1. Spirit Fanfics >
  2. Happy Day >
  3. Capítulo Único

História Happy Day - Capítulo 1


Escrita por: e Minbebe


Notas do Autor


Olá, meus amores! Como vão?

Bom, já fazia um tempinho que eu queria readaptar essa OS pra Yumark, e hoje resolvi fazer e postar.

Já adianto que não tenho pretensão alguma de ofender qualquer religião que seja, okay?

Espero que se divirtam com essa comédia romântica e tenham uma ótima leitura!!! ♥️

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Happy Day - Capítulo 1 - Capítulo Único

Yuta havia acordado com más intenções... Ou boas. Tudo depende de um ponto de vista.

Apesar da exaustão por ter finalizado uma turnê mundial há poucos dias, queria esgotar o restante das energias e sentir o corpo do namorado como nunca. Claro, tinham transado em praticamente todos os países por onde passaram, mas queria matar a saudade de ter Mark gemendo entre seus próprios lençóis. Além disso, o mais novo não colaborava com sua sanidade.

Agindo involuntariamente de forma sensual em momentos desnecessários, exibindo o corpo curvilíneo em roupas estratégicas e mostrando aquela língua inquieta na boca bem desenhada, o Lee causou uma puta ereção no japonês ao decorrer do dia, apesar de sequer terem passado de poucos beijinhos.

E conhecendo bem aquele que convivia diariamente consigo, Yuta sabia que tudo havia sido proposital. Então, após chegaram no dormitório no final daquela tarde cansativa, o mais velho não se surpreendeu quando saiu do banheiro da suíte que dividia com Doyoung e encontrou o namorado deitado em sua cama.

- Eu ouvi seus gemidos, hyung. - Mark comentou meio envergonhado enquanto encarava o maior, que estava se aproximando de si. 

Nakamoto sorriu ladino e  deitou-se de frente para o loirinho, deixando um selinho rápido nos lábios que tanto amava, descendo pequenos beijos pelo pescoço pálido do outro.

- Não faz essa cara de inocente porque é tudo culpa sua. - Murmurou rente à pele estampada por pintinhas charmosas, que mais pareciam uma constelação no mais belo céu.

Mark gemeu contidamente o nome do vocalista, segurando os fios castanhos entre os dedos magros em uma forma de intensificar o carinho que recebia.

- Eu não fiz nada, hyung. - Seu falso tom de inocência enganaria facilmente Yuta, caso não se conhecessem por mais de quatro anos e não estivessem há dois no relacionamento.

Em reação à mentira descarada do canadense, o maior abaixou levemente a regata branca que o mesmo usava, deixando um chupão próximo à clavícula ressaltada.

- Meu Deus do céu!!! - Mark exclamou pela sensação e por raciocinar que os maquiadores teriam um esforço extra para esconder a marca.

- O varão arrepiou? - Yuta perguntou em um tom debochado, rindo alto enquanto erguia o rosto e olhava o descontentamento do menor.

- Idiota.

- Isso foi um castigo pelo que você fez hoje. - Acariciou o peitoral coberto do outro, encarando-o a todo momento. - Acha que é legal me deixar excitado num ensaio? O Taeyong percebeu e até gaguejou na hora de me pedir pra eu escondesse.

- Eu já disse que não faço por querer, você que é safado. - Já mais calmo, levou a destra até a franja grande do japonês, que quase manhou pelo carinho. Mark amava como o namorado ia de casto à demônio em segundos.

- Essa regata combina contigo, mas sem ela você fica um espetáculo. - Cantou, realmente encantado pela beleza do garoto.

- Meu Deus. - O Lee gargalhou incrédulo, sendo acompanhado pelo maior. 

- O que acha de uma rapidinha agora? - Propôs, vendo-o morder o lábio inferior. - Podemos aproveitar enquanto o Doyoung 'tá na academia. - Passou o nariz pelo pescoço cheiroso, beijando a pele macia e arrancando arfares do Lee. 

Queria passar um dia inteiro ouvindo aqueles gemidinhos, mas não podia enrolar muito, pois era provável que o colega de quarto chegasse a qualquer momento. Assim, não tardou em segurar a cintura de Mark e tomar os lábios avermelhados para si, iniciando um beijo afoito. Nunca seria demais sentir aquela língua contra a sua, as puxadas em seu cabelo e uma das coxas fartas entre suas pernas.

Com a intenção de acelerar as coisas, o menor retirou a própria camisa e subiu para o colo do namorado, voltando ao beijo intenso - que tinha interrompido por poucos segundos - enquanto friccionava o quadril contra a ereção já formada.

- Ah... Mark. - Yuta gemeu em deleite com as reboladas, segurando com força a bunda do outro e se movimentando pra cima, simulando estocadas.

- Hum... - Desceu a mão para a barra da calça do maior, desabotoando-a desajeitadamente em meio ao ósculo para poder tocar diretamente o membro do maior, que afastou a boca da sua ao sentir-se acariciado daquela forma.

