História Guilty or Innocent? - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, CL (Chaelin Lee), Got7, Mamamoo, Monsta X
Personagens G-Dragon, Hwasa, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jungkook, Lee Chaelin "CL", Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom!hoseok, Bottom!jin, Bottom!namjoon, Namjin, Top!namjoon, Top!seokjin, Top!yoongi, Yoonseok
Visualizações 59
Palavras 3.251
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Lemon, LGBT, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Dia 18 já está esfregando assim na nossa cara de sofrimento que estamos por causa do comeback, espero que para o próximo capítulo vocês ainda estejam vivos após o comeback e a premiação

Capítulo 10 - Ten


Encarar o teto estragado parecia ser o passatempo de todos no momento que estavam em suas celas e sem nenhum assunto para se comentar e isso é quando ninguém se envolve em uma briga ou quando praticam sexo. Resumidamente todos da cela estavam desta forma, Taehyung e Yoongi se encontravam deitados no chão enquanto o mais novo cantava músicas aleatórias para se tiver algum barulho no cômodo, Jin estava em sua nova cama que infelizmente era mais desconfortável que a outra, e Jimin tentava dormir enquanto se encolhia para encontrar uma posição adequada ao seu sono.

- cinco patinhos foram passear... — o menor cantava em um tom baixo, mexendo seus pés animados — além das montanhas para brincar...

- eu vou matar todos esses patinhos se você não parar de cantar! — o novato diz abafado por conta de seu travesseiro que cobria inteiramente teu rosto.

- coitados dos patinhos, o que eles fizeram para você? Seu patinhofóbico!

- quanta infantilidade, nem parece que é um traficante — virou-se para o lado oposto onde conseguia visualizar os indivíduos no chão — quantos anos vocês tem? Dez anos?

- e o que lhe importa? — o outro que estava deitado o encarou com uma careta que te deixava engraçado, só fez um barulho idêntico a um gato irritado e virou para o outro lado novamente — pessoas que nem ti que só vivem na desgraça deveriam ver o lado bom da vida.

Três batidas na porta foram ouvidas, na janela da mesma dava para se ver Hyejin a chamar pelo nome de Taehyung que rapidamente levantou do piso gelado e foi até a autoridade, ela entrega uma carta que tinha como remetente sua própria mãe e o endereço de sua casa, seus olhos transmitiram um brilho intenso e um sorriso besta aparece. Ao ela ir embora, foi até sua cama aos pulos, abrindo a carta para ler seu conteúdo.

‘’Querido Taehyung,

Eu e sua irmãzinha Eunmi estamos conseguindo se divertir mesmo depois de todas essas coisas ruins em nossas vidas, neste momento estamos no sítio de sua tia, é tão bom ficar tranquila e esquecer-se de todos os problemas da vida.

O que eu mais gosto de ver é a Eunmi pulando e se divertindo por ai, quando ficávamos em casa ela sempre me perguntava ‘’mamãe, quando o Taehyung oppa irá voltar?’’ e eu não quero deixa-la magoada a falar com ela que ainda faltam dois anos para te ter de volta em casa. Sentimos muito a sua falta, sei que não entrou neste mundo por ser mau, você só queria sustentar nós três, mas é uma pena que o mundo não funciona muito bem e precisamos nos sacrificar para ter o que comer ou pagar nossas contas.

Como presente, eu mandarei a ti uma foto de nós duas, é como se estivéssemos junto a ti te apoiando e te dando muito amor.

Mande beijo para seu amigo Yoongi, você comentou que ele esta te cuidando muito bem e isso me deixa muito feliz, saber que você não está sendo maltratado neste lugar cruel, e também não pode se meter em encrenca, entendeu mocinho?

Beijos, sua mãe te ama, muito!’’

- omma... Eunmi... — segurou a fotografia das duas, encarando-a.

- está tudo bem Taehyung? — a cabeça de Jin aparece em sua frente, ele dormia agora na cama em cima da sua — oh, quem são elas? Que adorável...

