História Happy B-day, Enji - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Enji Todoroki (Endeavor), Fuyumi Todoroki, Hawks, Izuku Midoriya (Deku), Personagens Originais, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Toshinori Yagi (All Might)
Tags Bnha, Endeavor X Hawks, Endhawks, Endmight, Endmight(mencionado), Enji Todoroki, Enji X Hawks, Enjihawks, Ereasermight, Hawks, Hawks X Endeavor, Mha, Toshinori X Aizawa, Yaoi
Visualizações 29
Palavras 3.176
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, LGBT, Shonen-Ai, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ERA PRA TER POSTADO DIA 8 PRO NIVER DO ENJI MEU HOMI MAS FUI SONSA

Arte de capa me pertence
APROVEITEM

Capítulo 1 - Happy b-day, Enji


  
 Quando Enji se levantou naquela manhã,  foi como qualquer outro dia; ele tomou banho, trocou de roupa, arrumou a cama e desceu para tomar café. Ele tomou café preto na mesma xícara de sempre e comeu os mesmos sanduíches que comia toda quinta.A primeira mudança que ele notou foi uma xícara rosa na pia. “Fuyumi"- Enji pensou. E, não muito tempo depois, sua filha apareceu na cozinha, as mãos escondidas atrás das costas.
 “Bom dia, papai!”- a voz da garota era animada quando ela parou em frente a Enji.
 “Bom dia, Fuyumi.”-respondeu o ruivo, estranhando o comportamento da filha. Fuyumi sempre foi a mais animada de seus filhos, mas naquela manhã ela estava quanse saltitando pela cozinha. Enji terminou o último gole de café e foi até a pia, lavando as duas xícaras.  Quando se virou, sua filha ainda estava em pé no meio da cozinha.
 “Precisa de algo?”- Enji perguntou enquanto secava as mãos . Sua filha abaixou o olhar e esticou os braços, revelando um pacote embrulhado.
“Feliz aniversário, papai.”- Enji ficou surpreso com aquilo, afinal nem se lembrava que hoje era seu aniversário. Recebendo o pequeno presente, Enji rasgou o embrulho, revelando um relógio vermelho e prata, muito bonito.
 Enji sorriu com aquilo, afinal adorava relógios,  e foi até a filha, lhe dando um beijo na testa.
 “Obrigado, querida. Eu adorei.”- os olhos de Fuyumi se iluminaram e ela saiu da cozinha saltitando, pegando sua bolsa e indo trabalhar, acenando pra Enji da porta.
 Quando sua filha saiu, Enji se arrumou, pôs o uniforme por baixo das roupas civis e vestiu o sobretudo. Já ia saindo de casa quando se lembrou do relógio em cima da mesa. Ele teria que tirar quando fosse pra patrulha, mas ele não queria se separar do presente tão carinhoso. Pegando as chaves do carro, ele partiu para UA; haveria uma reunião de pais e ele estava tentando ser mais presente, e para aquilo precisava fazer certos sacrifícios, como ficar preso em uma sala com mais 38 pais e alunos por uma hora. Enji suspirou quando chegou na frente da sala do filho, entrando e se sentando ao lado do garoto de cabelos divididos. Além deles, só mais dois alunos estavam presentes, um garoto de óculos e uma moça de cabelos pretos presos. 
 “Fuyumi que te deu?”- Shoto perguntou de repete. 
 “Perdão?”- Enji se bateu mentalmente por não ter prestado atenção na pergunta do filho.
 “O relógio. Foi Fuyumi?”- Shoto apontou pro acessório no pulso de Enji.
 “Sim. Ela me deu hoje de manhã. “- Enji tentou soar animado perto do filho, mas Shoto era menos expressivo que uma porta.
 Os dois permaneceram em silêncio por alguns minutos, enquanto outros alunos entravam, uma garota rosa, dois loiros com um ruivo entre eles e uma menina que parecia um sapinho.
 “Tome.”- Enji se espantou quando viu o embrulho nas mãos do filho mais novo. Shoto olhava fixamente para a janela, impedindo o pai de ver seu rosto. Endeavor pegou o embrulho e o abriu com cuidado, revelando uma caixa de mochi. O homem sorriu e olhou para o filho, feliz de saber que Shoto se lembrava do seu doce favorito, apesar de suspeitar que foi Fuyumi que contou aquilo ao irmão .
