História Gunê- O amor é sempre assim? - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Tags Benê, Gune, Guto, Malhação
Visualizações 594
Palavras 1.461
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


♡♡♡♡♡♡♡

Capítulo 15 - Flaga...


 

"— Eu realmente sou louco por você... o que você fez comigo? - O garoto estava com um sorriso de tirar o folego, ele depositava vários selinhos em meus lábios, foi apenas o tempo de recuperar o folego, quando ia responder, ele selou nossos lábios, me emprensando ainda mais contra a parede. Confesso que me assustei ao sentir algo entre as pernas do guto, roçar em meu corpo, mas preferi não bancar a curiosa, e apenas esperar. Nossos lábios já estavam completamente avermelhados, tudo estava perfeito. " Isso só podia ser um sonho, o Guto, ele realmente estava dizendo tudo aquilo? ~pensava~

— MAS QUE POUCA VERGONHA É ESSA? -Julinho estava parado em frente a porta.

 

[Guto]


 

Já estava completamente sem controle, nossos corpos se chocavam um ao outro, como se fosse preciso viver aquele momento, sentir tudo que as emoções queriam que fossem decifradas naquele pequeno instante. Sabia que tinha que me controlar, se não iria acabar fazendo uma loucura ali. Meus sentidos já não fazia parte de mim, um pequeno incomodo entre minhas pernas, fazia questão de demonstrar que já estava completamente excitado, minha calça já era meu pior inimigo naquele momento, cada segundo que se passava, meu membro suplicava cada vez por alívio, precisava de alívio, o alívio que apenas encontraria nela! Percebi que ela se incomodou um pouco ao ter o contato com meu membro "Mesmo sem saber o que realmente aconteceu!", fiquei com um pocuo de receio..

 

No meu pensar, ela iria me empurrar pelo o ocorrido, mas não, ela apenas ignorou, isso me fez ter certeza que podia continuar, fazia questão de imprensar a jovem ainda mais contrar a parede, claro, que com um certo cuidado, sabia que não gostava de toques, fazia tudo com o máximo de cuidado e controle que podia. A minha vontade naquele momento, era de jogar ela na cama, e fazer dela minha para sempre, mas à Benê, ela não era como as outras garotas, digo, não gostava do que as garotas geralmente queria de um menino. Já estava tanto sem controle sobre meu corpo, que qualquer faísca, iria pegar fogo!

 

MAS QUE POUCA VERGONHA É ESSA? -Julinho estava parado em frente a porta.


 

" Aquela voz, parece muito com......AI, QUE MERDA!"

 

Me soltei rapidamente da minha boneca, que estava completamente; envergonhada, corada, com seus lábios completamente avermelhados, pequenas marcas avermelhadas de mordidas sob o pescoço "Marcas que não iriam demorar a sumir." e com uma parte do short um pouco suspensa! (Claro que não foi culpa minha, eu juro!) Não me virei para ver quem era, por mais que já soubesse, pois sabia que havia algo que iria entregar o que estava havendo naquele momento! Puxei minha mochila que estava em meu ombro, colocando em frente das minhas pernas.

Fiquei ali, parado, apenas esperado a morte! Achei que a mãe dela estava com o Julinho, mas apenas estava ele, parado. Me virei para ele, ainda com a mochila em minha frente;

 

— Vamos! O gato comeu a língua de vocês? - O garoto perguntava ainda enfurecido pela cena que acabava de presenciar!

 

— Julinho! - Benê resmungou.

 

Como ela falou o nome dele, certamente seria o nome dele, certo?! Se não fosse iria passar uma baita vergonha.

 

— Julinho! Não é o que você está pensando! Não foi nada demais, não precisa exagerar.- Falei, tentando pensar em uma desculpa! É criança, vai ser fácil enganar.

 

— Ah, não? Jura? Já que não é nada de mais, não vai fazer mal nenhum falar com minha mãe... OH MÃ... - O interrompir.

 

— Não! Quer dizer...não precisa isso tudo, só estava...quer dizer, só estava .... - tentava buscar as palavras certas.

 

— Julinho, para com isso! - Benê dizia olhando o seu irmão mais novo.

 

— Você também Benedita, que decepção! - Ele balançava a cabeça- —: Oh, gente! Tem uma criança inocente aqui, pow! -ele protestava.

 

— Julinho! Por favor, chega! - Novamente Benê dizia. —: O Guto já estava indo embora!

 

— Estava? É, eu acho melhor eu ir embora! - Confesso que falei meio preocupado com o que o Julinho poderia fazer!

 

— Qual é playba, tá querendo fugir? Tá com medo de apanhar, é!

 

[Benê]

 

Observar o Julinho falando daquele jeito, me fez querer rir, a cena foi muito engraçada.

 

— Julinho, para de implicar com o Guto! - A voz da mamãe ecoou naquele cômodo, fazendo logo perceber que ela estava atrás dele.

 

— Mas mãe, eles estavão.....- foi interrompido pelo guto.

 

— Dona Josefina, eu estava aqui esperando a senhora voltar, eu não ia deixar à Benê sozinha. O julinho acabou de chegar, estava justamente dizendo a ele, que já teria que ir mas....-pensei- Mas ele estava pedindo para que eu esperasse a senhora.

 

— O quê? - Júlinho arregalou os olhos.

 

Julinho estava fuzilando o Guto seriamente, como se pudesse matar ele apenas com a força dos seus games.

Que esperto, eu não ia conseguir pensar em algo tão bom, como ele pensou. ~pensei~

 

— Mãe!!!!!!!!! - Julinho exclamou.

 

— O que foi agora Júlio? - Ela o repreendeu.