- é a minha mãe e a minha irmã, elas tem o costuma de mandar cartas contando sobre o que acontece com elas, eu... Eu sinto tanto falta delas...

Colocou a foto contra seu peitoral como se estivesse as abraçando, abaixou sua cabeça ao sentir as lágrimas invadindo seus olhos, Yoongi caminhou em sua direção e ficou ao seu lado passando os dedos em seu cabelo castanho claro para acalma-lo; Jimin permaneceu em silêncio invés de falar algo ofensivo, era a primeira vez que não pensou em dizer algo maldoso, ele pelo menos entendia o sentimento familiar.

- elas também sentem sua falta, iremos sair daqui rápido e você vai poder ficar com ela o quanto você quiser — sorriu, limpando seus prantos para não aumenta-los — tudo é questão de tempo, não se preocupe com isso.

- é Tae, quando você menos perceber vai faltar pouco tempo para sairmos — Jin continuava na mesma posição, mesmo com seu pescoço dolorido — não vamos ficar triste com isso, viver assim não é saudável para ninguém, lembre-se que elas estão bem e juntas.

- vocês tem razão, eu não posso ficar só me lamentando, mesmo que eu seja frágil com esse assunto... — fungou e limpou o resto das lágrimas que ainda estavam em seus olhos, dando um sorriso forçado para deixar os meninos aliviados — Yoon, ainda tem a fita que você achou no pátio? Eu quero por a foto delas na parede junto com a foto do seu cachorro.

Uma coisa que os dois novatos não haviam reparado muito era a foto de Holly, o cachorro de Min, perto do espelho da cela – onde ele havia recebido de um primo seu que estava cuidando de seu mascote, não queria deixar seu ‘’filho’’ sozinho.

Após a confirmação, foi entregue a fita adesiva que estava embaixo de uma das camas para Kim, que foi até o espelho e colou na parede a foto de sua família ao lado da outra foto que tinha aquilo deixava o ambiente mais bonito, também ninguém merecia só ficar olhando as paredes sujas e com a tinta descascada.

- agora eu tenho a companhia delas aqui — encarava a fotografia com um sorriso no rosto, dando pulos pequenos de alegria que o deixava adorável na visão dos outros; ele sempre foi à criança do grupo, até mesmo perto de Jungkook que era o mais novo de lá, não conseguiam entender como ele conseguiu entrar em uma gangue de traficantes.

- eu gosto de ver ele desta forma — Yoongi sorria observando seu dongsaeng preferido — eu o considero como irmão, desde que se conhecemos aqui cuidamos um do outro, já que eu estava triste pela minha amiga ter sido separada de mim na hora que fomos presos, e ele por causa de sua família, e ai nesse tempo que tentamos nos divertir viramos amigos, eu agradeço por ter ficado com ele e não com o babaca do Namjoon ou com o casal Chanyeol e Kyungsoo que vivem transando em todos os cantos da prisão.

- do que você está falando, você também vive transando pelos cantos da prisão junto com Hoseok — voltou a sua cama, encarando Min com um sorriso malicioso — hipocrisia o nome disso, né?

- eu só faço isso no banheiro e em um lugar fechado, ao contrário deles que fazem isso até na frente dos outros — deu um peteleco na testa dele, o fazendo resmungar — eu sou um homem de deus, crente e safado.

Depois de todo esse papo idiota, era o momento de irem até o pátio. Kim tinha sido convidado para ficar com Hyejin mais uma vez pra conversarem e fortalecerem a amizade que tinham, então deu uma desculpa que tinha que fazer alguns favores forçados para as autoridades ou elas iriam comer seu bumbum também a força, e como o rostinho lindo dele era fácil para enganar as pessoas deu para ir até ela rapidamente.

