1. Spirit Fanfics >
  2. Happy Birthday >
  3. Capítulo Único

História Happy Birthday - Capítulo 1


Escrita por: Moonshine_Lynx

Notas do Autor


Postando um Lemonzinho que surgiu na minha cabeça literalmente do nada! (0_0')

Aproveitem a One-shot e boa leitura! ^-^

Capítulo 1 - Capítulo Único


Katsuki

Aqueles três estavam me olhando estranho desde a manhã. E o pior, quando eu ia tirar satisfação do motivo desses olhares, os três davam uma desculpa esfarrapada e saíam fora. Estavam aprontando algo com a minha cara.

Eu já tava ficando puto com tudo. Quando não era os psicopatas de cabelo colorido me encarando como se fossem roubar meu rim, eram os outros da turma de esquisitos querendo me agarrar, me forçar a comer bolo ou me obrigar a aceitar esses presentes de pobre.

Mas havia algo de errado. Eu ainda não havia visto uma certa cabeleira verde nesse dia, e já estava quase escurecendo. Não queria perguntar sobre ele. Não podia deixar transparecer o mínimo que me importo com ele. Mas sinceramente, eu estava querendo ver ele nesse dia, e onde ele está? Na puta que pariu!

Após escurecer por completo, ainda não havia sinal do Deku. Ele ainda estava naquele maldito quarto? Por que? Foragido?

Resolvi perguntar para o trio de esquisitos no sofá se algum deles tinham visto o amor da minha vid-, digo, o nerd do Deku.

De longe já vi os três me encarando e depois trocando olhares cúmplices, o que me fez estranhar. Que merda havia com eles hoje? Eu hein!

Quando eu já estava na frente deles, pararam a conversinha e encararam o chão como se lá tivesse todos os segredos do universo.

- Eu sei que as princesas adoram fofocar, mas alguém viu o Deku? - desviei o olhar para o chão também, procurando minha dignidade ali. Ouvi um baixo burburinho antes de ouvir o trakinas meio-a-meio se pronunciar.

- Mais tarde ele aparece. - olhei pra ele e ele olhava para os outros dois sorrindo, que sorriam de volta, mas de forma suspeita. - Apenas aguarde.

Algo nessa frase estava meio estranho, mas ignorei. Que se foda o comportamento deles hoje, eles são estranhos sempre. O que me importava era o Deku aparecer na minha frente e eu poder encarar aquele rosto salpicado de sardas maravilhoso de novo. Mas sério, onde ele se meteu?!


Kirishima


- Vamos esperar todos irem dormir, né? - o loiro do meu lado me olhava com um sorriso malicioso assim como Shoto. E eu apenas concordei, sorrindo de volta.

Nosso olhar se direcionou à Bakugo que havia voltado para uma das poltronas mais distante de nós após vim perguntar pelo seu príncipe encantado.

- Ele até pode estar puto agora. - falei, atraindo a atenção dos dois. - Mas assim que ele ver o nosso presente, ele vai nos amar. - sorri vitorioso e voltei a encarar o loiro que nós olhava com raiva explícita misturada com curiosidade.

- Tomara que o "presente" dele não chame a polícia. - Shoto falou segurando uma risada. E era verdade. Se caso algo desse errado, nós íamos em cana, ou o Bakugo arrancava nossos fígados.


Kaminari 


Haviam poucas pessoas na sala, e a maioria já aparentavam estar sonolentas. Kacchan havia passado para o sofá à nossa frente e parecia estar cochilando, mas ninguém sabia, pois seu braço esquerdo estava cobrindo seus olhos.

Eu já estava pulando no sofá em ansiedade, o ruivo ao meu lado balançava a perna e olhava constantemente para o relógio, que já marcavam mais de dez da noite. Todoroki roía as unhas e encara o nada, também tomado pela ansiedade. 

Ochaco e Tsuyu se despediram com um boa noite e deram um último "feliz aniversário" ao Kacchan, que pareceu não ouvir, e saíram para seus quartos. Restava apenas Ilda ir dormir. Novamente olhei o relógio e me aborreci. Porra, esse cara não vai dormir não?

- Vou é pra cama que eu faço mais. - Kacchan se levantou lentamente e foi em direção ao corredor que levava ao seu quarto.

