História Guide me in the dark (CAMREN VERSION) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Drogas, Girls, Máfia, Norminah, Policia, Romance, Romance Lésbico, Violencia
Visualizações 53
Palavras 1.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!!

Capítulo 4 - Cap 3


Fanfic / Fanfiction Guide me in the dark (CAMREN VERSION) - Capítulo 4 - Cap 3

Pov Lauren 

Eu sabia que essa missão era uma furada, o FBI nunca nos daria carta branca para matar um cartel inteiro, no máximo nos mandariam deixar o chefe vivo para eles prenderem. Nos atraíram para cá por alguma razão... Mas qual? Ouço baterem na porta, estou sozinha no quarto, os outros foram treinar, eu tentei ir mas a Camila me convenceu/obrigou a ficar. Falei entre e vi que era a Normani. 

- Oi, tudo bem? - disse ela entrando e sentando na cama ao meu lado.

- Tudo, não foi pro treino?

- Voltei mais cedo, eu precisava falar uma coisa importante com você.

- O que foi?

- Isso - tirou algo do bolso e me deu, era uma bala com um desenho do meu signo inscrito nela - É a bala que eu tirei do seu ombro.

- Que merda é essa? Tá dizendo que esse ataque foi feito pra nós?

- Eu não sei, não tenho certeza de nada, naquele dia poderiam sim ter atirado no Capricórnio, mas só atacaram você.

- Então tá dizendo que estão atrás de mim?

- Como eu disse, eu não sei, a única coisa que eu posso te dizer é cuidado. E não se preocupa, não vou contar pra ninguém, mas pensa no que eu disse - e saiu.

Fiquei olhando pra bala na minha mão, por que isso tá acontecendo? Será que tem ligação com as mensagens? Mas por que eu? Não faz sentido, eu não vou conseguir respostas parada, me levanto da cama e pego minha jaqueta.

- Onde a senhorita pensa que vai?- disse alguém atrás de mim.

- Não consigo ficar parada, preciso sair um pouco.

- Ok, eu vou com você... E não adianta dizer não.

(...)

Não adiantou mesmo, depois de sair do galpão que por enquanto chamamos de casa aqui em NY, fomos no Central Park.

- Quando foi a última vez que saímos assim só nós duas? - ela disse, estávamos sentadas em um banco de mãos dadas.

- Não lembro, acho que foi no nosso aniversário de namoro.

- Verdade... Lo, o que tá acontecendo? Desde que recebemos essa missão você anda estranha.

- Não é nada Camz.

- Lauren eu te conheço, melhor do que ninguém, eu sei que tem alguma coisa errada. 

- É complicado, nem eu sei o que quer dizer.

- Pode me contar - ela acariciou minha mão.

- Lembra no treino a uns dias atrás em Miami antes de virmos pra cá? - assentiu - Eu saí naquela hora porque fiquei nervosa, recebi uma mensagem estranha e sem identificação. E ontem quando eu levei esse tiro recebi outra mensagem do mesmo número, nela dizia de onde veio o tiro que me acertou.

- Por que não me falou? Tem ideia de como isso é sério Lauren? - disse ela exaltada.

- Por isso eu não queria contar, porque eu sabia que você ia ficar assim.

- E como você quer que eu fique? Você recebe mensagens estranhas, quase MORRE e quer que eu fique calma? - ela falava nervosa - Vamos embora.

(...)

Depois daquilo não falamos mais nada, assim que voltamos para o galpão em completo silêncio, fui para o nosso quarto, mas ela não me seguiu, ao invés disso ela foi pra cozinha, bufei e fui para o quarto. Sei que eu errei em não contar pra ela, mas eu só não quero envolvê-la, se estiverem atrás de mim não posso deixar nada acontecer com ela. Resolvo tomar um banho gelado pra me acalmar, passo a mão sobre a ferida no meu ombro, foi por pouco, após alguns minutos debaixo do chuveiro ouço a porta do quarto sendo aberta e alguém entrando no banheiro, fecho os olhos ao sentir braços circulando a minha cintura me apertando com força.

- Me desculpa - falei ainda de olhos fechados e pousei minha mão sobre a dela - Eu sei que devia ter falado, mas é que tem mais coisa envolvida... Sou eu... Estão atrás de mim.

Senti ela ficar tensa e me apertar mais.

- Como você sabe - ela disse baixo.

- Virgo, ela veio falar comigo mais cedo antes de você chegar, ela me mostrou a bala que me acertou, tinha o meu signo desenhado nela... Foi feita pra mim. Seja quem for, sabe quem eu sou.

- Mas talvez eles tenham pra todos nós.

- Também pensei isso, mas não acho que é isso. Se tivesse sido pra nós teriam atirado no Capricórnio, mas foi em mim. E também tem essas mensagens que só eu recebo. Não pode ser coincidência.

- Eu não sei o que dizer.

- Nem eu.

- O que vamos fazer?

- Vamos? Não, eu não vou deixar você se envolver, foi por isso que eu não contei, se estiverem mesmo atrás de mim vão atrás de você também.

