1. Spirit Fanfics >
  2. Hallucinate >
  3. 01x17: Blood Water

História Hallucinate - Capítulo 19


Escrita por:


Capítulo 19 - 01x17: Blood Water


Fanfic / Fanfiction Hallucinate - Capítulo 19 - 01x17: Blood Water

pov Klaus Mikaelson

Nova Orleans,1998

Vincent caminhava incrédulo de um lado para o outro,Hayley me olhava com sangue nos olhos por ter feito o que era certo.

- Deixa eu ver seu eu entendi. - Hayley disse quebrando o silêncio. - No passado você usou a lei da surpresa com Henry Winchester e isso resultou em nossa filha se apaixonando pelo neto dele?

- Eu utilizei ela porque achei que teria sua descendência como meus escravos, não imaginava que um dia eu teria uma filha e acabaria destinando ela a um desses idiotas. - cerrei os dentes.

- Klaus. - Vincent se aproxima de mim paranóico. - Você não pode brincar com o que o destino determinou,isso pode gerar catástrofes.

- Bem,eu fiz isso é até agora nenhum piano caiu na minha cabeça e da minha filha. - Eu disse debochado. - O que aquele mero mortal pode nos acrescentar?

- Essa sua ganância por poder e seu orgulho vai acabar custando a vida de nossa filha! - Hayley disse apontando na minha cara. - Você quase fez isso quando eu estava grávida,tem certeza que quer cometer o mesmo erro de novo?

- Eu fiz isso por que amo ela!

- Se realmente amasse tanto como diz você não a separaria do garoto que ela ama,que ao que tudo indica é o amor da vida dela,e apagaria a memória dos dois.

- Vão ser 6 anos de paz - Vincent interrompeu. - até acontecer o primeiro sinal,depois o ano próspero seguido por anos de catástrofes que nem se os dois casassem resolveria. Klaus,ainda dá tempo de desfazer isso.

- Eu prefiro arriscar.

***

pov Isabella Mikaelson

Cheguei do trabalho e me deparei com uma surpresa na cozinha,Dean Winchester tentando cozinhar.

- Oi. - Dean disse se atrapalhando com as panelas.

- Você acha mesmo que sabe cozinhar? - Tapei uma frigideira a qual alguma coisa estava queimando.

- Ah é nosso aniversário de namoro,não custa nada tentar.

- Se for como nas suas 22 duas últimas tentativas. - Pego vinho. - Sabemos que acaba com vinho.

- Nada mau. - Ele faz beiço.

- Então vou dar início a "festa" - Eu disse com um sorriso e me direcionei a pia abrindo a primeira gaveta para pegar o saca rolhas.

- Não não não! - Dean disse desesperado quando me viu abrindo a gaveta.

Lá estava uma caixinha de aliança,o seu misterioso presente esse ano era um pedido de casamento.

- Sim. - Eu me viro para ele com lágrimas nos olhos.

- Mas você nem a...

- Sim. - o interrompo. - Apenas sim. - Eu sorri e ele se aproximou me dando um beijo intenso.

Distante eu escutava uma voz feminina me chamar, praticamente implorando para dar atenção a ela.

- Isabella! - Sarah disse sem paciência e me tirou do transe. - Foi uma visão sexual agora?

Eu devo ter apertado muito forte o copo de vidro que segurava enquanto viajava para esse mundinho paralelo. Olhei para frente e parecia que Dean tinha acabado de sair dele também,ele me olhava fixamente que até pensei que estava enxergando minha alma.

- Não me olhe assim porque eu tenho trauma de vestir branco.

- Acho mais provável isso acontecer em uma noite em Las Vegas.

- Tipo Ross e Rachel?

- Você gosta mesmo de Friends ein - Sarah interrompe

- Teríamos uma filha?! - Dean pergunta assustado.

- Uma pequena Emma. - Eu disse como se tivesse interesse real em ter um bebê.

- Que tal cairmos na estrada agora? - Sam aproveitou a brecha de um assunto que estava se tornando estranho e todos concordamos.

Assim que saimos do hotel olhei para minha mão onde o corte já havia se curado graças ao sangue de vampiro que correr em minhas veias.

Uma gota de sangue caiu na palma de minha mão como se fosse uma gota de chuva,olhei para o seu e outra caiu em minha testa dando início a uma garoa de sangue.

Minha tia Freya sempre me disse que a chuva de sangue era um sinal de que algo de errado tinha acontecido em Nova Orleans e que se eu estivesse fora da cidade era para voltar imediatamente.

