nunca mais vi os Uchiha — Comentei enquanto caminhávamos para a saída.

— Eles estão viajando —ela disse com sua postura ríspida de sempre.

— Eles passarão muito tempo fora? 

— Não, eles costumam voltar rápido — Disse abrindo a porta. 

— Muito obrigada Sr. Sena — Até semana que vem. 

Volto para casa, Neji não sai da minha cabeça, nem aquela garota, a Tenten, que nome ridículo. 

Saindo do ônibus, eu caminho até em casa, fiquei com medo que ele estivesse me esperando, como todas as noites, mas acho que ele entendeu o recado. 

Tomando banho, eu tento esquecer toda essa história, tento pensar nas coisas boas do nosso relacionamento e me forço a entender que não temos nada sério. 

Saio do banho, coloco uma roupa confortável e deito para dormir, ainda é cedo, mas eu quero que o dia ruim acabe logo. 

Quase pegando no sono, sinto o celular vibrar, era o Neji, meu coração acelera.

“Quero falar com você, estou aqui embaixo” 

Ignoro.

Digitando...

“Não vou sair daqui até você me atender”

Suspiro

Digitando...

“Vou dormir dentro do carro se for preciso” 

Eu me sinto mal por ele, pensando bem, não foi legal tê-lo ignorado daquele jeito. 

Decido mandar uma mensagem.

“Sobe, vou deixar a porta do apartamento aberta, pode entrar” 

Mandei a mensagem e levantei para me trocar, coloquei um vestido preto simples e rodado, não ia recebê-lo de pijama. 

Quando eu saio do banheiro, ele está em pé, no meio da cozinha, lindo, um jeans surrado e uma camisa preta, cabelo amarrado mãos nos bolsos e olhos serenos. 

— Você quer beber alguma coisa? — Pergunto séria enquanto passo por ele.

— Eu quero uma explicação — Sua voz baixa, porém grave me fazem suspirar. 

Meu ponto fraco era a voz dele, com toda certeza. 

— Vamos sentar?! — Eu aponto o sofá na sala e me sento, com os pés no estofado, eu flexiono as pernas fazendo uma barreira entre nós dois. 

A casa era pequena e toda integrada, dava para ver todos os cômodos apenas dando uma volta de 365 graus.

— O que aconteceu? Por que você me ignorou o dia inteiro? — ele estava confuso.

— Neji, eu vou ser direta com você, eu encontrei a sua amiga Tenten na faculdade e ela me disse umas coisas bem ofensivas. Eu não sei qual é a dela, ou do relacionamento de vocês, mas eu não quero participar disso — Disse séria e bem direta. 

Ele me olhava irritado, mas não parecia ser comigo. 

— O que ela disse pra você? — ainda precisa irritado.

— Não quero repetir — encostei o queixo no braço que estava sob meus joelhos. 

— Por favor — ele franzia o cenho.

Suspirei.

— Ela disse que eu era só mais um brinquedo para você, que você adorava fazer caridade, por isso estava comigo mesmo eu não sendo rica e que era questão de tempo para você enjoar de mim e voltar pra ela — Eu suspirava forte, me senti mal com aquela conversa. 

Uma lágrima solitária rolou no meu rosto, mas eu sequei disfarçando, antes que ele notasse.

— Eu não penso nada disso sobre você — Ele me falava sereno. 

— Eu imaginei — lembrei o que a Ino me falou. 

— Então por que você me ignorou ? — Ele colocou a mão no meu rosto. 

— Por que você mentiu para mim, você disse que ela era uma amiga e ela é bem mais que isso... 

— Ela é só uma amiga, nós nunca tivemos nada — Ele tentava me explicar 

— Então por que ela falou aquilo? 

— A Tenten é filha do médico da nossa família, ele sempre cuida de nós quando precisamos, ela sempre ia na minha casa, crescemos juntos, eu acho que ela tem um sentimento por mim, mas eu nunca fui recíproco — Ele olhava nos meus olhos — Acredita em mim... 

