História Half A Shell - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Bruxas, Castle Edits, Lux, Mar, Olhar, Perigo, Praia, Psycho Edits, Romance, Sereias
Visualizações 2
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 13 - Treze


Fanfic / Fanfiction Half A Shell - Capítulo 13 - Treze

 

A surpresa de ver Pandora fora do mar causou reações diversas, Phill se apaixonou instantaneamente, Beanca não conseguia dizer uma palavra de tão confusa e encantada, James também não estava sabendo o que sentir e Anna definitivamente não gostou de ver a loira fora da água é tão perto dele.


 

 James tinha esquecido que naquele dia era lua nova e por esse motivo a sereia poderia sair do seu habitat, depois das coisas se acalmarem em seu dormitório e todos saírem de lá, o jovem decidiu mostrar um pouco da cidade para ela. 



 

— Você já saiu antes ? — questionou James enquanto eles andavam pelas ruas cheias de prédios de Michigan.


 

— Uma vez, quando era um pouco mais jovem. Não achei graça. — afirmou olhando com certo nojo para um homem que estava andando rápido . — Humanos são nojentos. 


 

James riu da afirmação dela e não pode não concordar


 

— O que você quer fazer ? 


 

— Não sei, quero ir dançar. — avisou dando um sorriso bobo. 


 

— Ainda é meio cedo Pandora, mas a noite podemos fazer isso — disse e observou vários homens olhando para ela, afinal a loira era maravilhosa e estava com um vestido que mais parecia uma saída de praia. — Você precisa de roupas não acha ? 


 

— Qual o problema do meu vestido ? — indagou olhando para ele. 


 

— Onde arrumou ele ? 


 

— Em uma bolsa de uma banhista, vocês perdem muitas coisas — respondeu.


 

— Vamos ao shopping, você precisa de roupas — afirmou e segurou a mão dela para atravessarem. 


 

Ele se arrependeu muito de ter indicado compras de roupas, já era chato com uma mulher comum, agora com Pandora, era mil vezes mais chato. Primeiro ela se encantou com o local, olhava para tudo com muita admiração, James até achou fofo, mas ela queria entrar em todos os lugares. Depois quis comer hambúrguer e se ofendeu quando ele perguntou se ela queria peixe. Na hora de  escolher roupas, nada ficava bom e teve um breve momento em que ela saiu nua do provador. 


 

— Você não pode andar assim pelos lugares — explicou James quando jogou ela no provador novamente. 

 

— Por que ? Eu me sinto livre e bem sem nada. 

 

— Pandora, aqui fora é diferente. 


 

— Não gosto daqui — reclamou se empurrando é colocando novamente o velho vestido. 


 

— Você se sente bem nesse vestido ? — perguntou para ela que afirmou com a cabeça — Okay, fique aqui e de roupa. 


 

James saiu dali tentando não pensar muito na sereia nua, aquilo foi mágico mas ele tinha que se concentrar. Foi direto para onde tinha moda praia, pegou uns dois biquínis simples para ela usar no mar, pegou um maiô preto e bem cavado para ela usar na noite, escolheu umas saídas de praia, uma longa branca e com a parte de cima de renda, viu uma calça toda de renda preta é bem larga, viu outra colorida que parecia um vestido é a pegou, achou que estava bom e voltou para o provador, mesmo com o olhar de reprovação Pandora provou. 


 

— Eae, gostou de alguma coisa ? — questionou sentado e totalmente entediado. 

 

— Por que tenho que cobrir meus seios ? 


 

— Por que as pessoas andam assim, por favor colabora. — implorou colocando as mãos na cabeça e querendo sair dali. 

 

— Está bem, estou bem assim — avisou e saiu do provador. 

 

A boca de James se abriu involuntariamente, a sereia estava com o maiô preto e a calça de renda, estava linda muito linda, o rapaz não conseguia demonstrar o quão estava encantado com ela, respirou fundo algumas vezes e se levantou, foi até ela e pegou às etiquetas e as outras peças que tinha escolhido. 


 

Ele não disse nada, tinha conhecimento do ego de Pandora, e se a elogiasse iria apenas piorar, ele pagou as roupas e foram tomar um sorvete, a sereia ficou encantada com a sobremesa e se zangou quando James disse que tinham que ir embora.


 

— Eu podia ter ficado lá — reclamou sentada no sofá do dormitório de James. 


 

— Claro que podia — ironizou assim que saiu do chuveiro. — Você quer tomar banho ? — Pandora olhou para ele sem entender, como ele estava oferecendo banho para um ser que fica a vida na água. — O que ? Você não tem água quente.

