História Gun And Peace Online - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto, Sword Art Online
Personagens Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Inojin Yamanaka, Metal Lee, Mitsuki, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shinki
Tags Borusara, Naruto, Sao
Visualizações 91
Palavras 2.586
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, olá! Estão preparados para o tiro que é esse capítulo? Boa leitura!

Capítulo 43 - Eu sou Uzumaki Boruto.


E, no final das contas, a história de terror de Sarada era real. E, merda, aquela história não tinha final. 

-Lembra-se que ela disse que deixava em aberto o final? - Pergunta Inojin. - Porra, como vamos recuperar Sarada-chan?  

-Se a história é real, precisamos, primeiro, descobrir onde ela está. - Fala Shikadai, ao lado de Inojin.  

Depois que Shikadai me explicou o que estava acontecendo, eu pedi uma reunião imediata com o meu esquadrão e convoquei Inojin, Mitsuki, Shirika e Susmy. Tudo acabou sendo escondido, por causa da merda do nosso superior. 

-Como era a história? - Pergunta Shirika, preocupada. 

-Nada. - Fala Mitsuki para ela, secamente. - Você não devia estar aqui. 

-Olha aqui! Eu sou amiga da Sarada-chan! Eu tenho direito de estar aqui para salvá-la. 

-Você não tem condições para tal, Shirika! 

-Para de ser tão protetor, Mitsuki!  

-Shirika! 

-Mitsuki! 

-CALA A BOCA, SHANNARÕ! - Berra Susmy. O garoto soca o chão em uma tentativa para não bater nos dois e o chão se partiu em um estouro. Todos nós olhamos perplexo para o garoto de cabelos cor de rosa, como se tivéssemos visto ele pela primeira vez. - Minha irmã precisa de ajuda e se for para vocês ficarem brigando ao invés de pensar em alguma solução, podem ir embora! Ninguém merece essas frescuras do inferno! - Rosna ele, afastando de Mitsuki e Shirika. - Saco. - Ele olha para mim. - O que você vai fazer, baka Boruto? - Sei que meus olhos estão arregalados para o garoto. O que aconteceu com o fofo do Susumo que eu conheço? - Eu estou cansado! Eu quero a minha família perto de mim e, já que não posso ficar perto dos meus pais, só me sobra a Sarada-onii-chan e agora ela foi sequestrada. E vocês estão aqui parados! Na moralzona, chega. Chega. Quero que todos vocês explodam. Ninguém vai fazer nada, então eu faço. Já era para eu ter feito mesmo, mas achei que uma equipe iria me ajudar mais, mas, pelo visto, estava completamente engano. Vocês não passam de adultos mimados. - E com isso, ele se retirou da tenda.  

Ficamos todos em silêncio. O que foi que aconteceu? 

Balanço a cabeça e vou marchando atrás do garoto. A responsabilidade de cuidar dele agora era minha. Deixo todos para trás e sigo o menino que vai andando até a floresta. Ele está mesmo achando que vai conseguir sozinho?   

-Susumo! - Chamo-o e ele simplesmente me olha por cima dos ombros. Travo de surpresa. Os olhos verdes do garoto não estavam mais lá. No lugar, o vermelho-sangue prevalecia.  

Ele pareceu não perceber essa mudança repentina e continuou marchando para mais fundo da floresta. 

-Não preciso de você. - Fala ele, simplesmente. 

-Precisa, sim. - Digo e corro até ele. - Você não tem idade para tomar decisões. 

-Nem você. - Fala ele, acidamente. 

-Olha, Susmy, o que aconteceu? 

E ele para bruscamente. Eu paro também. Susumo vira 180 graus e encara os meus olhos. Vermelho com azul. Engulo em seco. Susumo parecia que iria explodir a qualquer minuto, seus olhos eram puro ódio. 

-Sabe o que aconteceu, Baka? Aconteceu que eu percebi que meu pai tinha razão. Ninguém se importa comigo ou com a minha família. É cada um por si. É isso que é a realidade. Se eu quero que a minha irmã esteja segura, eu mesmo preciso fazer isso porque ninguém fará por mim. Somos um clã em extinção. Um clã odiado por todos. Só temos um ao outro. Então foda-se. Você não entenderia, já que é filho do Hokage. 

