1. Spirit Fanfics >
  2. Hanahaki >
  3. IV - O Vazio

História Hanahaki - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - IV - O Vazio


Fanfic / Fanfiction Hanahaki - Capítulo 4 - IV - O Vazio

IV

MA


 

Quando Hinata finalmente pode voltar para casa. Tudo parecia estranho. O quarto era o mesmo, suas coisas eram as mesmas. Ela era a mesma.

 

Por mais que todos ao seu redor olhassem para ela como se tivesse sido quebrada. 

 

Não era algo novo pra ela. 

 

Durante toda sua vida todos a tinham como fraca. Seu próprio pai a olhava com misto de decepção e consternação. 

 

Mas Hinata sabia o que era. 

 

Gostava de acreditar que para ser forte, não precisava deixar de ser gentil. 

 

Mas o resto do mundo não parecia concordar com ela. 

 

Agora tudo parece pior. 

 

Os olhares hesitantes, a expectativa de que a qualquer momento ela pudesse quebrar e se desfazer em pedaços. 

 

Até mesmo Hanabi, sua irmãzinha parecia distante. Olhando para Hinata como se algo faltasse. 

 

O que faltava, nem mesmo ela sabia. Mas sentia o vazio, algo que preenchia seus sonhos a noite, mas quando acordava não se lembrava de nada. 

 

Algo faltava, eles diziam. 

 

Hinata tentou encontrar esse algo. Tentou se concertar, quem sabe assim as coisas voltassem ao normal.  

 

Conforme os dias foram passando, fingir se tornava cada vez mais difícil. 

 

Principalmente na presença dele. 

 

O herói da aldeia Folha. 

 

Uzumaki Naruto.

 

Por algum motivo, ele a incomodava mais do que os outros. 

 

 A maneira como ele a olhava, como gagueja seu nome, hesitava. Como seu sorriso se desmancha com a mesma facilidade em que surgia quando ela respondia educadamente sua saudação. 

 

Naruto — ela dizia. É sorria. 

 

Sempre sorria, seu sorriso era doce e isso parecia acalmar as preocupações dos outros sobre ela. Mas não funcionava com Naruto. Seu rosto se transforma, se consternava.

Os lábios se franzem e ele abre e fecha a boca dizendo o nome dela com sussurro, então abaixa a cabeça ignorando a fila de seguidoras com mãos cheias de presentes e gritinhos estridentes. Ele murmura um adeus e saia correndo e Hinata não sabe o porquê se sente como se tivesse chutado um gatinho. 

 

É isso a irrita. 

 

Seus amigos abaixam a cabeça e mudam de assunto, ignoram o aquele elefante na sala e ela se força a fazer o mesmo. 

 

Mas a cada encontro com ele, algo nela quebra. Sua força de vontade em fingir. 

 

Sorrir para ele e tentar conversar com Naruto é tão cansativo. É como pisar em lava e ninguém tem coragem de preencher a lacuna, mas no fundo ela sabe,  sente que ele é o homem sem rosto que rodeia todos os seus pesadelos. 

 

E não consegue evitar de se ressentir dele e de todos à sua volta. 

 

Então se concentra nas missões, se força a lutar até que seus punhos sangrem. Hinata Escuta ao fundo de sua mente a voz gentil e suave de Neji 

 

É isso a única coisa que impede de correr e jogar tudo para alto. 

 

— Hinata, Hinata. Você está me ouvindo? 

— Hm, acho que me distrai. 

Kiba não é como todos. Talvez seja uma das únicas pessoas que ela não precisa fingir o tempo todo. Ele não cobra perguntas e espera respostas que sabe que ela não pode dar. Ele apenas sorri alegre e muda de assunto e junto com Akamaru tenta animá-la.

 

Mas quando Shino se levanta e se despende deles.  Ele se senta ao lado dela. 

 

E diferente das outras vezes, ele fica em silêncio. Vendo Akamaru brincar.  

Ela é grata pelo silêncio, mas é tão fora do comum para Kiba que ela o encara e em busca de respostas e ele apenas sorri. 

 

— Você tem treinando muito — ele comenta. 

Ela dá ombros pegando um graveto no chão e desenhando espirais no chão. 

— Sakura me garantiu que em breve poderei voltar a fazer tudo que fazia antes. Preciso treinar bastante pra não deixar nenhum de vocês em perigo por minha causa. 

— Você nunca nos deixou nessa posição Hinata. 

— Eu sei Kiba, mas muitas vezes eu fiquei pra trás. E não quero que isso aconteça novamente. 

—  É não vai, Hinata. Você mudou muito. 

Você mudou, não é mais a mesma. É não tem ninguém a culpar além de si mesma. É isso que está nas entrelinhas. Nas palavras não ditas, nos sorrisos incertos. 

 

— E vocês dizem isso como se fosse algo ruim — ela riu. De repente inquieta demais para permanecer sentada. 

— Não é ruim e só diferente. É difícil ver você mudando… 

— É pra mim? Vocês não acham que é difícil pra mim? Enquanto a mim, Kiba?

— Hinata — Kiba estende a mão e segura seus ombros. Ele abre e fecha a boca e opta por abraçá-la. 

Porque ele não tem nada dizer, não consegue dizer nada, ninguém consegue. 

Ninguém consegue dizer na cara dela que ela errou, que  ela quebrou algo que não pode ser consertado. 

Então ela se afasta dos braços de Kiba, do falso conforto que não lhe preenche. 

Ela não pretendia correr, mas havia aquela dor, aquela aflição crescendo dentro de si. Ela pensou em correr para casa. Se refugiar em seu quarto, deixar Hanabi contar sobre seu dia e contar sobre Konohamaru e sorrir feliz vendo a irmã crescer um pouco mais a cada dia. 

Mas seus pés tem vontade própria e ela corre e corre e sem olhar pra trás, sem querer voltar para trás. 

Corre até sentir seus pés doerem e cicatriz em seu peito apertar.  Mas não consegue parar, não consegue. 

Quando finalmente seu corpo não aguenta mais, ela pula de uma árvore e cai de joelhos no chão. 

A luz da lua é a única coisa iluminando o caminho, se encosta num tronco de uma árvore e fecha os olhos. 

Os olhos ardem, mas as lágrimas não veem. Elas se perderam em algum lugar e uma parte dela deseja alcançá-la. 

Alcançar sua antiga versão e liberar esse algo, essa dor que ela não sente. 

Mas nada vem. 

Então suas mãos se fecham, arrancam grama e terra.  

Ela reprime a vontade de gritar quando percebe, quando sente que não está sozinha. 

Ela aciona o byakugan e olha em volta alerta, as mãos se impunha a espera do inimigo é algo selvagem dentro de si anseia. Ela quer bater seus punhos em algo além de tronco velho de árvore. 

Sem pensar muito. Ela se concentra nele e pula. 

Passo gentil dos punhos de leões gêmeos — ela ataca. Mas ele desvia. Sem esforço para segurar seu pulso. Ele aperta e ela ergue a cabeça e o encara. 

Você…. 









 


Notas Finais


Hey!!

Alguém ainda na escuta?

Desculpem o longo hiatus. Eu sempre digo que não irei demorar, mas tanta coisa me aconteceu no ano passado e nesse que foi difícil voltar a escrever.

Mas precisei voltar. Agradeço de todo coração ao leitores que comentaram o último capítulo, vocês me inspiraram novamente.

PS: Perdoem pelo final rsrs 🤭🤭

さようなら 🥰❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...