1. Spirit Fanfics >
  2. Guia de como (Quase) escrever uma história || Imagine >
  3. Capítulo XXI

História Guia de como (Quase) escrever uma história || Imagine - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Olá glitterianos; Boa leitura
Meu twitter para quem quiser conversar.
@btsoloveIy

Capítulo 21 - Capítulo XXI


Fanfic / Fanfiction Guia de como (Quase) escrever uma história || Imagine - Capítulo 21 - Capítulo XXI

O decorrer das últimas semanas pode-se dizer que foi da pior forma possível. Eu não dormi um dia em casa. Me “mudei”, temporariamente, para a casa de Jimin, inventei algumas desculpas sobre provas e trabalhos. A essa altura, tive que assumir um relacionamento com ele para meus pais, e os mesmos me levaram para tomar anticoncepcional em um posto de saúde e me deram camisinhas. Não sei se eu os agradeço ou o que faço. 


Jimin e eu nunca passávamos de mãos bobas e um oral, eu realmente acho que eu não conseguiria transar com ele, não que eu não o achasse atraente, ou que seu pau não fosse suficiente para eu aguentar, Jimin é perfeito em tudo que faz e o corpo da mesma forma. Alguma coisa me impede de terminar isso com ele, e parece que a ele também, mas era melhor que esse medo fosse mútuo. 


(...)


Indo para a escola, Jimin e eu acabamos encontrando Jungkook, este que se tornou companheiro de festas meu e do Park, os dois se davam bem, e devo dizer, como se davam bem. Jungkook além de mais novo, também é mais fraco para bebidas, confesso que meu nível de álcool era o mesmo que o dele, Jimin quem cuidava de nós quando ficávamos muito ruins, mas ele dava mais atenção ao maknae. 


— Hyung, agora eu acho que realmente deveríamos parar de sair durante a semana, vamos acabar nos dando mal nas provas, e eu não posso repetir de ano. — Jeon comentava com seu jeito manhoso, e seu biquinho fofo nos lábios. Tinham momentos que eu queria agarrar ele só para encher de beijinhos. 


— Jungkook-ssi, eu disse que te ajudaria com isso, e vou ajudar, mas eu concordo com você, temos que maneirar nas festas, pelo menos em meios de semana. — Jimin logo falou e me encarou sério. 


— Eu vou parar também. Isso é um processo em minha vida que preciso organizar. 


— Você tem que se cuidar de verdade, não sair metendo o louco em tudo quanto é festa, eu não sei o que aconteceu, mas isso tudo está te deixando péssima. — O Park segurou meu rosto e me encarou com pena. ‘Tá aí o sentimento que eu nunca esperava receber. 


— Noona, ele tem razão, melhor se cuidar de outra forma. Peça ajuda ao Hoseok hyung, ele adora ajudar os outros, e vocês são próximos mesmo.


Ouvir toda essa baboseira, me deixava frustrada, porque parece que eu sempre preciso de alguém para estar bem, mas não era assim..


Segui para minha sala, e mais uma vez, perdi as aulas por falta de conclusões. Eu ainda estava tão perdida sobre o que fazer, e não me sentia apavorada para fazer as coisas escolares, eu estava me preocupando com as coisas erradas. 


(...)


— Finalmente!. Te procurei por toda escola! — Hoseok me segurou pelos ombros e respirava ofegante. Parecia mesmo ter me procurado bastante. 


— Ah.. Oi. O que foi?! — Sorri fraco. Hoseok notou como eu estava mais aérea e ele comentava sempre sobre eu sair em dias de semana. Ele estava militando demais. 


— Hoje é dia de ensaio, queria saber se vai querer sair, ou ensaiar. 


— Olha, eu não sei, acho que podemos ensaiar hoje, faz um tempo que estamos só saindo para resolver seu problema, você já evoluiu bastante. — Fechei meus olhos e suspirei, eu estava cansada. 


