História Há sua Espera - Imagine Kim JunMyeon - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Casamento Arranjado, Drama, Exo, Imagine, Imagine Junmyeon, Imagine Suho, Romance, Sexo, Suho, Você
Visualizações 244
Palavras 1.595
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa, eu cheguei meus amores 😎

Gente do céu, o capítulo está com uma bomba hoje e eu tenho a certeza que vocês vão sentir muita raiva rs

Boa leitura =

Capítulo 14 - XIII - Chapter Thirteen.


Fanfic / Fanfiction Há sua Espera - Imagine Kim JunMyeon - Capítulo 14 - XIII - Chapter Thirteen.

Dois dias depois, às 13:40 AM

Eu e Junmyeon estávamos deitados, assistindo a um filme qualquer em sua televisão, minha cabeça estava encostada em seu peito e ele acariciava meus cabelos lentamente. Nesses dias que voltamos a nos amar, está tudo indo conforme planejamos, ele não volta mais tarde da empresa, faz comida pra mim, dormimos no mesmo quarto ou às vezes nem dormimos. Estou amando minha vida de casada e espero que ninguém estrague isso novamente, dessa vez eu caio no murro em quem atrapalhar nosso relacionamento.

— Sinceramente, esse filme é muito chato! Eu não entendi nada do que eles estão falando.

— Chato porque você não entendeu nada. — comentei para ele que revirou seus olhos. — Você quer assistir outra coisa?

— Eu queria fazer outra coisa, de preferência que envolva nossa cama. — ele disse e eu rir baixinho.

— Suho, a gente transou antes de ontem, ontem, e hoje de manhã. Você não se cansa não?

— Nunca! Mas se quiser se fazer de difícil eu também vou gostar. Eu só quero te levar para nosso quarto e te foder novamente.

— Você é um tarado. — bati de leve em seus braços e ele riu junto comigo. — Quando tivemos um filho, as coisas não serão mais assim.

— Na verdade quando tivemos um filho, vai ser sexo todos os dias.

— Junmyeon pelo amor de Deus… você não presta. — bati em seus ombros e ele riu mais uma vez. Voltou a fechar sua televisão e se ajeitou no sofá, saio de seus braços e fico sentada bem à sua frente para saber o que ele estava querendo falar no momento. — O que foi?

— Amanhã eu e os meninos iremos entrar em turnê, e iremos demorar um pouco para voltar. Eu falei com a empresa e eles me deixaram levar uma pessoa comigo, então… você acha que eu deveria chamar minha mãe?

— Junmyeon. — cruzei os braços fazendo ele rir e eu revirar os olhos. — Se você quer levá-la, então leve.

— Eu não vou levar ela! Estava pensando em chamar uma garota, a ________ conhece?

— Uh, não conheço mas talvez ela não queira ir. Você vai levar sua mãe não é? — ele me abraçou e me deitou no sofá começando a fazer cócegas em minha barriga. — Suho para, suho…

— Eu e os meninos vamos passar por muito países nesses meses, eu só não lembro o nome de todos. Vamos aproveitar muito esse tempo juntos.

— Eu sempre quis viajar pelo mundo, ainda mais com a pessoa que eu amo. — beijei seus lábios rapidamente e ele sorriu.

— Que tal a gente fazer algo melhor? Tipo, você sabe. — revirei meus olhos e deixei o sofá caminhando até a cozinha para tomar um copo d'água. — Estava brincando meu amor, mas se quiser pode ser verdade. — me abraçou por trás e deixou sua cabeça em volta de meu pescoço. — Vamos comer então, o que acha?

— Por que não fazemos um jantar? Daí a gente pode comer mais tarde.

— Ou então, podemos fazer um encontro. Preparamos tudo agora e de noite um encontro eu e você na cozinha da nossa casa. O que acha?

— Não me parece uma má ideia senhor Kim, e olha é a primeira vez que você abre a boca para falar algo que presta. — eu rir enquanto ele fazia uma cara emburrada pra mim. — Mas me diz, o que você deseja preparar para agora?

— Não sei, o que você deseja comer? — Jun me soltou e caminhou até uma das prateleiras do armário, pegou de lá um livro de receitas e foi observando os pratos que havia para fazer. — Tem uns aqui que eu sempre quis fazer, mas não sozinho porque é muita coisa.

— Uh, qual você vai querer fazer? — me aproximei para ver junto a ele, e me parece que as receitas eram todas boas pelas fotos. — Gostei do Estrogonofe, o que acha?

— Vamos dividir então, você faz o estrogonofe e eu faço o arroz e a salada! Só não toma meu espaço do fogão.

***

Resolvi não passar maquiagem em meu rosto, apenas vesti aquela curto vestido colado e deixei o quarto. Jun já estava me esperando ao lado de fora, estava bem simples mas tão lindo. Ele me olhou de cima a baixo e mordeu seus lábios, eu rir já sabendo o que ele iria falar em seguida.