Ficou a conversar com sua noona no mesmo lugar que foram na última e primeira vez, uma conversa aleatória e sem nenhuma especificação de assunto, era pra se jogar fora e se aproximarem mais, uma sensação de amigos em um pátio escolar falando de seus gostos e de outras coisas sem importância e nem ligar para o que acontecia, sendo a melhor coisa para Jin e para Hyejin, que vivam em conflitos aos seus redores que o deixavam exaustos e suas mentes confusas e machucada; até porque não era tarefa simples de conviver com pessoas problemáticas como Jimin ou como Chaerin, obviamente incluindo os outros presos que vivam drogados sem mesmo ter usado algum tipo de substância ilegal.

No meio de seu papo fútil, ela recebe um chamado vindo de seu telefone portátil pendurado na cintura, bufando e rolando seus olhos para cima, o tirou do cinto e apertou um botão vermelho piscante para ouvir o que tinham para te dizer.

- ONDE VOCÊ ESTÁ SUA INÚTIL? Preciso de você agora na parte da diretoria antes que a dona Hyuna chegue e todo mundo se encrenque por sua culpa. Vamos ou eu irei ser obrigada a te puxar pelos cabelos.

Era a voz da loira Chaerin para a sua infelicidade, a vontade de respondê-la aos berros e a xingando de várias maneiras era enorme, mas ou era isso ou poderia ganhar punição por mau comportamento no trabalho, aliás, sua chefe estava quase chegando lá, não poderia se descontrolar ou isso chegaria aos ouvidos da mesma.

- certo, eu já estou a caminho... — soltou o botão pressionado e jogou sua cabeça para trás até encostar-se à parede, dando um respiro profundo, odiava o fato de Lee ser a pessoa que lhe comandava na falta de Kim — me desculpe Jin, mas eu ainda estou em meu trabalho e não posso desobedecer às ordens, mesmo eu quebrando uma delas neste momento — a última frase foi dita em um tom baixo para si mesma, levantou do chão e arrumou seu traje, guardando o telefone de volta para o lugar dele em sua cintura — está liberado para ir ao pátio, a gente pode conversar outro dia.

Saiu andando para ir ao encontro de seu inferno, após sair da visão de Seokjin, o mesmo levantou-se para ir até seus amigos sem que ninguém suspeitasse. O seu percurso até o seu destino final não foi completado por ter encontrado um Jung Hoseok sentado e encolhido no chão não tão longe do lugar que acabou de sair.

- Hoseok? —ganhou a atenção do mesmo que tinha antes seu rosto tristonho no meio de seus joelhos — o que está fazendo por aqui e sozinho? Você está bem?

- eu estou bem sim, só vim aqui esfriar a cabeça — arrumou seus fios de cabelo bagunçados e apoiou suas costas doloridas na parede, evitando contato visual.

- você não parece estar bem. Eu posso ficar com você? Prometo que eu não irei ser um incômodo — agachou até sua altura, apoiando seus braços em suas coxas, conseguindo o canto visual que queria antes.

- claro que pode ficar nunca foi um incômodo para mim mesmo — deu um sorriso fraco.

Ficou ao seu lado, encostando um no outro sem nenhum problema com o espaço que faltava. Eles nunca foram muitos de interagir, só quando Yoongi estava junto a seu namorado, era a primeira vez que os dois estavam juntos sem a companhia de outras pessoas, e por isso, deixavam o silêncio tomar conta do lugar muito facilmente.

- ei, tem certeza que está tudo bem? Saiba que sempre pode contar comigo, eu posso tentar te ajudar — pousou a mão em seu ombro com um sorriso tão sincero que te contagiava, por dentro.

- é que... Estou meio mal com algumas coisinhas bestas...

- é o Jimin, não é? — não o respondeu, só afirmou balançando sua cabeça — pode desabafar, estarei ouvindo tudo.

Suspirou, a única pessoa que conseguia desabafava era com seu próprio namorado, não gostava de reclamar da sua vida com mais ninguém além do próprio, mas esse dia era uma exceção, mesmo que pareça muito arriscado falar de sua vida pessoal com alguém, que nem se tinha conversa direito, contudo, não queria sofrer sozinho ou jogar tudo nas costas de seu amado novamente.