 

— E quente? Já ouvi falar que e bem quente. — se animou.

 

— Vem — chamou o rapaz voltando para o banheiro e abrindo o chuveiro, quando ele se virou ela estava dentro da banheira bem atrás dele e rindo — Aproveite — desejou saindo dali e encostando a porta. 


 

James colocou uma calça preta e uma camisa da mesma cor, bagunçou os cabelos e separou uma toalha para Pandora, que parecia estar adorando. 

 

— Chega! — exclamou ele batendo na porta do banheiro — sua toalha está aqui — avisou e voltou para seu sofá, ligou o vídeo game é ficou jogando. Pandora saiu do chuveiro adorando aquilo, abriu a porta e caminhou até James, nua. — Cacete, dá pra parar com isso ? — pediu fechando os olhos e indo buscar a toalha. 


 

— Você é fresco — reclamou aceitando a toalha — gostei disso. 

 

— É eu sei. Se troca, vou te esperar lá fora. — anunciou e saiu do quarto. 

 

Passar um dia todinho com ela era um teste de sanidade e controle. Era incrivelmente provocativa e mesmo com algumas atitudes inocentes parecia que tentava provocar ele a qualquer custo. Bem rápido ela saiu do quarto, com a mesma calça daquela manhã e a parte de cima do biquíni de renda branca. 


 

— Para onde vamos ? — questionou animada. 

 

— Uma festa de uma fraternidade — avisou e começou andar na frente dela — Então, você achou alguma coisa ? Para quebrar a maldição.


 

— Infelizmente não, acho que não tem solução, tritão — ao ouvir aquela palavra o corpo de James se contorceu, tinha decidido que iria para o mar, mas depois do episódio com Beanca ele estava pensando nisso. — UAU ! — exclamou ela ao ver a casa onde estava acontecendo a festa, a casa dos Delta Phi estava cheia, músicas latinas ecoavam por todo lugar e risadas e gritos animados se juntavam a música. Os olhos de Pandora brilhavam em animação e sem avisar ela quase correu para dentro. — NÃO SOME — gritou James vendo Anna se aproximar. 


 

— O que ela faz aqui ? — indagou, o rapaz olhou para ela dos pés a cabeça, não estava observando o shorts curto e a blusa da fraternidade e sim tentando entender o que ela estava fazendo ali. 

 

— O que você faz aqui ? 


 

— Eu era uma Delta Phi — anunciou — Pandora? — insistiu sinalizando para dentro da casa.


 

— É como cuidar de uma criança — reclamou caminhando para onde estava às bebidas — Ela queria dançar. 

 

— E você acha bom trazer ela aqui ? — perguntou, bem no momento que eles viram a sereia rebolando com Pedro e seus amigos. 

 

— Nada é bom — afirmou encarando aquela cena, um ciúme crescia dentro dele. 


 

Pandora estava se divertindo, rebolava no ritmo da música, Pedro parecia estar gostando da dança e isso irritava James. 

 

— Ela é demais — comentou Phill se juntando a eles. Anna e James apenas olharam para ele e voltaram para Pandora. 


 

Em um certo momento a garota se virou e dançou colocada em Pedro, que aproveitava a situação e tinha a mão na bunda dela.

 

— Isso te incomoda ? — indagou Anna.


 

Mas antes que ele pudesse responder ou mentir, Pedro segurou a nuca de Pandora é a beijou, a loira aceitou e puxou o rapaz para ela. Para a pergunta de Anna, o fato de James ver aquilo e quase correr naquela direção é puxar ela com tudo, foi uma boa resposta. 


 

— Incomoda — falaram Anna e Phill juntos. 


 

— Que porra é essa? — questionou James arrastando Pandora para fora. 


 

— O que foi ? 


 

— Você é tão desprezível — reclamou largando ela no meio da rua. — Me dá tanta raiva. 


 

— Me poupe James, — falou amarrando o cabelo em um nó — Você é igual a mim. 


 

— Ha ha ha — ironizou. — Não sou nada parecido contigo. 


 

— Você sabe que é  — afirmou ela. 


 

— Eu tenho raiva de você, tenho raiva de ter aparecido naquela praia, tenho raiva do seu beijo — esbravejou. 


 

— Eu não sou obrigada a aturar isso, sou muito superior a você — avisou e se virou para ir embora. 

 

James viu ela se virando é a impediu, segurou seu braço é a puxou para ele se inclinando é a beijando, não como aquela vez da praia, com raiva, ódio é desejo, muito desejo. Pandora retribuiu é passou os braços pelo pescoço dele o puxando para si. Era um beijo sedento e instigante. Um beijo estilo Pandora e James.

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...