História HardBoy - Yoongi - Capítulo 73


Escrita por:

Postado
Categorias 2NE1, 4Minute, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXID, Got7, Mamamoo, Red Velvet, TWICE
Personagens BamBam, Chaeyoung, Cl, Dahyun, Ga Yoon, Hani, Hwasa, Hyerin, Hyun A, Irene, Jackson, JB, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Ji Hyun, Ji Yoon, Jihyo, Jinyoung, Jisoo, Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Junghwa, Jungyeon, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), LE, Lisa, Mark, Min Yoongi (Suga), Mina, Minji, Momo, Moonbyul, Nayeon, Park Bom, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Sana, Sandara Park, Seulgi, So Hyun, Solar, Solji, Tzuyu, Wendy, Wheein, Yeri, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Suga
Visualizações 70
Palavras 1.468
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 73 - 73


Fanfic / Fanfiction HardBoy - Yoongi - Capítulo 73 - 73



Três dias depois ( Segunda feira)


SunHwa on~


O barulho das pessoas falando sem parar me encomodava. Principalmente vozes finas super forçadas das garotas que tentavam parecer fofas, mas não se passam de um bando de atrizes de um estúdio que nem tem área de ensaio.

Além de ouvir os Blá bla blá das pessoas, eu também ouvia a professora gritando pra todos fazerem silêncio, aliás, estava tendo aula no penultimo dia de aula sim... Ficou estranha a frase, mas acho que deu para compreender.

Senti alguém me cutucando, eu já sabia que era Yoongi. Ele sabe que eu odeio quando me cutucam, mas ele continua fazendo isso. Aigoo!

— Esqueci de te perguntar hoje — revirei os olhos.

— Ainda tô menstruada. Provavelmente é um dos ultimos dias, isso se não for o ultimo.

— Podia acabar, né?

— Disse a pessoa que nunca menstruou na vida.

— E daí que não sou mulher pra menstruar? Não acha que tô sofrendo também?

— Você só pensa em sexo — falei baixo.

— Fazer amor — disse simples.

— Que seja.

— Já passamos das duas semanas.

— Fiquei quinze anos sem tranzar e não tô reclamando.

— Aí eu tirei sua virginidade e você passou a gostar mais de sentir novas sensações — ouvi risadas e percebi que a sala inteira estava olhando para nós dois. Arregalei os olhos e escondi meu rosto na mão e me virei pra frente.

— Quem diria que os dois só tranzam — alguém disse e o resto deu risada.

— VOCÊS PODEM FICAR QUIETOS? — A professora gritou e um silêncio dominou a sala, logo ela voltou a passar a matéria.

Não acredito que passei por isso.


{...}


Ótimo. Tenho um novo apelido na sala, igual ao do Yoongi. Coelhos. Por que? Só se reproduzem de acordo com todos, porém não damos cria.

Nunca fiquei tão sem graça na minha vida. Eu juro que passei mau na aula de matematica que foi quando começaram os apelidos.

Agora? Agora é o recreio, a salvação da minha manhã.

Eu estava sentada sozinha numa das mesas da cantina enquanto eu saboreava um sei lá o que distribuiram pra comermos.

— E aí, coelha — vi Yeri sentando na minha frente.

— Coelha seu cu.

— Coelhos são fofos.

— E...?

— Você é identica ao Yoongi antigo — riu. Yoongi antigo?

— Que?

— ele era seco desse mesmo jeito, mandava todo mundo se fuder, tomar no cu...

— Mas não falei nada disso

— Mas essa é a frase que mais ouço saindo da sua boca.

— Foda-se — ela riu.

— Não vi seu vestido até agora...

— Vestido?

— da formatura!

— Ah... ele tá guardado.

— Ah sim — sorriu e se levantou.

— Onde vai?

— sei lá! — ela gritou e se afastou.

Fiquei sozinha novamente, abaixei a cabeça e voltei a comer o sei lá o que. Mas logo alguém sentou novamente na minha frente. Nem exitei em olhar.

— Tá me ignorando por causa do que aconteceu na sala, não? — ouvi a voz grossa e rouca do Yoongi. Cheguei a dar uma leve estremecida e engoli seco.

— N-não... — olhei pra ele enquanto eu mordia meus lábios.

— só ignora o povo — ele falou de um jeito engraçado e eu sorri.

— Ok. — abri a boca pra dar uma risadinha.

— Tá ansiosa pra formatura?

— Sim. Quando eu pegar meu diploma eu vou falar... Finalmente terminei esse inferno — ele riu

— RT. — ri fraco 

— Isso não é twitter!

— Ok. — abaixou a cabeça e levantou denovo, mostrando o sorriso gengival dele.

— e depois na formatura eu vou me entupir de bebiba e esquecer de tudo.

— Não faça isso.

— Você não é meu pai!

— Sou seu futuro marido. Me respeita.

— Ata — falei mordendo o sei lá o que.

— Nós vamos nos mudar pra uma casa grande, pago sua cirurgia pra você ter filhos e teremos as cinco meninas.

— você não planejou isso de verdade, né?

— Não gostou?

— Sim, mas... Tá muito cedo.

