1. Spirit Fanfics >
  2. Guerra: Humanos VS Místicos >
  3. Capital - Parte 1

História Guerra: Humanos VS Místicos - Capítulo 2


Escrita por: e opaotakus


Notas do Autor


Aproveitem a leitura.

Capítulo 2 - Capital - Parte 1


Fanfic / Fanfiction Guerra: Humanos VS Místicos - Capítulo 2 - Capital - Parte 1

                Pov's Narrador

Todos os escolhidos para aquela missão e os outros retornaram para suas casas, eles pegaram tudo o que iriam precisar e se encontraram no local marcado.

O local era no portão da cidade dos lobisomens. Era a cidade mais perto do reino humano.

– Cheguei! – gritou Hoko correndo.

Hoko tropeçou em uma pedra e começou a rolar na direção de seu grupo, ela trombou em Kento. Ele a pegou nos braços e a colocou em pé.

– Pronto. – disse Kento ajeitando o cabelo bagunçado da garota com um sorriso gentil.

– Ah, obrigada Kento-san! – disse Hoko e deu um sorriso.

– Já que todos chegaram vamos andando. – Hayato disse andando e todos o seguiram.

– Hayato, né? – perguntou Kazumi andando ao lado de Hayato.

– Sim. – disse Hayato não tirando os olhos da estrada.

– Vai demorar muito para chegarmos? – perguntou Kazumi olhando para a estrada.

– A pé sim, mais ou menos duas horas. – disse Hayato olhando para as montanhas a frente com uma mão na cintura.

– Duas horas? – disse Kazumi reclamando em um tom de tédio. – Já sei! – Kazumi assobia e todos olham para ele. – Já vão chegar.

Eles observam que seis cavalos vêm correndo até eles.

– Prontinho, assim vai ser mais rápido. Aah, que saudades. – disse Kazumi se aproximando de um cavalo de cor marrom e subindo nele.

Cada um sobe em um cavalo aleatório, e começam a cavalgar em direção a capital. 

                        [ . . . ]

O grupo já estavam próximos aos portões da capital, eles colocaram as capas negras e se aproximaram do guarda que recebia os viajantes.

– Bom dia, irei revista-los, ok? – disse o guarda se aproximando.

– Ok. – disse Hayato e olhou para seus companheiros discretamente fazendo um sinal para não se preocuparem.

O guarda examinou todos e voltou ao seu posto. Eles deram, silenciosos, suspiros de alívio.

– Ok, estão liberados. – disse o guarda e eles entraram na capital ainda montando os cavalos selvagens.

Todos nas ruas se deslumbravam com os cavalos raros. Mais o que mais chava atenção era o cavalo negro com sua crina e rabo cacheados, esse era o cavalo de Hoko.

– Nossa missão é se misturar com eles e conseguir informações, não podemos chamar atenção ok? Isso pode nos comprometer. – disse Hayato discreto.

– Ok! – responderam todos em uníssono.

Eles cavalgaram um pouco mais a dentro e desceram dos cavalos.

– Para onde vamos agora? – perguntou Shirayuki observando cada detalhe daquele lugar estranho aos seus olhos.

– Vamos formar duplas e nos dividir, se encontrem naquele bar quando anoitecer. – disse Hayato apontando para um bar que ficava a frente deles mas um pouco afastado. – Takeshi vem comigo, Shirayuki e Kazumi, e por fim Kento e Hoko já que suas raças são “parecidas”.

Todos se dividiram, Hayato e Takeshi foram para o norte, Shirayuki e Kazumi foram para o oeste e Hoko e Kento foram para o leste.

Kento e Hoko não conversaram muito. No meio do caminho eles encontraram uma multidão cercando uma guerra de braço. Hoko ficou deslumbrada e correu até lá para ver mais de perto.

– Hoko! – disse Kento, mas não foi ouvido pela garota. O lobisomen, sem escolha, se aproximou também.

Um homem bem musculoso estava se achando e sendo exaltado pela multidão por estar vencendo todas as rodadas.

– Alguém deseja desafia-lo? – perguntou um homem que estava responsável por divulgar a briga.

Ninguém abria a boca, estavam com medo daquele homem. O mesmo já havia quebrado o braço de um dos participante.

– Eu senhor, posso tentar? – perguntou Hoko passando pela multidão.

– Você tem certeza? Nós não nos responsabilizaremos com qualquer problema que dê. – disse o apresentador preocupado com a jovem que era magra, baixa e tinha uma aparência mais jovem.

– Tudo bem, eu também não me responsabilizo com o que pode acontecer com ele. – disse Hoko em um tom firme estralando seus punhos, sentando no banquinho.

– Olha lá ela se achando. – gritavam homens na multidão.

– Essa garotinha não vai nem mover um centímetro do braço de Hiragochi. – outro homem gritou.

– Alguma aposta? – disse o apresentador tirando seu chapéu da cabeça e se aproximando da multidão. A maioria apostaram em Hiragochi e ninguém apostou em Hoko.

– Se eu vencer eu fico com a metade das apostas é? – perguntou Hoko apoiando o braço sobre o enorme tronco de madeira que servia como mesa.

– Sim, mas é claro, se você vencer. – disse o apresentador contando o dinheiro. – três, dois, um, comecem!!

A guerra de braço começou, não demorou um segundo só e a vitória foi para Hoko que bateu tão forte no tronco que ele se partiu e acabou quebrando o braço do homem.

– AHHH, PORRA, MEU BRAÇO!!!! – disse o homem que segurou seu braço por causa da dor.