Nós três, Kirishima, Shoto e eu, demos um pulo ao mesmo tempo do sofá em desespero e paramos em frente ao loiro que nos olhou surpreso.

- É verdade! Eu irei agora mesmo também! - ouvimos a voz animada de Ilda se pronunciar e sair para o corredor, mas não antes de nos direcionar o olhar e dizer... - Boa noite! 

Assim que ouvimos uma porta batendo, também sentimos um braço rígido nos empurrar para o lado. Íamos impedir, mas não havia mais necessidade. Apenas nos levantamos e eu fiz as honras.

- Feliz aniversário, Kacchan. - dei ênfase ao apelido do loiro, fazendo ele me olhar torto. Mas eu não pararia por aqui! - Aproveite o presente.


Shoto


- Hã? Que presente? - Bakugo falou com uma sobrancelha tão arqueada que parecia querer tocar o céu. 

Nós apenas sorrimos simples e passamos por ele, sem responder nada e indo para nossos quartos. Tínhamos que tratar de dormir logo e trancar nossos quartos, pois ainda havia uma possibilidade de Bakugo tentar nos assassinar.

Ele continuava nos questionando e andando atrás de nós querendo respostas, e nós? Fingimos que éramos surdos.

A última coisa que ouvi antes de entrar em meu quarto foi a voz de Kirishima mandando o loiro ir para o seu quarto, e um bufar de Bakugo.

A tarde de hoje havia sido louca, e só agora me questionei o porquê de ter concordado com a sugestão daqueles dois malucos.

Enfim, se o loiro vier atrás de mim, a porta já tá trancada e a janela já tá muito bem fechada, mas será que eu deveria por sal grosso em volta da cama só por precaução? Sim.


Katsuki


Que porra ele quis dizer com "aproveite o presente"? Esse trio vai me deixar doido. E o outro ainda disse pra eu ir pro meu quarto. O que eles fizeram com o meu quarto? Corri pelo corredor e fui direto para o meu quarto. Parei na porta e fiz uma promessa mentalmente de que se algo estivesse fora do lugar, eu explodiria as bolas daqueles três.

Abri rapidamente a porta e quando acendi a luz, quase gritei em surpresa quando olhei para cima da minha cama.

- Deku?!


Midoriya


Quando ouvi uma porta se abrir bruscamente, senti meu corpo gelar ao ouvir a mesma se fechar.

Eu estava vendado, com as mãos amarradas para trás e com cordas prendendo minhas pernas. Havia algo em volta do meu pescoço, que deveria ser uma coleira.

Assim que ouvi alguns passos se aproximando de mim, amaldiçoei mentalmente aqueles que vi pela última vez antes de ser "sequestrado".


Flashback on


Estava no sofá, com a Uraraka do meu lado falando algo sobre o aniversário de alguém, mas não estava prestando atenção. Minha atenção estava toda no loiro sentando mais longe de nós, que estava em uma posição tão sexy para mim que não conseguia desviar o olhar. Era aniversário dele, e talvez seja disso que Uraraka está falando, mas eu pensava sobre qual presente eu daria a ele.

Eu teria passava uma vida inteira encarando aquele homem, mas senti algo me balançar e desviei meu olhar para a garota ao meu lado.

- Denki está te chamando no corredor Deku. - a garota me olhou confusa pela minha falta de atenção, mas sorria de forma gentil. Olhei para o corredor e vi Denki acenando para eu ir até ele. Me levantei do sofá olhando uma última vez para Kacchan e fui em direção ao loiro.

Assim que virei o corredor, vi que Kirishima e Shoto também estava com Denki, mas o que eu estranhei foi outra coisa. 

Kirishima segurava uma corda não muito fina de cor verde e uma venda preta. Todoroki tinha em uma mão uma tiara com olheiras de gato e na outra, uma coleira com duas palavras escritas que não consegui ler.

Olhei sem entender nada para o loiro, que sorria vitorioso e levemente psicopata, me fazendo querer correr dali.

- O-o que tá acontecendo? - esse sou eu tentando proteger meu rim. Engoli em seco já com medo quando vi os três se encararem e sorrirem torto pra mim.

