1. Spirit Fanfics >
  2. Guerreiro Ômega >
  3. CAPÍTULO II; Primeiras impressões guardadas

História Guerreiro Ômega - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Cheguei meu povo! e só demorei um tantin porque estava organizando todas as ideias (conclui? não, mas vida segue)
primeiro, muito obrigada pelo feedback gostoso que me passaram, já se mostraram ansioses para este capítulo e como presentinho já enfiei nosso boy magia no meio, vulgo Sasuke Uchiha haha espero muito que gostem e que continuem me passando suas opiniões e sugestões porque é muito bom ouvir/ler <33

Boa Leitura

Capítulo 2 - CAPÍTULO II; Primeiras impressões guardadas


Tirando o pouco sono que teve, Naruto Uzumaki podia garantir que não havia nada melhor do que acordar e saber que estava, de alguma forma, livre. Depois que acordou e infelizmente percebeu que não era um sonho, pois estava no Palácio de Honmaru e em breve deveria se casar com um desconhecido, decidiu que iria aproveitar cada momento de sua própria companhia para — provavelmente — se despedir da sensação de paz.

Naruto dispensou todos os criados de seus deveres para consigo, informando a todos que cuidassem da estadia dos novos visitantes e, enfim, o ignorasse. Esta decisão influenciou em sua jornada, tanto que começou já bem disposto para um caçada para garantir seu café da manhã. 

Enquanto percebia o olhar assustado de muitos, Naruto sorria vitorioso com uma pequena lebre em mãos, ao qual rapidamente preparou para que pudesse comer e voltar com seus exercícios matinais. Ele sentia todo seu corpo explodindo em energia e estava mais do que satisfeito em saber que não estava sendo censurado pelo próprio pai.

Ainda antes do almoço, Naruto colheu frutas e percorreu todos os 1.600 metros quadrados que compunham o local lembrando vagamente de sua infância, quando gostava de correr sem rumo junto com Ashura. Era um ambiente aberto e bastante verde, tanto que não foi surpresa quando encontrou outros animais silvestres pelas redondezas. Naruto matou dois coelhos e não resistiu em roubar alguns ovos da cozinha enquanto fazia um ensopado. Foi um almoço digno, em sua humilde opinião, e até mesmo arrastou dois criados que passavam por ali e não resistiram ao cheiro maravilhoso.

De alguma forma, estava conseguindo ignorar tudo e sorrir verdadeiramente feliz.

Restou-lhe então fazer o que mais amava: treinar. Depois de ter conseguido levar escondido sua espada, seu arco e algumas flechas — que usou para caçar, inclusive —, sorriu satisfeito pelo vasto campo que teria em liberdade. Com a espada em mãos, decidiu treinar alguns golpes em uma das árvores mais afastadas da área do Palácio. Eram movimentos simples e iniciantes, mas com seu atual bom humor, Naruto utilizou o tempo para aperfeiçoar sua velocidade e encontrar pontos fracos em que poderia rebater em seu adversário. Não tardou para quem olhasse para o Uzumaki o visse dançando com a espada em mãos, mostrando ter um incrível poder mesmo com movimentos que pareciam o fazer voar. 

Em um determinado movimento, Naruto saltou, girou a espada e atacou o ar à sua esquerda, assustando-se em seguida por quase ter acertado um homem. Recuou imediatamente, varrendo o desconhecido com os olhos para garantir que não tivesse o ferido de alguma forma e isso o fez se surpreender ainda mais. Seja lá quem fosse, vestia o uniforme militar do Norte.

— Impressionante, aprendeu sozinho? — questionou genuinamente curioso, apesar do semblante tranquilo.

— Não — sussurrou. — Quem é você?

— Perdão, me chamo Sasuke Uchiha.

— É um guerreiro?

— Pode se dizer que sim.

Tinha que admitir que a voz grossa e calma era bastante gostosa de ouvir, e o nome era bonito, mas Naruto ainda sentia-se ameaçado e não conseguia entender o motivo.

— Veio do Norte?

— Posso ao menos saber seu nome antes de continuarmos o interrogatório?

— Naruto, Naruto Uzumaki.

— Prazer, Vossa Alteza — cumprimentou —, e respondendo sua pergunta, sim — revelou. — Sou o Comandante do Exército Norte-japonês.

O corpo do ômega estremeceu da cabeça aos pés, pois além de estar na frente de seu suposto noivo, estava pela primeira vez de frente para um alfa lúpus. Nem mesmo se preocupou com o fato de que sua imagem suada, com as roupas sujas e a espada em mãos eram totalmente inaceitáveis na visão de seu pai e, com certeza, seria severamente punido por isso. Ele estava mais preocupado no que aquele homem poderia fazer consigo estando tão afastado dos outros no Palácio.

