1. Spirit Fanfics >
  2. Hanging On - NaHyuck; NCT Dream >
  3. .happy birthday to me

História Hanging On - NaHyuck; NCT Dream - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


leiam as notas finais a

Capítulo 9 - .happy birthday to me


P.O.V Lee Donghyuck

Hoje é o meu aniversário e como foi combinado, eu poderia trazer amigos para comemorar comigo e com o Jeno, já que ele está de castigo. 

Já arrumei tudo na sala e agora eu estou no meu quarto me arrumando enquanto os meus amigos não chegam. 

Eu convidei o Mark, Renjun, Chenle, Jisung e o Jaemin – mas só porque o Jeno me obrigou. 

Sim, eu ainda estou fugindo do Jaemin, a culpa não é minha se eu não quero me apaixonar... Ontem eu perdi aula com ele, com o Mark e com o Renjun, mas tentei ignorar o Jaemin o máximo possível. Pena que não foi muito útil, já que o Mark e o Renjun ficaram se pegando o tempo todo e a única pessoa que eu podia interagir era o NaNa.

– E aí, Hyuck. – o Jeno aparece pela porta do meu quarto enquanto eu estava trocando de roupa, por que eu sempre esqueço de fechar a porta? – Animado para a festa?

– Não. – respondo e volto a revirar meu armário em busca de uma blusa boa para usar – Não quero interagir com o Jaemin. 

O Jeno riu e disse:

– Já era, irmãozinho. – ele tira uma blusa branca lisa do meu armário – Veste isso e... – o Jeno volta a olhar o meu armário e me entrega uma jaqueta jeans azul – Isso aqui. 

– Valeu. – visto a roupa que ele sugeriu, incrivelmente ficou bom

– Convenceu nossos pais de deixarem a gente sozinhos? – o mais velho me perguntou

– Sim, mas ainda não vejo necessidade para isso, a gente não comprou bebida… – paro de falar quando percebo o mais velho me olhando com uma cara que entregava o plano dele – Lee Jeno, o que você fez?!

– Nada, DongDong! – ele me respondeu sorrindo

– Se o Jisung aparecer com álcool dentro da minha casa eu expulso ele e aproveito para te expulsar também. 

– Eu sempre tenho que te lembrar que eu que sou o mais velho?

– Mas eu sou o mais responsável. 

– Do mesmo jeito, você não pode me expulsar de casa, Lee Donghyuck. – o Jeno disse rindo

– Porém, eu posso te dedurar para a mamãe! Aí você vai ficar mais tempo de castigo e, provavelmente, sem celular também. – o respondi sorrindo

– Você é mau… 

– Eu sei, já me disseram isso muitas vezes durante a minha vida e tenho a leve impressão que você foi a pessoa que mais falou isso para mim, NeNo.

– Óbvio, eu sou seu irmão. Tenho que ficar aguentando você sendo um projeto de psicopata desde quando nascemos e até o fim da vida também.

– Que bom que você sabe disso.

Conversamos por mais alguns minutos e a tocaram na minha campainha, anunciando que um dos nossos convidados havia chegado. Eu e o Jeno descemos para a sala e fui abrir a porta, era o Mark e o Renjun.

– Feliz aniversário! – o Lee mais velho disse nos entregando presentes

– Obrigado, hyung. – o meu irmão disse

– Feliz aniversário, Hyuck! – o Renjun falou animado e pulou em cima de mim

– Obrigado, Injun.

– Toma um presente. – ele me entregou um embrulho

– Valeu. Depois eu abro. – o Jeno ficou esperando ganhar presente do Renjun com uma cara um tanto engraçada e o Huang percebeu isso

– Não vou te dar presente. – o chinês disse – Nem te conheço… – ele concluiu e eu ri 

– Ah, eu convido vocês para a minha casa e nem para me dar algo em troca… – meu irmão disse indignado

– Lembrando que fui eu que convidei o Renjun, então ele não te deve nada. – disse

– Sempre soube que você era o favorito, Lee Donghyuck. – o Jeno disse 

– Eu também sempre soube disso, irmãozinho. – falo sentando no sofá

Uns quinze minutos depois o Jisung e o Chenle chegaram. E passando mais uns dez minutos o Jaemin chegou. O Jeno levantou para abrir a porta para o melhor amigo.