Senti eles pularem sobre mim e logo fui puxado para um lugar que não reconheci por estar escuro, e a única iluminação era a lanterna do celular de alguém.

Logo senti meu corpo ser amarrado, e algo rodear meu pescoço. Após colocarem algo sobre minha cabeça, ouvi um "pronto" e algumas risadas. 

Nessa situação eu ia gritar né, mas senti algo tocar meu ombro suavemente e hesitei por um segundo.

- Não grite, Izu-chan. - a voz saiu meio calma demais pra quem estava literalmente cometendo um sequestro. 

- Apenas confie em nós. - reconheci a voz de Todoroki e meu pânico ficou em um meio termo entre aumentar por que eu estava amarrado e não enxergando nada, e abaixar por que eles estavam se afastando de mim.
Ouvi uma porta ser fechada e me desesperei. Eu realmente iria gritar, mas algo me fez perder essa vontade. 

Senti um cheiro muito familiar. Era um cheiro amadeirado e forte, que quando eu reconheci, senti meu corpo arrepiar. Era de Kacchan.

Decidi ficar quieto e relaxar meu corpo, mas a segunda coisa não foi possível. Meu corpo ainda estava tomado de adrenalina e em alerta a qualquer barulho. Só Deus sabe o que me aguardava. Então, decidi apenas esperar, já estava ferrado mesmo.


Flashback off


Os passos pararam bem na minha frente. Ouvi uma risada anasalada e após a voz se pronunciar, meu rosto esquentou tanto que dava pra fritar comida nele.

- Belo presente, idiotas. Irei aproveitar bem.


Narradora


Bakugo sorria malicioso enquanto passava uma das mãos pelo pescoço branco do esverdeado. Parou ao notar a coleirinha e riu ao ler que estava escrito "Baby Boy". 

Deku estava tão tenso que a aura em sua volta poderia ser cortada com uma faca. Notando o nervosismo do menor, o loiro sentiu que era melhor "desembrulhar" o presente dele.

O loiro retirou as cordas do corpo de Deku e a venda, mas manteu a coleirinha e as orelhas de gatinho.

Deku estava surpreso e envergonhado, algo que não passava despercebido pelo loiro. Afim de tranquilizar mais o seu baby boy, Bakugo segurou seu rosto levemente e o puxou para um beijo calmo. Ao pedir passagem com a língua, sorriu vitorioso ao ser concedida de imediato.

O loiro foi afastando lentamente Deku sobre a cama e ficou em cima do mesmo. O beijo foi ficando mais necessitado e intenso assim que os toques sobre o corpo do esverdeado começaram. 

O esverdeado colocou as mãos sobre o peitoral do loiro quando sentiu os beijos descerem para o pescoço.

Arfou e mordeu o lábio inferior quando sentiu uma mordida forte sobre a pele.

Uma das mãos do loiro adentrou por baixo da camisa do menor e logo foi arrancada de seu corpo.

Katsuki se afastou do pescoço do outro ficou de joelhos sobre o corpo de Deku, enquanto retirava a camisa. Deku salivou com a visão do abdômen de Bakugo sentindo o sangue subir para o rosto.

O calor em seu corpo se intensificou ainda mais quando viu o loiro sorrir malicioso e descer as mãos para os botões da calça, a retirando lentamente. Era praticamente uma tortura para Midoriya, que sentia o corpo arder em ansiedade. Ele, que estava quase sentado, se ergueu mais e se pôs a retirar a calça do loiro com pressa, fazendo Katsuki rir do desespero de Deku.

Assim que a calça foi retirada, Midoriya teve uma visão privilegiada do volume da calça do loiro e bem de perto. Com as mãos tremendo, segurou a ponta da cueca do loiro enquanto olhava para o rosto do mesmo pedindo pra retirar. O maior em resposta, apenas assentiu com a cabeça (tanto a de cima quanto a de baixo) e colocou uma das mãos dos cabelos de Midoriya os segurando com possessividade. E nossa, a visão de Midoriya retirando sua última peça de roupa timidamente e com o rosto totalmente vermelho era a melhor forma de admirar a beleza do menor.

Quando sentiu a última peça sair de seu corpo, o loiro iniciou uma sequência de beijos cheios de desejo enquanto sua mãos desciam pelo corpo de Midoriya.

