História Hábitos do Coração. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Ken Kaneki, Touka Kirishima
Visualizações 153
Palavras 1.501
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Confronto


Aquilo não poderia estar acontecendo. Touka pensou em sair de fininho, engatinhando, e desaparecer para sempre enquanto Kaneki gritava uma infinidade de palavrões usando sua camiseta para secar o rosto encharcado, mas seu orgulho jamais admitiria isso. Preferia ser judiada a ter que abaixar a cabeça e fugir como uma covarde.

- Touka-chan! - Hinami a ajudou a ficar de pé. Sua cabeça estava doendo pelo baque e o traseiro dormente. A garrafa com água estava aos pés de Kaneki Ken, ele parecia desesperado checando seus óculos de armação redonda, deveria ter caído quando eles se chocaram, e ele colocou no rosto passando as mãos nos cabelos de um jeito bem e enervado.

- Você se machucou, Onii-chan? - Hinami perguntou mudando de time.

Ele a ignorou.

- Eu não vi você. Não quebrou nada, não é? - Touka perguntou analisando o rapaz de um jeito bem ousado - Sendo assim... - fez uma reverência exagerada e saiu andando.

Ou pelo menos tentou, ele a segurou pelo braço e a arrastou pelo corredor.

- OE! ME SOLTA! ME SOLTA!

Hinami saiu correndo na direção contrária. Ignorando o escândalo que ela fazia, Kaneki continuou andando, apesar de ser magrelo e ter um ar preguiçoso, ele era muito forte e mesmo que ela esperneasse, gritasse e tenta-se revidar, não tinha forças para se livrar do aperto de aço dele.

- ME SOLTA! ME SOLTA, KANEKI!

- Cala a boca! - ele murmurou abrindo a porta de uma sala e a empurrou la dentro.

Touka quase caiu no chão, mas para sua sorte, havia uma mesa linda bem na sua frente e ela pôde se firmar antes de arrebentar a testa no chão.

O local estava vazio, ainda havia resquícios de anotação no quadro e as cadeiras um pouco desorganizadas. Talvez, se ela gritasse bem alto, alguém pudesse ouvir.

Vendo que ele se aproximava com um olhar bastante suspeito, ela cruzou os braços e esperou pelo pior. Kaneki enfiou as mãos nos bolsos com os cabelos molhados pingando pra todo lado e havia uma pequena rachadura, quase imperceptível na lente do óculos.

- O que você quer? Se não for se trocar vai pegar um resfriado...

Isso não fazia muito sentido, ela deveria ser mais criativa se realmente queria enrolar ele.

Kaneki não disse nada, ele tinha um olhar altivo, ela mal conseguia enxergar seus olhos por trás de todo aquele cabelo escuro e do óculos, mas sabia que ele estava irritado, sua aura de negatividade se espalhava como miasma pela sala.

Então como se tivesse se decidido, ele marchou pra cima dela com artilharia pesada, Touka pensou em correr, em gritar, se fingir de morta ou fingir um desmaio, mas novamente seu orgulho a fez manter a cabeça erguida.

Quando mais ele se aproximava, mais ela se agarrava à mesa, ele a encurralou na mesa colocando seu rosto bem diante dela, se sentia presa em uma gaiola com os braços dele a cercando daquele jeito.

Se Kaneki tentasse algo suspeito, ela iria machucá-lo de verdade dessa vez.

- Eu vou deixar essa passar porque você é irmã do Ayato, mas se cruzar o meu caminho de novo, se aparecer na minha frente, vai se arrepender...

Touka sentiu um arrepio na espinha, ele não estava brincando, não estava simplesmente tentando assustá-la, mesmo que ele fosse tranquilo superficialmente, Touka pôde ver algo sutil em seus olhos cinzentos.

- Esse é um espaço público... Eu tenho direito de estar onde quiser, se você se incomoda com isso, compre uma escola pra você e estude sozinho!

Ele riu.

- Você se acha bem engraçada, não é? Vamos ver o quanto vai rir...

- Eu não tenho medo de você. É melhor você ficar fora do meu caminho! Eu não sou o Ayato e não vou receber ordens de ninguém!

 - Mas isso não é uma ordem, - ele sorriu todo superior. Touka queria dar um soco em cheio na cara dele - É um conselho...

- Guarde os seus conselhos pra você!

Ele inspirou fundo e iria falar alguma coisa, mas a porta foi aberta em rompante e duas, três pessoas entraram em desespero.

Touka não sabia se estava aliviada ou envergonhada.

- Touka!

Nishiki e Uta entraram trocando olhares raivosos com Kaneki, Itori estava com eles, mas não dizia nada, aparentava estar se divertindo com a cena.

Kaneki e se afastou voltando a ser aquele Kaneki desinteressado que todos costumavam ver por aí, ele e os outros dois trocaram ferpas pelos olhos. Uta estava mais tranquilo, mas Nishiki estava vermelho.

