1. Spirit Fanfics >
  2. Há males que vem para o bem >
  3. Prólogo

História Há males que vem para o bem - Capítulo 1


Escrita por: whoiambro

Notas do Autor


\O/ olha eu de volta aqui com mais uma fic do LOONA kakaka
Então gente, essa história aqui vai ser um pouquinho pesado por tratar de temas tristes e desconfortável de ler, tipo: depressão, assédio, estupro. Então se você é sensível, não leia essa fanfic ok? Sua saúde mental em primeiro lugar. Apesar de que eu acho que foi só esse prólogo mesmo que é tenso assim só pra poder explicar mesmo, os outros provavelmente serão mais leves. Enfim, se alguém ainda assim quiser ler Boa leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Há males que vem para o bem - Capítulo 1 - Prólogo

Para Jo Haseul digamos que a vida não foi nada amigável com ela, muito pelo contrário, sempre foi muito dura. Desde pequena sofria demais, seja nas mãos de seus próprios pais que a tratavam tão mal como se fosse um cachorro, na verdade, bem pior. Ou seja nas mãos de seus colegas de escola. Haseul praticamente vivia como escrava, passava dias sem tomar banho e se alimentar direito, e quando podia finalmente comer era o resto das sobras de comidas de seus genitores, e o banho? Ah, o banho era apenas um balde de água gelada sendo jogada em si. 

Demorou alguns anos para que pudesse finalmente entender o porquê de seus próprios pais a tratarem assim, e o motivo era muito simples se parasse para pensar: tanto seu pai quanto sua mãe, nunca a quiseram. Eram várias as vezes em que tentaram abortá-la, porém falharam em todas as chances que tiveram, como se alguma coisa fosse maior que suas vontades de tirar o feto. Ainda assim, Haseul com seus quatorze anos de idade, tentava de tudo e mais um pouco para que eles gostassem dela, seja trabalhando até altas horas em um mercadinho de comida enlatada e verduras, até fazendo todos os trabalhos domésticos da casa em que viviam.

Mas como era de se esperar, de nada adiantou todo esse esforço, com o tempo tudo se tornou pior quando o homem que, ainda, considerava como pai chegou em casa completamente bêbado após terminar de assistir a final de um jogo de futebol no bar da esquina. E com a atitude mais horrenda e digna de pena de morte, violou sua própria filha. Jo nunca se sentiu tão suja e tão mal em toda sua vida até aquele momento, sabia que os pais não prestavam, mas não imaginou que pudesse chegar a esse ponto.

Na escola não fora muito diferente do que passava em casa. Sempre humilhada por causa de suas roupas velhas e mal passada (já que a mãe de Haseul raramente comprava suas roupas, a maioria era de doação que ela mesma pegava) pelas meninas populares, e assediada várias e várias vezes pelos meninos quando estava sozinha em algum lugar. Aquilo não era vida para ninguém, nem o seu pior inimigo merecia passar por tamanha crueldade igual a Jo passou. Foram tantas as vezes em que chorava pedindo para que tudo isso acabasse de uma vez, e foram tantas as vezes em que pensou seriamente em desistir de sua própria vida, mas mesmo quebrada e sem vontade alguma de continuar, Haseul se deu um motivo para tentar mais uma vez: um namoradinho da faculdade.

Se prestaram atenção devidamente na história da garota, sabemos que isso não acabaria bem. 

E, de fato, não acabou mesmo.

Cho Kyuhyun, namorado de Haseul, era uma escória tal como seu pai. Não estudava, sempre repetia de ano, era traficante de drogas e ainda por cima pedofilo. Simplesmente não prestava. Mas Haseul não enxergava isso, até que estivesse estampado em sua cara. Gostava demais do garoto a ponto de não perceber como ele era de verdade e, se percebeu, se deixou fingir que não sabia de nada. Mas é como sempre dizem, é inevitável o mau não dar as cara. E quando, surpreendentemente, completaram seis meses de namoro, Kyuhyun fora flagrado tentando seduzir uma moça de, aparentemente, treze anos e quando questionado pela namorada a única resposta dele foi "eu sou um homem, tenho necessidades" como desculpa de que se tivesse vontade ele iria trair ela e ainda dar em cima de crianças.

O cúmulo do lixo! 