Contudo, quando o choque inicial passou, Naruto percebeu que Sasuke não aparentava estar armado e tinha uma pose e um semblante tranquilo em sua presença, podia até mesmo jurar que os olhos negros como a noite brilhavam em divertimento. Ainda mais, após tentar disfarçar ao que cheirava mais profundamente o ar, estranhou de não sentir a fragrância dominante que tanto ouvira, na verdade, provavelmente Sasuke já o tivesse observando algum tempo e a falta de cheiro deixou o Uzumaki totalmente aéreo à sua presença. Questionava, ainda, se seu amigo não havia errado ao dizer que o Comandante era de tal casta rara, sendo que mais parecia um beta comum.

— Você…

Naruto tinha quase uma lista de perguntas em sua cabeça que gostaria de fazer, sobre a aparição de repente, o casamento arranjado, e ainda mais sobre o Comandante em si, que mesmo não aparentando alguém ruim, era inevitável a aura misteriosa que parecia lhe rondar.

Não sabia o que fazer, isso era fato, e discretamente o Uchiha se divertia com a visão do outro tão afetado com sua presença. Tinha certeza que boatos sobre sua casta já haviam sido revelados a ele e sua falta de cheiro só o servia para confundi-lo, mas revelar que estava usando supressores fortes para conter e poder espionar o local antes de sua chegada oficial, provavelmente deixaria Naruto ainda mais confuso e desconfiado de si. Ele não desejava ter um relacionamento ruim com seu futuro esposo mesmo que não estivesse feliz com a decisão de seu governador.

Sasuke não podia evitar de observar cada traço do Uzumaki, guardando internamente na memória suas feições. Naruto era impressionante belo, de cabelos tão dourados quanto o Sol e olhos tão límpidos quanto o mar, e apesar de não ter uma visão tão privilegiada de seu corpo, as roupas levemente coladas pelo suor deixavam claro que ele não era um ômega delicado e franzino, pelo contrário, possuía um físico tão bom quanto de um guerreiro. 

Estaria mentindo se dissesse que não havia ficado impressionado.

Mas apesar dos traços firmes do Uzumaki, era possível sentir sua fragrância levemente doce que lhe fazia se sentir em um campo florido, o que lhe agradava em demasia já que era tão sensível aos perfumes mais fortes que beiravam ao enjoativo. Sasuke quase nem conseguiu esconder um sorriso de canto quando notou um leve rubor no rosto alheio, que poderia muito bem ser devido ao esforço físico, porém tinha certeza que era por ter sido notado avaliando-o tanto.

O Uzumaki realmente estava constrangido por estar sendo observado com tanto afinco e até concluiu que estava sendo julgado e repreendido mentalmente pelo outro, contudo, o rosto manso de Sasuke o deixava duvidoso. 

Sentia-se aflito por aquele silêncio que se prolongava tanto, como se horas houvessem passado, mas ambos se surpreenderiam se soubessem que se passou apenas meio minuto.

— Chegou há muito tempo, Comandante?

Mesmo quase gaguejando, foi o loiro que tomou a frente.

— Um pouco, me adiantei a cavalo, mas não se preocupe, meus homens ainda estão a caminho — contou. 

— Entendo — murmurou. Em sua mente, tentava lembrar de todas as aulas que tivera sobre etiqueta e deveres como anfitrião, mas ainda sentia-se nervoso pela situação em que encontrava-se. — Gostaria que lhe mostrassem seus aposentos, talvez para um banho, ou queira comer primeiro, digo, deve estar cansado da viagem então…?

Enquanto Naruto parecia frustrado consigo mesmo, Sasuke  não deixou de sorrir divertido pela situação e até mesmo riu fraquinho, mas que não passou despercebido pelo loiro que novamente tinha o rubor nas bochechas, constrangido pela total falta de jeito. 

— Eu gostaria muito de um banho — respondeu, antes que o outro voltasse a falar. — Se possível, ficarei descansando no quarto até que meus homens cheguem e aí possamos comer todos juntos. 

Naruto assentiu várias vezes e seguiu caminho para o Palácio sem mesmo olhar para trás. Na visão do outro, era adorável como o ômega havia se atrapalhado e tentava inutilmente esconder a espada que tinha em mãos e sabia muito bem sobre isso. Sasuke também não podia negar que estava maravilhado pelo que havia visto anteriormente, quando sua presença não havia sido notada. Aparentemente, estava comprometido com um ômega genuinamente único e, até então, ele não havia achado ruim.

 


Notas Finais


pan pan pan menines, gostaram? acho que já ficou meio claro que o Sasuke não vai ser um chernoboy e que, na verdade, quem vai dar trabalho mesmo é o nosso príncipe injustiçado ;) mas a bipolaridade ataca nosso loirinho, então por favor, vamos perdoar kkkkkk

e desculpem pelo horário, ultimamente este está sendo o único ao qual encontro um tempinho livre para postar, mas aviso que o próximo capítulo já está em progresso!!!
beijos beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...