— Eu acredito — Suspirei, ele não parecia ser um mentiroso. 

— E por que você continua assim? Na defensiva — ele juntava as sobrancelhas.

— Por que eu senti... eu senti ciúme de você e eu acho que não tenho esse direito — decido falar a verdade dos meus sentimentos. Eu aprendi que todo relacionamento deve ser fundado em verdades, as vezes não era fácil seguir essa regra, mas era sempre o melhor caminho. 

— Você é bem direta, eu gosto disso em você... e por isso eu serei direto também — ele disse em um tom suave.

Ele buscou meu queixo e levantou o meu rosto, nós deixando cara a cara.

— Eu estou apaixonado por você! — ele tinha um sútil sorriso nos lábios. 

— Por mim? — Eu não acreditei de início, meu coração acelerado e o frio na barriga eram intensos. 

— Eu sei que é cedo, nos conhecemos a pouco tempo, mas eu quero namorar com você — Ele baixou gentilmente as minhas pernas do sofá. 

— Você tá me pedindo em ....?

— Eu to te perguntando se você quer ser a minha namorada ? — Ele sorriu com a minha confusão.

— S... Sim... — Eu sorri feliz e surpresa com o pedido.

Ele se aproximou e com a mão gentil na minha nuca me trouxe para um beijo romântico, que se torna cada vez mais intenso. 

Sinto suas mãos na minha cintura me puxarem para cima dele.

Montada nele, o nosso beijo passa de romântica para apaixonado, eu sentia suas mãos fortes me puxarem cada vez mais na sua direção. Enquanto eu arranhava suave a suas costas por baixo da camisa. Sinto suas mãos na minha coxa subir pelo meu vestido, seus polegares tocam a minha virilha e ele continua subindo até a minha cintura, me puxando cada vez mais forte. 

Beijando o seu pescoço, ele arfa delirando  com cada beijo e mordida mais intensa. Eu mordo a sua orelha puxando leve o seu cabelo para trás, o cheiro inebriante do perfume dele me excita. Nos movimentamos de maneira erótica, ele me faz senti o quanto eu o excitava também. 

Ele levanta sem me colocar no chão, eu o abraço com as pernas e ainda nos beijando ele caminha até a cama. 

Me deitando devagar, ele levanta, caminha até o interruptor e desliga a luz com um sorriso sensual desenhado nos lábios.

A luz do poste próximo à janela ilumina o quarto na intensidade perfeita. 

Voltando, ele tira a camisa deixando à mostra o abdômen mais lindo que eu já vi na vida. 

Ele deita sobre mim, puxando a minha coxa de maneira que eu o sentia cada vez mais excitado. Eu arranho as suas costas e beijo sua boca.

Devagar ele se coloca de joelhos na cama e beija a minha perna, subindo o meu vestido, mais e mais. Um caminho doce de beijos e mordidas me fazendo arfar com o tesão. Com a boca, ele puxa a lateral da minha calcinha e solta fazendo um barulho sensual, sempre me olhando, sempre intenso. 

Ele continua subindo o meu vestido até me despir por completo. Subindo, ele beija a minha boca, seus lábios macios eram deliciosamente habilidosos, assim como suas mãos que massageavam os meus seios. 

— Levanta!!!  — Ordenei sensual, empurrando ele para fora da cama. 

Ele me beijava na parede próximo à janela, enquanto apertava a minha bunda e me forçava contra seu membro excitado. 

— Eu quero você agora! — Disse mordendo a minha orelha e me fazendo arrepiar. 

Saindo do beijo, eu olho sorrindo e passo a mão no seu peitoral, descendo pelo seu abdômen trincado, até o seu cinto, vejo um sorriso lindo desenhar seus lábios. 

