1. Spirit Fanfics >
  2. Hanahaki:Morra Em Nome Do Amor Ou Vire Uma Pedra Pra Sempre. >
  3. Capítulo I

História Hanahaki:Morra Em Nome Do Amor Ou Vire Uma Pedra Pra Sempre. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura a todos

PS: talvez eu altere a história.

Capítulo 1 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction Hanahaki:Morra Em Nome Do Amor Ou Vire Uma Pedra Pra Sempre. - Capítulo 1 - Capítulo I

"Me desculpe não tem nada que eu possa fazer por você e seu irmão."

O desespero começou a aumentar. A chuva ao fundo ficava mais forte.

"No geral a cirurgia é a melhor opção, me desculpe."

Senti as lágrimas caindo, minha visão se perdendo aos poucos.

"Okey então, se mudarmos de idéia e quisermos fazer a cirurgia, entraremos em contato."

Me virei pra ir embora, andei até a esquina e comecei a correr. Corri com nunca. Corri sem ver onde ia. Corri como uma cega. Corri até cair na escuridão.

                                  ∞


Ao acordar senti um forte cheiro de alguma coisa bem familiar.

"Humm café, é o meu preferido." 

O vento do inverno ultrapassou a janela aberta, por instinto puxei a coberta, exalando o cheiro dela, era um cheiro muito doce, e percebi que não estava na minha casa. 

Me levantei num pulo, assustando o menino que trazia uma bandeja em suas mãos, tentando recobrar o equilíbrio, eu cai na gargalhada, ele parou para me encarar, mas ao sentir o vento novamente eu me encolhi e gemi de frio, o menino deixou a bandeja na cômoda, e fechou a janela.

"Onde estou? Que eu me lembre eu estava andando na rua." Encarei o menino quando se virou pra mim.

"Andando? Você estava correndo, e acabou desmaiando do nada." Ele suspirou. "Fiz um café da manhã pra você, trouxe roupas elas são da minha irmã, experimente elas, estarei na sala."

Ele me deixou à vontade, então tomei o café junto das bolachas, então experimentei a roupa. Sai do quarto à procura do menino, rodei pelo menos umas 3 vezes antes de encontrar a sala, a casa era enorme.

Ele estava deitado no sofá debaixo de uma coberta.

"Então...muito obrigada por cuidar de mim." Acabei dizendo sem muita emoção, tentei ao máximo forçar uma cara alegre.

"Está tudo bem com você? Parece abatida!" Disse se levantando e se aproximando. " Você chorava muito ontem, fiquei muito preocupado." Ele estava sério.

"Eu.... Estou melhor possível" abaixei meu olhar para o chão diante de seu olhar preocupado. "Porquê está tão preocupado comigo?"

"Seu sorriso é muito mais lindo do que essa cara triste." Disse sério em sua voz rouca.

Arregalei o olhos diante de sua confirmação, senti meu rosto esquentar, não esperava tal coisa do nada, além do mais mal nos conhecemos, tô envergonhada.

"Ah e, o que aconteceu pra você ficar nessa situação? Parece coisa grave, pra você sair correndo até desmaiar de cansaço." Cruzou seus braços na frente de seu peitoral.

Nessa hora as lembranças vieram tão.... Violentamente.... Me subiu um enjôo.

"Aonde é o banheiro por favor?" E desejei do fundo do coração que ele não notasse.

"É ali" apontou.

Sai correndo, e o enjôo subia mais e mais, entrei no banheiro e subi a tampa, e deixei fluir. Senti uma mão na minhas costas e outra prendendo meu cabelo num coque imaginário.

As lágrimas vieram, e me esforcei ao máximo a não tentar lembrar o que aconteceu. 

"Está melhor?" Disse, ouvindo a sua voz rouca me senti estranha.

"Sim obrigada." Encarei aquelas pétalas dentro do vaso, eu até poderia admira-las se elas não estivessem acompanhadas de sangue. Encarei o chão.

"Você não precisa dizer nada se quiser, solte pra fora." Disse me convidando pra um abraço.

