História Gune em Campinas - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Tags Benê, Gune, Guto, Malhação
Visualizações 213
Palavras 1.780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi lindezas...
O capitulo está muito fofo.
Se tiver algum erro por favor não reparem, não deu tempo de revisar.
Espero que gostem.
Boa leitura 😉

Capítulo 36 - Viajem com os Sampaios


Fanfic / Fanfiction Gune em Campinas - Capítulo 36 - Viajem com os Sampaios

2 meses depois...

  

        ( Guto )

DIA 1: 

- É muito bonito aqui. - disse Bene olhando pela janela do avião assim que a aeromoça anunciou que o avião iria pousar.

- Sim Bene aqui é muito lindo. - respondeu minha mãe.

- Vocês já vieram para cá antes? - perguntou Bene. 

- Não linda é a primeira vez que viemos aqui. - respondi.

 Chegamos ao Resort e minha mãe foi na recepção enquanto a esperamos sentados em um sofá. Em poucos minutos ela voltou sorrindo.

- Fiquem tranquilos não separamos os casais, aqui estão chaves a do quarto de vocês e a do quarto de vocês. - disse ela entregando uma chave para a Claudinha e a outra chave para mim. 

Pegamos as malas e fomos em direção aos quartos eu e Bene estávamos um pouco para trás dos quatro.

- Guto Eu e você vamos dormir no mesmo quarto? - perguntou ela sussurrando.

 - Sim Bene, lembra que eu te falei que minha mãe não liga para isso, ela mesmo que fez as reservas e separou quem vai dormir com quem. Mas fica tranquila meu amor, eu conversei com a minha mãe e expliquei a ela que não dormimos na mesma cama, ela pediu que colocasse duas camas de solteiro no quarto. - falei e ela acentiu sorrindo.

 Chegamos ao quarto e Bene foi até a sacada e olhou à vista do Resort e mais a frente se ve o mar.

- Realmente é muito lindo aqui. - disse ela  encantada  com lugar.

- É sim meu amor  e com você aqui  fica ainda mais lindo. - falei me aproximando dela dando um selinho.

Estava quase anoitecendo e resolvemos descansar um pouco antes de irmos jantar, pois a viagem mesmo de avião é cansativa. Assim que acordei vi Bene saindo do banheiro ela já havia tomado banho, esta linda com um vestido florido de alcinha que vai até o meio de suas coxas.

 - Porque não me acordou? - perguntei.

 - Eu ia te acordar agora mas estou vendo que você foi mais rápido. - disse ela e eu sorri.

 Tomei banho e descemos para jantar com meus pais.

- Aonde estão Théo e Claudinha? - perguntei.

- Eles foram jantar em outro lugar falaram que queriam ficar sozinhos. - disse meu pai.

 Durante todo o jantar a conversa fluiu normalmente bem, minha mãe e Bene conversavam sobre tudo, pareciam  melhores amigas, meu pai apesar de ser um pouco mais reservado que minha mãe também conversou bastante com a minha Bene.

 DIA 2:

 Estamos tomando café da manhã com meus pais quando chegam Claudinha e Téo para nos acompanhar.

- Bom dia, Bom dia.. mãe, pai, mano e cunhada tenho uma notícia para vocês. -disse Clau sorridente.

- Bom dia filha. Pode falar, só espero que seja notícia boa. - disse meu pai.

- Para mim é ótima. - disse Théo.

- Conta filha, to curiosa. O que é? - perguntou minha mãe.

- Bom é que ontem quando eu e Théo fomos jantar ele me pediu em casamento. - disse Clau.

- O que? - perguntamos todos juntos.

- Dona Simone, Senhor José Augusto... Eu gostaria de pedir formalmente para vocês a mão de Claudia em casamento. Ontem eu pedi a ela e ela aceitou. Eu sei que estamos juntos a pouco tempo, mas já é o suficiente para eu saber que eu a amo e que é com ela que quero passar o resto da minha vida.  Mas podem ficar tranquilos, só iremos nos casar no final do ano que vem que é quando terminamos a faculdade. - disse Théo um pouco nervoso mas feliz.