Abaixando, eu ouço ele ofega só de imaginar o que vem por aí, abro o cinto e puxo sua calça devagar, enquanto ele tira os tênis e depois a calça com a ajuda dos pés. 

Uma cueca box preta, deixava sua pele ainda mais pálida. Ainda ajoelhada, eu passo as unhas pelo seu abdômen, enquanto o mordo de leve por cima da cueca. 

Baixando devagar, deixo em evidência seu membro ereto, que custa a ficar parado, a excitação é extrema.

Olhando para ele, eu o coloca na boca devagar, até a base, sentindo penetrar a minha garganta, enquanto Neji geme, revirando os olhos de prazer. Eu inicio o movimento, chupando e me deliciando com cada vez que seu corpo treme. Com a mão no meu cabelo, ele me auxilia, mais devagar, mais intenso, mais rápido... Ele sabe o que gosta e faz questão de me mostrar. 

Me tirando do chão, seu sorriso é sensual, ele me empurra na cama, e sobe em mim, me beijando.

Sinto seu corpo muito quente, mais que o normal, febril, mas ele parece estar com muita saúde. 

Ele segura a lateral da minha calcinha com as duas mãos e rasga, me deixando completamente nua e a mercê dele. 

Abro as pernas lentamente, o convidando para me provar, ele se posiciona e me puxando pela cintura me penetra devagar. Sinto cada um dos seus centímetros me invadindo, ele não tira os olhos de mim. 

— Ne...ji... — Eu falo seu nome ofegando, não consigo formar um pensamento concreto, apenas senti-lo me possuindo. 

Ele me levanta e me senta sobre ele, curiosa, eu puxo o elástico que prende o seu cabelo, que se solta por inteiro, como um manto escuro que cai por seus ombros. 

“Eu estava transando com a porra do legolas” Sorri animada fantasiando isso. 

Mais forte e mais intenso, ele me ergue e abaixa me segurando pela cintura. 

Eu faço ele deitar e monto nele, cavalgando intenso, eu intercalo os movimentos, ele me auxilia segurando no meu quadril. Gemendo alto, sinto ele prestes a explodir, sua voz ecoa no apartamento, me deixando mais excitada.

— Espera um pouco — Ele fala mordendo o lábio e me freando.

— Esperar o que? — Falo sensual enquanto rebolo devagar.

— Precisamos de proteção — Ele sorri com a minha provocação. 

Eu o deixo livre para pegar, ele levanta, vai até o seu jeans jogado no chão e busca uma camisinha dentro da carteira. 

Eu aprecio cada segundo daquele Príncipe Elfico nú no meu quarto. Olhando da cama, eu observo cada músculo do seu corpo perfeito. 

Ele põe a camisinha e volta, me colocando de quatro e me penetrando forte, enquanto puxa o meu cabelo, sensual, selvagem e delicioso. 

Me viro deitando e por cima, ele me penetra mais uma vez, levando a minha perna próximo à minha cabeça, eu sinto a dor gostosa da penetração completa.

— Você é enorme! — Eu reclamo com um sorriso sensual

— E você é deliciosa! — ele fala entre dentes. 

Quando eu estou perto do ápice, ele coloca o polegar inteiro na minha boca, e eu chupo como se fosse seu membro, gemendo juntos, sentimos o prazer chegar ao limite, nos fazendo gozar ao mesmo tempo. Tocando no seu abdômen, eu sinto ele tremendo, com pequenos espasmos que percorrem todo o seu corpo. 

Deitados de frente um para o outro, exaustos, ele encosta a testa na minha e acaricia meu rosto. 

— Eu estou muito apaixonado por você — Ele fala baixinho.

De olhos fechados, eu sorrio com a ideia de tê-lo pra mim, como meu namorado. 

Exauridos, dormimos juntos. 


Notas Finais


E esse Hot no Neji? 🙈

E a Tenten??? Nunca fui muito com a cara dela, agora enta....
comentem ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...