História Guilty Pleasure - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, Kai, KiBum "Key" Kim, Kris Wu, Minho Choi, Personagens Originais, Taemin Lee
Tags 2min, Exo, Jonghyun, Jongkey, Kibum, Shinee
Visualizações 23
Palavras 1.411
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello pessoas, como estão? Espero que bem!

Eu queria avisar que terá duas passagens contando um pouco da história do jonghyun nesse capítulo.

Espero que gostem. Boa leitura 💓💕

Capítulo 2 - The end of a new beginning


Fanfic / Fanfiction Guilty Pleasure - Capítulo 2 - The end of a new beginning



Guilty Pleasure






 

Virgínia • EUA

(1839)


ㅡ Vai nascer! Chamem o patrão! O filho do patrão vai nascer!ㅡ uma mulher de meia idade anunciava em todos os cantos da Fazenda o novo evento que iria se iniciar a qualquer momento. No quarto o do patrão, a jovem mulher, titulada de Kim JunHee, gritava em euforia demonstrando a todos o quão doloroso estava sendo aquilo. Em poucos minutos, uma mulher mais velha que ela, aparentemente 60 anos, adentrou o quarto indo até a mesmo.



ㅡ Querida.. acalme-se. Eu irei realizar seu parto. Me chamo Lee TaeHee, prazer em conhecê-la.ㅡ a senhora se apresentou e segurou na mão da jovem, a mesma sentia uma sensação de conforto perante aquela senhora que acabará de conhecer.

Após se apresentar, a mesma fez todos os procedimentos para iniciar o parto. Todos estavam tensos e esperançosos para conhecer a criança, o jovem homem e também pai da criança, Kim SunWoo, estava suando todos os cantos possíveis de seu corpo. Esperou meses para conhecer a criança e agora ela estava prestes a vir ao mundo. Em depois de muitas horas já era possível ouvir o pequeno choro e ecoar pelo quarto do casal. O jovem homem entrou no quarto e foi até sua mulher que segurava uma linda criança de cabelos castanhos.

ㅡ Ele é lindo, amor. ㅡ o Kim mais velho olhava com admiração para seu filho que sorria pequenino.

Kim JongHyun.. esse será seu nome esse. JongHyun será um belo rapaz de alma pura e muito boa, não deixará se levar pela maldade. ㅡ sorriu apertando a bochecha do menino e selando seus lábios no de seu marido.



xxx





Virgínia • EUA

(10 anos depois)




ㅡ Mamãe! Mamãe! ㅡ o jovem Kim corria pelos campos de girassóis em busca de sua mãe. O pequeno estava animado para mostrar a mesma sua descoberta sobre uma espécie de borboleta que estava pousada em seus cabelos. Assim que entrou para dentro de casa viu novamente a mesma cena de três dias atrás após completar 10 anos de idade; seu pai discutindo com sua mãe sobre o mesmo assunto.

ㅡ Esse moleque! Não pode ser meu filho! Um vampiro?! Eu e você somos humanos JunHee, e ele uma aberração! ㅡ o Kim mais velho gritava com sua mulher que estava sentada na cama aos prantos.

SunWoo, chega! Pare de tratar ele assim! Ele é nosso filho e não tem problema ele ser um vampiro! ㅡ a mulher mirou o filho encolhido no canto que deixava pelas gotículas de água saírem de seus olhos.

ㅡ Já que você não vai fazer nada, vou dar um jeito nesse moleque! ㅡ agarrou uma faca que estava em seu bolso. Apontou diretamente para o garoto, em um rápido movimento e mal calculado; mas já era tarde demais.


ㅡ Papai! Não!


Suas mãos estavam ensanguentadas, seu peito cheio de culpa e remorso. Não acreditará no que seus olhos estavam a ver; ele havia acertado a faca em sua mulher. Quem ele mais ama, ele assassinou. Capturou os olhos do pequeno Kim e o mesmo estava chocado, chorando abraçado ao corpo da mãe desfalecido em seus braços.


ㅡ Eu te odeio! Você matou minha mamãe! ㅡ os olhos do pequeno se encheram de ódio e desprezo, e sua íris fora tomados pelo mais puro tom avermelhado. O homem se afastou brutalmente do garoto e se encolheu em um canto qualquer da casa - enquanto inutilmente pedia por misericórdia - a cada passo que o mesmo dava em sua direção. ㅡ Eu não vou te perdoar, senhor Kim.. ㅡ os caninos de JongHyun afiados a ponto de cortar como lâmina se fizeram presentes em sua boca e o mais velho perceber quando o menino sorriu de forma sádica e diabólica. Sentia sua boca seca e sedenta para provocar sua primeira presa. Avançou e fincou seus caninos na carne saborosa de seu progenitor. Ele não havia provado do sangue humano, ele não sabia o quão delicioso poderia ser. Estava adorando aquela sensação do líquido avermelhado lhe alimentando de forma avassaladora.