Meus pais autorizaram e falaram que abencoam a união deles. Todos ficamos surpresos com a notícia mas também ficamos muito felizes pelo casal, pois apesar do pouco tempo que conheço Théo tenho certeza que ele fará minha irmã muito feliz. E ali na nossa frente eles trocaram da aliança prata para a dourada, oficializado o noivado.

 Passamos o dia turistando o lugar, e é incrível como Bene e meus pais se dão bem, o que me deixa imensamente feliz.

DIA 3:

 Bene, minha mãe e Théo foram correr na beira da praia e eu sentado na sacada do quarto conseguia vê-los de longe.

- Maninho está aí? Posso entrar? - perguntou Clau batendo na porta.

- É claro, entra. - respondi abrindo a porta e dando espaço para que ela entrasse.

Sentamos na sacada e percebi que ela não estava muito bem.

- O que você tem? Ontem você estava tão feliz e hoje está assim? Eu te conheço, o que aconteceu? - perguntei preocupado.

- Você não faz ideia do que eu fiquei sabendo. - disse ela.

- Não faço mesmo. Me conta.. - falei.

- O Fernando está aqui ou estava não sei. - disse ela nervosa.

- Como você sabe disso? - perguntei.

- A Lívia (irma de Fernando), postou um stores no Instagram ontem anoite. De tantos lugares que existem, ele tinha que estar justo no mesmo lugar que a gente. Eu não quero encontrar com ele Guto. - disse ela.

- Calma, o Théo está aqui e eu e ele não vamos deixar aquele idiota se aproximar de você. - falei a abraçando.

- Você contou isso ao Théo? - perguntei.

- Sim. Não escondemos nada um do outro. - ela respondeu.

A tarde fomos fazer um passeio de barco até uma das ilhas do lugar. A cada passeio que fazíamos eu via que minha Bene ficava ainda mais encantada.


          ( Bene )

DIA 4:

É de tarde, Simone e Claudinha foram ao spa, como eu não gosto de ser tocada esse não seria um lugar que eu iria gostar, então eu e Guto resolvemos passar a tarde na praia. Guto foi dar um mergulho e eu fiquei embaixo de um guarda-sol, deitei com a barriga para baixo, apoiei minha cabeça em meus braços cruzados e fechei meus olhos, contemplando apenas o barulho das ondas do mar e o vento em meu rosto.

- Que que é isso heim... - ouvi alguém dizer muito próximo a mim, a voz me pareceu conhecida, mas não conseguia me lembrar de quem é. Então levantei minha cabeça e abri meus olhos para ver quem é.

- Fernando? - falei surpresa me levantando e me sentando.

- Bene? O que está fazendo aqui? - perguntou ele.

- Acredito que o mesmo que você. Aproveitando as férias. - falei.

- Você veio sozinha? - perguntou.

- Não, eu vim com o Guto. - respondi.

- Sabe Bene,  agora, te vendo assim entendo porque Guto está com você. Agora eu preciso ir. Volto para São Paulo hoje. Tchau.  - disse ele sorrindo e se afastando.


           ( Guto )

Eu estava morrendo de calor e resolvi dar um mergulho no mar, como Bene não quiz ir comigo perguntei a ela se ela se importava de eu ir rapidinho, ela disse que não, então dei um selinho nela e fui em direção ao mar.

Após dar um mergulho olhei em direção à Bene e vi que havia um homem conversando com ela, ele estava de costas para mim, o que não me deixava ver seu rosto.

- Quem é aquele? E oque tanto fala com a minha Bene? - perguntei baixinho para mim mesmo.

Sai da água para ir até eles e vi que ele foi embora.