Quando percebeu quem ele era, já era tarde para dar para tras e como anos atrás, a mesma coisa se repetiu com ela quando chegou no dormitório em que ficava sendo seguida pelo Choi. Estuprada pela segunda vez e enganada por quem amava, Haseul queria tentar o suicídio. Não aguentava mais aquela vida, será que iria ser sempre daquele mesmo jeito? Por quê? O que ela havia feito para merecer passar por tal coisa? E mesmo que não houvesse feito nada, ainda assim era justo ela ser castigada de forma tão cruel? Por que Deus fazia isso consigo? Por que não a defendia? Não queria continuar viva para ver como seria o futuro, já imaginava e temia por ela mesma. 

Mas não conseguiu cometer suicídio; sentiu medo, sentiu angústia, sentiu dor, se sentiu sozinha, se sentiu usada, se sentiu feia, se sentiu insuficiente. 

Desidratada, mal cuidada e fraca, Haseul se encontrava no hospital após sentir, alguns dias depois de toda aquela catástrofe, dores abdominais e enjoos. E como suspeitava, estava grávida. Grávida do homem que a enganou e a abusou. Pensou várias vezes sobre o que devia fazer com esse bebê que esperava, por um momento até mesmo pensou em abortar, mas diferente de sua mãe a Jo viu aquilo como uma oportunidade de ver sua vida mudar. Então escolheu ter seu bebê e seguir sua vida de mãe solteira aos vinte e três anos. 

Os meses se passaram lento e cada vez que sua pequena se mexia em seu ventre, mais emocionada e determinada Haseul ficava para fazer de tudo por ela. Daria a melhor vida possível para sua filha, daria tudo o que nunca ela mesma teve. Sua filha, Jo Chaewon, merecia o mundo por ter lhe dado a chance de ser feliz de novo. 

Quando a menininha loirinha nasceu, a mulher achou que fosse morrer de tanta dor que sentiu durante seu parto, mas foi só ver o rostinho rosado e as mãozinhas pequeninas que a dor passou e tudo o que sentiu foi alegria extrema. Estava tão contente, céus como estava! Sofreu bastante, mas agora ela finalmente poderia ser feliz ao lado de sua filha. Criou Chaewon da melhor maneira que podia, conseguiu arranjar um trabalho decente como professora de história e um bom salário, deu uma boa vida para sua filha. A viu crescer feliz e saudável, cheia de amigos para lá e para cá. Às vezes sentia inveja de sua menina, mas estava feliz de verdade por ela ter uma vida bem melhor do que ela mesma teve. 

Mas nem tudo são flores e quando Chaewon fez dezesseis anos, começou a se envolver com bebidas alcoólicas em excesso, tendo seu jeitinho meigo transformado para um de pura raiva e egoísmo. Haseul lembrava de seu pai e não pôde evitar temer pela vida de sua filha. Tentou a ajudar de diversas formas, mas a Jo mais nova não queria ser ajudada e alegava estar bem daquele jeito e que não era para se intrometer. 

Aquele dia foi a primeira vez em que bateu em sua filha. A primeira briga que tiveram. 

Se sentiu péssima por ter feito o que fez com sua menininha, não queria nunca ser parecida com seus pais, pediu desculpa mas Chaewon não estava bem, estava possessa de raiva da mãe. A destratou de todos os jeitos e isso durou por alguns anos. Achou que não tinha mais jeito. Não conseguia ajudar a filha e colocá-la em um centro de reabilitação, e nem conseguia deixar sua filha. Já estava magoada demais e quebrada outra vez por quem achou que fosse ser sua salvação, mas mesmo sendo pisoteada todos os dias, ainda assim não conseguia deixá-la e seguir outro rumo. Era sua filha, sua menininha. Não iria deixar ela sozinha em sua pior fase, apesar de desgastada.

Mas Haseul enxergou, de maneira torta, Kim Yerim a namorada de sua filha. Outro pilar que seria importante em sua vida, ela tinha plena convicção disso, sentia em seu interior que alguma coisa aconteceria em torno de si e da garota tão mais nova que si. Não sabia se seria ruim ou seria algo bom e nem o porquê ela pareceu agora, mas esperava não ser mais uma decepção para contar em sua vida.


Notas Finais


Alguem aí? O que acharam? Espero que não tenha ficado tão ruim assim :'( não sei ao certo quantos capítulos vão ser, mas ser pouca coisa eu acho. Comentem o que acharam e se alguma coisa na história da Haseul ficou vaga demais pra entender, é só mandar uma msg aqui que eu respondo sua dúvida! Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...