- Tem algo de errado em Nova Orleans. Precisamos ir para lá!

- Tudo bem,docinho, nós vamos. Só não entra no meu carro igual a Carrie. - Sarah diz segurando meu pulso e me puxando.

pov Dean Winchester

Fomos até Nova Orleans,Isabella conseguiu nos deixar preocupados com todo o mistério do que estava acontecendo lá.

Estacionei meu carro em frente a enorme casa dos Mikaelson e Sarah estacionou logo atrás,Isabella correu até os portões da casa como um raio,nunca havia visto ela tão angustiada antes,descemos do carro rápido para acompanhar seu ritmo.

No grande pátio estavam reunidos todos os Mikaelson prestando atenção no que um homem,desconhecido para mim,dizia.

- A água no rio virou sangue,a fonte - Ele aponta para a fonte no meio do pátio. - jorrou sangue e choveu sangue onde... - Naquele momento o homem nota nossa presença...ou apenas a de Isabella. - Hope! Graças aos ancestrais.

- Eu vim o mais rápido que pude,Vincent. Logo que a chuva começou eu lembrei do que a tia Freya disse. - Isabella disse sendo envolvida pelo abraço do pai.

- O que sua tia Freya disse? - Klaus disse sem tirar seu olhar mortal de mim.

- Quando a água vira sangue algo de errado aconteceu em Nova Orleans. "O que você vai fazer quando houver sangue na água? O preço da sua ganância é seu filho e sua filha." - Isabella recita.

- Ela falou também sobre a lei da surpresa. - O que eu disse atraiu olhares assustados de todos.

- Niklaus,nem pense em atacar o rapaz. - a voz de Elijah ecoou pelo pátio. - Você sabe que esse momento ia chegar.

- Eu avisei desde o início. - Vincent disse.

- Ah...eu infringi essa lei e agora vou ter que pagar uma multa? - Eu perguntei devido ao clima pesado que ficou.

- Eu avisei que isso acabaria no sangue de um filho Winchester e uma filha Mikaelson derramado.

- Eu não estou entendendo. - Isabella disse com a voz meio trêmula.

A tia dela ensinou a recitar a sua sentença de morte? Maluca!

- Isso deve ser culpa minha e não deles. - Sarah disse tentando assumir a culpa. - Eu quase tive contato com meus irmãos e...

- Aé,você é descendente de Lilith. - Rebekah a interrompeu. - Então suponho que Vincent te mantenha em uma conversa e o grandão fica disponível para fazer nada. - Ela seca Sammy da cabeça aos pés.

- Venham comigo. - Freya disse olhando em meus olhos tentando ter minha confiança.

A segui com desconfiança,queria uma explicação boa do que ter sangue Winchester em minhas veias ocasionou na minha sentença de morte para pagar algo.

***

pov Isabella Mikaelson

- Não é mais fácil apenas contar para gente? - eu reclamei para minha mãe.

- Querida,isso só os deixariam mais confusos. - Ela colocou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha e depois deu olhar vai para Dean,que estava sentado do meu lado. - Precisa de alguém para te encorajar também?

- Só um beijinho na testa. - Ele disse debochado.

Minha mãe era um doce e acabou dando um beijinho na testa dele que o deixou surpreso. Estávamos sentados em um círculo desenhado no chão pela minha tia Freya, Íamos participar de um feitiço que ela não quis contar,eu desconfiava que era um de recuperação de memória.

- Hope - Me pai se agacha. - Você sabe que tudo que eu fiz por você foi por amor e para te proteger.

- Você falando assim só me deixa mais nervosa. - Eu ri nervosa.

- Prestem atenção. - Minha tia Freya de aproximou. - Isso vai ser um feitiço para recuperar a memória.

- Eba,vou descobrir o que eu fiz na maioria das vezes que estava bêbado. - Dean interrompeu e eu dei uma cotovelada nele.

- A que vocês precisam achar está atrás de uma porta branca que vai ser quase impossível de achar. Quando vocês passarem por ela tudo vai passar diante dos olhos de vocês como se fosse um curta metragem,talvez eu consiga dar um jeito de vocês verem o que pode acontecer mais para frente.

- Quem apagou nossa memória? - Todos se entreolham preocupados. - Deixa eu ajudar vocês, digam "No feitiço você vai descobrir"

Deitei o meu corpo sobre concreto gelado e fechei meus olhos,senti o polegar de minha tia passar em minha testa algum líquido que parecia tinta e escutei ela sussurrando algumas palavras em latim.

