1. Spirit Fanfics >
  2. Half Moon >
  3. Chapter Twenty-four - Family Discussion

História Half Moon - Capítulo 26


Escrita por: e delphw


Capítulo 26 - Chapter Twenty-four - Family Discussion


Fanfic / Fanfiction Half Moon - Capítulo 26 - Chapter Twenty-four - Family Discussion

 

Capítulo Vinte e Quatro | Discussão de Família

 

Reserva Quileute - Forks, Washington - Estados Unidos da América

|JUNHO DE 2019|

 

O moreno se sentia acabado tanto fisicamente quanto emocionalmente, nunca pensou na parte negativa de sofrer um imprinting, nem ao menos tinha passado pela sua cabeça, pelo que via dos outros, era como um conto de fadas, mas a realidade é bem mais dolorosa e para Seth estava sendo um fardo difícil de se carregar. Ele sente aquela necessidade absurda de estar o tempo todo perto do garoto, e se isso não acontece ele não consegue viver normalmente pois sua mente volta o tempo todo para aquele garoto de olhos avelã, isso está deixando- nervoso.

No momento, o moreno está afastado de sua alcatéia em sua forma de lobo, para que ninguém veja seus pensamentos, ele só gostaria de um tempo sozinho sem Jacob o tempo todo preocupado com ele, Sam o encarando estranho e Leah tentando conforta-lo, bem...do jeito meio bruto dela.

Ele queria poder ficar ali para sempre, como se não tivesse sofrido Imprinting por um garoto e que descobriu por outros que não gosta de se prender a ninguém, Seth sentia que o universo estava brincando com ele, não era justo, por que com ele as coisas tinham de ser complicadas? Com os outros foi tão simples, ele sentia inveja daquilo.

Quando o lobo sentiu os primeiros pingos da chuva molharem seu focinho e pelo, soube que precisaria voltar para a reserva, então ele deu as costas para a paisagem a sua frente e correu, não tão rápido quanto poderia, queria demorar o máximo que pudesse. Seth ainda não sabia como espantar os pensamentos inoportunos sobre seu imprinting enquanto estivesse em forma de lobo, já tinha pessoas demais sabendo disso, não queria toda a reserva falando sobre o assunto ou o encarando, talvez com nojo ou pena, mas isso ele não gostaria de descobrir.

Antes de chegar na reserva, o moreno voltou a forma humana e continuou a correr, seria melhor pra ele se previnir, não se perdoaria se os outros descobrissem por um deslize seu.

A cena de Thomas beijando aquele garoto invadia sua mente a todo momento, os dois com os corpos grudados, aquilo lhe trazia uma sensação estranha que nunca experimentou antes, era algo estranho, sentia uma vontade absurda de socar aquele garoto desconhecido que beijou seu imprinting, ao mesmo tempo que sentia seu coração apertar e a repreender a si mesmo por tais pensamentos, Thomas não era sua propriedade, mas se tornou inevitável para o moreno não pensar naquilo e isso fazia com que seu humor piorasse drasticamente. Seth já não achava o imprinting a melhor coisa que poderia acontecer com um lobo, na verdade, a marca perdeu o significado, se tornou algo incômodo, um empecilho em sua vida, ele só gostaria de parar de sentir tudo aquilo, era demais para suportar.

Quando o garoto chegou até a reserva, antes de sair do meio das árvores ele percebeu que tinha uma movimentação estranha por ali e apressou o passo nervoso, torcia para não ser nenhuma emergência ou problema, já bastava de complicações em sua vida, mas o universo não queria cooperar com Seth, porque assim que se aproximou o suficiente do local em que os quileutes faziam a fogueira, o moreno encontrou a família Cullen e assim que seus olhos focaram nos vampiros ele soube, soube que os problemas só iriam aumentar.

Sam estava cara a cara com o patriarca da família, Carlisle Cullen com um sorriso calmo em seu rosto perfeito. O moreno encontrou Jacob mas Renesmee não tinha chegado ainda, portanto se aproximou do Sam que tinha o semblante sério, mesmo não tendo tanta rivalidade quanto antes, os grupos não se misturavam e o alfa não estava contente com a visita repentina. Quando perceberam sua presença, Carlisle lhe diriu um sorriso amigável, assim como a mulher ao seu lado, Esme Cullen, ela era a vampira mais gentil que já conheceu, Seth tinha apresso por ela.

— Podem falar o por que de estarem aqui? — perguntou Sam demonstrando descontentamento com a presença dos vampiros, Rosalie cruzou os braços e bufou, mas não se pronunciou para responder.