— Se for falar algo relacionado a sexo, nem adianta abrir sua boca para me elogiar, Kim Junmyeon. — ele ficou calado e fez um sinal de ok. Revirei meus olhos e me aproximei dele beijando seus lábios, senti as mãos do garoto desce até minha bunda e aperta o local com força o que me fez arfar um pouco. — Tarado.

— Você está muito gostosa. Sabe o que eu queria fazer agora com você?

— Sei, mas se for uma boa pessoa essa noite, mais tarde o que deseja vai ter. Agora vamos jantar não é? Quero provar de sua comida.

— E eu quero provar da sua. Só espero que não… — antes que o menino pudesse terminar de falar a campainha de sua casa foi tocada. Olhamos juntos para a porta sem saber quem poderia ser no momento. — Sério que tinha que atrapalhar a gente logo agora?

— Quem deve ser?

— Não sei, mas se ficamos quietos vão embora! — eu rir baixinho e ele também. Sinceramente não queríamos receber visita alguma nesse momento, porém, mais uma vez a campainha foi tocada e uma batida na porta em seguida.

— Junmyeon? Abre a porta é o Marcelo. Preciso falar algo sério com você e ______. Eu sei que estão aí dentro.

— Mais que droga, o que ele quer com a gente? — dei de ombros sem saber o que  desejava conosco, mas resolvemos atender a ele. Jun abriu a porta e eu fiquei ao seu lado vendo e com um semblante nada feliz. — Boa noite Marcelo, aconteceu alguma coisa?

— Sim aconteceu. — entrou em nossa casa sem ao menos ser convidado. Fechei a porta e Suho aproximou do homem para saber o que desejava. — Acontece que Lee Soo-man quis acabar com a nossa parceria. — Lee é o dono da empresa onde Junmyeon trabalha e também a pessoa que quis fazer essa parceria com Marcelo.

— Ok, mas o que a gente tem haver com isso? A parceria é de vocês, não nossa.

— Acontece meu amigo que com isso o casamento de vocês acaba a parti de agora. Vocês não vão mais se ver, ficarem juntos nem nada. ______ voltará comigo para o Brasil.

— Você está de brincadeira não é? — perguntei e ri de nervosa no momento. — Você não pode acabar com nosso casamento assim, a gente se ama.

— Que bonito, mas agora não trata mais de amor e sim de dinheiro. Sem dinheiro, sem casamento. — ele segurou meu braço e me puxou para mais perto dele, enquanto eu fiquei me debatendo para ele me soltar.

— Você não vai levar ela e não vamos nos separar por causa de vocês. Saia da nossa casa, por favor. — puxei meu braço que fez Marcelo soltar e caminhei para perto de Suho que me abraçou com força.

— Vocês vão se separar sim! — escutamos outra voz vindo de trás e percebemos que era o senhor Lee desta vez, ele entrava no apartamento e se aproximava. — A parceria acabou, não existe mais. Então, parem de forçar um amor que não existe.

— Não existe? Senhor Lee você me obrigou a casar, eu passei seis meses ao lado dela, meu coração é fraco e eu simplesmente me apaixonei por ______.

— Assim como eu me apaixonei por Suho! — completei sua frase.

— Então não tente nos separar, por favor. Já fomos obrigados a se casarmos por causa da sua ambição, não vamos nos separar por conta disso novamente.

— Sinto muito, Suho. — Marcelo disse e me puxou com força para perto dele. Mesmo eu lutando para não ir com o mesmo, enquanto Suho era segurado pelo senhor Lee com muita força. — Amanhã as notícias sobre o fim do casamento aparece e então tudo irá voltar ao normal para ambos. Esqueçam disso é acabem com esse amor.

— Eu não quero ir com você.  Eu quero ficar com Suho. — comentei e não pude segurar minhas lágrimas na hora. Eu não queria sair dessa casa como se nada tivesse acontecido. — Suho...

— Não façam isso por favor, deixe a gente juntos. Até os dois anos que prometeram! — ele comentou tentando se soltar do homem, mas é bem mais forte que Suho.

— Acabou Suho, aceite que agora é o fim desse relacionamento. — Lee disse enquanto Marcelo me levava a força para fora do apartamento. — Amanhã eu mando algumas pessoas para pegar as coisas dela.

— Suho… — chamei por ele baixinho assim que o homem me virou para poder me olhar.

— _______, não vá. Não me deixe por favor! — ele comenta tentando se soltar dos braços do mais velho mais uma vez, porém, era em vão. — Eu te amo.

— Eu te amo.

E bastou eu dizer minhas palavras para a porta de sua casa ser fechada por Marcelo, eu chorava muito por não está com ele no momento e chorava mais ainda por esse fim forçado. Será que eles não entendem que eu quero ficar com meu marido e ele deseja ficar comigo também.

— Eu te amo Junmyeon. — comentei baixinho enquanto abaixava minha cabeça e deixava as lágrimas tomarem conta de mim.

Eu odeio essa ambição deles.
Eu só quero poder ficar com JunMyeon para sempre!

Notas Finais


GENTE VOCÊS DEVEM ESTA PUTXS NÃO É?
Comentem a indignação de vocês aqui nos comentários! 😂❣

Perfil: @Sweetback


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...