Só aí percebeu que Deku ainda usava suas calças, que logo tratou de retirar.

O menor se encolheu timidamente quando o loiro retirou as duas últimas peças que lhe restavam de uma vez. Bakugo foi descendo os beijos pelo corpo de Deku que arfava ao sentir cada um deles. 

O loiro desceu pela barriga de Deku e parou próximo de seu membro. Olhou malicioso para o esverdeado que não teve tempo para pensar e apenas gemeu arrastado quando sentiu a boca quente do loiro tomar o seu membro de uma vez só.

Estava ficando maluco sentindo o loiro o sugando com tanta sede e luxúria. Uma de suas mãos buscou os cabelos do loiro para guiar os movimentos, mas foi impedido por Bakugo que segurou sua mão e entrelaçou seus dedos.

A mão livre do mais velho percorria pelo abdômen do menor que mordia o lábio inferior em busca de sua sanidade. 

Deku colocou a mão livre sobre a bochecha de Bakugo suavemente e o olhou indicando que estava prestes a se derramar na boca do loiro. Em resposta, Bakugo afundou o membro do esverdeado por completo em sua boca fazendo o mesmo tombar a cabeça para trás em um gemido alto e manhoso.

Sentiu a boca se encher com a essência de Deku e tratou de provar cada gota do sabor do menor, que olhava a cena totalmente corado e em estado de êxtase.

Katsuki se ergueu sobre Deku e o beijou novamente. Deku pode sentir o próprio gosto no loiro, arrepiando-se e aprofundando o beijo, buscando por mais.

Os membros rígidos criavam um atrito de excitação e espasmos no corpo de ambos quando se chocavam.

O loiro se separou para recuperar o fôlego olhando fixo para Deku, que por vergonha cobriu o rosto com um dos braços.

O loiro retirou o braço de seu rosto e o segurou acima da cabeça de Deku.

- Eu quero ver seu rosto enquanto fodo você por inteiro. - a voz rouca e autoritária de Bakugo fez Midoriya apenas gemer em resposta, fazendo o loiro sorrir ladino, vitorioso. O mesmo colocou dois dedos sobre os lábios vermelhos de Deku que entendeu as intenções do loiro e os abocanhou com vontade.

Deku puxou o braço do maior mais para si e chupou seus dedos mantendo o olhar sobre os olhos de Bakugo. E para o loiro, a visão de Deku com o rosto rubro e olhos levemente marejados sugando seus dedos com aquela boquinha quente e pequena era o suficiente para fazê-lo gozar.

Retirou os dedos da boca de Deku que protestou com um arfar, e os direcionou para sua entrada. Ergueu uma das pernas do esverdeado e a colocou sobre o ombro para ter um melhor acesso de seu corpo.

- Eu não preciso disso. - o esverdeado inflou as bochechas gordinhas e vermelhas, fazendo Bakugo sorrir. - E-eu quero sentir você logo... - a voz manhosa e tímida de Deku era o fraco de Bakugo. 

- Idiota, eu não vou machucar você. - sem aviso, um dos dedos penetrou o menor que mordeu o lábio para não gemer alto. - Não, eu quero ouvir você. Não se contenha, baby. - o loiro sorriu malicioso quando sentiu o corpo abaixo de si tremer com o apelido. 

O segundo dedo adentrou seu interior e Deku se agarrou a Bakugo, gemendo próximo ao seu ouvido quando o loiro começou a fazer movimentos de tesoura dentro de si.

O esverdeado empurrou o corpo contra os dedos do loiro, que iniciou um movimento de vai e vem.

Quando sentiu que o menor havia se acostumado com a invasão, retirou seus dedos de dentro de Izuku, que resmungou em protesto e fez um biquinho.

Bakugo riu da birra do esverdeado e se posicionou entre as pernas do mesmo. 

- Kacchan... Eu quero você... - Deku segurou o rosto de Bakugo com uma expressão dengosa. 

- Quer o quê? Diga! - o loiro estapeou a bunda de Deku que gemeu arrastado. - Diga palavra por palavra. 

- Me fode, Kacchan! - a voz saiu como uma súplica.

- Como quiser.

Bakugo o penetrou sem demoras. O loiro se mexia lentamente, buscando todo o seu autocontrole para não foder o garoto com todas as suas forças. Não queria machucá-lo.

