1. Spirit Fanfics >
  2. Guerra Mundial Rwby Vol.2 >
  3. Amanhecer de um Novo Mundo Pt.2

História Guerra Mundial Rwby Vol.2 - Capítulo 19


Escrita por:


Capítulo 19 - Amanhecer de um Novo Mundo Pt.2


Fanfic / Fanfiction Guerra Mundial Rwby Vol.2 - Capítulo 19 - Amanhecer de um Novo Mundo Pt.2

24 de Agosto de 1944 - Alguns quarteirões antes da Toca do Lobo, Paris. - 00:10

 

- Que horas são ?

- Meia noite.

- Droga. O que aconteceu com a Coco ? não era para demorar tanto assim.

- Jaune, fique calmo, não podemos perder a cabeça agora.

- Fácil falar Ruby. - Jaune estava agachado atrás de um carro, junto de ruby, ambos olhando para a rua a frente. - Já devíamos estar lá dentro a um bom tempo.

- Não vamos colocar o carro na frente dos bois. A questão agora é esperar pelo sinal.

A madrugada era fria para ambos. Designados a participarem, ou melhor, liderarem um grupo da resistência francesa que os ajudariam na invasão da última guarnição francesa restante em Paris. Esse era um dos maiores baluartes do império nazista e, depois de meses de preparação, incontáveis mortes, amigos que ficaram para trás, pessoas importantes deixadas em casa. Agora, em meio a chuva, Jaune, Ruby e a resistência tinham apenas uma missão, acabar com qualquer resistência que ainda permaneça de pé.

A chuva criava um clima melancólico, uma incerteza se estava tudo correndo bem e apesar das gotas estarem batendo forte no uniforme de ambos e as armas pouco a pouco ficando molhadas, o silêncio sepulcral foi quebrado por um alto estrondo e as fagulhas criadas por uma explosão a quilômetros dali chamou atenção dos desavisados soldados Grimms, que por instinto se viraram na direção do barulho.

- Eis o sinal, Ataquem! - Jaune gritou com toda a força que tinha nos pulmões, saindo de trás do veículo em que estava e junto dele, Ruby e os vários agentes da resistência deram as caras.

Pegos de surpresa, o guardas e a polícia alemã não puderam reagir a tempo. O ataque havia começado.

O objetivo de ambos era chegarem e cruzarem a ponte, mas se não agissem rápido, logo estariam sufocados pela quantidade de soldados que reagiriam ao ataque. Jaune foi na frente liderando, ele avançava pelo meio da rua, seguido de Ruby que cuidava de observar os arredores, derrubando quase que sincronizadamente com seu aliado, passando a frente de vários cafés e outras lojas enquanto corriam na direção da ponte , a poucos metros de chegarem.

- Essa cidade em outro momento seria belíssima, não acha ?

- Acho que depois de hoje, tomar um café aqui não é uma má ideia. - Jaune disparou contra um soldado mais a frente. - Prometo que quando der, pago um pouco para nossos grupos, Ruby.

- E com que dinheiro ?

- Que tal deixarmos esse assunto para outra hora ?

Tanto a sargento quando o soldado começaram a rir, correram mais rapidamente até finalmente chegarem a entrada da ponte, mas antes de poderem avançar, tiveram que correr para alguma cobertura, já que uma tropa Grimm estava preparada ali e quando viram, começaram a disparar rapidamente, levando para o falecimento alguns da resistência.

- Quantos são ?!

Ruby ergueu o olhar, vendo ao todo de cinco, entre atiradores de suporte e infantaria.

- Cinco! Dois do meu lado e três do seu. Uma metralhadora e quatro rifles!

- Tem alguma granada ?

- Não, estou sem. - Ruby começou a tatear seu uniforme, buscando alguma esperança. - Zerada em granadas.

- Gatilho livre, não pare até não sobrar nenhum!

Saindo de suas coberturas, ambos começaram a disparar, acertando dois dos cinco. Imediatamente os companheiros começaram a disparar de volta, acertando de raspão o braço de Jaune que correu de volta a cobertura. Ruby aproveitou a brecha e derrubou esse que acabou de disparar, restando apenas três do grupo principal.

- Jaune, está bem ?

- Foi de raspão...nada demais.

Ruby saiu da cobertura e disparou mais uma vez, acertando em cheio o peito de um dos soldados que estava carregando sua metralhadora.

- Tem dois fugindo!

- Deixa comigo! - Jaune balançou a cabeça para ignorar a dor, saindo da cobertura, apertou o gatilho da Garand algumas vezes, atingindo um deles na perna, e o outro direto no pescoço, fazendo ambos caírem no chão.

- Ponte limpa! Para a Guarnição ! - Ruby ergueu os braços e começou a ordenar, correndo para o outro lado da ponte.