Abri meus olhos e me deparei em um corredor branco cheio de portas,Dean estava ao meu lado observando confuso o corredor.

- "Uma porta branca" - ele imita a voz da minha tia. - porra tem 500 portas brancas!

Me aproximei das portas do lado esquerdo,nelas estavam em destaque um I M em dourado no meio.

- Acho que desse lado são as minhas memórias e o lado direito são as suas.

- Uh,vamos ver qual é sua primeira memória. - Dean consegue abrir a porta mesmo que eu tenha me jogado na frente dela.

Flashback on

Mystic Falls,1987

Minha mãe me matriculou em uma escola e me obrigou a ir,era o primeiro dia de aula de todas as crianças. Olhei ao meu redor e só vi crianças sorridentes e saltitando animas para o primeiro dia.

- Hope,lembra que seu nome aqui é Isabella...como a rainha Isabella de Angoulême que seu pai conta histórias dela antes de dormir para você. - Minha mãe disse agachada em minha frente. - Que tal um vídeo do seu primeiro? - Ela diz com um sorriso e se levanta para começar a gravar.

Eu olhava emburrada para a camera mesmo com minha mãe falando animada,eu não queria estar ali! Eu não ia me encaixar ali e muito menos fazer amigos

Uma garotinha loira se aproxima de mim sorridente,100% mais animada que eu.

- Oi, meu nome é Caroline. - Ela acena mesmo estando perto de mim.

- Meu nome é Isabella. - Eu disse tentando dar um sorriso simpático.

- Você quer ser minha amiga?

Olhei para ela surpresa e logo não precisei forçar um sorriso simpático,juro eu ia chorar de emoção.

- Claro! - olhei para minha mãe animada.

- Vamos ser melhores amigas. - Ela me abraça. - Bonnie vem cá conhecer nossa nova melhor amiga!

Flashback off

- Owwwn é uma memória fofa! - Dean diz se derretendo.

- Vamos combinar o seguinte, só vamos abrir portas que desconfiamos que são o que minha tia disse.

- Ela disse sobre uma porta branca apenas. Essa era uma porta branca. - Ele aponta para a porta que tinha acabado de ser aberta.

- Tá vendo isso aqui? - Apontei para o I M dourado na porta. - Significa Isabella Mikaelson.

- Uau seu subconsciente adotou seu nome falso.

- Se estamos aqui é para desvendar uma memória juntos,ou seja,na porta deve ter I M e D W.

- Uau,mandou bem Daphne Blake.

- Tô começando a desgostar de Daphne Blake. - Eu comecei a caminhar pelo corredor prestando atenção nas portas. - Que tal Jessica Rabbit?

- Isso daria uma ótima fantasia sexual. - Ele me olha malicioso.

- Sem tempo para piadinhas.

- Isso foi um sim?

- Foi. Mas agora foco. - Comecei a andar mais rápido.

***

Eu espero que o tempo aqui passe diferente no mundo real se não iam achar que tínhamos morrido. Já estávamos horas andando ali, só agora saímos da parte do corredor das memórias da adolescência e chegamos nas portas de memória adulta.

- Aqui! Achei! - Eu gritei quando vi um I M e D W dourado na porta. - Vai na sua porta - apontei para a porta que estava de frente para minha.

- Abrimos no 3? - Ele disse colocando a mão na maçaneta e eu concordei com a cabeça. - 1...2...3.

Flashback on

Nova Orleans,2005

Desde o momento que entrei no bar um loiro que chegava perto dos 1,90 que estava jogando sinuca não tirou os olhos de mim. Resisto a tentação ficando de costas para ele,mas,mesmo assim sentia seu olhos cravados nas minhas costas.

- Tequila pura? - Camille me perguntou de novo. - Vai se arrepender disso amanhã.

- Eu sempre me arrependo das coisas pela manhã. - Eu disse sorrindo. - Amanhã é o primeiro dia que vou ser jornalista da TV, estou muito nervosa. Então,pode trazer.

O homem que não tirava os olhos de mim se aproximou do balcão para pedir uma bebida.

- Como vai? - Ele disse para o outro barman. - Uísque duplo,uma dose de malte por favor. - Ele se senta ao meu lado enquanto o barman preparava sua bebida. - Então esse é um bom lugar para frequentar? - Ele me olha com um sorriso. - É a minha primeira vez aqui.