Desolada me joguei em seus braços quentes, e chorei como nunca fiz desde o acidente.



"Então? Como se sente?" Disse sorrindo maliciosamente.

"Seu trapaceiro, isso não vale, eu teria ganhado se você não tivesse literalmente se jogado em mim." Dei um tapa em seu braço.

Ele gargalhou, tinha se passado algumas horas desde o ocorrido e acabamos no sofá jogando jogos de luta no PlayStation 4, e então alguém chegou..

"Ahh que vontade de esporrar alguém" disse e percebeu que não estava sozinha. " Ah me desculpa, eu, éééé, desculpa." Botou uma mão no cabelo e outra na cintura, e caímos na gargalhada.

"Não tem problema irmã, devo dizer que o seu dia foi cheio." Disse lançando um olhar um tanto constrangedor.

"William! Pelo amor de deus, quantas vezes vou ter que repetir que não tem nada entre ele e eu?" Disse séria quase histérica.

"Okey, okey, parei, irmã essa é Melody, a menina que "salvei" ontem, Melody essa é minha irmã Hilary." Disse nos apresentando.

"Olá, bom te conhecer." Falei amigavelmente.

"Digo o mesmo, mas tome o cuidado, uma vez que meu irmão se apaixona ele não para de ser grudento." Disse plenamente enquanto arrumava suas coisas.

"Não acredite nela, está querendo me fazer de ridiculo." Disse envergonhado, junto com uma voz fofa.

Dei uma gargalhada, e vi que ele ficou mais vermelho do que antes, sua pele é bronzeada, o que deixava ele mais fofo ainda.

"Awww que fofoooooooooo, meu deus do céu quero te botar num potinho e te guardar pra sempre." Disse maravilhada diante de tanta fofura.

"É mesmo?" Disse em um tom sexy, tombando de leve sua cabeça pro lado e alguns fios de cabelo soltos caem em seu rosto.

Tive uma imensa vontade de passar minha mãe alí, mas não me atreví, estava paralizada diante da situação que mudou muito rápida, muita coisa pra processar, ahh.

"É, vamos dizer que a vontade passou" disse me ajeitando no sofá e ficando pensativa.

Ele e sua irmã riram de minha cara, e logo começaram a falar de seu dia, mas naquele momento eu pensava em outra coisa, a imagem do William fazendo aquela pose sexy não saia da minha mente. 

Estranhamente ela rodava na minha cabeça, e comecei a me sentir estranha, ele tinha um rosto um tanto familiar, que me desconcertava algumas vezes.

E então uma lembrança me veio a mente me fazendo levantar de súbito.

"Melo? Tudo bem?" Disse William assustado.

Olhei pra ele aflita "Cadê o meu celular?" 

"Encima do murinho alí" 

Corri e alcancei meu celular, ainda estava com bastante bateria o que era ótimo, e procurei pelo número de Miles, e liguei.

"Atende, atende.." a cada toque eu ficava cada vez mais alfita, automáticamente coloquei no viva-voz, rodei e acabei sentando no sofá.

"Oi? Tá tudo bem? Você não atendeu as minhas outras ligações, você nem ao menos dormiu em casa!" Disse exasperado.

"Oi, escuta está tudo bem, estou na casa de um amigo, acabei desmaiando de cansaço no meio do caminho mas por sorte ele estava por perto, como está Matthew?" Perguntei preocupada.

"Ele está aqui comigo, vi sua mensagem a tempo de ir busca-lo na escola, e tem uma coisa, você não entrou no Fuyu não é?" Ficamos em silêncio por um tempo.

"Miles, aonde você quer chegar falando sobre esse site numa hora dessas?" Perguntei muito mas muito preocupada.

"Dylan postou uma publicação no Fuyu.." Não teve coragem de terminar.

"Miles, não me diga que é o que eu estou pensando, por favor..." Implorei.

"Ele disse esta em um relacionamento sério com a Emma..." O silêncio reinou.

" Eu... Não acredito." As lágrimas ameaçaram a cair.

Não pode ser real, não pode, NÃO PODE.


Notas Finais


Talvez eu ainda altere a história.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...