Sinto como se eu tivesse sido apunhalado. Como ele sabia que eu sou filho do Hokage, sendo que eu jamais havia falado isso para ninguém aqui de GAPO? Começo a olhar para o garoto com outros olhos. Susumo não é uma criança indefesa igual Himawari. Era aquele olhar... O mesmo olhar da Sarada. Aquele olhar de quem sabe das coisas. De quem já viu a morte cara a cara. 

-Olha, Susmy... Posso não ter passado pelas mesmas coisas que vocês, mas eu também sofri na minha vida... 

-É claro – corta-me ele - é difícil escolher qual garota pegar, né? Não sei como aguentaria essa decisão tão difícil. - Zomba ele. 

-A minha vida não é bem assim, Susumo. 

-Ah, claro. Desculpe, me enganei. Você não escolhe, você só brinca com elas. Principalmente da minha irmã, não é mesmo? 

Avanço contra Susumo sem pensar, porém, ele desvia com uma facilidade impressionante e eu bato contra uma árvore. 

-Não fale assim da Sarada, dattebasa! - Berro.  

-Eu não estou falando dela e sim de você, baka! - Berra ele de volta. 

Tenho vontade de socar a cara dele, mas lembro-me que ele está apenas com medo de perder a irmã dele tanto quanto eu estou com medo de perdê-la. Respiro fundo e fecho os olhos, na tentativa de me acalmar. 

-Olha, Susmy... - Falo, mais calmo. - Você está apenas nervoso e eu... 

-NÃO FINJA QUE ME CONHEÇA! VOCÊ NÃO SABE NADA SOBRE MIM! NÃO COMPARE A MINHA VIDA COM A SUA! VOCÊ NÃO SABE O QUE É SER UM UCHIHA.  

-Não, não sei. - Digo, esticando a mão para acalmá-lo. - E quero saber como é se você ou a sua irmã me deixarem entrar na vida de vocês. 

-SARADA ESTÁ MORTA UMA HORA DESSAS. 

-Não, não está. 

-COMO VOCÊ PODE SABER? - Grita Susumo, fechando os olhos e cerrando os punhos. E foi nesse gesto que percebi que tudo não passava de uma encenação. Susumo não estava com raiva de mim. Nunca esteve. 

Ele estava com medo. Um Uchiha com medo jamais vai ser coisa boa. E, seguindo esse pensamento, lembrei-me de outra coisa que só os Uchihas fazem. Levo a mão direita até a minha testa, onde, uma vez, Sarada cutucou e não consigo conter o sorriso do pensamento bobo que surge em minha mente. 

-Porque estamos conectados. 

E, pelo olhar que Susumo me deu, eu disse algo que o fez lembrar de alguma coisa. Sinto que eu fiquei roxo. Será que eu falei alguma coisa errada? Eu não sei como é, realmente, as tradições dos Uchihas. Não sei se o cutucar de testa significa o que eu realmente acho que signifique. O menino abaixou a cabeça e seus cabelos cor-de-rosa tampam os seus olhos. Vejo um sorriso de canto surgir nos lábios dele. 

-Sabe qual é o maior defeito do meu clã? - Murmura ele e eu quase não consigo ouvir. Quase. 

-Qual? 

-Nós amamos demais. - Fala ele e vejo lágrimas escorrerem pela sua face. -  Nosso clã valoriza o amor acima de tudo isso. É até engraçado, se você parar para pensar. O clã que coloca o Amor em um pedestal é o mesmo clã que sofre com a maldição do ódio. - Ele levanta o olhar e seus olhos voltaram aquele tom verde brilhante. - É complexo, mas... A dedicação pelo amor dos Uchihas causaram o seu fim. Sarada, eu e meu pai somos os últimos do nosso clã. Meu clã foi massacrado por causa do amor que sentimos. E eu já parei para pensar tantas e tantas vezes que se não tivesse esse amor... - A mão dele segura firme a camiseta, onde fica o coração dele. As lágrimas não param de escorrer. - O mundo parece não valer nada, sabe? - Um soluço. - E eu tento, juro que eu tento, odiar a minha família, a maldita maldição que eu carrego no meu sangue, mas... Mas... Quando eu penso...Em Sarada-onii-chan, eu... - Mais um soluço. - Ela é a minha fraqueza. - Seus olhos encontram os meus em desespero. 