- Quem é aquele que estava conversando com você Bene? - perguntei me sentando ao lado dela.

- Era o Fernando. - respondeu ela.

- Então ele ainda está aqui? - falei.

- Está. - disse ela. Eu contei a ela tudo que Claudinha me falou, nós contamos tudo um para o outro.

- E o que ele queria? - perguntei.

- Saber o que eu estava fazendo aqui. - disse ela.

- Ele perguntou da Clau? - perguntei.

- Não. E eu também não disse nada que ela está aqui. Ele falou que está voltando para São Paulo hoje. - respondeu ela.

- Melhor assim. - falei.

- Guto... ele me disse uma coisa que eu não entendi. - disse ela.

- O que ele disse? - perguntei.

- Ele ficou me olhando e me disse que agora entende o motivo de você estar comigo. O que ele quiz dizer com isso? - disse ela e senti meu sangue ferver.

- Ele disse o que? - perguntei.

- Você quer eu eu repita? Ele ficou me... - ela começou a dizer mas eu a interrompi.

- Não precisa meu amor, eu entendi. E se ele não quer levar mais um soco na cara é bom ele nunca mais se aproximar de você. Falei e expliquei a ela o que ele quiz dizer.


DIA 5 e 6:

Todos nós fomos passear, aproveitamos esses dois últimos dias para ir em todos os lugares que ainda não tínhamos ido, amanhã após o almoço voltamos para São Paulo. Sai do banho, entrando no quarto e vi Bene que já estava de pijama, na sacada olhando para o céu.

- Gostou das nossas férias? - perguntei a abraçando.

- Uhum. - respondeu ela.

- Que foi meu amor? Está tudo bem? - perguntei.

- Está. Eu só estava aqui pensando. - ela respondeu 

- Pensando no quê? - perguntei.

 Ela se virou para mim, me olhou, respirou fundo e me beijou. O beijo logo de cara já era quente, ela me beijava com vontade e eu lógico retribui. Fazia tempo que não nos beijavamos assim, eu percebi que ela estava nervosa com alguns toques então como sempre eu esperava a iniciativa vindo dela.

Continuamos nos beijando, fomos andando pelo quarto sem parar de nos beijar, minha mãos explorava as curvas de seu corpo, e vendo que ela não evitava eu continuava. Ela parou de me beijar, tirou a minha camiseta rapidamente e ficou olhando para meu peito. Ela ergueu suas mãos e encostou a palma de sua mão em meu peito tirando - a rapidamente assim que sentiu aflicao, ela respirou fundo e fez novamente, e continuou fazendo isso por algumas vezes conseguindo prolongar cada vez mais as suas mãos sobre mim. Após ela ver que não sentia mais aflição a isso ela olhou para mim e tirou a sua blusa e assim voltou a fazer o que estava fazendo antes, mas agora em vez de encostar a palma de sua mão, ela me abraçava e se afastava assim que a aflição vinha. Ela fez isso repetitivamente, então eu percebi, ela está se acostumando a esse toque. Assim que ela se acostumou ela voltou a me beijar mas intensamente do que antes. Minhas mãos foram até o feiche do seu sutiã desabutuando-o.

Ela se afastou de mim segurando a parte da frente do mesmo não deixando expor seus seios.

- Eu ainda não estou pronta pra isso. Desculpe. - disse ela.

- Não precisa se desculpar meu amor. Você está indo muito bem, só me surpreende. - falei. Eu realmente estava surpreso pela persistência dela em aceitar certos toques.

- Te amo, minha Bene. - falei dando um beijinho em sua testa.



Notas Finais


Esse 🔥só que aumenta.

Gutinho com ciúmes da Bene...

Bene se esforçando para se acostumar aos toques com Guto..

E aí o que acharam da viajem?

Spoiler do próximo capitulo:
"Não importa o que passemos, se estivermos juntos o amor sempre vencerá".
😗😗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...