1. Spirit Fanfics >
  2. Guerreiros de Marley - AOT >
  3. Apenas Mais Treze Anos

História Guerreiros de Marley - AOT - Capítulo 7


Escrita por: Sarinhah41

Capítulo 7 - Apenas Mais Treze Anos


Fanfic / Fanfiction Guerreiros de Marley - AOT - Capítulo 7 - Apenas Mais Treze Anos

- Fiquem de olho se ela tá vindo...- Todos os candidatos a guerreiros estavam escondidos.

- Sem sinal dela ainda.- Os irmãos Galliard ficavam de guarda.

- Será que ela vai gostar da surpresa?- Berthold parecia totalmente nervoso.

- Certeza que vai... Ela pode ficar com aquela cara mas vai tá super feliz por dentro!

- Pieck! Já pegou um doce?!- Porco via a garota com o pirulito.

- Ei pessoal, silêncio, de longe ela pode ouvir vocês!- Zeke segurava um bolo.

- Mas o que é isso aqui?! Bando de desocupados!- Comandante Magath apareceu atrás os assustando.

- Comandante... Eu posso explicar...- Reiner se tremia.- É aniversário da nossa amiga Annie e pensamos em fazer uma coisinha legal pra ela...

- Ora, Braun, mas que desculpa esfarrapada! Isso é tudo desculpinha... Por que não me convidaram? Por acaso eu pareço um velho que não curte uma festa?- As crianças se contentaram a não responder o óbvio.- Ainda mais com esse belíssimo bolo em jogo!

- Perdão senhor, mas é claro que está convidado...

- Passe isso já pra cá!- Magath tomou das mãos de Reiner várias línguas de sogra e começou a soprar.

- Ela tá vindo!- Marcel falou e ficaram observando Annie se aproximar.

- Surpresa! Feliz aniversário!- Jogaram confete na garota.- Parabéns pra você, nessa data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida...

- Se eu herdar algum titã só vou ter treze anos de vida...- Leonhart lembrou e os amigos automaticamente interromperam a música.

- A Annie é boa companheira! A Annie é uma boa companheira e ninguém pode negar!- Continuaram cantando e a aniversariante fechou os olhos e deu um breve sorriso de lado.

- Ela sorriu!- Todos comemoraram.- Com quem será...

- Já tão passando dos limites aí...

- Vamos logo partir o bolo!

...

Um ano depois...

- Pieck... Bom dia querida.- Sr. Finger entrou no quarto da filha a acordando.

- Bom dia...

- Eu sei que hoje é sábado e poderia dormir até a hora que quisesse mas um garotinho loiro passou aqui mais cedo te chamando pra ir na casa dele... Eu acho que o nome dele era Reiner, outros colegas também vão, devia ir também.

- Deixa pra depois...

- Não mesmo, senhorita, vai passar o dia todo dentro de casa?

- Eu tô te fazendo companhia e eu vejo eles todo dia.

- Passo praticamente a semana inteira sem você, um dia não faz mal...

- Sinto que o senhor tá me expulsando de casa.

- Claro que não mas devia passar um tempo com seus amigos, nunca se viram a não ser no quartel...

- Tá bom, eu vou...- Se levantou da cama. Sr. Finger saiu sorridente.

...

Berthold e Reiner já estavam sentados no sofá da casa do loiro esperando os resto dos amigos:

- Tá penteando o cabelo e se arrumando assim, Berthold, tá vindo alguém importante?- Sra. Braun notou o comportamento do garoto.

- Ah... N-não senhora, só gosto de tá arrumado mesmo.- Sorriu. A campainha tocou novamente e foram atender.

- Irmãos Galliard e a Annie chegaram...

- Podem de acomodar, tem pipoca, jogos...- Braun mostrava.

- Obrigada...- Annie pegou um copo de água que pedira a mãe de Reiner.

- Cadê a Pieck?- Porco perguntou.

- Eu passei na casa dela, o sr. Finger diz que avisaria a ela.

- Deve tá chegando... Se ela quiser vim.- Marcel fechou a boca, a campainha tocou e Reiner correu para atender.

