1. Spirit Fanfics >
  2. Guerreiros >
  3. Capítulo 02

História Guerreiros - Capítulo 4


Escrita por: Maria01320

Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 4 - Capítulo 02


-- Clãs? O que é isso? -- miou Estrela, confusa.

Pata de Formigueiro deu um profundo suspiro.

-- Bem, caso você não saiba o significado, Clã, é um grupo de gatos.

Estrela fez um sim, com a cabeça.

-- Bem, tem cinco Clãs na floresta. -- continuou -- Cada Clã tem seu próprio território, mas as vezes, eles brigam por mais território.

-- Por quê vocês não vivem todos juntos? Seria muito mais fácil.

-- Eu prefiro comer estrume de raposa, do que viver com algum gato do Clã do Rio!

Estrela fico quieta.

-- Mas continuando, são cinco Clãs. O Clã do Trovão, que é o meu Clã! O Clã do Rio, que por algum motivo, estão invadindo nosso território, e tirando vidas. -- Pata de Formigueiro fez uma pausa, e continuo -- Tem o Clã das Sombras, que segundo Olhar Prateado, já tentou destruir o Clã do Trovão, luas atrás! E também tem o Clã do Céu, e o Clã do Vento.

-- Ok. Essa história de Clãs, eu entendi, mas, como assim, você não é nem meio-guerreiro?

-- Eu não terminei de explicar! Bem, em todos os Clãs, tem os cargos. -- ele fez uma pausa. -- Por favor! Me diz que você sabe o que significa cargo!

-- É claro que eu sei! -- rosnou Estrela.

-- Ótimo! Bem, eu vô contar os cargos em ordem. Bem, o primeiro, e mais importante, é o Líder! Você já deve ter imaginado porque esse é o cargo mais importante. O segundo, é o representante, ele é o segundo que manda no Clã. Depois vem as Rainhas e os Anciãos, e depois deles vem os guerreiros, e aí sim, vem os aprendizes. Eu me tornei aprendiz ontem, e já treinei um pouco de caça! Caminhar de Carvão é um dos melhores caçadores do Clã, e ele é meu mentor! Claro, ele também é um dos guerreiros mais ferozes!

-- Deixa eu advinhar, vocês caçam sua própria comida, e dormem no frio. -- Estrela fez uma pausa, e Pata de Formigueiro fez um sim, com a cabeça. -- Por quê você não tenta ser um gatinho de gente? Não duvido que alguém pegaria um gato como você.

-- E comer bolinhas duras, que parecem cocô de coelho?!! Não, obrigado! Eu prefiro a minha vida! Se você ainda não provou um camundongo, você ainda não viveu!

Uma brisa fria passou entre os dois felinos, Estrela não sabia o que responder.

-- Bem, você tem que ir! -- miou, ficando de pé. -- Os guerreiros estão vindo, e eles não seram tão gentis como eu!

Estrela se pos de pé, mas não sabia pra onde correr, então pulou em uns arbustos, mas acabou ficando cara a cara com dois gatos. Quando os viu, Estrela rapidamente se afastou, e ficou do lado de Pata de Formigueiro. Os dois gatos misteriosos, sairam das sombras, e Estrela ficou com medo, pois eles eram maiores que ela. Ao ver os dois gatos, Pata de Formigueiro colocou sua cabeça entre suas patas dianteiras.

-- Estrela de Corvo! -- miou Pata de Formigueiro.

Estrela ficou parada, olhando os gatos, então, olhou pra Pata de Formigueiro, e decidiu fazer o mesmo que ele. Estrela observou bem a aparência dos dois gatos. O da frente, era um gato negro, de olhos azuis, como o gelo. O segundo, estava atrás do gato negro, ele era um gato dourado, com a barriga, peito, boca e ponta da cauda, um amarelo claro. O gato negro, olhava pros dois.

-- O que temos aqui, Pata de Formigueiro? -- miou o gato negro.

-- Apenas uma gatinha de gente, Estrela de Corvo. Ela não pertence a nenhum dos outros Clãs.

Pata de Formigueiro não olhava pro rosto de Estrela de Corvo, mas Estrela o encarava, mas desviava o olhar, quando o gato lhe olhava nos olhos.

-- Levantem! -- miou Estrela de Corvo. Pata de Formigueiro se levantou, e sentou, mas Estrela permaneceu na posição. -- Os dois! -- Estrela se levantou, e sentou. -- Qual é seu nome?

-- E-Estrela.

Pata de Formigueiro deu uma pequena risada, mas ficou quieto, quando Estrela de Corvo o encarou, então, Estrela de Corvo começou a andar em volta de Estrela.

-- O que faz aqui?

-- Eu vim...... caçar, um pouco. Não acho que um camundongo faça falta.

-- Talvez pra você, não faça falta! -- rosnou Estrela de Corvo, parando na frente de Estrela. -- Pra você não faz falta, porque você tem comida de sobra, na toca do seu duas-pernas! Mas aqui, não é assim! -- ele deu um suspiro. -- Eu e Pelagem Dourada, vimos sua caçada. Admito que você caça muito bem, e também, luta bem. É raro ver gatinhos de gente por aqui, e ainda mais, gatinhos como você. -- ele olhou pra Pata de Formigueiro. -- Foi um bom ataque surpresa, Pata de Formigueiro.

