História Haikyuu!!(Kagehina) - Outra primavera. - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


°•Bem, somente alguns avisos antes de começar o capítulo:

1º— Essa Fanfiction passa num universo diferente do qual o anime e o mangá passa, ou seja, nada que aconteceu aqui se passou no mangá ou anime.

2º— Essa Fanfiction é sobre Kagehina no universo de Yaoi, não Otome. Agradeço por entenderem isso.

3º— Essa Fanfiction é +18 e pode conter conteúdo perturbador em algum capítulo. Se concorda que pode ler esse tipo de conteúdo, então leia como quiser.

4º— Pode ser que pelo desenvolver da história que hajam mais casais Yaoi ou até mesmo Yuri.

5º— Caso não goste desse casal, não espalhe ódio por aí; por favor.

Agradeço por quem está lendo até aqui. Já podem ler o Capítulo 💛•°
By: Naomi Fanfiqueira 7w7

Capítulo 4 - Kagehina - Ligação.


Tobio Kageyama P.O.V

°•— Dia 09 de Abril. Tokyo.

Hinata se soltou de mim e começou a ir cambaleante até o parque. Eu o segui por segurança, e também para evitar que o mesmo dissesse qualquer besteira perto das outras crianças.

—[...] Natsu?— Olhei para a irmã de Hinata. A mesma havia crescido bastante desde a última vez que a vi. Seus cabelos agora encostam em seus ombros e sua altura deve ser de 1,49 ou 1,48.

Natsu correu até Hinata e lhe deu um abraço, o qual demorou alguns segundos para se desfazer. Natsu me olhou e arregalou seu olhos levemente.

— K-Kage'?— Ela veio até mim e segurou em minha mão.— Você cresceu?— Ela perguntou enquanto encarava meus olhos.

— Sim, Natsu. Agora tenho 1,81. — Ela foi até Hinata novamente e segurou em sua mão.

— Kage', você vai vir com a gente?— Natsu perguntou com seus olhos brilhando. Dei um longo suspiro e me lembrei de Tanaka.

—(Ele pode se cuidar muito bem sozinho.)... Sim. Eu vou com vocês.— Natsu sorriu. Olhei para Hinata, o qual parecia fazer esforço para não cair no chão. Fui até o mesmo e segurei em sua cintura, logo ajeitando sua postura.— Vamos logo.— Natsu soltou a mão de Hinata e começou a ir na frente.

***

Chegamos na frente da casa de Hinata. Dava para ver pela a janela que a luz estava acesa. Hinata se soltou de mim e pegou sua chave em seu próprio bolso, logo indo até a porta e levando a chave até a fechadura. Hinata abriu a porta e Natsu entrou na casa.

— Hm?— Natsu me olhou.— Kage', por que não fica um pouco? Vamos jogar vôlei!— Natsu disse animada. Olhei para Hinata, o qual simplesmente assentiu com a cabeça.

—... Certo. — Fui até a porta da casa de Hinata e retirei meus sapatos, logo entrando na casa. Natsu segurou em minha mão e começou a andar comigo até à cozinha. Fomos até uma porta que havia na cozinha. Natsu a abriu e então me puxou para fora. Reparei que onde estávamos agora era a parte de trás da casa, um quintal. No quintal havia uma bola de vôlei no canto da cerca, a qual parecia intacta a algum tempo.

— O Hina' me disse que havia esse quintal aqui na casa! Podemos jogar?— Olhei novamente para a bola no canto da cerca.

— Já faz algum tempo que não jogo...— Olhei para Natsu, a qual dava um sorriso animado.—... Podemos. É para isso que ainda estou aqui.— Fui até a bola e a peguei, logo a jogando para cima. Natsu correu lentamente até a bola, mas então, ela pulou. Seu pulo conseguiu alcançar a bola a qual estava uns 1,80 metros do chão. Arregalei meus olhos pela surpresa. A mesma quando foi aterrissar, acabou perdendo o equilíbrio e caindo. Mas ela logo levantou.— Você... Pula bem alto.— Eu disse pasmo por uma criança de 10 anos conseguir pular naquela altura.

— Meu irmão diz que puxei à ele!— Ela disse sorrindo orgulhosa. 

— É... Com certeza puxou à ele.— Afirmei enquanto percebia que a personalidade de Hinata é muito parecida com a de Natsu. —... E então? Vamos continuar ou não?— Natsu deu um grande sorriso.

— Vamos continuar!— Ela jogou a bola para mim. Eu fiz um levantamento baixo para Natsu, a qual pulou e "cortou" a bola. Fazendo a bola cair no chão com impulso e logo rebater na cerca.