Querendo dar mais prazer ao mais velho, Mark passou a beijar o pescoço do mesmo, iniciando movimentos de vai e vem naquele local tão amado por si.

- Oh, happy day! - O loiro perdeu um pouco de concentração ao ouvir a voz de Donghyuck, mas tentou se focar no que fazia.

- When Jesus washed... - O som de uma colher batendo em uma panela soou alto, no ritmo da voz do maknae.

- Aish. - O canadense saiu de cima do namorado, totalmente desconcertado.

- Puta que pariu, Minhyung! - Yuta se sentou na cama, apontando para o membro dolorido que já estava por fora da calça.

- Não dá, amor! - Choramingou. - O Hyuck 'tá cantando hino, eu não consigo.

Nakamoto se irritaria se não soubesse que o menor era cristão.

- Meu anjinho. - Estava quase desesperado. - O Hyuck 'tá cantando aquela música desde que voltamos da América e não vai parar tão cedo. Então vamos só ignorar, hum?

- Não dá, amor. - Foi contraditório ao começar a gemer com os toques de Yuta em seus mamilos eriçados. - Ahn, Yuta...

O mais velho sorriu malicioso, se posicionando devidamente para abocanhar um dos bicos rosados e continuar o movimento com a canhota no outro. Para se aliviar um pouco, usou a destra e acariciou o próprio pênis, causando arrepios no menor ao que arfava contra a pele leitosa.

- La, la, la, la, la... - A voz melodiosa voltou a cantar. - Oh, happy day!!! - O high note no final fez Mark sair totalmente do transe e se afastar do mais velho novamente.

- Eu vou ligar a caixa de som. - Yuta ditou, decidido, mas o Lee segurou seu pulso quando mencionou se levantar. - Então eu vou pedir pra ele calar a boca.

- Não podemos colocar música pra sobrepor o hino, amor, e nem mandar ele parar de cantar. É pecado. - Foi sincero com as crenças que tinha.

- Quem disse que é pecado? - Já estava se irritando. Pelos céus, respeitava a religião do outro, mas a situação não era favorável.

- Eu 'tô dizendo. - Bufou. Também queria e muito fazer amor com o maior naquela hora, mas era impossível com a trilha sonora sendo um hino.

- Oh yeah, every, every day. - Donghyuck não parava.

Mark virou-se de bruços e enterrou a cara no travesseiro, querendo espernear feito uma criança.

Se dando por vencido e em meio a resmungos, Yuta colocou o pênis por dentro da cueca e abotoou a calça.

- Você desistiu? - O Lee voltou-se para si ao escutar o barulho do zíper fechando.

- Claro, Mark. - Não foi grosso, mas um bico enorme estava em seus lábios.

- Desculpa, amor. - Se sentiu culpado por não ter conseguido continuar, já que realmente tinha atiçado o namorado o dia inteiro.

Yuta se derreteu ao ver aqueles olhinhos brilhantes e as bochechas estufadas. Claro que havia se frustrado, mas não ficaria chateado com o menor por tão pouco. Afinal, mesmo gostando de sexo, o ato não era o mais o importante em uma relação.

- 'Tá tudo bem, meu anjo. Não precisa se desculpar. - Deixou um selinho em seus lábios. - Eu te amo.

- Também te amo. - Sorriu, puxando-o para si afim de iniciar um beijo calmo.

- Oh happy day... - A nota alta de Donghyuck ecoou pelo quarto no momento em que a porta foi aberta. - Parem de melação e vão jantar.

Yuta diminuiu os olhos e encarou o outro vocalista, que franziu o cenho em confusão. Havia interrompido algo de importante?

- Anda, Yuta. - Mark segurou a mão do namorado e o puxou para se levantarem juntos.

Vendo que o casal já estava indo pra cozinha, Donghyuck deu de ombros e começou a caminhar em direção ao cômodo, parando os passos no corredor ao sentir-se ser abraçado por trás.

- Que susto, Doyoung. - Virou-se para o maior, deixando um pequeno beijo em seus lábios. - Você chegou agora?

- Arram. - Sorriu. - E 'tô com saudades de você.

- Nos vemos todos os dias. - Disse o óbvio.

- Mas quase não fizemos amor nas últimas semanas. - Suspirou, dando um leve aperto na cintura do baixinho. - Podemos aproveitar o quarto, nem que seja rapidinho. O Yuta provavelmente vai assistir anime enquanto janta, não deve voltar pra cá agora.

Donghyuck concordou com a ideia, começando a beijar o mais velho ali mesmo e o empurrando para quarto adentro. Em questão de minutos já haviam roupas por todo canto do quarto, mas antes mesmo que o casal ficasse complemente nu, a voz de Yuta interrompeu-os ao soar entre as paredes:

- Oh happy day...


Notas Finais


Tadinho do Hyuck kkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...