Olho para o garoto com empatia. Mal sabe ele que a maior fraqueza dela é ele. Antes que eu pudesse dizer alguma coisa, o menino continuou: 

-Meu tio massacrou o meu clã inteiro para que o meu pai sobrevivesse, durante a revolta do meu clã contra Konoha. Itachi Uchiha massacrou o clã inteiro, tirou uma vida atrás da outra, por amor ao irmão. Sabe como é isso? E eu sinto que eu seria capaz de matar o meu próprio pai pela minha irmã, então eu sei muito bem o que tio Itachi sentiu e eu faria a mesma coisa, sem pensar duas vezes. - Três soluços antes dele voltar a falar. - E isso é horrível! Como eu queria odiar a minha irmã. Você não tem noção. Ela é a favorita do meu pai, ela é a melhor ninja do vilarejo que a gente se mudou, ela consegue guardar um grande fluxo de chakra, igual a minha mãe, desde os nove anos. Eu não sei fazer nada disso! Eu nem ao menos despertei o sharingan! Ela despertou com meses de vida! - Olho para o menino sem entender. Ele não tinha despertado agora mesmo? - Todo mundo compara Sarada com Itachi e, céus, como eu queria que isso fosse mentira, mas não é! Sarada é o novo prodígio do clã Uchiha e eu nem ao menos tenho a característica que me definiria como um Uchiha! Eu queria odiá-la tanto, mas tanto! Mas eu simplesmente não consigo! Não consigo odiar Sarah-onii-chan! - Ele tudo isso sem fazer pausa nenhuma e eu continuo ouvindo as reclamações de Susumo. - Eu queria jogar a responsabilidade para vocês, ficar quieto no meu canto enquanto vocês fossem buscar ela, mas como nenhum de vocês se responsabilizaram, senti que eu precisava dela. Salvá-la. E eu não consigo entender mais nada. 

-Achei que vocês fossem unidos. 

-E somos. Você não vê? Esse é o problema. - Ele fala e desata a chorar sem parar.  

-Susumo. Você é um Uchiha. Imagino que as características que você estava falando é a cor do cabelo e dos olhos, estou certo? Pois bem, isso não define nada. Uzumakis são ruivos e eu sou um Uzumaki loiro. E que mal isso faz? Eu continuo tendo sangue Uzumaki, da mesma forma que o sangue que corre em suas veias é Uchiha. Você diz que seu clã ama demais e eu acredito plenamente nisso pela forma que você e Sarada agem. Talvez seu clã seja muito melhor que o meu e o meu também quase foi extinto, Susmy. E eu acho que a única diferença é que você tem receio pelo fato de não ter despertado o seu sharingan, já que a marca mais poderosa do seu clã são os olhos de sangue e eu sinto em lhe dar a notícia: até agora seus olhos estam vermelhos-sangue. - E com isso, Susumo parou de chorar e ficou me olhando perplexo. Sua mão direita vai até o seu olho direito, tampando.  Dou o meu melhor sorriso com a cena e caminho até o garoto, colocando a mão direita em seus cabelos rosas, bagunçando-os um pouco. - E eu acho você incrivelmente habilidoso para a sua idade, Susumo-chan! 

O menino abre a boca para dizer algo, mas antes que ele possa falar alguma coisa, uma adaga voa entre nós dois, acertando a árvore do nosso lado. Afastamo-nos em um pulo, olhando em direção de onde veio a adaga. Antes que eu pudesse pegar a minha espada, Susumo estava com kunais em suas mãos. Eu não sabia que existiam kunais em GAPO. 

-Que comovente. - Fala uma voz sombria e que faz os pelos dos meu corpo se arrepiarem. Olho para Susumo, de relance, para ver como ele estava. O garoto mordia o lábio inferior, kunais em punhos e seus olhos ardiam vermelho-sangue vivo. - Um Uchiha e um Uzumaki, aqui, em GAPO? Rá! Que piada do destino. - No meio das sombras duas luzes amarelas brilham. Seriam olhos? 

