1. Spirit Fanfics >
  2. Harmione - Forever Yours >
  3. Recompensas a parte

História Harmione - Forever Yours - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


OIIIEEE voltei gente, não esqueci de vocês não, é que essas semanas, foi muito corrido pra mim, tive dois aniversários e um era do meu irmão (não se preocupem q n estou furando a quarentena, mas é que onde moro, não tem tanto caso, e ja está mais liberal) além de que a escola não da paz e que possivelmente esse ano não terei ferias da minha escola, e tive um bloqueio criativo...

Mas enfim... O que importa é que voltei com um cap quentinho.

E queria agradecer a todos os 64 favoritos, eu realmente não esperava que fosse chegar nesse nível, obrigada de verdade ❤️

Boa leitura

Capítulo 9 - Recompensas a parte


Fanfic / Fanfiction Harmione - Forever Yours - Capítulo 9 - Recompensas a parte


Hermione ao ver Harry caindo em super velocidade, a mais de quinze metros de altura, fez seu coração disparar como jamais estivera antes, uma sensação horrível tomou seu corpo, a corrente elétrica percorria suas veias na mesma velocidade de que Harry caía, e as borboletas de seu estômago estavam em êxtase...

— Faça alguma coisa Mione! - Rony gritou ao seu lado, a tirando de seus pensamentos.

— E-eu? N-nao sei c-como! - exclamou incrédula, com uma imensa vontade de gritar e chorar.

Seus olhos encheram de água, mas não era por causa da chuva, e sim por medo, angústia, todas as trubilhões de emoções que ela sentia.

— Mione olha para mim - chamou Ron, chaqualhando levemente seus ombros. - Você é a bruxa mais inteligente da nossa geração! Faça alguma coisa!

Hermione respirou fundo, sacou sua varinha de videira clara, apontou para o céu, não exatamente onde Harry estava, pois não o conseguia ver direto pela neblina, suas lágrimas, e a chuva, então gritou o mais alto que conseguiu, forçando sua garganta como nunca antes.

— INTERTES TRUMPOS - o único feitiço desaceleração de tempo que conhecia, e também o único que lhe veio em mente perante tanta adrenalina.

Harry desacelerou bastante, mas ainda caía, e seu coração, ainda relutava em palpitação. Graças a Merlin, Fred que estava atrás de um balaço mais perto do chão, viu o colega cair, e voou o mais rápido que conseguiu, e o segurou sem jeito, pelo uniforme do time da Grifinória, e desceu lentamente até pousar no chão.

Granger desceu as escadas da arquibancada tão rápido, que se ela rolasse degrais a baixo, não seria na mesma velocidade, com a respiração desregulada, e sentindo que gorfaria seu pulmão para fora junto com o coração, chegou ao gramado.

Madame Hooch finalmente viu o Weasley pedir uma interrupção no jogo, conduziu o apto para os lábios, mas Diggory ja havia mostrado o Pomo em mãos descendo para ver o tumulto no gramado. Os Lufanos comemoravam em extrema excitação, ja os Grifinórios, prestavam atenção tentando focar a visão em meio as gotas de chuva, para ver o que acontecia no campo.

— Ele esta bem!? - Gritou Hermione correndo para perto do amigo - Harry está bem? - repetiu varias vezes até chegar perto do moreno. - Harry?! - o chamava dando leves tapinhas em seu rosto.

Mas nada adiantava, vários alunos e professores estavam em volta com receio. Ja desesperada, a cacheada passou a mão perto das narinas do garoto para ver se estava respirando, mas o vento gélido que assobiava no céu, junto a chuva não permitiu isso. Com a garganta seca, ela aproximou o ouvido no peito de Harry, perto de seu coração, que graças a Godric ainda batia.

— Ele está vivo! Só desmaiou! - gritou para as pessoas reunidas em volta deles, com imenso sorriso no rosto por não ter perdido a pessoa mais importante da sua vida, o abraçou fortemente, sentindo seu corpo gelado e extremamente molhado.

— Obrigada senhorita Granger, vamos levar-lo a enfermaria. - Disse Dumbledore.