Continuamos jogando por algum tempo, até que Natsu disse que estava com fome. Ela acabou me convidando para jantar com ela e Hinata, algo que eu só havia feito duas vezes, e mesmo assim, foi há anos atrás. Acabei concordando pois, de qualquer maneira, Tanaka já poderia ter comido toda a comida em minha casa, pelo seu jeito. 

Entrei na cozinha junto de Natsu, a qual correu até Hinata que estava sentado na mesa de jantar vendo algo no notebook. Analisei seus olhos, os quais tinham olheiras e estavam vermelhos. Hinata também parecia mais cansado do que o normal.

— Hina'!— Natsu segurou no braço de Hinata. — Estou com fome, e também chamei Kageyama para jantar conosco!— Ela disse animada. Hinata bocejou e sorriu.

—... Certo. Mas, vai tomar banho. Depois de você, eu vou também.— Hinata disse.

— Mas, Hina'...— Natsu pareceu desanimada com oque Hinata havia dito.

— Natsu, você sabe que a mãe vai reclamar se você não começar a se cuidar...— Natsu foi hesitante até a porta da cozinha.

— Certo... Vou tomar banho no seu banheiro.— Natsu disse.

— Uhum. — Natsu saíu da cozinha. Ouvi passos apressados vindo de fora do cômodo o qual me encontro. Eu e Hinata ficamos quietos.—... Obrigado.— Hinata disse baixo enquanto fechava seu notebook.

— Hã?— Questionei confuso.

— Você divertiu a Natsu. Obrigado.— Ele disse esfregando seus olhos.— E obrigado também por se oferecer a me trazer aqui.— Ele deixou o notebook em cima da mesa, logo indo até a geladeira. Eu não o respondi, mesmo depois dele ter me agradecido duas vezes. Levei minha mão até minha nuca, logo coçando-a. Dei um longo suspiro e olhei para as pernas de Hinata, as quais tremiam. O álcool ainda não havia passado.

—... Argh...! Certo, isso está incomodando.— Eu disse frustado. Hinata me olhou confuso. Fui até o mesmo rapidamente e peguei o pedaço de carne e a faca as quais ele segurava.— Vá dormir. Eu vou fazer o jantar para Natsu. Ver você desse jeito está dando agonia, parece que você vai cair a qualquer segundo...!— Hinata franziu de leve as sobrancelhas.

— Ei...!— Ele pegou a faca da minha mão.— Eu posso muito bem preparar o jantar para a Natsu...! E eu também estou preparando para você, então não venha reclamar e simplesmente falar: “Vá dormir.” com essa cara assustadora...!— Ele pegou a carne com sua outra mão.— Eu preparo a comida, você aguarda junto de Natsu. — Ele ordenou. Franzi minhas sobrancelhas.

— Você não está em um bom estado para preparar um jantar, idiota...!— Segurei em um de seus pulsos.— Me devolve a merda da faca de uma vez!— Ordenei.

— Hina'! Não consigo achar uma toalha!— Ouvi a voz de Natsu falando do lado de fora da cozinha. Soltei o pulso de Hinata, o qual olhou para a porta.

— Procure nas gavetas de baixo do meu armário! Pode usar a minha!— Ouvimos passos se afastando novamente.—... Vai se sentar. Eu vou preparar o jantar, e caso não estiver de acordo, somente vá embora. Eu posso muito bem fazer o jantar sem dificuldades.— Dei um longo suspiro.

—... Faça oque quiser. Se você se machucar ou coisa do tipo, não sou eu que vai te ajudar.— Voltei para a mesa de jantar e me sentei em uma das cadeiras, logo observando Hinata preparar o jantar.

***

Alguns minutos depois, Natsu voltou e veio até mim. Ela se sentou ao meu lado e começou a falar sobre a escola que tem feito em Miyagi. Enquanto eu ouvia pacientemente Natsu falar sobre seus colegas de turma, ouço um grunhido um pouco alto vindo de Hinata. Natsu parece notar também, logo olhando para o qual havia feito o barulho.

—... Hina'?— Natsu chamou Hinata.

— O-Oi, Natsu!— Ele olhou para Natsu.

— Aconteceu algo...?— Natsu perguntou.

— O quê? Não, não aconteceu nada...!— Hinata respondeu. Eu suspirei e me levantei, logo indo até Hinata, o qual parecia tentar esconder a mão.

—... Me deixe logo ver esse corte, imbecil.— Falei quando eu já estava na frente de Hinata.

— O-O quê? Eu não me cortei.— Ele afirmou. Segurei em seu pulso e separei sua mão da outra, a qual escondia seu dedo. Olhei para o corte, o qual não era muito profundo.