Os olhos de Deku marejaram e o menor gemia palavras desconexas. A dor que antes sentia foi substituída por uma prazer e por um desejo de mais.

Rebolou tímido no membro do loiro para que ele se movesse.

Colocou as pernas de Izuku sobre seus ombros e iniciou os movimentos de forma lenta e carinhosa.

- M-mais rápido... - o esverdeado pediu entre gemidos.

O loiro aos poucos acelerou os movimentos e as estocadas ficaram mais brutas e rápidas. Bakugo estava fora de si e as expressões do menor o motivavam a continuar. 

As orelhas de gatinho já estavam ao chão devido aos movimentos rápidos do loiro. O interior de Deku continuava apertando o membro de Bakugo nao importava quantas vezes o membro o invadia.

Deku engasgava com os próprios gemidos e revirava os olhos em prazer. 

- K-Kacchan... 

O maior se aproximou do rosto de Deku e tomou seus lábios em um beijo. Os movimentos não haviam cessado no ritmo e Midoriya gemia entre o beijo e mordia os lábios do loiro.

As costas do maior eram arranhadas selvagemente por Midoriya que aumentava a altura dos gemidos a cada investida agressiva de Bakugo. 

O loiro se sentiu perto de seu ápice e afastou-se da boca de Deku. Apertou as coxas carnudas do menor e retirou seu membro quase por completo de dentro de Midoriya e o penetrou de uma vez, tombando a cabeça para trás. Deku gemeu alto e sentiu seu interior ser preenchido com a essência de Bakugo. 

- Deku... - o loiro o encarou enquanto ainda se derramava dentro de Deku, que gemia descompassado. 

Saiu lentamente de dentro do esverdeado que tinha espasmos pelo corpo todo e revirava os olhos, sem acreditar no que havia feito. No que finalmente havia feito. Os meninos deveriam o sequestrar mais vezes.

Bakugo deitou-se do seu lado e o abraçou por trás, tentando controlar a respiração.

O arfar de Katsuki sobre o seu pescoço fazia Midoriya arrepiar-se. Afastou seu corpo para trás quando sentiu o loiro o puxar mais para si.

- Kacchan, feliz aniversário... - a voz fraca de Deku fez Bakugo sorrir em resposta, mas seu coração não estava preparado para a próxima frase do esverdeado. - Eu amo você. - falou quase em um sussurro antes de cair no sono devido ao cansaço que seu corpo sentia.

Bakugo sentou o rosto esquentar e o escondeu no pescoço de Midoriya.

- Eu também te amo, Deku.


...


Deku os encarava com o rosto vermelho como um tomate, buscando palavras para se explicar. Bakugo também tinha o rosto corado, mas não era tão evidente quanto o esverdeado.

Kirishima os olhava com um sorriso malicioso, assim como Shoto e Kaminari.

- Pelo visto gostou do presente hein Bakugo. - o ruivo o olhou divertido enquanto olhava para a marca de mordida no pescoço de Deku, que o cobriu vergonhosamente.

- O Deku gemeu em uma altura absurda e você ainda tem dúvidas se ele gostou? - Denki os encarava malicioso. Bakugo travou o maxilar quando sentiu seu rosto queimar com a fala do loiro.

Deku se encolheu do seu lado e gaguejava algo que não foi entendido por ninguém. O loiro rodeou a sua cintura e se direcionou para o corredor, puxando Deku consigo.

- Calem essa boca. - falou com um tom de irritação na voz. - E... obrigado pelo presente. - sua voz saiu quase inaudível,  mas os três ouviram claramente e Midoriya também, que apenas riu sem graça enquanto corava.

Os três riram cúmplices uns para os outros enquanto os via sumir da sala. Shoto levou a mão até o lado da boca querendo aumentar o alcance de sua voz.

- Sengundo round, garotos!


Notas Finais


Imagina ser sequestrada e acordar no quarto de Katsuki Bakugo? Meu sonho

Se tiver qualquer erro, me perdoem por favor! Corrigirei os erros em breve ;3

Meu lemon saiu muito ruim ajdjhabsifuebdb
Mas espero que tenham gostado! Obrigado por ler ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...