 “Obrigado, Shou.”- Enji levantou a mão e passou pelos cabelos lisos do filho, bagunçando os fios antes de concertá-los. Shoto ficou um pouco rígido com o toque, mas murmurou um ‘de nada,papai.’, com um pequeno toque de carinho na voz. 
 Enji sentiu seu mundo reluzir com aquilo: dois de seus filhos o presenteando assim. Ele não esperaria o mesmo de Natsuo, apesar de querer fazer as pazes com o filho. A reunião começou e terminou rápido, com Aizawa falando sobre os alunos e as notas. Shoto como sempre tinha notas perfeitas e ótimo comportamento, então Enji se sentiu aliviado por não precisar repreender o filho. Ao fim da reunião,  Enji foi parado por um garoto de cabelos verdes, que perguntou sobre seu uniforme, sua individualidade e mais mil coisas. Outros alunos o cumprimentaram e de repente Shoto não estava mais ao seu lado, e sim conversando com o rapaz de cabelo verde. Enji ainda observava o filho com um sorriso no rosto quando sentiu uma mão em seu ombro. Olhando para trás,  Enji viu o sorriso brilhante que Toshinori lhe dava e sorriu minimamente.
 “Olá,  Enji-kun!”- mesmo depois de tanto tempo, Yagi ainda o chamava daquela forma.
 “Olá Toshi.”-  Os olhos de Toshinori se iluminaram quando Enji o chamou daquele jeito.
 “Ah! Já ia me esquecendo.”- Yagi remexeu no bolso e tirou de lá  uma corrente fina e pequena, com um pingente em forma de uma pequena chama. Os olhos de Enji brilharam com a visão da corrente. Toshinori pegou uma mão do ruivo e depositou a corrente dourada na palma; Enji fechou os dedos com cuidado ao redor do colar, vendo como o ouro brilhava. -" Está comigo desde a formatura. Nunca tive a chance de devolver para você.” – a corrente era de Enji desde o primeiro ano da UA. Ele a usou no primeiro dia, na primeira vez que ele e Toshinori se beijaram atrás de uma arena, usou em seu primeiro encontro, na sua primeira vez com o loiro... mas ele não a usou quando eles terminaram, nem quando Toshinori foi pros Estados Unidos, ou quando Yagi voltou pro Japão. Se lembrava de ter perdido a corrente em seu último ano, mas não sabia que estava com o loiro durante todo esse tempo. 
 As lembranças que assolaram Enji foram interrompidas quando Toshi o abraçou. Mais ninguém permanecia na sala, e os dois estavam sozinhos. Enji retribuiu o abraço com força; apesar de não sentir nada mais pelo loiro, o que os dois viveram juntos trouxe um calor em seu peito.
 “Feliz aniversário,  Enji-kun.”
 “Obrigado Toshi.”
 De repente, um pigarro encheu a sala, e Enji viu Aizawa na porta, os olhos vermelhos cheios de ciúme e cara fechada. Toshinori separou o abraço bruscamente e Enji franziu a testa quando viu o outro homem corar. Olhou de Yagi pra Aizawa, e de Aizawa para Yagi, e encaixou todas as peças. 
 “Você e o Shouta...”- Toshi concordou rapidamente, o rosto ainda vermelho.
 “Faz uns meses. E você? Tem alguém?”- Aizawa tinha se afastado da porta, mas Enji sabia que estava perto da sala. Enji e Rei haviam se divorciado há mais de meio ano, e um sorriso cruzou o rosto do ruivo quando pensou em um rapaz de cabelos cor de palha e asas vermelhas.
 “Tem alguém em que penso.”- Toshi sorriu com a resposta simples. Enji nunca foi um homem de muitas palavras.
 “Espero que dê tudo certo entre vocês. Aposto que ele é um cara muito legal.”- Enji corou com aquilo. Toshinori foi o único homem com quem esteve em toda sua vida. Depois dele e antes de Rei, sempre esteve com garotas.
 “C-como sabe que é um homem?”- Enji perguntou com o rosto vermelho,  pegando o sobretudo e se dirigindo pra porta,  Toshi o acompanhando. Yagi sorriu quando parou ao lado de Aizawa, passando um braço ao redor da cintura do homem carrancudo.