O apresentador e a multidão ficaram aterrorizados. Como uma garotinha poderia ter ganhado daquele homem? - era o que maioria pensava.

Naquele mesmo momento estava passando dois homens, e aquela bagunça chamou a atenção deles. Eles eram Kai Kenjiro e Ootsuka Hiroki, ambos guerreiros da capital. Eles se aproximaram da multidão e viram o braço quebrado do homem e Hoko ganhando sua recompensa.

– Alguém deseja participar? – perguntou o apresentador que ainda estava assustado.

Hiroki se aproxima.

– Eu irei participar. – disse Hiroki decidido e a multidão se espantou com a participação do garoto, que era um guerreiro de alto nível.

Kento sente a presença indiferente do homem e vai até a amiga.

– Desculpem, mas precisamos ir. – disse Kento e puxou a garota um pouco para longe da multidão.

– O que deu em você?! Eu ia ganhar! – disse Hoko com a cara emburrada.

– Ele não era um humano normal, eu senti uma presença estranha. – disse Kento que soltou a garota e ela começou a andar ao seu lado.

– Hmm, iria ser mais legal assim! – disse Hoko empolgada com um sorriso de orelha a orelha.

– Hayato disse para não chamarmos muita atenção, já pensou se eles descobrissem. – afirmou Kento irritado, ainda andando para frente.

– Ah é mesmo, tinha me esquecido, haha. – Hoko disse com uma mão na nuca dando risadas nervosas.

– Bem, agora vamos buscar informações e torcer para não esbarramos nele de novo. – disse Kento olhando para trás desconfiado. 

Eles andaram por alguns minutos em silêncio até acharem cartazes colados no muro que cercava o castelo do rei. Foram até eles discretamente para não serem vistos.

Eles começaram ler os cartazes. Lá estava a foto de Hiroki, dizia: Líder do esquadrão 6, e ao lado mostrava outros líderes de esquadrões.

– Nossa, que informações de ouro. – disse Hoko olhando para todos os cartazes atentamente.

Kento tirou um livro de sua bolsa e começou a escrever nele rapidamente. Hoko olhou e viu que ele estava desenhando a cara de todos lá e as informações deles.

– Você é bom em desenhos. – disse Hoko impressionada.

– Sou bom em várias coisas, isso não é nada. – disse Kento fechando o seu caderno.

– Nem se acha não né? – disse Hoko que virou a cara e fez um biquinho.

– Vamos logo. Alguém pode nos ver. – disse Kento se afastando e Hoko foi atrás.

                          [ . . . ]

Todos se encontraram na porta do bar que havia escolhido, eles entraram no bar.

– Vamos passar a noite aqui. Vou ver se consigo alugar um quarto com o barmen. – disse Hayato que foi em direção a o homem de gravata borboleta.

– Boa noite, como posso ajudá-lo? – perguntou o barmen enquanto secava alguns copos.

– Quero alugar um quarto com seis camas de solteiro por uma noite. – disse Hayato abrindo uma bolsa de couro.

– O quarto vai ficar por 3 moedas de prata. – disse o barmen abrindo uma gaveta e pegando uma chave.

– Aqui. – Hayato entregou as moedas e pegou a chave.

Hayato fez um sinal para todos virem, e assim foi feito, todos o seguiram e chegaram no quarto. Cada um se sentou em camas aleatórias.

– Contem o que descobriram – disse Hayato olhando para cada um sério.

– Hayato, infelizmente a minha parceira se deixou levar e entrou em uma guerra de braço, e mostrou UM POUCO – ele olhou para Hoko assustadoramente fazendo a menina se tremer de medo – de sua força quebrando o braço do homem e a mesa em que estavam disputando, assim acabou atraindo um humano com a aura diferente, e para não chamar mais atenção eu tirei ela de lá. – disse Kento ainda lançando um olhar assustador para a Kitsune prateada.

 Hayato deu um longo suspiro com uma veia saltada na testa se levantando e indo até a menina a dando um croque na cabeça.

– Ai, ai, pra quê agredir?! – reclamou Hoko com seus olhos marejando passando sua mão no local que Hayato bateu.

– Falei que não era para chamar atenção, agora com certeza eles desconfiam de você e do Kento. – disse Hayato voltando para sua cama irritado.

– Tenho mais duas notícias, uma boa e outra ruim, qual quer saber primeiro? – perguntou Kento pegando seu caderno.

– A ruim. – disse Hayato.

– O homem com a aura diferente era um líder de esquadrão. – ao falar, Hayato colocou a mão na testa preocupado. – A boa é isso. – Kento abriu o caderno e deu a Hayato.

Hayato olhou surpreso e arqueou sua sobrancelha direta indicando sua felicidade ao ver o caderno.

– Ok, isso é ótimo! – disse Hayato e devolveu o caderno ao seu dono.

– Nós descobrimos que os líderes dos esquadrões usam “poções”. – disse Shirayuki e Hayato ficou surpreso.

– Poções? Será que algum mago nos traiu? Só pode ser, somente magos conseguem fazer poções. – disse Hayato pensativo. – Bem, nós descobrimos um número aproximado de guerreiros que irão participar da guerra, cada esquadrão terá cerca de uns 10 mil guerreiros.

– 10 MIL GUERREIROS?! – gritaram Kazumi e Hoko e caíram para trás.

– Sim, não gritem! Por hoje é só, agora vamos dormir. – disse Hayato se deitando e se enrolando.

. . . Continua . . .


Notas Finais


Aguardem o próximo cap, não sei quando irei postar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...