— Gostaríamos que todos os lobos estivessem presentes, se não se importar Sam. — Carlisle respondeu de maneira polida, a voz calma e a expressão serena o total contrário do alfa.

— Como vai, Seth? — Isabella se dirigiu amigável para o garoto, ela sentia saudade de passar o tempo na reserva converso com os garotos, mas já não podia ter mais isso.

— Muito bem, e você? — A mentira não convenceu ninguém, nem mesmo seu sorriso forçado ajudou, e Edward Cullen que lia os pensamentos do menino com um certo constrangimento percebia o que se passava com ele, assim como Jasper que sentia suas emoções.

— É, bem você tem falado com Renesmee? — Bella desconversou encarando o chão.

— Sim, não se preocupe, ela vai falar com vocês. — Seth a tranquilizou com um sorriso que a mesma devolveu.

Todos ouviram o som de uma moto e um carro se aproximando de onde estavam e os Cullen perceberam que os dois humanos estavam no carro, Rosalie praguejou contrariada, a família não contava com a presença dos mesmos e os quileutes não esperavam por isso. Seth gostaria de poder controlar seu coração, porque assim que sentiu o cheiro de nicotina misturado com maresia parecia que seu órgão ia saltar para fora de sua caixa torácica e para sua total vergonha, todos os presentes conseguiam ouvir seus batimentos. O moreno abaixou a cabeça com suas bochechas levemente coradas, ele escutou Jacob soltar uma risada baixa e encolheu os ombros, mas a atenção dos outros já não estavam mais nele e sim no carro.

Nikaia tinha descido de sua moto e se aproximado do carro, o garoto de cabelos pretos desceu e deu a volta para continuar a discussão com a castanha, todos prestavam atenção na discussão, menos Seth.

— Vamos logo. — Thomas resmungou revirando os olhos.

— Isso foi uma péssima ideia, eu vou ficar aqui. — Renesmee cruzou os braços embirrada, a ruiva se manteve a uma certa distância dos dois, não queria se estressar com a amiga, deixaria essa para o garoto resolver.

— Então tá', mas lembre-se que você me obrigou a isso. — Thomas deu de ombros e tanto os Cullen quanto os quileutes não sabiam como reagir ao garoto pegar Renesmee e jogá-la em seu ombro.

— Seu bad boy desgraçado! Me coloca no chão! — A castanha esperneou e acertou diversos socos nas costas do garoto que não pareceu ligar nem um pouco.

Emmett Cullen não conseguiu segurar a risada e acabou levando um tapa na nuca de sua esposa que segurava o riso, embora o humano não fosse alguém que gostasse, Carlisle e Esme se divertiam com a cena, embora tentassem não demonstrar, estavam agradecidos ao rapaz por conseguir trazê-la para perto da família, mesmo que não aprovassem totalmente o método. Edward não parecia contente com a intimidade e ousadia do humano, porém Bella sorria aliviada. Os quileutes apenas riram, já se acostumando com o jeito de Thomas, menos Jacob que estava um tanto incomodado com a cena.

— Quem encomendou um frango? — O jovem de olhos avelã perguntou e quase jogou a castanha nos braços do pai que encarou o garoto com as sobrancelhas franzidas. — Acho que foi você.

— Thomas seu... — Renesmee não terminou a frase, pois tinha encarado seu pai, mas virou o rosto apenas para presenciar sua amiga rindo da situação. — Grande amiga você.

— Nessie, você pediu por isso. — A ruiva deu de ombros.

— Te amo também, esquisita. — Thomas piscou para a castanha que lhe mandou a língua em uma atitude infantil.

A castanha quase correu para perto de seu namorado, tentando evitar ao máximo o contato com sua família que se entristeceu com isso, mas Edward tomou a frente de sua família para que todos o escutem.

— Porque vocês não vão entrando? — Ele falou diretamente para os quileutes e e os humanos presentes. — Nós temos que conversar, Nessie.

Quase todos entenderam o recado e se dirigiram para a casa mais próxima que era a de Jacob, porém a ruiva precisou puxar Thomas que não queria sair do lugar.

— Me solta, eu quero presenciar o barraco! — exclamou o garoto, a ruiva revirou os olhos para isso. — Me solta, cenourinha.

Ele se soltou da mão de Nikaia e se aproximou do moreno cabisbaixo que andava logo atrás deles. Seth passou a maior parte do tempo observando seu imprinting de longe e ele odiava ter de admitir o quanto Thomas parecia alguém por quem ele realmente poderia se apaixonar. Ele sentiu um braço passar por entre seus ombros e levantou a cabeça dando de cara com os olhos que ele tinha aprendido a apreciar.