O Jaemin estava carregando uma caixa enorme e um embrulho, provavelmente os nossos presentes. 

– Feliz aniversário para vocês dois! – o Na disse animado e colocou nossos presentes no chão – Não sabia o que comprar para você, Hyuck. Então comprei um monte de coisas. 

– Não precisava, NaNa. – eu disse sorrindo e abracei o mais novo

– Precisava sim, Haechan. É seu aniversário! – o Jaemin retribuiu meu abraço e beijou minha bochecha, me deixando bastante vermelho de vergonha, ele também ficou corado – Você ‘tá ficando velho, hyung… Já tem dezessete anos, hein! – o Jaemin falou após separarmos nosso abraço subitamente.

– Vamos fazer alguma coisa! – o Jisung exclamou 

– Pode ser. Querem fazer o que? – eu perguntei

– Verdade ou desafio! – o Renjun falou animado

– Você só quer jogar isso porque não pode se foder no final, hyung! – respondi

– Isso é verdade, mas tem outro motivo para eu gostar tanto de jogar verdade ou desafio… 

– É porque ele gosta de ver os outros se fodendo também. – Mark completou – Ele já me disse isso. Você tem que parar de ser perverso, amor. Mas concordo em jogar.

– Eu gosto assim, Markie. Ver os outros quebrando a cara e colocar fogo no parquinho é muito divertido!

– Eu concordo, a gente deveria jogar verdade ou desafio. – Jaemin opinou

– Eu prefiro outra coisa, ver um filme ou sei lá. – disse

– Concordo com o Hyuck. – Chenle, que estava quieto até agora e ouvindo música numa poltrona, falou

– Acho que a gente deveria jogar mesmo. – o Jeno diz

– Eu preferiria ver filmes, mas posso jogar sem problemas. – o Jisung deu a palavra final

– Então vamos jogar! – o Renjun disse animado e foi saltitando até a minha cozinha buscar uma garrafa vazia

– Odeio isso! – falei sentando no chão da sala emburrado

O Jaemin sentou do meu lado e o Jeno também. O Renjun ao lado do Mark e do Chenle. E Jisung do lado do Chenle e do Jeno.

O chinês mais velho girou a garrafa no centro da roda e caiu Jisung perguntando para o Renjun.

– Merda! – o mais novo exclamou

– Por que ‘tá bravo, Jisung? – o Huang perguntou debochando da cara do mais novo

– Porque não tem nada para te perguntar. Já sei que você vai escolher verdade, hyung e não tem como te fazer uma boa pergunta… Mas continuando: verdade ou desafio, Renjun hyung?

– Verdade, ‘né?

– Eu já imaginava… Eu abro, alguém tem uma boa pergunta ‘pra o Renjun? 

– Acho que não.

– Eu tenho! – Chenle falou animado 

O Zhong falou alguma coisa em mandarim, provavelmente eles não gostariam que a gente soubesse de nada… Depois eu vou perguntar o que eles falaram para o Jeno.

– Ainda não. – Renjun respondeu a pergunta do chinês mais novo

– Ah, okay.

– Ficar de segredinho não vale! – Jisung gritou

– Eu concordo com isso! – o Jaemin disso

– Infelizmente não posso falar sobre isso, mas um dia vocês vão saber disso. – o Huang explicou – Vamos voltar a jogar.

O Renjun girou a garrafa de novo e caiu o Mark perguntando para o Jeno:

– Verdade ou desafio, Lee Jeno? – meu primo perguntou

– Verdade, hyung. – meu irmão respondeu

– Aff… Todo mundo escolhe verdade. – pensei um pouco alto

– ‘Pra quem não queria jogar você ‘tá bem interessado, não é, Lee Donghyuck? – o Renjun perguntou rindo e eu revirei os olhos

– ‘Tá bom, Jeno. Qual é o seu cargo no jornal da escola? Todo mundo sabe que você faz parte do jornal, mas ninguém sabe o que você faz lá… – o Mark perguntou

– Eu sou parte da equipe de redação. Escrevo sobre o horóscopo e algumas matérias por aí. – o Jeno respondeu

– Tem um horóscopo no jornal da escola? – Jisung perguntou

– Sim. 