As luzes e o silêncio começavam a ficar cada vez menos constantes, já que aproximando-se da guarnição, os tiros começavam a ficar mais constantes. A dupla, junto de um pequeno grupo de soldados que haviam resistido aos ataques, estavam a poucos metros dos portões da guarnição, quando uma dupla de soldados que ainda mantinham guarda, viram eles se aproximando, mas antes que fossem atirar, foram disparados pelo outro lado da rua, graças a Coco e Raven, armadas de escopetas e esperavam o primeiro que chegassem ali.

- Jaune, Ruby! - Coco deixou a arma de lado, indo abraçar a ambos. - Finalmente chegaram aqui!

- Provaram seu valor, mas agora é a parte de agora que a coisa fica feia. - Raven não perdia a pose, mesmo com o rosto sujo de sangue. - Vocês vão entrar e vão render a guarnição. Se reagirem, acabem com eles. Se erguerem as mãos, renda-os.

- Não vamos ter apoio ? - Jaune estava ajeitando a arma em seu braço, incomodo ainda pelo ferimento no braço. - Ali tem mais gente que aqui do lado de fora.

- Se nós conseguimos fazer isso sem matar ninguém, vocês vão fazer isso bem mais facilmente. - Raven engatilhou a escopeta mais uma vez. - Temos que ajudar os outros grupos para chegarem aqui.

- Creio que nós vamos nos separar de novo. - Coco, entregou uma granada de gás para Ruby. - Isso vai facilitar sua vida lá.

Enquanto as duas “espiãs” corriam para longe, Ruby e Jaune correram para a entrada do prédio. Antes de abrirem a porta, Ruby atirou a granada pelo vitral que havia acima da porta. Quando a fumaça estava vazando pelo buraco, Jaune meteu o pé na porta e entrando no saguão.

Os nazistas estavam tossindo, sufocados pela fumaça, mas os poucos que tentavam escapar, encontravam o cano da escopeta, imediatamente os jogando para dentro da fumaça novamente. Assim Jaune e Ruby foram subindo as escadas, atirando nos poucos soldados que ainda mantinham guarda ali, tentando proteger o que sobrara do prédio, mas até mesmo a estupidez deles se provou ineficiente, quando viram os dois soldados aliados chegando em uma espécie de escritório. Jaune pensou em abrir fogo, mataria alguns inocentes, mas era o preço que estavam pagando por terem se aliado ao lado errado da guerra, mas antes que pudesse, Ruby abaixou o cano da arma dele, vendo que alguns se rendiam e deixavam suas armas no chão enquanto o restante se abaixava e pediam por misericórdia.

- Acho que conseguimos, tomamos a guarnição. - Jaune falava em meio aos tiros e explosões vinda do lado de fora. - Agora é prender esse pessoal e dar o fora.

Ruby até concordou, mas antes que ela pudesse começar, ouviram um grito de um da resistência, falando sobre um oficial que parecia estar fugindo, do outro lado da ponte. Correr não daria tempo, ficar olhando poderia prejudicar a operação toda. Antes que reagissem, Ruby sacou seu rifle, se apoiou na janela e acalmando sua respiração, começou a acompanhar o veículo, soltando um último suspiro, ela apertou o gatilho, sentindo um recuo quase mínimo enquanto a munição voava pelo ar. Em uma fumaça de sangue e poeira, o disparo atinge certeiro o pescoço mais uma vez, jogando seu corpo para trás do veículo, ainda mais que o piloto tentou parar e fugir, pena que terminou de ser emboscado pelas forças francesas, um último movimento antes do fim.

Jaune e Ruby demoraram alguns minutos prendendo os soldados e os funcionários naquele prédio, indo para a rua logo depois, se reunindo com o restante das tropas e de seus amigos em si.

De repente, mais uma vez o silencio é quebrado por explosões ao longe, alertando todas os soldados na frente da guarnição, imediatamente levando suas armas na direção do barulhos, porém a surpresa serviu os destemidos heróis por algumas luzes coloridas, com Raven completando a surpresa dele.

- Fogos de artifício. Cidade das luzes.

- E então, o que me dizem de uma rodada de café ? - Ruby começou a rir. - Pelo menos eu garanto que consigo pagar melhor que o Jaune.

- Vai deixar, Vomit Boy ? - Yang estava encostada em um carro parado na rua.

- Eu só vou deixar essa passar pois estamos em clima de festa, senão já teria negado o café.

As risadas ecoaram pela rua, mas além disso, duas figuras correndo chamaram atenção de Jaune, eram seus companheiros de time e diferente do clima, eles estavam bem preocupados.

- Nora, Ren, o que houve ?

- Pyrrha...a gente veio pra cá, acabamos nos perdendo dela.

- Achei que ela estava com vocês.

- Não, a gente achou que ela estava com vocês.

A noite ainda não havia acabado, os aliados pareceram ter vencido, mas os Grimms ainda tinham uma carta na manga. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...