1. Spirit Fanfics >
  2. Guilty (BTS) >
  3. Capítulo 3 Chamadas Perdidas

História Guilty (BTS) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Aproveite C:

Capítulo 3 - Capítulo 3 Chamadas Perdidas


Fanfic / Fanfiction Guilty (BTS) - Capítulo 3 - Capítulo 3 Chamadas Perdidas

 Chamada Jimin ... •

Chamadas perdidas: Jimin (16)

Novas mensagens: Jimin (24)

• Chamada Jimin ... •

 

Desliguei o maldito telefone, senão teria enlouquecido. Quando Jimin quis estragar meu dia, garoto, ele entendeu.

Eu estava andando pela cidade o dia todo, depois do encontro casual com aquele estranho, todo o desejo de continuar fingindo desapareceu e eu não fiz nada além de andar e andar até saber onde estava e decidir volte para minha casa, porque sabia que não haveria ninguém nela.

Eu me joguei na maior poltrona da minha casa e permaneci lá até que inúmeras ligações de Jimin me deixaram impaciente e tive que me levantar para desligá-lo.

Eu não estava com fome e não queria ver as horas, voltei para a cadeira, mas desta vez o tempo em que estava deitado era ainda mais curto porque a campainha tocou como se não houvesse amanhã, e eu já sabia quem poderia ser.

 

“O que diabos há de errado com você?” Eu ouvi assim que abri a porta. “Você não sabia o quanto eu estava preocupada?” O rosto de Jimin estava do outro lado da sepultura, nada de novo.

 

Eu me virei deixando a porta aberta, convidando-o a passar sem dizer nada, o que ele entendeu, porque ele entrou e me seguiu até a cozinha.

 

-Você está me ouvindo Taehyung- ele me agarrou pelo ombro me parando -Você saiu da minha casa quase uma hora de merda ontem à noite e você não liga ou me avisa, eu estava prestes a ligar para sua tia- ele alegou acenando com as mãos para mim.

 

-Estou bem, sim? - Eu queria ignorar o assunto e preparar algo para comer desde que eu estava na cozinha, mas Jimin aparentemente não queria a mesma coisa.

 

-Pare de se comportar assim, ok? - Ele me abraçou por trás, mudando o tom de sua voz e me enrijeceu -Você não precisa se envergonhar, é normal que você se sinta estranho depois de ontem, mas nada acontece- suas mãos estão posicione-se na minha cintura e não me sinto mais à vontade.

 

- Não tenho vergonha - retire suas mãos tentando manter uma distância segura - E eu estou bem, vamos acabar logo com isso - caminhei até o armário.

 

Eu olhei rapidamente, mas como não estava com fome, fechei e virei para ver Jimin, recostando-me no armário.

 

-Você quer conversar? - Ele se aproximou -Por que você não me deixa preparar algo para você e eu vou ficar com você? - Neguei e olhei para baixo -Vamos para Taetae ...- e isso encheu minha paciência.

 

-Não me chame assim ... Você sabe que eu odeio Jimin- as palavras saíram abruptamente cerradas entre os dentes e carregadas de raiva repentina.

 

-Tudo bem ... eu tinha esquecido, calma- ele se inclinou sobre a mesa na minha frente, me encarando -Você pensou nisso? -

 

A irritação ainda não havia terminado e ele sabia disso, mas sua insistência era sua maior característica ... Ou defeito.

 

-Não- eu disse

 

-Não é o quê? -Eu levanto minha cabeça com o dedo no meu queixo -Você não quer ..? Ou você ainda não pensou nisso? Ele inclinou a cabeça de brincadeira.

 

E enquanto essa faceta de Jimin era emocionante, quando seus movimentos se tornaram felinos, ele o odiava por fazer isso comigo, comigo que o conhecia tão bem.

 

"Eu não quero", voltei seu olhar, mas decidi.

 

Eu sorrio, seu sorriso encantador e enganador, tão diferente daquele que esse estrangeiro me mostrou sozinho de manhã, tão diferente, mas tão cativante ...

 

"Ok ..." Eu sussurro abaixando a mão no meu pescoço, segurando-o "Mas lembre-se de que isso não mudaria as coisas entre nós, eu prometi a você" Eu acaricio meu pescoço e me aproximo novamente, hesitante.

 

-Eu sei, mas não estou confortável- Peguei a mão dele e tirei da minha garganta, pegando-a entre os dedos e acariciando -Nós somos amigos, não somos?

 

Ele balançou a cabeça "Sim, somos amigos ... Mas ... posso te pedir um beijo?" Seu pedido era algo que ele não esperava.

 

-Ontem eu ... Jimin, não precisamos fazer isso ...- Eu não queria machucá-lo, afinal eu não queria sentir nada, nem por ele, nem por ninguém ...

 

-Só um e eu vou parar de brincar, eu juro- ele passou a mão livre pela minha bochecha e a que eu estava segurando entre os dedos a soltou e se aproximou dele em volta da minha cintura -Fecha os olhos- sussurra no meu queixo -Feche e abrir a boca - uma pontada de excitação chegou ao meu estômago e eu obedeci - Isso .. Deixe-me tomar sua boca com a minha ... -

 

Ele acariciou a linha da minha mandíbula com o nariz e eu respiro por cima da orelha, eu estava ficando tensa e me agarrei à peça de mobiliário que estava atrás de mim, enquanto isso continuava com as carícias lentas na minha bochecha e deixava um beijo calmo e acordei. 