-- Obrigado, Estrela de Corvo! -- roronou Pata de Formigueiro.

Estrela de Corvo ia continuar, mas foi interrompido.

-- Vamos logo, Estrela de Corvo! Caminhar de Carvão já deve estar preocupado com a gente! Vamos expulsar essa gatinha de gente logo, e continuar a patrulha! -- miou Pelagem Dourada, impaciente.

-- Eu ainda tenho uma pergunta pra fazer, Pelagem Dourada. E tome cuidado, em como fala comigo! -- rosnou Estrela de Corvo, sem nem sequer, olhar pro gato dourado.

-- Me desculpe, Estrela de Corvo. -- miou Pelagem Dourada.

-- Você possuí o espírito de uma guerreira, Estrela. Mas esse espírito é preso pelos duas-pernas! Então, eu quero saber, se você gostaria de se juntar ao Clã do Trovão?

Pata de Formigueiro e Pelagem Dourada ficaram surpresos. Estrela, ficou sem reação, mas então, ficou surpresa.

-- Você não pode estar falando sério, Estrela de Corvo! Esta pedindo pra uma gatinha de gente, se juntar ao nosso Clã! Ela não vai durar duas luas! -- rosnou Pelagem Dourada.

Estrela de Corvo lhe lançou um olhar mortal.

-- Você não pode saber o futuro, Pelagem Dourada! Ela mostrou ser uma boa caçadora, e enfrentou Pata de Formigueiro com bravura! Mesmo sendo uma gatinha de gente! -- rosnou Estrela de Corvo, irritado. Pelagem Dourada não respondeu, então Estrela de Corvo olhou pra Estrela. -- Então? Você gostaria de se juntar ao Clã do Trovão?

Estrela ainda olhava pra Estrela de Corvo, surpresa, então, começou a pensar. Se ela se juntar ao Clã do Trovão, teria uma vida cheia de desafios, e poderia, talvez, saber mais sobre sua origem, mas, nunca mais veria Sombra, e nem sua mãe adotiva.

-- Eu posso pensar? -- miou Estrela, indecisa.

-- Ok. -- Estrela de Corvo deu uma pausa. -- Pelagem Dourada estara aqui, no sol alto, esperando sua resposta. Vamos Pata de Formigueiro. -- Estrela de Corvo caminhou até os arbustos, onde tinha saído, e entro neles. Pelagem Dourada e Pata de Formigueiro foram logo atrás, em passos longos e apressados. Rapidamente, os gatos selvagens desapareceram entre os arbustos, e Estrela se levantou, e foi caminhando de volta pra casa. Ao chegar, ela pulou em sua cerca, então pulou em seu jardim. Ao aterrissar na grama curta de seu jardim, sentiu algo pesado em suas costas, que a derrubou. Ela olhou quem estava lhe atacando, e percebeu que era seu amigo, Sombra.

-- Onde você estava?! Eu vim aqui falar com você, e você tinha sumido! Onde você foi?!

-- Sai de cima de mim, Sombra!!

Sombra saiu de cima de Estrela. Estrela se levantou, e chaqualhou seu pelo, então sentou, e começou a se limpar.

-- Então? Onde estava?! -- miou Sombra, impaciente.

-- Na floresta. -- respondeu, parando de se limpar.

-- Você é muito teimosa! O que aconteceu lá? Onde tá machucada?

Estrela ficou surpresa.

-- Como sabe que estou machucada? Você não podia ver!

-- Senti cheiro de sangue. -- respondeu Sombra, lambendo sua pata esquerda.

-- E como conhece cheiro de sangue? Eu nunca vi você se metendo em problemas!

-- Eu não preciso me meter em problemas, pra conhecer o cheiro do sangue!

-- Ok, você venceu! Eu conheci os gatos selvagens.

Sombra ficou sem reação.

-- Eu estava caçando na floresta, quando um gato me atacou. Nós brigamos, mas no final, ficamos conversando. Ele me contou sobre os Clãs, e, meio que, o jeito que eles vivem! E me perguntaram se eu quero me juntar a eles!

-- E qual é a sua resposta?

-- Eu acho que vou! Vida de gato doméstico é sem graça, e.... -- ela para de falar, quando vê a tristeza nos olhos de Sombra. -- Eu não quero te deixar, Sombra, mas....

-- Se não quer me abandonar, não vá!

-- Eu não quero viver uma vida, que me deixa infeliz! Você mesmo disse pra mim, que o seu maior desejo, é me ver feliz. É a sim, que eu serei! A liberdade da floresta, me deixará feliz!

Sombra deu um profundo suspiro.

-- Quando você vai?

-- Amanhã. No meio dia.

-- Então, é melhor eu aproveitar enquanto você esta aqui. 


Notas Finais


.........


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...