 “Você sempre teve uma queda por loiros.” – Toshi piscou para ele e Enji percebeu naquele momento que ele sabia. Ele era tão óbvio assim quando contemplava o Passarinho?
 Enji acenou para os dois homens e saiu da escola, com o coração aquecido e o rosto vermelho. Shoto acenou para ele de dentro de uma das salas, e Enji retribuiu com um sorriso. Dentro do carro, Enji dirigiu até a Agência Endeavor. Quando passou pela porta, encontrou o recinto vazio. Aquilo era estranho. Enji geralmente era o primeiro a chegar, mas naquele dia, como houve a reunião,  ele chegou quase uma hora e meia depois do horário. Àquela altura,metade dos funcionários já deveriam estar ali. Quando olhou pro chão, viu uma pena grande e vermelha. Curioso, Enji se abaixou e, assim que tocou a pena, ela se moveu e começou a voar devagar. Endeavor seguiu a pena até o elevador, depois por um corredor até a porta de seu próprio escritório. Cuidadosamente, Enji abriu a porta e seu coração quase saltou do peito quando todos os seus funcionários gritaram ao mesmo tempo:
 “FELIZ ANIVERSÁRIO ENDEAVOR-SAN!”
  Todos estavam ali. Seu escritório estava decorado de forma simples em laranja e azul, uma mesa no canto estava abarrotada de comida e bebidas, e todos usavam chapéus de festa com o tema Endeavor. Enji olhou para aquilo, seus funcionários tão fiéis ali, preparando uma festa para ele. Seus olhos se encheram de água pelas emoções do dia, e ele enxugou as lágrimas na manga do sobretudo, ouvindo um “aaaawwwwwwnnnnn" coletivo, mas não se importou. 
 “Venha ver o que você ganhou, Todoroki-san!”- sua secretária,  Karin, o puxou pelo braço até um canto da sala,  mostrando uma torre de presentes empilhados.-" São todos presentes de fãs. O nosso está ali.”
 Enji ficou impressionado com aquilo. Não era incomum herois ganharem presentes de fãs, mas Enji nunca foi um dos favoritos. Aquela pilha de presentes o deixou constrangido e feliz ao mesmo tempo. 
 “O nosso é esse aqui “- outro funcionário- Takana- disse, e o fôlego de Enji parou. Na sua frente tinha um grande mural cheio de fotos. As mais antigas mostravam um Enji de 20 anos em frente ao prédio, coordenando a construção. Outras mostravam ele com seu primeiro uniforme de herói, ele conversando com os funcionários, sentado atrás de sua mesa cheia de papéis. Outras eram de seus funcionários em várias ocasiões, em festas no escritório ou rindo, tirando fotos das costas de Enji e de quando ele brigava com alguém,  com fogo atravessando seu rosto. Tinha também recortes de revistas em que Endeavor foi a capa, e tinha até mesmo a foto de um jovem Enji, dormindo em seu sofá,  com papéis ao seu redor e livros no chão. Todoroki notou que quase todas as fotos foram tiradas quando ele estava distraído.  Ele nem sabia que aquelas imagens existiam e nunca notou seus empregados tirando aquelas fotos. 
 “Precisamos ir atrás de alguns aposentados para pegar algumas cópias.”- comentou Karin.
 Enji moveu os olhos pelo quadro, até que seu olhar parou na parte mais recente das fotos. Ainda tinha fotos de seus funcionários, mas a maioria eram fotos de Enji e Hawks. Havia fotos de todos os tipos: Selfies que Hawks tirou dele e de um Enji carrancudo, deles comendo,  bebendo. Fotos tiradas deles distraídos, com Hawks tagarelando ou com o braço entrelaçado ao de Enji. Nessas fotos tiradas escondidas, Enji quase sempre estava sorrindo, seus olhos cheios de carinho. Ele corou quando notou o quão óbvio ele era em relação aos seus sentimentos. Se afastando do quadro, Enji se virou para todos os presentes, seu rosto corado e os olhos levemente marejados. Enji então se curvou e sorriu:
 “Obrigado.”- foi um agradecimento simples, não o suficiente que seus funcionários mereciam, mas era tudo o que Enji podia falar no momento. Todos as pessoas fecharam ao redor dele, lhe dando parabéns e palmadas nas costas, fazendo elogios e lhe dando outros presentes: uma camisa, uma pulseira,  uma Maneki Neko de mesa, uma gravata com desenhos de fogo nela, uma caixa de bombons. Mas a pessoa que Enji mais queria ver não estava ali, mesmo que sua pena o tivesse guiado até ali. Hawks não estava em lugar nenhum, nem entre as pessoas, nem na mesa de bebidas e nem sentado na janela. Enji fez o possível para disfarçar a decepção e aproveitar a pequena comemoração. 
