1. Spirit Fanfics >
  2. Guerra Dos Deuses >
  3. O roubo do livro sagrado

História Guerra Dos Deuses - Capítulo 1


Escrita por: e sracobra


Notas do Autor


Espero que gostem gente ❤

Capítulo 1 - O roubo do livro sagrado


Olimpo estava calmo hoje, as ruas não estavam movimentadas e os Semihumanos estavam em casa com suas familias, Olimpo era calmo a décadas graças aos grandes deuses que vigiavam e cuidava do seu povo com muita honra em troca esperava gratidão e lealdade a eles.

Semihumanos viviam separados dos humanos do primeiro mundo pois eles serviam apenas para os seus deuses. Deuses governava essa terra a muito tempo, com sua força e poderes protegiam seus fieis súditos e até aqueles que viviam no primeiro mundo.

Os deuses viviam em seus grandes palácios como reis e rainhas atendendo cada pedido de seus adoradores, alguns rezava para a deusa do amor encontrar sua metade e outros para o deus da sabedoria para uma aposta de cartas ou jogos e assim era a vida de um verdadeiro deus.

O deus da sabedoria estava em seu escritório escrevendo algo em seus livros sobre seus pensamentos e descobertas, era de costume escrever todo santo dia o que pensava ou o que tinha descobrido, passava dias em seu escritório apenas escrevendo e depois que seu filho partiu para o primeiro mundo não tinha mais motivos para se preocupar além de atender as orações do seu povo.

Batidas na porta interromperam seus pensamentos que fez bufar e soltar seu lápis e caiu a ficha que já tinha passado horas naquele escritório e com certeza era apenas o seu fiel ajudante atrás daquela porta. Mais batidas na porta fazendo o deus abri a porta apenas com o seus poderes e revelar seu ajudante se curvando em forma de respeito.

-- Senhor, já estar de noite – diz ele olhando para o deus com as mãos para trás – deseja alguma coisa?

O deus soltou um suspiro cansado dando um sorriso fraco para o seu ajudante pela gentileza, olhou para as janelas enormes do seu escritório vendo a escuridão em volta.

-- Não se preocupe konohamaru – diz o deus levantando de sua cadeira e caminhando para frente da mesa – eu estou bem já pode se recolher.

-- Tudo bem senhor – diz konohamaru se curvando novamente – tenha uma boa noite.

-- Konohamaru – diz o deus da sabedoria chamando atenção do seu ajudante que apenas voltou a olha-lo de novo – o que acha que o meu filho estar fazendo agora?

Konohamaru pensou em alguma resposta boa que não faça o seu mestre se preocupar com qualquer coisa com o seu filho – ele deve estar com sua amada senhor.

-- A filha da deusa do Ar conquistou meu filho de uma forma inexplicável – suspirou o deus de uma forma orgulhosa imaginando o casal – e tirou meu garoto de mim.

-- Ele não foi o único a ir embora para o primeiro mundo mestre. Outros filhos de deuses também foram – diz konohamaru observando cada expressão de seu Mestre.

-- Sinto falta dele – diz o deus caminhando até a grande janela e imaginando o que seu filho deve estar fazendo agora – agora vá dormir konohamaru, estou apenas carente do meu filho.

Konohamaru soltou um riso fraco com o comentário do deus e se retirou da sala deixando o deus da sabedoria com o seus grandes pensamentos. Caminhou pelo grande escritório olhando cada livro que tinha escrito até achar um em especial, o livro sagrado onde foi confiado a si a segurança.

Livro sagrado foi escrito pelo seu criador onde existem tudo que possa imaginar, coisas que apenas só ele o único deus que sabia do começo ao fim cada regra, cada deus que existe e palavra desse livro.

Olhou mais uma vez o livro sagrado mas não o tocou e apenas voltou a sentar em sua cadeira com as mãos em seu queixo, seu palácio era afastado da grande cidade de Olimpo, era calmo e existia paz mas naquele momento o deus não sentia paz, algo estava incomodando e algo parecia que ia acontecer, além do mais ele é o deus da sabedoria e percebe cada mínimo detalhe e cogita o que pode acontecer mas apenas ignorou seus pensamentos.

