História Hábitos do Coração. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Ken Kaneki, Touka Kirishima
Visualizações 223
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hay, mais uma fic louca pra vocês. Espero que gostem.
Bjs
Boa Leitura.

Capítulo 1 - Boato


A biblioteca do Colégio Interno de Kamii estava cheia de alunos, a conversa era apenas um burburinho pairando no ar como uma camada de hostilidade desnecessária. O assunto em pauta era Kaneki Ken e a última garota que foi rejeitada. 

As pessoas costumavam venerar e odiar ele e seu grupo de amigos jovens, ricos, bonitos e estranhos, menos Touka Kirishima, ela queria que todos eles explodissem em um passe de mágica.

Um desses garotos estava ao seu lado olhando para o caderno com ar desinteressado, a pessoa em questão era seu irmão mais novo, Ayato, eles estavam na mesma classe, mas ela fingia que não o conhecia na maior parte do tempo.

- Presta atenção, caralho! - Touka acertou a cabeça do Ayato e ele fez bico voltando sua atenção para os cálculos. Estavam a quase uma hora na mesma questão e iriam continuar na mesma questão, se as coisas continuassem daquele jeito.

Ele não conseguia se concentrar porque as garotas da mesa ao lado não paravam de falar todo tipo de coisas ruins sobre Kaneki Ken, a figura humana que Ayato admirava com idolatria, e Ayato não suportava esse tipo de coisa.

Precisava defender seu amigo a todo custo.

- Como eles podem dizer isso? Eu juro que vou...

- Ayato, eu tenho doze páginas de Quimica Orgânica pra responder, se vier falar daquele garoto outra vez, eu juro que vou embora, mas antes vou enfiar esse livro...

- Se você conhecesse ele, não diria isso.

- Eu não preciso conhecer ele, basta conhecer um pra onhecer todos. Agora olha pro caralho da hipotenusa e esqu...

- Kaneki não é igual aos outros...

- Sabia que isso é o tipo de coisa que apenas uma garota diria? - a garota ergueu as sobrancelhas e ele a fuzilou com os olhos. - Será que você está naquela fase que a pessoa começa a questionar sua sexualidade?

Ayato ficou de boca aberta e riu chocado. Todo o campus sabia que era famoso por sua virilidade, ele era o pegador daquele grupinho ridículo, mas para Touka, quando uma pessoa externava tanto assim sua heterossexualidade é porque talvez estivesse indeciso.

Não era o caso do Ayato, mas ela estava puta e queria deixar ele puto também. Tinha suas coisas pra fazer, assuntos pra revisar e estava perdendo tempo ensinando trigonometria para aquele idiota que não conseguia aplicar uma única fórmula sozinho.

- Caralho, Touka... - ele passou a mão no rosto e Touka grifou o triângulo retângulo pela milésima vez.

- Aqui, Sr Homossexual inrustido... Pitágoras disse que...

- Esse pessoal é um bando de pau no cu mesmo, quando Kaneki ta perto elas...

Touka engoliu um suspiro e arredou a cadeira com uma aura negativa ao seu redor, irradiava sua raiva e Ayato arregalou os olhos reconhecendo o olhar maligno. Touka não era do bem. Ela passou as mãos no rosto e Ayato agarrou seu braço quando a viu indo na direção das outras garotas.

- Ei! O que você vai fazer?

- Defender a honra do meu cunhado.

- Tou! Touka, volta aqui!

Ela se aproximou da mesa apoiando-se nos braços e elas a olharam com olhar desconfiado. Era Touka, A Estranha, não era normal falar com as pessoas, só com um olhar, eles fugiam desesperados implorando por suas vidas.

- Ei, vocês poderiam falar mais baixo? O meu irmão fica inquieto quando as pessoas falam mal do namorado dele. Se vocês não sabem, nós estamos em uma biblioteca e não é permitido barulho. Obrigada. - sorriu falso e voltou à sua mesa, arrastou a cadeira e sentiu com olhar triunfante.

Ayato estava chocado, petrificado, pasmo e tapou a boca para não rir de desespero.

- O que foi que você fez? - ele perguntou, mas pôde ouvir claramente.

A biblioteca inteira ouviu e os cochichos já se espalhavam à uma velocidade impressionante.

Pessoas comuns gostam de fofoca como Touka gostava de silêncio. Os olhares vinham de todas as direções e Ayato riu novamente, balançando a cabeça.

- Touka, você tá fodida. - ele disse como se ela não soubesse onde estava se metendo.

E ela não sabia mesmo.

- Ayato, quem vai se foder é você, e com um zero bem grande de bônus se não aprender isso. Olha pra cá!

Ele passou as mãos nos cabelos e Touka continuou tagarelando, mas bastava olhar pra ele pra saber que não estava entendendo porra nenhuma.

