História Há tanto para ser dito... - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Tags Neocityjpg, Taeten, Tema02
Visualizações 19
Palavras 639
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drabble, Fluffy, LGBT, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, meus raios de sol ♡
Essa é minha primeira drabble do NCT e é claaaro que eu não poderia escolher outro couple além do lindíssimo TaeTen, que com certeza combinou demais com tudo o que queria fazer. A drabble é narrada pelo Ten, e embora eu não goste muito de escrever em primeira pessoa, não havia outra forma de demonstrar como é profundo tudo que ele sente pelo Tae.

Esse pedacinho de amor é para o projeto/desafio do grupo NeoCity.JPG, e espero mesmo que ele dê muito certo porque precisamos de mais fanfics com o NCT nesse site.

Tenham uma boa leitura e espero que gostem. Se quiserem ler enquanto escutam algo, recomendo Everytime (Chen e Punch). Eu escrevi ao som desse hino ♡

Capítulo 1 - Nem mesmo o silêncio pode calar a voz do meu amor


Há tanto que eu quero te dizer, Lee Taeyong. Um número incontável de palavras está preso em minha garganta e por um infortúnio da vida jamais poderei externá-las, mesmo que sempre que te vejo cresça o meu desejo de poder sussurrar para você - e apenas você - todas as coisas especiais que venho guardando.

Lembro de quando te conheci pela primeira vez naquela biblioteca municipal, quando você era apenas um novato na cidade em busca de distração no mundo da leitura. Te vi tão quieto, sentado sozinho com a franja sobre o rosto e um pequeno sorriso causado por alguma parte do livro que segurava em suas mãos que hoje sei que são as mais calorosas. Havia tanto naquele momento que eu queria conversar, mas sem saber como me aproximar apenas deixei um post-it. Nele, escrevi que você era o garoto mais lindo que já havia visto e o deixei sobre seu livro quando se afastou. Observei de longe sua reação ao voltar e lê-lo e me apaixonei profundamente pelo seu sorriso. Sorriso esse que até hoje é a luz da minha vida.

Quando finalmente tivemos contato, você quem veio em minha direção de forma tímida e sorrateira, e me lembro de desejar silenciosamente (porque é cruel, mas estou fadado ao silêncio) que você também entrasse desse jeito mansinho em minha vida. Lembro de sua surpresa ao descobrir que eu não podia falar, das bochechas vermelhas e os olhos perdidos e, céus, naquele momento eu temi muito que não quisesse sequer ser meu amigo. Mas você fez a coisa mais adorável de todas: puxou um bloquinho de notas do bolso do casaco e escreveu tudo que tinha para dizer, depois me permitiu rabiscar minhas respostas e isso foi bom, porque era caloroso saber que nossa conversa pertencia apenas a nós dois, que não havia ninguém que pudesse saber das palavras que eram trocadas. Era um momento nosso, e foi muito especial.

Lembro-me também do dia em que me pediu para sair contigo pela primeira vez. Você estava tímido e veio com uma cantada estranha tirada de algum capítulo de um livro (porque a leitura sempre foi o elo que nos uniu em nosso amor isento de palavras). Suas bochechas coraram quando percebeu como havia se embolado para falar, mas eu só consegui rir em um som fraquinho que nada se comparava à imensidão de sua risada. Aceitei com um aceno positivo e sua animação foi a melhor, e naquele dia eu só quis gritar para o mundo como estava feliz e depois sussurrar para você que sua presença em minha vida havia se tornado minha maior alegria.

Quando saímos juntos, em uma agradável noite de inverno e sentindo a animação do movimento de Hongdae, sempre tão lotado, você foi agradável para me perguntar o que eu queria fazer e tentar entender minhas respostas dadas com gestos, porque a língua de sinais ainda não era compreensível para você. E qual não foi minha surpresa quando, pouco tempo depois, você apareceu em minha porta e me pediu em namoro usando a única forma de comunicação que me era acessível, revelando que estava se esforçando para aprender novas palavras para que juntos pudessemos conversar em nosso próprio mundinho.

Hoje ainda há tanto que eu quero te falar, Taeyong. Porque mesmo com as frases que roduzo com minhas mãos e as respostas que me são dadas pelo movimento de seus dedos, acho que isso não é o suficiente para que eu possa expressar tudo que sinto. Mas prometo tentar com gestos e olhares, com abraços e beijos e ações que te farão sentir-se especial como me faz sentir todos os dias.

Porque a todo momento eu tenho muito a te dizer, mas desde o momento em que te vi pela primeira vez, não precisei de palavras para entender que você se tornaria o grande amor da minha vida.


Notas Finais


Obrigada por terem lido e espero que tenham gostado. Uma linda noite para vocês ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...