 

— Ora, Ora, por que será que o Guto está com a mochila entre as pernas, e não tirou dali um instante? - Com um sorriso de vitória estampado nos lábios, ele apontava em direção do guto.

 

— Filho, deixa o Guto! - Ela disse ignorando total o que ele havia dito.

 

— PODE IGNORAR, QUANDO AQUI SE TORNAR A CASA DELES, COM ESSE PLAYBA SEMPRE POR AQUI, NÃO VENHA DIZER QUE NÃO AVISEI! MÃE, ELES VÃO ME EXPULSAR, VÃO ME JOGAR NO MATO! OU PIOR, ELES PODEM ARRANCAR TODOS OS MEUS ÓRGÃOS! AAH, MÃE! VAI DEIXAR ESSES DOIS FAZER ISSO COM SEU POBRE FILHO? - Fez um drama que chega exagerou naquele momento.

 

— JULINHO, JÁ CHEGA! - Bastou apenas um olhar da mamãe para que ele abaixasse a cabeça, e fosse para o banheiro!

 

— ISSO, ALÉM DE ATURAR A SENHORA COM O BREGA DO RONEY. AGORA É A BENEDITA COM ESSE CAVALO! - Ele gritou ainda do banheiro.

 

—Cavalo? Mas não tem nenhum cavalo! - perguntei meio que sem entender. Na verdade, eu entendi, mas queria começar a aprender totalmente, sem dúvidas.

 

— JULIO, O QUE VOCÊ DISSE?

 

— NADA MÃE! - Ele respondeu ainda do banheiro.

 

— Desculpa Guto! - resmunguei.

 

— Desculpa meu filho, o Júlio as vezes é assim mesmo.- Josefina sorria carinhosamente para o moreno.

 

— Tudo bem! - Ele deixou um sorriso encantador sugir nos lábios.

 

— Venha Guto! Venha almoçar com a gente hoje!

 

— Muito obrigado pelo convite dona Josefina. Mas eu prometir a minha mãe, que hoje iria almoçar com ela, e ainda tenho que ir ver minha namorada!


 

Naquele momento, minha fisionomia mudou de alegre para séria, pela primeira vez na vida, eu fiquei com raiva de algo que ele falou. Minha mãe ainda insistiu algumas vezes, mas ele realmente estava precisando almoçar com a mãe dele, e depois e ver a "Namorada". Depois de muita insistência, minha mãe finalmente decidiu ceder, deixando assim, o almoço para outro dia. Depois que ficou conversando um pouco com o Guto, ela foi para a cozinha, deixando apenas nóis dois naquele cômodo.


 

[Guto]


 

Eu sei que não devia ter mentido daquela forma, mas eu não iria aguentar ficar por muito tempo com a mochila entre minhas pernas, logo iriam perceber algo estranho. Quando falei "Namorada" confesso que me deu uma agonia só de pensar, tipo, não que eu não goste da Clara. Sim, eu gosto muito dela, mas não o suficiente para namorar. Quero ela apenas como amiga, seria tão mais fácil se todos não estivessem me cobrando tanto.

Dona Josefina, é uma ótima pessoa. Perfeita como sogra, eu garanto. Ela insistiu mais algumas vezes, mas continuei agradecendo e dizendo que deixaria para a próxima.

Pude perceber que a Benê havia se incomodado um pouco quando eu falei "namorada"! Ela havia ficado um pouco séria. Depois de alguns instantes conversando com a Dona Josefina, e super incomodado, ela nos deixou a sós.

Deixei um sorriso surgir ao olhar para Benê, que ainda se encontrava completamente séria, com os braços cruzados.

 

— Então Benê, quando iremos ter aulas fixas de piano?

 

— Não seii! - ela respondia completamente seca.

 

— Qual é Benê? Não me faz ter que ir aí tirar esse biquinho! - Mordisquei meu inferior. —: Olha, agora eu tenho que ir.


 

Ela apenas me olhou, seguindo para fora do quarto. Me despedir da D"Josefina. Depois de alguns segundos, seguimos até o lado de fora da casa em um completo sillêncio.

 

— Tchau, Benê! - sussurrei ao passar pelo portão.

 

— Tchau, Guto! Tenha uma ótiima tarde com a sua namorada! - Ela estava completamente séria.

 

— Benê... - revirei os olhos.- O que vou ter que fazer para colocar na sua cabeça que você é a mulher que eu amo, minha menina normal! - não pude conter o sorriso ao observar como era fofo ver ela tentando ficar zangada.


Notas Finais


Aaaaaah, gente. Me perdoem pela demora, por ter sumido. ;-; ♡♡♡
Estou ainda surtando com o "kiSS' que vai rolar na novela. ><♡♡♡
Enfim, meu amores, desculpem por ter sumido, por ter ficado tanto tempo longe da fic...♡♡♡
E esse Julinho, quase dedura tudo, hein? hueheuhe♡♡♡
Desculpem se houver qualquer erro, não estou revisando esses dias...sorry! ♡♡♡
Eu sempre digo o pq de sumir, então não vou dizer novamente. ♡♡♡
Estou super feliz com cada comentário de vcs. Obrigada pelos comentários e os favoritos. Obrigado por gostarem da minha fic! Confesso que no início não achei que iriam gostar. ♡♡♡
Ah, gente, estava lendo uns capítulos anteriores, e vi que errei muito ( Alguns). Prometo assim que melhorar, eu irei editar parte por parte. ♡♡♡
Bjão, obrigado! >< Não ficou tão legal esse capítulo, mas sussa. Ignorem os erros, como eu disse, eu não revisei.♡♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...