- Pieck, pode entrar e ficar a vontade...- Todos estavam sentados em uma rodinha no chão brincando. Braun estava voltando para o seu lugar e Porco viu que ao lado do garoto teria um espaço vazio onde Pieck ficaria. Empurrou o amigo e pegou o lugar dele.

- Tinha que ser...- Reiner saiu bravo em direção ao lado de Marcel mas Pieck sentou primeiro, Reiner teve que ficar ao lado de Porco que reclamava por todo o jogo.

- Pessoal, olha a minha priminha, ela tem três meses de vida...- Braun apareceu com um bebê nos braços.

- Que gracinha...- Berthold, Pieck e Marcel foram pra cima paparicar o recém nascido.

- Qual o nome dela?- Marcel perguntou.

- Gabi...

- Eu posso segurar?- Pieck a pegou no colo.- Ela não é linda, Annie?

- Não...

- Annie!

- O quê?! Eu tô sendo sincera! Todo bebê nasce com a mesma cara de joelho.

- Insensível!- Marcel falou.

- E você, Porco, o que achou dela?- Berthold perguntou.

- Fofinha...

- Toma...- Finger passou o bebê a Galliard.

- É realmente uma gracinha...- Sorriu de lado.- Reiner! A sua prima tá fazendo xixi em mim!- Se desesperou.- Assim não bebê, Gabi feia igual a Annie disse!- O neném começou a chorar.

- Parabéns, assustou ela com essa cara feia!- Reiner pegou a prima de volta.- Vamos, Gabi, pro berço nanar.

...

- Vai falar com ela!- Marcel tentava empurrar o irmão.

- Não...

- Vai falar com ela! Deixa de ser frouxo!

- Eu não sou frouxo!

- Então por que tá com medo de falar com uma garota?!

- Tá bom...- Galliard pegou uma florzinha amarela no chão e respirou fundo indo até Pieck.

- Vai, Pock! Você consegue!- Marcel incentivava.

- Não me chama assim tão alto!

Finger tinha acabado de terminar um set de corrida e Porco se aproximava devagar, tomando coragem e às vezes dando alguns passos pra trás.

- Oi, Pieck...

- Oi!

- V-você foi incrível agora...

- Muito obrigada...

- Bom, eu queria falar que...

- Que?

- Deixa pra lá...

- Tá bom, tchau.- A garota se virou e Porco olhou para o irmão que o incentivava a seguir.

- Espera...- a segurou pela mão.- Toma... Eu vi essa flores e achei que combinassem com você.- Lhe entregou.

- Ah, Porco, não sei nem como te agradecer, são muito fofas, obrigada...- Sorriu deixando o garoto vermelho, logo após começou a encará-lo.

- An... Tem alguma coisa no meu cabelo?

- Tem um fiozinho pra cima, eu posso ajeitar...- Passou a mão arrumando.- Agora sim tá perfeito... Tchau.

- Tchau.- Porco voltou até o irmão pulando feliz em comemoração.

- Hum, os dois já terminaram os deveres pra estarem tão felizes assim?- Zeke apareceu vendo os irmãos pulando abraçados.

- Porco deu umas floriznhas pra Pieck e ela aceitou com um sorriso.- Marcel explanou.

- Valeu... Zeke, você que conhece o pai da Pieck, sabe se ele é legal ou assustador....

- O quê? Pera pera... Quer falar com o pai dela, por que quer namorar a Pieckiezinha?

- É...

- Ela só aceitou suas flores... Ela é gentil.

- Isso que eu chamo de emocionado.- Disse Marcel.

- Olha, Porco, o pai da Pieck me confiou cuidar dela aqui, e eu não deixo você namorar ela.

- Você não manda nela!

- Vocês dois só tem doze anos, vai comer terra, não acha que é muito novo pra isso não?

- Tem razão, então eu posso namorar com ela com quantos anos?

- Apenas, só apenas se ela quiser... Com uns trintas anos.

- O que?!

- Eu sei... Foi muito, então quarenta anos, isso mesmo!

- Se conseguirmos os titãs só viveremos por mais treze anos... Isso é meio que impossível!

- Poxa, amigo que pena, a vida não é justa.- Zeke saiu com a mão no bolso sorrindo comendo uma maçã.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...