 Cantaram os parabéns e cada um pegou um cupcake, ajudaram Enji a arrumar a sala e tiraram mais fotos para colocar no quadro. Toda a festa mal durou uma hora, já que todos ali trabalhavam e o crime não espera ninguém. Quando o último funcionário saiu, Enji se sentou pesadamente em sua grande cadeira logo após tirar as roupas civis e permanecer com o uniforme e pegou os papéis dos casos mais recentes. Durante todo o dia, Enji olhou pra janela, esperando ver um vislumbre das penas vermelhas, mas sem sucesso. Quando seu telefone tocou, Enji quase queimou o aparelho, ansioso para saber se era uma mensagem de Hawks, e teve que esconder a decepção quando notou que era Fuyumi. A filha lhe disse que não poderia passar o resto do dia com ele, já que teria que trabalhar até tarde da noite. Depois de vários pedidos de desculpas, a filha prometeu que poderiam passar o dia seguinte juntos; Enji ouviu a voz de Shoto no fundo, gritando que queria ir a uma sorveteria e Enji sorriu quando Fuyumi desligou. A tarde veio e se foi, e a noite chegou rapidamente. Karin passou em sua sala para desejar uma boa noite e Takana lhe deixou dois cupcakes. A cidade estava iluminada do lado de fora do escritório, e Enji permanecia sozinho. Subitamente um farfalhar de asas foi ouvido, e Hawks entrou no recinto,seu cabelo loiro brilhando  e um sorriso largo no rosto jovem.
 “Olá,  Cara Grande.” -Endeavor soltou a caneta e se concentrou no pássaro à sua frente. 
 “Boa noite, Hawks.”
 “Você recebeu muitos presentes hein?”- Hawks andou até a pilha de presentes no canto da sala, pegando um dos pacotes maiores e se sentando de joelhos. Enji sabia que não conseguiria se concentrar no trabalho enquanto o pássaro estivesse ali.
 “Todos de fãs. Geralmente eu tenho uma equipe responsável pelos presentes, mas hoje eles não tiveram tempo pra fazer isso.”-Enji se levantou da cadeira e andou até Hawks,  se sentando em posição de lótus à sua frente. 
 “Aliás, foi mal não poder ficar pra sua festa. Recebi um chamado de urgência de repente.”- Hawks comentou enquanto usava uma pena afiada para abrir o pacote. 
 “Sem problemas. Você está aqui agora.”- Enji corou no fim da frase, abaixando o olhar sem perceber o rosto sorridente do loiro.
 “Olha! É uma caixa de doces!”- Hawks pareceu genuinamente animado enquanto tirava os doces da caixa. -"Vamos ver os outros presentes!”
 A cada caixa que abriam, ambos ficavam mais animados, rasgando os papéis como crianças na manhã de Natal. Os presentes se amontoavam ao redor deles: relógios, roupas, cartas de fãs,  desenhos de crianças, doces e objetos variados. Ao abrir um dos últimos presentes, Hawks começou a rir descontroladamente. 
 “O que foi?”- Enji estava avaliando uma pintura extremamente realista dele.
 “Olha só o que mandaram pra você!”- Hawks retirou o presente da caixa e Enji demorou alguns segundos para entender o que era; de primeira vista parecia um pedaço de tecido negro e rendado, mas quando percebeu o que era, Enji agarrou a calcinha e a lançou do outro ladoda sala, escondendo o rosto vermelho nas mãos.  A risada de Hawks encheu o escritório, e não parou de rir nem quando Enji ameaçou mandá-lo embora.
 Depois de um tempo, Hawks se acalmou e usou uma pena para pegar um dos cupcakes em cima da mesa. Mordendo o bolinho com gula, Hawks olhou pela sala e se deparou com o quadro de fotos; ele não o tinha notado antes, com a pressa de sair na missão de emergência. 