O amor não pôde fazer mais do que me jogar um balde de água fria quando senti, porque a imagem na minha cabeça do beijo inesperado daquele estranho voltou para mim como um raio e quebrou toda a magia.

 

-O que aconteceu Taehyung? - os pequenos olhos de Jimin estavam me olhando atentamente.

 

"Eu não posso ... me desculpe" e com uma leve pressão no peito, ele se afastou.

 

-Não se preocupe ... me desculpe, não vou forçá-lo a fazer algo que você não quer Taehyung novamente- agora seu sorriso contagioso retornou, mas não era autêntico.

 

Nenhum dos dois disse mais nada e o desconforto estava presente, forçando nós dois a desviar o olhar do outro.

 

-Eu devo ir .. Eu só queria saber se você estava bem- Eu olho para todo lado pesado -Eu suponho que te vejo amanhã- Eu tento parecer agradável e animada.

 

-Sim .. Eu não sentirei falta das aulas- pronuncie mal.

 

-Isso é bom suspiro -Então ... Até mais- nós caminhamos juntos até a porta.

 

"Adeus", eu disse quando ele não conseguiu mais me ouvir, já que ele já se fora.

 

Fechei o portal da minha casa e me senti perdida, não queria estar lá, não queria que Jimin quisesse me beijar, não queria me sentir mal com isso, não queria continuar sendo assim ... 

Sentei-me no chão, exatamente onde estava e me atraí meus joelhos até tocarem meu peito, mas não chore, era ridículo fazê-lo, não havia razão para fazê-lo, mas se eu quisesse. 

Uma vez minha mãe disse que você tem que sorrir e ser feliz, porque a felicidade atrai mais felicidade e os maus momentos têm medo de você ... mas minha mãe se foi e foi só quando ela saiu que fui eu que comecei a temer crianças. maus momentos.

Acordei com o frio e o constrangimento do piso duro debaixo das minhas pernas.O que eu estava fazendo dormindo no meio do corredor? Bem, eu não sabia até agora, não me importava muito.

Acordei com dor e meu estômago parecia furioso por não ter me alimentado desde o café da manhã, então, em vez de procurar algo para me embrulhar, fui direto para preparar algo para comer.

Eu estava cansado, mas não estava com vontade de dormir, então procurei o telefone e o liguei, apagando e ignorando todas as mensagens que meu amigo havia deixado anteriormente, e com meu telefone e comida na mão, decidi ir para o meu quarto e descansar. .. mas ...

 

• Tia JaeRi ligando ... •

Chamadas não atendidas: Tia JaeRi (1)

Nova mensagem: Tia JaeRi (1)

 

Minha tia sabia que ela odiava atender chamadas e então ela provavelmente tinha me mandado uma mensagem, então eu abri.

 

De: tia JaeRi 

Taehyung, filho, vamos demorar um pouco mais para chegar, fechar tudo com cuidado e não esperar por nós acordados, dormir bem.

 

Exalei o ar duro e não queria mais fazer nada, peguei minha jaqueta, as chaves, um cachecol e saí de casa ou eu realmente morreria de asfixia súbita. 

Olhei para a hora na tela do meu celular e já era tarde, mas não me importei e comecei a andar mantendo as mãos nos bolsos e a boca no cachecol. Seria apenas uma curta caminhada para o ar e ele voltaria, afinal ele não era irresponsável e ainda estava com medo da noite.

Eu fui lentamente pensando sobre o que havia acontecido com Jimin em minha casa e como eu estava disposto a fazer algo que eu sabia que o machucaria, mas que se não fosse pela memória daquele estranho ... < daquele estranho ... Hoseok >  e meus pensamentos pararam .

Meus olhos estavam perdidos na calçada fria e instintivamente levaram minha mão à minha bochecha, acariciando-a, revivendo o momento em que aquele cara colocou os lábios nela.

"Eu devo ir para casa", ele  dissera e eu não perguntei nada e acabei de sair, mas ... e se ele não tivesse saído? E se ele estivesse me esperando?

Mesmo sem raciocinar um pouco, me posicionei no espaço e corri para onde ele e eu nos encontramos na noite anterior, com o peito subindo e descendo, procurei por ele e parecia um dejavú, pois repeti as mesmas ações há quase 24 anos. horas atrás, e a resposta era a mesma, não havia ninguém.

 

-O que eu estou fazendo? - De repente parei no meio da rua -O que ele faria aqui a essa hora, Kim Taehyung- repreendeu-me - E esperando por você? - eu ri sarcástico, zombando de como tinha sido estúpido.

 

-Devo ter medo? Ou é normal que as pessoas em Daegu falem sozinhas? - um arrepio na espinha - É bom vê-lo novamente ... Taehyung-

 

 

•••


Notas Finais


Obrigado por ler C: Você
quer me dar sua opinião, comentários e sugestões, vou lê-los com prazer n.n

Saludines c:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...