— E aí, garoto bonito. —Thomas pronunciou as palavras perto do ouvido de Seth que sentiu seu coração parar e voltar a bater em uma velocidade absurda, ele sentia que iria desmaiar ali mesmo encarando aquele sorriso malicioso e sentindo-o tão perto de si.

Nikaia abriu um pequeno sorriso e se apressou para não ficar entre o talvez futuro casal e ela torcia por eles, em silêncio. Os Cullen tinham total atenção na castanha que encarava os próprios pés remexendo a terra molhada.

— Filha, não estamos irritados. — Bella começou se aproximando. — O que você fez não foi certo, mas não vamos brigar por isso.

— Até porque seus pais não tem nenhuma credibilidade para fazer isso. — Rosalie se meteu com um sorriso debochado e a castanha levantou a cabeça curiosa. — Edward era pior do que você por causa da sua mãe.

— Rosalie. — Esme repreendeu, o tom bondoso ainda presente na voz e a loira que se calou imediatamente.

— O que sua mãe está tentando dizer é que só queríamos falar com você e que você voltasse pra casa. — Edward enlaçou o braço nas costas da mulher que sorriu.

— Então não estão magoados comigo? — Renesmee perguntou apenas para confirmar.

— Oh, querida, é claro que não. — Esme se aproximou e deu um abraço na neta. — Só ficamos preocupados.

— Desculpa. — A castanha pediu sinceramente e seus familiares sorriram.

— Só deixa um bilhete da próxima vez. — Emmett sugeriu e recebeu olhares de repreensão fazendo com que levantasse os braços em forma de rendição.

— Tudo bem, tio Emmett. — Renesmee riu e se dirigiu para a casa do namorado braçada aos pais.

Quando os Cullen entraram na casa, se depararam com uma ruiva torcendo fervorosamente como se fosse uma líder de torcida e ao seu lado estava Jacob sendo mais contido na torcida, Thomas e Quil estavam brincando de queda de braço. O lobo estava quase vencendo, ninguém estava surpreso com isso, mas Nikaia continuava apoiando o amigo, afinal tinha apostado seu dinheiro nele e Jacob em Quil.

— Vai Thomas, vai Thomas! — A garota pulava animada, os quileutes concentrados na cena e os Cullen se unindo a eles curiosos com o desenrolar.

Thomas chutou a canela de Quil que perdeu o foco por tempo suficiente para o outro virar o jogo e ganhar, Nikaia gritou de felicidade puxando o dinheiro da mesa enquanto o resto os encarava embasbacados, Thomas pegou seu óculos escuros que estava pendurado em sua camisa e os colocou. A ruiva rebolava em uma dancinha estranha enquanto contava o dinheiro com um enorme sorriso na cara.

— Você roubou! — Quil exclamou revoltado com o que acabara de acontecer, Nikaia parou o que estava fazendo e o encarou.

— Prove. — Thomas encostou o queixo nas costas da mão, abaixando levemente os óculos e abrindo um sorriso irônico.

— Ohhh! — A ruiva fez um som com a mão na boca.

Nikaia começou a abanar Thomas com o dinheiro, como se fosse um leque, o garoto ergue os braços como se quisesse ser aplaudido, muitos gargalhavam da cena, Quil rosna descontente. Para melhorar a situação, Thomas inclina a cadeira em que esta sentado para trás e Nikaia começa a jogar o dinheiro no amigo que joga a cabeça para trás e a balança.

— A bebida é por minha conta hoje! — A ruiva exclama entre risos, quase todos acompanhavam a garota.

Porém Quil permaneceu emburrado em sua cadeira, os braços cruzados, Thomas percebeu isso e se aproximou sentando na ponta da mesinha de frente pra ele, o garoto pegou a mão do lobo e colocou a outra em cima, sua outra mão passou levemente na mandíbula do mesmo. Os vampiros e quileutes se sentiam desconfortáveis com a cena, Seth sentia que iria explodir de raiva presenciando aquilo.

— Baby, não seja um péssimo perdedor. — Thomas aconselhou com um sorriso malicioso nos lábios, e quando ele se virou para a platéia percebeu o moreno com uma cara de poucos amigos e se aproximou jogando-se no colo do mesmo. — Não fica assim, amo você também, garoto bonito.

Seth Clearwater sentiu como se tivesse morrido e ressuscitado depois daquelas palavras sendo pronunciadas por aquele garoto terrivelmente sexy, e de uma coisa ele tinha certeza, se dependesse de Thomas, ele estará ferrado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...