O homem tentou a todo custo se livrar do garoto, mas não conseguia. O menino era mais forte que si, uma força na qual ele não imaginava que seu filho tinha. Aos poucos sentia sua vista apagando e suas energias se esgotando pouco a pouco. O Kim mais novo parou quando percebeu que seu progenitor já não estava mais tentando escapar de si; o desespero lhe tomou por completo ao se ver sozinho no mundo. Mas seu pai tentou matá-lo, certo? Certo. Ele tentou matá-lo e por isso mereceu o seu fim.

O coração que nutria inocência aos poucos escureceu e se tornou um buraco negro cheio de dor e insanidade. Sua mente gritava consigo e seu corpo estava em combustão. Levantando do chão, guiou rumo a porta e pôs-se a correr para bem longe, tudo que carregava consigo era o pingente de sua mãe.



Seul • Coreia do Sul

(2018)




ㅡ Hey! Que cara é essa? Você está completando 179 anos! Vamos comemorar JongHyun. Quem sabe até arrumar umas vadias por aí. Carne fresca, sabe..ㅡ o moreno alto dizia tentando convencer o amigo a sair de casa. O mais velho que tinha uma expressão pensativa e ao mesmo tempo mau-humorada.

ㅡ Não estou afim, MinHo.ㅡ disse simples e levou o copo de whisky caro até seus lábios saboreando o líquido com gosto.

ㅡ Você só pensa em encher sua barriga com essa pinga de quinta que deve ser mais velha que minha avó. ㅡ praguejou o rapaz tomando o copo da mão do amigo e levando até sua boca provando um pouco daquilo também. ㅡ Eu disse, isso está muito velho e horrível. Vamos sair e não aceito "não" como resposta.

ㅡ Me obrigue pirralho! ㅡ trincou os dentes e rosnou.


xxx



E lá estavam eles, caminhando nas ruas vazias e frias de Seul. Choi sorria animado, enquanto o menor continuava a praguejar todos os tipos de palavras de baixo calão que existia. Ele não estava afim de sair, mas o mais novo insistia em atormenta-lhe e até mesmo arrastar ele para fora de seu porto seguro. Entraram em um bar e sentaram em uma mesa, o ambiente era aconchegante demais para um bar e chique também. Seus olhos corriam por todo estabelecimento analisando as pessoas caindo de bêbadas e algumas mulheres se oferecendo com mini-saias e poucas roupas para chamar a atenção dos homens que estavam ali presente. Sentia repugnância em estar em um lugar como aquele, seu estômago revirou.

ㅡ Boa noite, gostaram de pedir algo senhores? ㅡ ouvirá uma voz feminina e até mesmo forçadamente sexy adentrar seus tímpanos.

ㅡ Eu quero algo bem forte e para meu amigo traga um algo.. bem.. delicioso ㅡ Choi comerá a garota com os olhos e a mesma anotou saindo com um sorriso de canto.


ㅡ Você é galã com G de galinha. ㅡ respondeu curto e grosso.


ㅡ E você é um encalhado. ㅡ disparou o moreno sorrindo ladino.


ㅡ Eu quero ir embora.. não aguento mais esse local e estou a ponto de fazer uma loucura. Você sabe, eu controlo muito bem meus instintos, mas sou uma ameaça à sociedade. ㅡ farejava no ar um cheiro incomum e seus olhos estavam sendo tomados pelo tom avermelhado.

ㅡ JongHyun.. Vamos embora agora. Seus olhos.. eles estão mudando e as pessoas não param de nos olhar. ㅡ agarrou o braço o mesmo e saiu correndo do local. JongHyun ouvia apenas o amigo e o mesmo sabia muito bem como controlar ele. MinHo era vampiro assim como ele, mas não nasceu assim, o menor atacou o moreno em um beco e não deixou o mesmo morrer; então ocorreu a transformação.

ㅡ Eu estou bem.. só estou um pouco tonto. ㅡ sorriu fraco e Choi se aliviou ao ver o semblante de seu amigo normalizar.

ㅡ Não pode se deixar levar assim.. você me disse que sabia controlar, então porque saiu do controle?

ㅡ Eu senti o cheiro... O cheiro do Yifan.. Ele esta na cidade.. e, Kai está com ele. Eles estão atrás de mim e em busca de vingança.

O maior estava estático e paralisado, ele sabia que JongHyun estava fugindo deles a muito tempo e por um motivo que ele mesmo não sabia ainda, mas iria descobrir em breve.

ㅡ Vamos para casa.. e amanhã temos que achar um jeito de fazer com que você posso se infiltrar na cidade sem deixar óbvio que é novo aqui.

O mais alto agarrou a mão do mesmo e saiu do meio da rua indo rapidamente para casa. Não poderiam mais ficar ali, pois corriam perigo.





Notas Finais


Se vc chegou até aqui, parabéns.. Me perdoem se encontrou algum erro. E até a próxima, se cuidem e não fiquem doentes 💌💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...