-Quem está aí? - Falo, com a espada em punhos e dando um passo para frente, na tentativa (que eu imagino que seja falha) de proteger Susumo do que estava ali. 

-Você está com medo, Uzumaki. - Fala a voz e só agora percebo que eu apertava o punho da espada com força. Eu realmente estava com medo, mas estava com medo daquela voz ou de imaginar o que estava acontecendo com Sarada? - Você deve estar se perguntando como eu sei. Sabe... Eu entendo o motivo desse seu medo. 

-E qual seria? - Dou outro passo para a minha diagonal, chegando mais perto do menino de cabelos rosas. Algo dentro de mim dizia que, se eu precisasse, eu daria a minha vida por ele. 

-A caça reconhece o caçador. - E com isso as luzes avançaram contra mim em um movimento rápido.

Mas eu era mais rápido. 

A espada apareceu em minha frente no momento que as garras do monstro cruzaram na minha frente para fazer um grande estrago na minha carne. O monstro parecia um lobisomem daquelas histórias que a minha mãe me contava quando eu não queria dormir. Susumo dá um gritinho abafado atrás de mim. A espada em minhas mãos treme com a força que eu e o monstro fazíamos. 

-Tsc... - Estalo a língua, os meus olhos não desgrudavam dos olhos amarelos dele. Faço o chão em meus pés de apoio, porém vejo-me escorregando para trás pela força do lobisomem. As veias em meus braços se ressaltarem pela quantidade de força que eu fazia. 

-Boruto! - Chama Susumo e tenho a impressão de ouvir ódio em sua voz. - É ele. Foi ele quem sequestrou Sarada. 

O lobisomem parece sorrir e eu sinto o hálito podre dele invadindo as minhas narinas e eu tenho vontade de chorar com a podridão. Lembro-me da narrativa que Sarada fez. Realmente ele fazia parte da história. 

-Como você sabe? - Resmungo e logo em seguida eu mordo o lábio inferior. Como ele podia ser tão forte? 

-O cheiro. - Fala ele e sinto uma kunai voar perto da minha orelha, em direção ao monstro que tenta desviar, porém acaba sendo lento demais e a kunai causa um corte em suas bochechas lupinas. O monstro dá um pulo para trás, afastando-se de mim e o meu corpo se desequilibra por uma fração de segundos. Susumo era o único perto de Sarada durante o apagão. Olho por cima do ombro e vejo a determinação estampada no rosto do garoto. Percebo que de nada vai funcionar para mantê-lo longe da luta e então eu olho para a frente, em direção ao monstro. 

-Susumo? - Chamo, determinado. 

-Sim? - O ódio é notável em sua voz. 

-Topa fazer uma parceria comigo igual a sua irmã fazia? - E rezo para todos os santos para que ele entendesse a indireta. - Você consegue? 

-Claro. - E em sua voz, misturado com o ódio, percebi que ele entendeu e estava determinado. 

-Como um pirralho como ele pode ajudar você? - Fala o monstro. - Está chamando ele para ser a minha sobremesa? Acho que até gostei da ideia. Dois Uchihas e um Uzumaki para o jantar. Um belo de um banquete.  

-Você até que é mais cheiroso que o monstro anterior que eu matei. - Zombo. - Não me subestime, Vira-Lata. - Dobro um pouco os joelhos, em posição de combate e franzindo um pouco a testa. A espada preparada para o bote que eu estava planejando dar. Rezo, internamente, para que Susumo tenha entendido que ele precisava fazer os mesmos movimentos de Sarada. - Eu sou Uzumaki Boruto e eu que sou o seu caçador. 

E, com isso, eu avanço contra o monstro. Vejo várias kunais voando em minha volta, todas miradas no lobisomem. E eu sorrio antes de chegar até a minha caça porque... 

Bom, um Uchiha jamais erra o alvo. 

Susumo não seria diferente. 


Notas Finais


O que acharam? Hahahaa Eu espero que tenha causado um impacto em vocês porque a intenção era essa! Espero que tenham gostado! Vocês acham que Susumo dá conta dessa parceria? Vocês acham que ele é forte e poderoso igual? Bom, contem-me as suas opiniões e suas teorias! Eu amo ouvi-las! Até o próximo capítulo, caros leitores!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...