— Você tem que descansar mais.. — Fez uma pausa, como se pensasse. — Porque não vai lá pra casa? Estou sozinho a três dias, minha mãe e meu irmão foram para Gwangju, nossa cidade natal. Eles estão pensando em se mudar. Meu irmão conseguiu uma vaga escolar muito boa e minha mãe recebeu uma proposta de emprego na escola mesmo, o salário é bom, e os horários não são tão cansativos para ela. — Ver um sorriso sincero no rosto do ruivo, era uma das coisas que ainda me motivava a não desistir de mim mesma, eu estava me afundando em álcool, sem saber os motivos. 


— Que bom que seu irmão recebeu uma oportunidade dessas, mas o que você vai fazer, a faculdade que você quer é aqui. Vai arcar sozinho com todas as dívidas? — Eu sabia que dinheiro era um problema na casa de Hoseok, as coisas estavam melhores, mas não resolvidas.


— ____. Deixei de pensar no que ainda não estamos encarando. A Pensão do meu pai ajuda. Você quer dormir comigo em casa ou não? — Eu não sabia qual a razão de, me sentir envergonhada por ouvir com essas palavras o convite. 


— Acho que prefiro sua casa que a do Jimin. Minha mãe acha que estamos transando. — Soltei a primeira coisa que me veio à boca, e me arrependi de falar isto. 


— E vocês não estão? Ultimamente eu só ouço sobre como você Jimin estão íntimos, e não como antes. Pensei que tivessem feito algo. — Deu de ombros e olhou para os lados incomodado. Hoseok parecia não gostar muito da minha amizade com Jimin. 


— Não acredito que tenha mesmo escutado algo sobre mim, e eu não transo com qualquer um, não basta eu ouvir as pessoas me chamando de vagabunda, agora você vai me tratar como uma? — Sorri debochada e voltei a andar para a saída. 


— Você sabe que de longe eu seria a última pessoa a te chamar assim. Você anda distante demais, está sempre comigo mas parece faltar algo, desconta as frustrações em mim e não me olha mais nos olhos, eu fiz alguma coisa e você não quer me contar, ou você voltou a ser amiga da Moonbyul?! — Ouvir aquilo me doía porque eu não esperava ouvir isso dele, eu não sabia que estava agindo realmente assim. 


Sem perceber, eu estava aos prantos, segurando o uniforme do ruivo, amassando sua roupa, e lamentando coisas que eu desconhecia. Eu estava sendo uma péssima filha, uma aluna pior, eu consegui estragar minha amizade de anos por uma droga de paixão. E tinha a minha paixão, a qual eu não conseguia admitir, que eu enterraria só para não ter que sentir mais. 


(...)


A tarde não foi outra coisa a não ser constrangedora. Eu chorei nos ombros do meu amigo. Fui até em casa pedir desculpas por ser uma péssima filha, e ainda fiz um comunicado sobre não ter nada com Jimin, para depois comentar que dormiria com Hoseok por estar só.


Minha mãe comentou sobre ele, que era um bom garoto e que preferia me ver ajudando ele que namorando com Jimin. Minha mãe já tinha visualizado meu cenário, e ela sabia como eu estava perdida. 


(...)


Confesso que. Estar sozinha em uma casa com Hoseok, me deixava nervosa, eu não podia negar que.. ele de fato mexe comigo. Mas quem sou eu para ter alguém tão puro como ele. 


Eu já tinha banhado, e estava em sua cama. Ele dormiria na cama da mãe, que ele diz ser melhor. Me deitar e sentir o cheiro gostoso que Hoseok tinha, me deixava ainda pior, porque eu me sentia envergonhada por gostar daquilo. 


— Moonbyul sempre sabe primeiro que eu.. —Me deitei mais uma vez, e abracei o travesseiro do Jung. 


— Você ficar aqui não me faz me sentir menos sozinho. — Hoseok chegou abrindo a porta com o barulho que ele costumava sempre fazer, e se deitou atrás de mim, jogando seus braços ao meu redor. 