- Bem,então seja bem vindo a Nova Orleans. - Eu disse sem dar muita bola.

- Eu sou de outra cidada e... - Blá blá blá foi o que ouvi da boca dele. - Uau,está me ignorando. - Ele disse insistente.

- Estou tentando. - Olho para ele.

- Não devia me ignorar.

- Aé,por que não? - Olhei para ele com deboche.

- Eu te garanto que sou alguém que você precisar conhecer para amar. - Ele tentou dar o melhor dos seus sorrisos charmosos.

- Sério? - Não pude evitar de sorrir com sua insistência. - Então se eu te conhecer eu vou te amar?

- Pode ter certeza. - ele faz beiço

- Gosta muito de si mesmo não é? - Ele apenas ri da pergunta e me encara por alguns segundos tentando me decifrar.

- Então,qual a sua história?

- Eu não tenho uma história, garanhão. Sou só uma garota no bar. - O encaro de volta levando o copo de tequila aos meus lábios.

- Sou só um cara no bar. - Ele brinda no ar seu copo com uísque.

Flashback off

- Eu me lembro perfeitamente da sua lábia para me levar para cama. - eu reclamei. - Tem algo errado.

- Ah...esse símbolo. - Dean passa a mão nas letras douradas. - Eu vi ele em algumas portas atrás.

Olhei para ele com sangue nos olhos,talvez se ele tivesse falado antes já estaríamos de volta ao mundo real.

- Dean Campbell Winchester eu só não te mato porque...

- Sou bom demais na cama - ele me interrompe. - eu sei. - ele pisca e começa correr para procurar a porta que tínhamos passado antes.

Segui ele,não correndo muito rápido se não passaria ele facilmente com a "super velocidade" de uma loba.

- Aqui. - Ele segura meu pulso pois eu iria passar da porta sem perceber de novo. - No 3? 1...

- 3! - Disse impaciente e abri minha porta,exigiu uma certa força.

- Isa... não consigo abrir minha porta. - Ele disse tentando abrir de novo.

(Leia essa cena ouvindo Blood//Water - Gradson)

- Sai. - Meti um chute na porta e ela abriu,assim os dois puderam atravessar ela.

Tudo passou mais rápido que um curta,a memória de conheci Dean em uma festa aos meus 17 anos,o primeiro beijo que demos,as escapadas durante a madrugada para nós encontrarmos.

Senti o amor rastejar em meu peito,sem ser convidado e muito indomável,sem piedade alguma. Senti o desejo queimar de baixo da minha língua mas também era algo doce.

Todos a memórias de nossa história passaram rápido,menos o fim dela.

Flashback on

Mystic Falls,1998

- VOCÊS NUNCA MAIS VÃO SE VER! - meu pai gritou furioso. - COM QUE ESTAVAM NA CABEÇA AO PENSAREM EM FUGIR?

Minhas lágrimas me fizeram perder a voz mas juntei o resto de coragem que eu tinha para discutir com ele.

- IAMOS FUGIR PORQUE EU SABIA QUE VOCÊ NÃO IA ACEITAR ELE!

- AH VOCÊ ME CONHECE TÃO BEM! - Ele disse colocando as mãos na cintura.

Dean que estava em outro cômodo da nossa casa não iria precisar fazer o mínimo esforço para tentar ouvir o que estávamos dizendo.

- Klaus,se acalma, são duas crianças. - Minha mãe disse segurando em seus ombros.

- Por favor pai não mata ele. - Eu disse voltando a chorar.

- Ah eu não vou matar ele,eu vou apagar a memória de vocês dois e garantir que nunca mais irão se encontrar nessa vida.

Flashback off

Segundos de recuperar todos as memórias foi como se tivéssemos uma visão futurística. A cidade estava pegando fogo,pessoas correndo e gritando tentando se safar em vão,bruxas e vampiros se aliaram para destruir tudo.

Uma bruxa ancestral a qual já tinha visto em um livro se aproxima de mim e segura meus braços desesperada.

- Você consegue mudar isso, filha. Traga a justiça para nós.

Acordei puxando o máximo de ar que meu pulmão conseguiu e me sentei,aconteceu o mesmo com o Dean segundos depois. A primeira pessoa que vi foi meu pai e o ódio me consumiu.

- Tudo o que vai acontecer é por culpa do seu egocentrismo. - eu disse com nojo



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...