1. Spirit Fanfics >
  2. Há um vazio que mora somente em metrôs, trens e ônibus

História Há um vazio que mora somente em metrôs, trens e ônibus


Escrita por: e desanimador


Fanfic / Fanfiction Há um vazio que mora somente em metrôs, trens e ônibus
Sinopse:
すべての空の魂のために
afinal, assim são os amores ocasionais...

[3shot — angst]
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Visualizações 121
Favoritos 34
Comentários 4
Listas de Leitura 3
Palavras 4.867
Terminada Não
Categorias Histórias Originais
Tags Angst, Broken, Sad

NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama / Tragédia
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
- terminal pinheiros, 21h17min
3
79
2.759
 
2.
- 22h02min
1
42
2.108

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por sambr
Capítulo 2 - - 22h02min
Usuário: sambr
Usuário
Sinceramente, não sei nem o que dizer. A escrita é tão cativante que, diferente de outras histórias, não me importei com os números meio grandes dos capítulos.

Fico imaginando quantos Pedros Augustos e quantas Elenas existem por aí. Se existem, e se eu mesma não sou algum.

Ah, os refrescos. Só fico na espera do próximo, e que venha logo por favor.


Todo o amor ~
Postado por thxmozz
Capítulo 1 - - terminal pinheiros, 21h17min
Usuário: thxmozz
Usuário
eu poderia fazer uma lista bem extensa de motivos pelo qual esse texto me instigou tanto. sem dúvida colocaria a sua escrita esplêndida, admirável e inebriante (porque, juro que ler algo teu, me deixa relaxada e leve de uma forma anormal), em primeiro lugar. daí eu citaria os sentimentos descritos, a menção ao bento, as descrições impecáveis dos locais, as metáforas singulares e bla bla bla porque sim, eu gosto de falar bastante, e mesmo falando tanto parece que não falei nada porque nunca falo tudo de fato, já que meu tudo é sempre bem gigantesco. inclusive, gigantesco demais para caber em listas.

ler isso me deixou com saudade. mas foi saudade de várias coisas, sabe? saudade de pegar o metrô, saudade de tomar café na estação da luz depois do plantão, saudade de atravessar algum viaduto ou de esperar o ônibus lá embaixo morrendo de medo por dentro e super tranquila por fora porque de tanto conviver com o perigo, uma hora o costume chega e várias coisas se tornam normais, incapazes de despertar medo ou espanto.

acho que senti saudade até de coisas de nunca conheci, que nunca vivi, mas isso talvez seja mania, essa coisa de querer o que nunca se teve mas que internamente implora pra viver antes da morte.

eu te amo, jenifer. seu texto tá lindo em cada detalhe, em cada mínima palavra, em cada pequena exposição. eu sempre vou amar a forma como você se expressa, e digo com convicção que sou apaixonada por todos os seus personagens, pelo jeito como eles são realistas e fortes, com características únicas. por favor, continua postando isso aqui, eu não vejo a hora de continuar lendo porque a elena me matou de curiosidade.

te amo já disse?