- Então, a soma do quadrado dos catetos é igual ao...? - Touka disse desenvolvendo a fórmula e ele piscou de boca aberta olhando da garota para os números.

- O que é cateto?

(... )

- Kaneki-san! Kaneki-san!

Kaneki parou no meio do caminho e virou para os adolescentes com olhar entediado. Cruzou os braços esperando que os garotos falassem alguma coisa, mas eles apenas gaguejavam e trocavam olhares entre si como se algo muito, muito ruim tivesse acontecido.

- O que foi? - ele perguntou enfiando uma mão no bolso e um dos garotos disse em um grito.

- Nós já sabemos de tudo! Você não precisa se esconder mais! Nós vamos aceita-lo mesmo assim! Kaneki-san!

Kaneki deu as costas sem entender do que eles estavam falando, mas não se importava. As pessoas estavam sempre dizendo coisas sem sentido perto dele.

Por onde andava, recebia olhares diferentes, quase estranhos, já era acostumado a ser observado, mas algo parecia diferente. Algumas garotas choravam olhando pra ele, outros garotos sorriam acenando. Seja lá o que fosse, não estava interessado e foi para o vestiário masculino se arrumar para a aula de educação física.

- KANEKI! - ouviu um grito feminino no corredor e olhou para trás, deveria ser uma das garotas que viviam atrás dele. Apertou os olhos e a reconheceu. 

Era Eto.

- O que é?

Ela se apoiou nos joelhos, uma gota de suor escorria em sua testa e ofegava tentando se recompor.

- É verdade isso? Eu quero ouvir de você?

- O quê?

Ela o encarou com uma sobrancelha erguida, como se Kaneki lhe devesse alguma explicação.

Kaneki não gostava de Eto, não que ela tivesse feito algo errado, apenas não gostava. Não demonstrava interesse pelas garotas da escola e despachava todas as suas admiradoras, nem sempre com palavras doces. As garotas diziam que ele era do tipo inalcançável, o amor proibido que elas gostariam de ter mesmo que sua personalidade fosse estranha.

- É verdade que você gosta de garotos?

Ele arregalou os olhos. 

Que loucura era essa agora?

- Por que pergunta?

- Apenas me responda! É verdade ou mentira?

Kaneki ergueu uma sobrancelha e deu uma risadinha antes de ir embora sem dizer nada. Deixou Eto no chão, desesperada, puxando os cabelos e gritando o nome de Ayato Kirishima como uma louca.

Aquela situação era estranha, de onde havia surgido esse tipo de boato? Tudo bem que ele não namorava e sempre afastava as garotas, mas nunca teve interesse em garotos e nunca demonstrou nada do tipo. E o que Ayato tinha a ver com isso?

Quando entrou no vestiário, os garotos lhe olharam de um jeito estranho, Kaneki abriu seu armário e pegou o uniforme, trocou suas roupas ignorando os olhares intensos e sentou para amarrar seus sapatos.

Ayato entrou no vestiário seguido por Urie e Shirazu, eles sentaram ao lado dele com sorrisos cúmplices e Urie mostrava o dedo para os alunos que olhavam o quarteto desconfiados.

- O que nós vamos fazer agora? - Ayato perguntou colocando o uniforme de educação física e um garoto do outro lado torceu os lábios olhando na direção deles.

- Os rumores vão passar... já disseram coisas piores antes. - Urie disse amarrando seu sapato. - Mas... você é gay mesmo? Agora que parei pra pensar, nunca vi você com uma garota antes.

Kaneki tirou o óculos e guardou no armário, seus cabelos pretos estavam grandes. Ele às vezes parecia um emo, às vezes um nerd, em outras um sociopata e em momentos como esse, que se colocava acima dos outros, parecia legal.

- Por que? Você quer sair comigo? - Kaneki perguntou em um tom irônico e Urie sorriu.

Ele era mais popular que Kaneki por ser mais comunicativo e circular em todas as panelinhas, não vinha de uma família tão rica quanto Kaneki, mas tinha dinheiro suficiente para estar nas melhores festas e ter sempre do bom e do melhor.

- Esquece...

- Foi mal, cara... eu não pensei que ia chegar à esse nível. - Ayato disse passando as mãos na cabeça.

- E você pensa?

- O que?

- Nada. Vamos antes que pensem que nós estamos fazendo coisas estranhas aqui. - Shirazu disse puxando os dois com um sorriso divertido no rosto.

- Quando eu encontrar quem fez isso, a pessoa vai me pagar... - Kaneki disse com olhar vingativo.

Se um boato desses se espalhasse e chegasse aos ouvidos de sua família, ele teria problemas sérios.

Ayato limpou a garganta com olhar estranho.

- Vocês sabiam que o quadrado da hipotenusa é igual à soma do quadrado dos catetos? 


Notas Finais


Valeu, até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...