Meu coração vai explodir. 


— N-Não precisa exagerar. — Tirei seus braços dali e me sentei na cama de solteiro, que não cabia nos dois. A não ser que abraçados. 


—  Agora que eu posso te abraçar sem me sentir culpado você foge, poxa, muito injusto. — Ele se sentou também e me encarou com um biquinho. 


— Não brinca Hoseok. Você está solteiro, e isso só complica mais as coisas.. — Comentei de forma honesta. Eu não podia mentir sobre como eu me sentia em relação a isso. 


— Não entendo como. Eu não sou parte da sua lista, e ainda menos sou um cara que você sairia. — Deu de ombros e sorriu doce. 


— O problema ‘tá no seu ponto de vista. Você não sabe a resposta de todas essas questões, e além do mais, essa lista já está fora de controle e você sabe disso, já que está sempre me dizendo para não fazer isso e aquilo. 


— Claro que vou dizer, me preocupo que você se machuque nessa brincadeira, sem contar que pode adoecer, ou ter um filho indesejado. — Revirei meus olhos, ele mais parecia com meu pai que qualquer outra coisa. 


— Para de me tratar como criança Hoseok. Será que você não enxerga que eu não sou sua irmãzinha?! 


— Eu nunca te vi como uma irmã, e nunca precisei para cuidar de você. — Rebateu. Aquilo foi um ponto que me acertou, e me deixou envergonhada. O que isso significava. 


— Eu não vou discutir com você. — Falei em um muxuxo e um bico se formou em meus lábios. 


— Porque a gente não se deita na cama da minha mãe e você me faz um cafuné dos que gosto. Não precisa dormir lá comigo, só vamos fazer companhia um para o outro.


— Eu odeio você por me fazer concordar com tudo que fala. — Me levantei e esperei o mais velho no batente da porta. 


— Mas me ama porque eu mereço ter tudo consentido. — Ele passou por mim e deixou um beijo rápido em meus lábios. 



Eu não sei dizer se pareço uma menininha, se pareço uma surtada. Mas o ato de receber uma bitoca do Jung. Me fez sentir meu coração bater, eu senti ele bater, e rápido, não era normal.


Eu recebi muito mais que uma bitoquinha na boca nessa vida, e uma bitoca na minha buceta não me faria bombear tanto sangue para o

coração quanto agora. 


Isso era uma porcaria. Eu passei os últimos dias, as últimas semanas, curtindo ao máximo, mas só porque eu ouvia Hoseok me falar para fazer o contrário. Eu gostava de receber broncas, gostava de ter aquela atenção. 


Minha mente quase explodia quando recebia um toque do mais velho, e isso era mais que constante, até porque dançamos juntos e ensaiamos juntos. Mas mais que isso, o mais singelo toque me causava um curto mental. 


Meu histórico do telefone era basicamente sobre romances adolescentes. Simplesmente Acontece, DUFF, as mais ridículas pesquisas onde a protagonista e seu melhor amigo acabam juntos após um mundo vasto de obstáculos. 


Eu não queria admitir, eu não queria ter que falar que, sim a Moonbyul sempre teve razão quanto a suas observações. Maldita seja a Moonbyul por se apaixonar e me entregar Hoseok em uma bandeja. Maldita seja a minha lista que só cresceu para que eu sentisse que Jung Hoseok tinha ciúmes de mim. Maldita eu seja por me apaixonar pelo meu melhor amigo e admitir isso logo agora que estava deitada na mesma cama que ele. 



Notas Finais


Gostaram do capítulo? Divulguem a fic e deixem suas opiniões, adoro ler seus comentários e respondê-los.

Outra plataforma:
https://my.w.tt/v1sP7jYtV3

Grupo no wpp:
https://chat.whatsapp.com/IJUEOo7ZTjeEnpWqvVQZun


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...