- E você acha que eu ligo? Eu é que não vou deixar você dar uma de Supergirl e resolver isso sozinha. Vamos resolver isso juntas e ponto final.

- Tudo bem - bufei sabendo não adiantaria discutir - Mas não conte a ninguém. Pelo menos até descobrirmos quem está fazendo isso.

- Ok.

Virei ficando de frente pra ela e abracei sua cintura enquanto seus braços iam para o meu pescoço. Ficamos assim por alguns minutos e depois saímos do banheiro. De roupa, optei por um short de moletom, uma regata branca e uma touca preta, nos pés um all star preto. Enquanto Camila optou por uma calça skinny preta, uma cropped branca e coturnos pretos. De repente alguém bate na porta:

- Vocês duas pra sala, Hernández quer falar com todos - era Normani. 

(...)

Já na sala estávamos todos sentados nos sofás em quanto nosso chefe andava de um lado para o outro em paciente e resmungava sozinho.

- Consegui! - disse Libra com um computador em na mão.

- Ótimo! - falou Hernández parando de andar.

- Da pra alguém explicar o que tá acontecendo? - falou minha namorada.

- Recebemos uma mensagem, veio do suspeito que Aquário e Capricórnio foram atrás, querem nos encontrar.

- Ótimo e o que estamos esperando?- falei, mal posso esperar para acertar as contas com aquele desgraçado.

- Se preparem! - disse nosso líder.

Eu planejava ficar em casa, mas isso vai ser mais interessante, vestimos nosso uniforme que se tratava de uma calça preta, uma blusa de manga comprida preta, um colete a prova de balas e uma bota preta, sem falar do item mais importante: O capacete para não verem nossos rostos. Pegamos nossos veículos e fomos até o local: Escorpião, Virgo, Libra e Capricórnio iriam no carro e Áries e eu iríamos de moto. Chegando lá, vimos alguns caras armados em frente há um portão de ferro enorme ao nos verem abriram e nós entramos, lá havia vários capangas espalhados e no meio, uma casa com um cara magro, pele morena, de óculos e de braços cruzados na entrada.

- Ora ora ora, o que temos aqui. Os Zodiac, bem vindos. Vejo que receberam minha mensagem.

- Quem é você? Por que nos chamou aqui - falou Escorpião.

- Sou Emilio Reys, representante do clã Lótus. Queria conhecê-los pessoalmente. Em nome do meu chefe eu os cumprimento.

- O que vocês querem? - continuou nosso líder.

- Eu? Nada, mas meu chefe tem... Assuntos em comum com vocês - falou olhando pra mim, fingi não notar - Então estejam prontos, manteremos contato.

- Certo, vamos pessoal. Áries você volta com a gente no carro.

- Ok - normalmente ela diria não, mas todos sabemos que nessas situações quanto mais fácil e rápido sairmos melhor. Subi na minha moto e dei uma olhada pra trás e o tal Emilio ainda estava na mesma posição, ao olhar pra mim ele sussurrou algo como:

"Saia, se puder."

De primeira eu não entendi, assim que o portão se abriu o carro arrancou primeiro saindo de lá, mas antes que eu também pudesse sair o portão começou a fechar, merda! Não vai dar tempo e também não da mais pra parar, só tive uma opção, antes que eu atingisse a parede me joguei da moto derrapando no chão, mas na queda perdi meu capacete, sorte que não me machuquei. Me levantei rápido e procurei uma saída alternativa, vi uma escada que dava a uma torre de vigilância do portão, corri até lá, mas no caminho senti alguém puxando meu braço com força, era um cara enorme com uma faca de caça na mão, desviei a tempo ante que ele me acertasse no peito, mas não fui rápida o suficiente e ele acabou acertando um corte na minha bochecha.

- Filho da puta! - falei ao sentir o sangue escorrendo. Peguei o braço dele, arranquei a faca da sua mão e com toda minha força o derrubei e quebrei seu braço o fazendo gritar. Vi mais dois se aproximando, peguei a arma que estava no meu coldre, atirei em um deles e usei a faca de caça acertando o outro. Comecei a correr antes que mais deles aparecessem. Subi as escadas o mais rápido que pude até chegar ao topo. Não é muito alto, mas vai doer, sem escolha pulei, na queda acabei ralando o rosto e machucando o braço, ao me levantar, corri para o mais longe possível daquele lugar.

Lo por favor meu amor responde!- ouvi a voz de Camila no meu ouvido e me lembrei do ponto.

- Camz, tá me ouvindo? - falei ofegante ainda correndo.

LAUREN! Pelo amor de Deus onde você tá? Estamos te chamando a um tempão.

- Eu não ouvi nada, eles devem ter um bloqueador de sinal.

Onde você tá?

- Eu não sei, parece a mesma estrada que viemos, mas tô sem minha moto.

Estamos indo - ela disse. 

Continua...


Notas Finais


Espero q tenham gostado!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...