 “Ah! Eu tenho uma coisa pra você. “- Hawks colocou o doce no chão e pegou o casaco jogado num canto, remexendo os bolsos até tirar de lá uma caixa pequena. -" Sei que você não usa aliança a um tempo, e sei também que você fica incomodado por não ter um anel no dedo, então eu resolvi comprar isso. É bem simples, mas é de coração. “
 Enji recebeu a caixa com o coração acelerado, e quando a abriu viu um anel fino dentro dela. Era apenas um círculo de prata, tão fino que era quase imperceptível. Enji tirou o anel de dentro da caixa e o colocou no dedo anelar, vendo como a prata brilhava. 
 “Obrigado, Hawks.”
 “Isso merece uma foto!”- Hawks se sentou ao lado de Enji, que levantou a mão para mostrar o presente. Quando tirou a foto, Hawks comentou com o coração aos saltos :-" Parece até que estamos noivos.”
 “Se depender de mim não vai demorar muito pra isso acontecer.”- Hawks olhou de olhos arregalados para o homem ao seu lado que estava concentrado em examinar o anel.
 “O que você disse?”- a voz de Hawks estava trêmula. Não podia ser possível. Não era possível que Endeavor pudesse retribuir seus sentimentos.
 “Eu disse que se depender de mim, não vai demorar muito pra eu colocar um anel no seu dedo.”- Enji olhava para o pássaro com o rosto sério, mas sua vontade era pular a janela e fugir daquela situação. O ruivo não esperava se declarar naquela hora, mas as palavras saíram de sua boca sem seu consentimento. 
 “Eu posso te beijar?”- a pergunta de Hawks o pegou de surpresa. Enji jamais pensou que seus sentimentos fossem correspondidos. Ele esperava que Hawks saísse voando pela janela e nunca mais olhasse em sua cara, e isso era mais assustador do que se declarar.
 “Esse seria um presente bônus de aniversário?”- Enji brincou e Hawks sorriu com ternura, antes de segurar o rosto de Enji delicadamente e juntar seus lábios. A boca de Enji era quente enquanto a de Hawks carregava o frio do lado de fora. As bocas se moviam com carinho, os braços de Hawks entrelaçados no pescoço do ruivo,  enquanto as mãos de Enji seguravam a cintura fina. ‘Ele é tão pequeno. Meus dedos quase se tocam' Os pensamentos de Enji foram cortados quando Hawks subiu em seu colo, se sentando de forma confortável. Quando o ar fez falta, eles se separaram,  com Enji destribuindo vários beijos no rosto ofegante do loiro, acariciando seu cabelo e passando o polegar por cima do osso de seu quadril. Os risos baixos de Hawks eram música nos ouvidos de Enji, que sorria sempre que seus lábios se encontravam em pequenos beijos.
 “Sabe que eu sou apaixonado por você a anos, não é?”- Hawks perguntou baixinho. Enji se inclinou para trás até que suas costas tocaram o chão, com Hawks apoiado em seu ombro.
 “Na verdade não. Eu mesmo demorei muito tempo pra entender que eu estava apaixonado.”- as mãos de Enji descansavam nas costas de Hawks,  sentindo as asas macias em seus dedos.
 “Você é muito sonso. E ainda diz que é o heroi que resolveu o maior número de casos do Japão.”- os dedos do pássaro acariciavam os cabelos macios de Enji. O ruivo apenas bufou e se moveu de lado, segurando o rosto de Hawks entre suas mãos grandes e beijando os lábios rosados.
 “Feliz aniversário,Enji.”- o coração do ruivo derreteu ao ouvir Hawks o chamar pelo primeiro nome.
 “Obrigado. “- Depois de mais alguns beijos e carinhos Enji começou a adormecer, mas abriu os olhos minimamente ao ouvir a voz do loiro.
 “Se você quiser, eu posso usar aquela calcinha pra você. “
 O rosto de Enji estava vermelho como um pimentão ao ver o sorriso predador do loiro.
 “HAWKS!”
 

 


Notas Finais


TAÍ SABAGAÇA
COMENTEM E FAVORITEM SE GOSTAREM

Também postada no AO3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...