Voltou a atenção ao seu livro mas aquele incomodo não o deixava focado até que sentiu algo em seu palácio, barulho de pegadas, será que era konohamaru? Era apenas uma paranoica sua mas sua cabeça trabalhava em vários sentidos o deixando com vontade de ir verificar, antes que pudesse pensar a porta foi aberta devagar, a primeira visão do deus foi um homem alto de pele branca como neve, seus grandes cabelos negros e com um sorriso macabro em sua boca.

-- Senhor, não esperava vê-lo acordado – diz o homem com deboche em seu tom de voz caminhando em passos lentos.

-- Quem é você e como ousa invadir o Palácio de um deus - levantou-se na cadeira em um tom grosso mas o homem não deixou intimidar que apenas sorrio em resposta.

-- Espero que não se incomode deus – diz o homem sorrindo de uma forma macabra – vim pegar o livro sagrado e acabar com você, sem ressentimentos é claro.

O deus apenas sorrio sem acreditar no que tinha ouvido, era apenas um Semihumano corajoso o bastante para desafiar um deus, que patético.

-- Volte para Olimpo Semihumano e perdoarei seu pecado – diz o deus sério que fez o homem rir.

-- Vocês e seus modos de soberbos, tão patéticos – diz o homem se aproximando mais, o deus não deixou intimidar pelo sorriso macabro.

Os olhos do homem se tornou totalmente preta fazendo o deus arregalar os olhos surpreso – A maldição.. mas como? – saiu quase como sussuro que fez o homem soltar um riso fraco pela surpresa do deus.

-- Vocês são egoista demais para querer apenas esses poderes só para vocês, cansei de ser apenas um ser vivo mendigando migalhas de deuses medíocres como você.

Os olhos do deus se tornaram um verde florescente e seu poder saia pela sua mão com uma colocação esverdeada como uma ameaça, o deus da sabedoria sabia que ele era apenas um Semihumano mas não era um qualquer, esse homem descobriu a maldição e era inteligente demais para usar ao seu favor.

Antes que pudesse atacar o deus foi surpreendido por uma energia elétrica em seu corpo, cada gota de seu poder parecia que estava evaporando, sua inteligência, sua magia, sua força estava evaporando e sendo sugado pela aquele homem.

-- Chega de deuses medíocres – disse o homem sentindo cada poder poderoso que arrancava do grande deus da sabedoria.

Sua consciência estava quase se apagando mas juntou cada força que tinha e o resto de magia e jogou no homem amaldiçoado que o jogou na instante dos livros, o homem foi jogado e o deus com o resto de força que tinha assoviou chamando seu pássaro e chegou em segundos a sua janela.

-- Maldito – diz o homem gemendo de dor pelo impacto.

O deus pegou o livro sagrado e que entregasse ao grande pássaro, seu pensamento se tornou palavras na capa do livro e entregou ao pássaro.

-- Entregue ao meu filho – diz o deus ao pássaro que levantou as assas como resposta.

-- Seu maldito deus, me devolva esse livro – diz o homem já em pé, seus olhos cheios de ódio para o deus.

-- Assim você parece até o deus da morte – diz o deus sorrindo em deboche.

-- Não se preocupe, você já vai visita-lo e irei atrás do seu filho até no inferno – diz o homem num tom de ameaça.

-- Boa sorte – diz o deus sorrindo em deboche que fez o homem ficar com mais ódio.

Já estava fraco, a maldição do homem fazia sugar seus poderes rápidos Antes que agisse, sabia que o livro estava em boas mãos e que aquele homem iria trazer o caos ao Olimpo e todo o mundo.

O homem voltou a sugar o seus poderes que fez o deus cair de joelhos ao chão, sua consciência estava apagando.

-- Você tem cada informação seu deus estupido, não peguei  o livro mas cada informação dessa terra eu tenho.

-- Você pode até roubar meus poderes – diz o deus quase sem consciência – mas nunca será como eu.

Antes que apagasse seu último pensamento foi “tenha sabedoria meu filho"


Notas Finais


Gente pfvr deixem o comentário de vcs quero mt saber a opinião de vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...