Hinami estava com eles. Ela e Kaneki trocaram olhares suspeitos, ele passou a mão na cabeça dela como se fosse um garoto e saiu deixando o restante na sala.

- Você está bem? Touka-chan? - Hinami perguntou.

Não havia necessidade de tudo isso, mas ela estava aliviada.

- Sim.

- Então... - a expressão preocupada de Nishiki se desfez e ele a olhou com um sorriso bem sarcástico. - O que vocês estavam fazendo aqui pra você estar tão vermelha? Hein, Touka-chan?

Ela estava vermelha?

- O quê? - ergueu as sobrancelhas.

Ele só poderia estar procurando a morte.

- Você consegue sentir a tensão sexual no ar, senpai? - Nishiki perguntou e Uta sorriu se apoiando na mesa.

- Ta doido?

Nishiki sorriu dando de ombros.

Touka e os outros saíram da sala, Nishiki fazia piadinhas o tempo inteiro, mas ela não estava preocupada com isso, sua preocupação era Ayato.

Será que o quengo poderia usar seu irmão para antingi-la? Ayato não era muito inteligente e venerava Kaneki, fez de tudo para entrar para o seu clubinho dos ridículos, eles brigavam constantemente por causa disso. Ela se incomodava que ele tentasse viver em uma realidade que não era dele.

Deixe Ayato cuidar de si mesmo, ela pensou marchando para o dormitório feminino. Afinal, ela já tinha seus próprios problemas.

Bateu a porta e foi direto para o chuveiro, sua amiga de quarto Yoriko estava estudando na mesinha com os fones de ouvido e não ouviu Touka xingando no banheiro.

(...)

- O que aconteceu? - Urie perguntou quando Kaneki entrou no dormitório e bateu a porta atrás de si com mais força que o necessário.

Ele tirou o óculos e pegou uma toalha indo direto para o banheiro.

- Vocês sabem o que aconteceu?

Ayato balançou a cabeça com olhar inocente.

Urie deu uma risada e eles voltaram a fazer anotações para o seminário.

- Parece que ele e a Touka tiveram uma conversinha em uma sala vazia. Hinami foi pedir ajuda porque o Kaneki estava muito irritado. - Shirazu disse. Ele estava no corredor quando Hinami chegou gritando e pedindo ajuda de Uta e Nishiki, que saíram gritando também.

Ayato suspirou olhando para a porta fechada. Já deveria esperar um confronto cedo ou tarde, desejava que fosse tarde.

- Eu espero que ele não se aproxime muito dela, Touka é capaz de rasgar uma pessoa em pedaços...

- Isso vai ser interessante... - Urie comentou com um sorriso nos olhos. - Poderia até surgir algo disso... Não é normal uma garota deixar ele assim... - Urie sinalizou para a porta.

- Não... - Ayato riu. - Touka tem alergia à gente rica.

Enfiado no banheiro, Kaneki ouvia tudo que eles falavam. A água gelada acalmava seus nervos e aos poucos ele ficou mais tranquilo. Seus pensamentos se desanuviaram e depois de ouvir tanta baboseira, concluiu que Touka Kirishima era apenas uma garota idiota de sangue quente e língua afiada.

Ela não ficou com medo ou tentou puxar saco como as outras garotas geralmente faziam, teve a coragem de olhar na cara dele e fazer provocações mesmo que ele estivesse louco para esmagá-la, riu dele como se não passasse de um badboy que não sabe de nada. Não sabia de onde vinha toda a raiva que sentia só de pensar nela, seus olhos tinham uma expressão esforçada e triste que o fazia lembrar de sua infância com a mãe alcoólatra, sentia uma farpa o incomodando toda vez que alguém se referia à ela como alguém relevante, não passava de uma garota qualquer se metendo com a pessoa errada.

- Oe, Kaneki, você vai passar o fim de semana aqui? - Shirazu perguntou quando ele saiu do banheiro.

- Por que?

- Nós estamos pensando em ir à uma festa. Vai ser legal...

Kaneki não estava interessado, ele balançou a cabeça e vestiu-se, faltava pouco tempo para a aula de literatura e ele não havia feito nada.

De repente, teve uma ideia.

E se ele fosse à essa tal festa e embebedasse Ayato até perder a consciência e o deixasse por lá mesmo? Não seria uma boa forma de se vingar da Kirishima?

Sim. Com certeza. Ela invadiu dezenas de festas para ir buscar o irmão e Ayato vivia se queixando sobre ela viver no pé dele. O que mais Ayato disse sobre ela que ele havia ignorado? Teria que fazer um esforço para lembrar de tudo.

- Pensando bem, eu vou. - disse com um sorriso inocente.


Notas Finais


😎


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...