– Sua posição no jornal é meio ruim… Como você é tão bom em redação? – Jaemin também pergunta

– Na verdade nem é tão ruim assim… Eu sou uma das únicas pessoas que tem um cargo fixo no jornal. Mesmo não acreditando no horóscopo, é bem fácil de escrever é só falar um monte de baboseira que serve para todo mundo e publicar. O difícil é que eu tenho que inventar essas coisas todos os dias. – o Lee mais novo explicou

– Entendi. 

Eu aproveitei o tempo da explicação para levantar e pegar um copo de sprite. Alguém girou a garrafa e quando eu voltei parou de girar justo no Renjun perguntando para mim.

O mais velho começa a falar:

– Já que você não gosta que escolham verdade… Eu acho que você escolhe desafio, não é, Hyuckie? – o Renjun me pergunta perverso, já sei no que isso vai dar

– Pode ser, hyung. – respondo

Confesso que eu estou com muito medo do que o Renjun vai fazer comigo.

– Hum… Eu te desafio a dar um selinho no Jaemin! – o mais velho disse animado

– Não! – exclamei, já deveria imaginar que ele queria jogar verdade ou desafio só para me fazer essa pergunta

– Por que não? – o Renjun me perguntou

– Porque eu não quero, vocês não podem me obrigar. – falei fazendo birra

– ‘Tá bom então. – o Huang se deu por vencido

– Não quero mais jogar… – falei

– Eu também não. – o Jaemin falou

– Vamos ver um filme então. – digo

– Vocês são muito chatos. – Renjun disse e sentou no sofá 

Depois de uns quarenta e cinco minutos, finalmente, decidimos que filme veríamos: Death Note, o da Netflix mesmo. Eu já vi e achei muito interessante. O filme em si é meio ruim, a atuação é pior ainda, mas eu gosto das mortes, são mais interessantes do que os ataques cardíacos do anime e dos filmes japoneses. E o Ryuk é muito mais bonito. Outra coisa que eu gosto bastante no filme é o nome do Ryuk, porque parece com o meu nome, mas isso não importa muito.

Eu estava sentado do lado do Jaemin no sofá e é claro que ele tinha passado o braço por cima do meu ombro, acho que isso é uma mania dele, Na Jaemin está sempre me abraçando… Isso é meio estranho, mas não vou reclamar e nem dizer que eu não gosto, porque aí eu estaria mentindo.

Como sempre, eu deitei no ombro do mais novo e ele começou a fazer carinho no meu cabelo. Por estar muito escuro e eu não estar prestando atenção no filme, eu acabei dormindo. Sim, senhoras e senhores. Eu dormi abraçando Na Jaemin!

Acordei no dia seguinte, eu estava no meu quarto, ou seja, alguém teve que me carregar até aqui em cima. Levantei para tomar café. É uma quarta feira, mas nossas férias começam hoje, então não temos aula. Quase todo mundo que eu tinha convidado para a festa de ontem estava na cozinha tomando café.

– Bom dia, Hyuck! – Renjun disse animado, nunca entendi essa disposição que ele sempre tem pela manhã

– Bom dia, hyungs. Bom dia, Jaemin.

– Bom dia. – os outros responderam em coro

– Você não comeu nada ontem a noite, Hyuck. Não ‘tá com fome? – o Na me perguntou

– Na realidade não. Mas vou comer mesmo assim, para não passar mal.

Fiz torrada com duas fatias de pão de forma e passei manteiga de amendoim nelas e peguei uma xícara de café.

– Você sujou seu rosto, Haechan. – Jaemin disse, chamando minha atenção

– Ah… Onde? – perguntei

– Aqui. – ele respondeu e deixou um selinho nos meus lábios – Pronto, cumpri o desafio, muito de nada.

Meu deus do céu! Na Jaemin me beijou!


Notas Finais


⚠️🚨⚠️🚨 lê aqui, por favor ⚠️🚨⚠️🚨

o próximo capítulo já tá pronto, mas eu vou postar só daqui a duas semanas porque minhas aulas voltaram e eu tô cheia de coisa pra fazer, então eu vou ter que diminuir a frequência de postagem

desculpa o atraso, além das voltas as aulas eu estava com bloqueio de criatividade...

[não revisado mesmo]

se não gostou, mete o processo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...