— Pretende ficar comigo? — o sorriso dele ficou mais aberto possível.

— Claro — sorri e fiquei encarando pra ele.

— Acho que meu coração tá um pouco acelerado — ri.

— O meu sempre fica quando você chega.

— o meu para quando te vejo soando em cima de mim.

— Você só pensa em sexo?

— sim.

— Não quero mais ficar com você.

— Ok, ok... Vou trabalhar bastante pra ser um ótimo pai, marido, trabalhador... vou ser ótimo em tudo que você quiser.

— Que amor — ri e inclinei meu corpo sobre a mesa e selei nossos lábios bem rápido, logo sentei normal.

— Agora todo mundo mesmo vai zoar a gente.

— "Ignora o povo" — falei imitando a voz dele.

— Não falei isso e muito menos assim!

— Mas eu falei — ele ficou quieto.

— Tá. — ele se levantou e sentou do meu lado, logo passou o braço por trás de mim e me abraçou de lado. Deitei a cabeça no ombro dele e encolhi minhas pernas, deixando-as em cima do banco.

Ele apenas ficou olhando pra baixo. Só percebi isso mesmo. Mas não vi, pois eu estava focada no meu sei lá o que. Estou morrendo de fome!

— Acho que você esqueceu de colocar short por debaixo da saia — corei e abaixei as pernas.

— Você tava prestando atenção nisso?

— Claro — riu — com uma coisa gostosa dessas do meu lado é impossível evitar o olhar.

— Força menos — mordi o sei lá o que, faltando apenas um pedacinho pra terminar de comer tudo aquilo.

— Ok — ele empurrou meu corpo contra o dele, nos fazendo ficar grudados.

— Tá com fome?

— Sim. Faz um bom tempo.

— Vai lá na cantina! Eles tão dando uns negócios bons pra comer de graça!

— O que eu quero não tá de graça — olhei pra ele com tédio.

— Vai se fuder — empurrei ele

— Parei — ele riu e selou nossos lábios. Mas apenas ficou nisso mesmo.

— É engraçado... — ele me encarou com o rosto próximo ao meu

— O que?

— Nós ficamos por três anos e não namoramos... Qualquer um julgaria que somos um casal.

— Quer namorar comigo?

— Agora não

— Uau, tomei um fora e olha no que deu — ele falou baixo e eu ri, logo selei nossos lábios novamente.

Ele pediu passagem com a língua e eu cedi, a mão dele que antes estava no meu ombro, agora tá cortornando a lateral do meu corpo.

Separei nossos lábios e mordi a língua dele. Ele riu e eu larguei.

— Você consegue fazer tudo tão alegre — ele falou de uma maneira engraçada.

— Tá me chamando de droga?

— Ah claro, quero te cheirar.

— Só vem — falei de brincadeira e ele foi com o rosto em meu pescoço, logo senti o nariz dele roçando na pele do pescoço e me arrepiei, logo senti ele inalando o odor que eu não faço a minima ideia de qual é que tenho no meu pescoço. Eu estremeci em todos os fios do corpo, até do cu se possível.

— hmm — ele se afastou — cheiro da minha esposa.

— Nossa, já me considera esposa sendo que nem namorados somos — rimos juntos 

— Como eu já disse.. é só chegar em mim e falar "quero namorar contigo".

— Mas não quero.

— Aham — ele falou me abraçando de lado e me apertando.

— Você vai me deixar sem ar

— Desculpa. — ele me soltou

Tentei entender o por que ele fez isso e acabei rindo alto 

O sinal de fim do recreio tocou, logo vi todos se levantando pra voltar para suas salas, menos eu e Yoongi.

— Tem aula da velha agora — ele falou entediado.

— Por isso não me levantei.

— Ata — ele encostou a testa no meu ombro, se aninhando ali.

— Porém não podemos ficar expostos desse jeito fora da sala, não?

— Sabe o armário do zelador? — olhei séria pra ele.

— Não.

— Sabe o vestiário?

— Não.

— Porra — riu — então o que vamos fazer?

— Sei uma saída pelos fundos da escola.

— Você é louco?

— Sim. Por você. Vamos — ele se levantou e pegou na minha mão, logo saiu me puxando.

Eu tentei ficar séria nessa situação... Mas o que eu mais sentia era o medo. Estou fugindo da escola no penultimo dia de aula!

Chegamos no jardim do fundo e ele foi até o muro, logo vi que haviam vinhas cobrindo um buraco lá.

— As damas primeiro — revirei os olhos e passei por ali, logo cheguei no lado de fora da escola. É sério isso?

Ele saiu depois de mim e foi me puxando para sei lá onde, mas uma teoria é a casa dele.

Não acredito que saímos numa boa!

— Gosta de frango?

— Sim, gosto de você.

— Para. — ele falou sério.

— Sim...

— Vou pedir pra Flora fazer quando chegarmos.

— Estamos indo pra sua casa... assim... de boas?

— Sim — soltei uma risada — que merda, né?

— Então.

Nós seguimos realmente o rumo da casa dele e demoramos bastante. É um pouco longe.

Ele provavelmente vai forçar a barra. Abre seus olhos, Park SunHwa. Abra seus olhos.



{...}







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...