- eu não queria que aquela praga voltasse, só queria ficar de boa com o Yoonie, mas parece que a vida me odeia e só quer me ver sofrer, igual ao Jimin — bufou, odiava ter que pronunciar o nome daquele verme.

- eu ainda não entendi uma coisa, o porquê de vocês dois terem um ódio tão grande um com o outro, são rivais desta coisa de tráfico, de gangues diferentes, ou só não vai com a cara dele e vise e versa?

- Jin, fomos namorados — não evitou a expressão de surpresa ao ouvir estas palavras, não era nada do que esperava de personalidades tão diferentes que nem as dos dois — nós namorávamos há quase um ano, e então tivemos briga horrorosa e nunca mais se vimos, até agora...

- como o conheceu? Foi com o tráfico?

- eu não traficava drogas e nem ele. Nós se conhecemos no meu trabalho na casa de stripper, eu era informante dos chefes e das pessoas que trabalhavam para eles nas gangues criminosas, entregava e recebia dinheiro para eles, além de dizer sobre as gangues vizinhas e o que elas faziam. E no meio disso eu conheci o Jimin, na época ele tinha o cabelo preto, usava uma roupa social e um óculos escuro, quando eu o vi já senti arrepios por todo o meu corpo, basicamente foi amor a primeira vista, coisa que eu não acreditava até ele chegar.

- casa de stripper? Como trabalhava por lá? Cuidava da casa ou era só um esconderijo para ninguém descobrir seu trabalho?

- você é muito ingênuo, era óbvio que eu trabalhava lá sendo stripper, o único homem e também o mais popular, mas eu não gostava daquela fama, era horrível ver que a maioria eram caras velhos que me comiam pelos olhos enquanto eu performava e tirava as peças de minha roupa — fez barulho de nojo, balançando sua cabeça para esquecer as cenas em sua mente — eu não gosto de lembrar que eu era o desejo sexual daqueles nojentos.

- desculpa se eu tiver sendo chato fazendo perguntas demais, mas o fato de você ser informante quer dizer que você não recebia bem?

- exatamente, a Joohyun que era dona da casa, não dava um bom dinheiro para mim e para as outras meninas porque ela gastava tudo com ela mesma, além de ficar fazendo lavagem de dinheiro junto com sua família. Trabalhar para essas organizações me fez ganhar bem de grana, mas não foi só isso...

Seu tom de voz ficou mais baixo e triste depois de um momento de raiva que nem antes, Kim acariciou seus fios avermelhados e disse que poderia dizer se sentisse confortável com o assunto, ele queria desabafar e não deixou aquilo preso em sua garganta.

- e-eu... Precisava de mais dinheiro para me sustentar, então...  Eu tive que me prostituir, e infelizmente isso deu certo. Quando eles me pagavam, em seguida a gente fazia sexo, atendendo as fantasias deles de todas as formas, para você ter noção eu já tive que masturbar um deles com os meus pés, foi estranho demais... — abaixou a cabeça, dando o suspiro que estava sempre saindo de suas narinas — não sei por que eu tive essa decisão, eu sou um imbecil, eu deveria ter pensado direito sobre...

Parou de falar depois que reparou que estava prestes a chorar, era mais sensível do que os outros imaginavam, e não queria mostrar isso para Kim com medo de ser esculachado igual às outras vezes no decorrer dos meses que estava preso.

- agora da pra entender o porquê das pessoas me chamarem de puta, de piranha ou de vagabunda... E-eu não queria ter essa fama, não quero ser tachado como um prostituo, me arrependo tanto de trabalhar com isso — o som de sua fala estava falhando e seus olhos se enchiam de lágrimas fortes — eu só queria ficar feliz com meu namorado sem que os outros me peçam para fazer programa com eles, que ficam querendo fazer um triângulo amoroso, ou achem que eu vou ficar com todo mundo só por causa de sexo, e agora tem o Jimin para estragar mais a minha vida. EU NÃO AGUENTO MAIS ISSO!