— Argh, eu te falei que você não iria conseguir fazer a porcaria do jantar.— Eu disse enquanto soltava sua mão.— Vai logo cuidar disso, eu vou preparar o resto.— Hinata ia reclamar, porém quando ele olhou em meus olhos, no mesmo instante ele fechou a boca e se virou.

—... Estou indo.— Ele disse com a voz tremendo. Revirei meus olhos e peguei a faca a qual Hinata havia largado.

***

Já havíamos jantado. Estou me preparando para sair da casa de Hinata, além do mais, já são 21:09. Quando eu fui em direção ao meu celular, o qual está largado em cima da mesa de jantar, o mesmo começou a vibrar. Percebi que era uma chamada dupla do Tanaka e do Sugawara.

—... Droga. — Peguei meu celular e atendi a chamada.— Oi...

— ONDE VOCÊ ESTÁ, KAGEYAMA?— Conseguia ouvir a voz de Sugawara pelo outro lado da chamada.— TANAKA ME DISSE QUE VOCÊ AINDA NÃO VOLTOU PARA CASA!— Sugawara falou.

— Suga, se acalme...— Ouvi a voz abafada de Daichi. Dei um suspiro.

—... Eu estou na casa do Hinata. Eu estava indo embora agora, mas vocês atrapalharam.— Eu disse enquanto checava se não havia esquecido nada na casa de Hinata. Natsu já estava dormindo, e Hinata acabou dormindo também, ou seja, eu era o único acordado.

 Kageyama, você está perdendo eu derrotando o chefão do seu vídeo game!— Ouvi Tanaka dizer, logo depois ele riu.

— Tanaka, não é uma boa hora para falar de vídeo games.— Sugawara disse, porém calmo dessa vez. Eu abri a porta de entrada da casa de Hinata, botei meus sapatos e saí do local, logo fechando a porta e seguindo o pequeno caminho que tinha do jardim até a calçada.

— Certo, vocês só queriam falar isso? Porque se era, eu vou desligar logo. Não sou obrigado a ouvir você, de qualquer jeito.— Ouvi alguns barulhos vindo do lado do Suga ou do Tanaka.

— Ha, desculpa, Kageyama.— Ouvi a voz de Asahi.

— Asahi?/Asahi?— Eu e Tanaka questionamos em uníssono.

 Haha, sim, sou eu...— Ouvi Asahi suspirar.— O real motivo de termos tentado te ligar era para falar que estamos todos na casa do Nishinoya. Eu, Suga e Daichi. Pretendemos ficar algum tempo aqui, pelo menos uma semana. Como faz tempo que não nos vemos, íamos convidar você e Hinata para cá, já que ficamos sabendo que os dois estão em Tokyo agora. Mas então, Tanaka acabou atendendo o telefone fixo.— Asahi explicou.

— Ah, entendi.— Olhei para os dois lados da rua, logo atravessando a estrada pela faixa de pedestre.— Certo, que dia e horas?— Ouvi mais alguns barulhos.

 Às 18 horas, dia 11!— Ouvi aquela voz animada de Nishinoya dessa vez.

— Certo... Eu vou ir. Agora, tchau. E não liguem de novo, eu quero dormir.— Desliguei a chamada e dei um longo suspiro.—... Por que eu aceitei ir?— Perguntei para eu mesmo enquanto eu revisava a conversa que acabei de ter em minha mente. Guardei meu celular em meu bolso e parei num ponto de ônibus.—... Que droga.

***

— Dia 10 de Abril. Tokyo.

Acordei com o barulho de meu despertador tocando algo irritante. Desliguei o despertador e bocejei. Me sentei em minha cama e logo uma lembrança veio parar em minha mente.

—... Hoje é sábado.— Suspirei de alívio, logo me deitando de volta em minha cama. Respirei fundo e fechei meus olhos novamente, mas eu acabei tendo que levantar de qualquer jeito por conta de uma imensa vontade de urinar. Fui até meu banheiro e cheguei próximo ao vaso, logo levantando a tampa e o acento. Abaixei minha calça e minha cueca, logo fazendo oque eu necessitava. Levantei minha cueca e calça, logo indo até a pia e girando o registro, pegando um sabonete, esfregando-o em minhas mãos e as lavando. Fechei o registro e dei um longo suspiro ao me ver no espelho. Eu tinha olheiras profundas em meus olhos e meu cabelo estava muito bagunçado. Eu não tinha uma noite boa de sono já faziam dias.— Deus, ainda bem que é sábado...— Eu reafirmei. Saí do banheiro e novamente me joguei na cama, logo me cobrindo com a coberta.—... Mais tempo para dormir.— Eu disse fechando os olhos.

Continua...


Notas Finais


°•Obrigada por ler! Até o próximo capítulo ^^•°


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...