Dizia fino e em soluços no meio de seu tom trêmulo, tampando a visão de seu rosto para que não vissem seu choro de angústia.

Olhando e ouvindo a situação de Jung seu coração se sentia despedaçado, sabia que ele só se abriu para ti, pois eram uma pessoa confiante e que poderia ajuda-lo, não só poderia como ele iria.

- ei, talvez eu soubesse do que você precise agora — ergueu seus braços em direção ao ser do seu lado — um abraço... Quer?

Os olhos vermelhos e molhados lhe encaravam com receio, mas em questão de segundos Hoseok já estava ao redor de seus braços, te apertando e deixando seu ombro molhado com lágrimas sofridas e indesejadas, seus dedos passavam pela nuca rala do ser alheio sendo um jeito diferente de acalmá-lo, junto com a outra mão que era passada nas costas de forma carinhosa.

- bote tudo para fora, não guarde suas mágoas só pra você ou irá sofrer mais ainda, coisa que eu não quero ver — os dedos subiram e se enrolaram nos fios longos e vermelhos, seus ombros eram apertados com firmeza, como se a fúria dele ainda estivesse presente — mesmo que todas essas coisas ruins tenham ocorrido contigo, precisa acreditar que tudo vai ficar bem, não importando o quanto demore a acontecer, irá realizar-se e você vai sorrir ao mundo novamente. E também, eu, seus amigos, e principalmente Yoongi, iremos estar aqui para sempre te ajudar, não importando a situação.

A palma de sua mão enxugava a tristeza de seu amigo para que a mesma parasse de ser visível, um sorriso amarelo e bonito surgiu, lhe fazendo sorrir junto a ele, e mais uma vez foi esmagado contra o abraço carente que o outro tanto queria no momento.

- obrigado por ter me acalmado, eu não imaginava que era uma pessoa tão incrível assim.

Aquelas palavras aqueceram seu coração antes triste, que agora batia de felicidade. Sempre foi um conselheiro no meio de sua sociedade, ajudar as pessoas a se sentirem alegres de novo era seu maior prazer na vida, algo que não conseguia em si mesmo, miseravelmente. Sabendo que aquele lugar não era para isso, iria fazer do mundo sombrio e cheio de nuvens de chuva para um mundo ensolarado e colorido, sendo assim, cuidando dos psicológicos abalados de seus amigos ou até desconhecidos.

O ruído do alarme foi escutado, que fez os dois se soltarem e se levantarem para voltarem em suas celas. Caminhando juntos pelo corredor não tão invadido assim, chegando até na parte das celas onde Yoongi eTaehyung estavam-te chegar para entrar – também com a companhia da policial chamada Moonbyul, que não aparecia muito por lá –, se despediu, ganhando um abraço rápido.

- mais uma vez obrigado — sussurrou, sorrindo, dando meia volta e indo até sua cela que dividia junto com pessoas que Jin não conhecia, e pela expressão de Hoseok não eram uma boa companhia.

- sobre o que vocês estavam conversando? Eu nunca te vi conversando com o Hobi desta forma — ao entrarem no cômodo, mas ainda com Moonbyul na porta esperando por Jimin que estava sumido, Min rapidamente falou com seu hyung, provavelmente com um pouco de ciúmes.

- ah Yoongi... — colocou suas mãos em seus ombros, o encarando — eu só irei te dizer uma coisa: cuide bem do seu namorado, ele é uma pessoa muito legal e você não vai querer perde-lo. É só uma dica, okay? — sorriu, e foi em direção em sua cama, deitando em cima da mesma.

Deixou-o confuso por um tempo, mas logo concordou, porque não iria deixar a pessoa que mais amava no mundo triste.

- eu vou fazer o Hobi se sentir a pessoa mais especial do mundo, porque ele é isso para mim... — sussurrou, dando um sorrio idiota por pensar em um Hoseok envergonhado e fofo.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...