Mas a Grifana ainda permaneceu o abraçando, até Rony puxar-la de Harry, então Hagrid o pegou no colo, e adentrou no castelo.

[...]

— Que sorte que o chão estava "mole".

— Achei que ele estava morto.

— Mas ele nem quebrou o óculos.

Harry ouvia vozes murmurarem, mas não fazia sentido nenhum, não tinha a menor ideia de onde está, como chegou ali, ou o que andara fazendo antes de chegar, só sabe que cada centímetro do seu corpo estava doendo, como se tivesse levado uma surra.

— Foi coisa mais mais apavorante que já vi na vida, coitada da Granger.

Mas o que seria mais apavorante para a vida dele que já é um caos puro, isso não deve ter sido nada... Harry abre os olhos lentamente, estava deitado na aula hospitalar, com o time de quadribol da Grifinória sujo de lama da cabeça aos pés rodeava a maca. Rony e Hermione não estavam ali no momento, mas o time parecia que tinha acabado de sair de uma piscina suja.

— Harry! - exclamou Fred cujo estava extremamente pálido sob a lama - como é que você está se sentindo?

Era como a memória de Harry tivesse avançado em alta velocidade, o relâmpago o pomo, a vassoura, os jogadores... Mas nada se encaixava, muito menos fazia sentido.

— O que aconteceu? - perguntou sentando-se na cama tão de repente que todos reprimiram com grito de surpresa.

— Você caiu da vassoura - comentou Jorge - deve ter caído uns... Vinte metros?

— Pensamos que você tivesse morrido - disse Alicia trêmula.

— Mas e o jogo? - perguntou Harry - o que aconteceu? Vamos jogar outra vez?

Ninguém disse nada, até que verdade atingiu Harry como uma pedrada.

— Nós não perdemos... Perdemos?

— Cedrico apanhou o pomo - informou Jorge - logo depois de você cair, ele não percebeu o que tinha acontecido, quando ele olhou para trás viu você caindo no chão, tentou paralisar o jogo, queria um novo jogo, mas tiveram uma vitória justa... Até Wood admite isso.

— Onde está Olívio? - perguntou Harry, percebendo subitamente ausência do capitão do time.

— Ainda está no banho - responde Fred -achamos que ele está tentando se afogar.

Harry abaixou a cabeça até o joelho, com os dedos adentrando sua juba negra ainda úmida, Fred o segurou pelos ombros e sacudiu com força.

— Anda Harry! você nunca perdeu um jogo assim antes.

— Tudo tem uma primeira vez - disse Jorge.

— Mas a coisa não terminou aqui - disse Fred - perdemos por uma diferença de cem pontos certo? Se a Lufa-lufa perder para a Corvinal e nós vencemos a Corvinal, e a Sonserina, Lufa-lufa terá que perder no mínimo por 200 pontos - disse Jorge.

— Mas se eles vencerem a Corvinal... - o time passou uns dez minutos discutindo sobre os próximos jogos, até que Madame Pomfrey entrou e os tocou dali.

Ela refez o curativo no lado da cabeça de Potter bem onde o balaço lhe atingiu.

— Descanse um pouco senhor Potter - ela disse saindo da sala.

Harry respirou fundo, procurou uma posição que não doesse tento seu corpo, ajeitou a grossa manta para se esquentar, já que passou muito tempo exposto a chuva e o vento gelado, e logo adormeceu.


[...]


— Ah Harry... - Hermione sussurou fazendo cafuné nos cabelos escuros do amigo, enquanto segurava a mão dele. - Você me deixou tão preucupada... Fiquei tão nervosa, quando vi você desacordado, senti um dor como nunca senti antes... Não faça isso de novo. - Ela sorriu, porque achava que Harry não iria escutar-la, pois estava dormindo.


— Então a famosa Hermione Granger, se preocupa comigo? - ele respondeu abrindo os olhos lentamente, vendo a cacheada tão próxima de si.


— Harry! - exclamou, o abraçando o mais rápido possível, e Potter sorriu com o ato inesperado.


Uma coisa que Harry ja tinha acostumado, eram os abraços inesperados que Hermione lhe dava desde o quarto ano.


— Obrigada por salvar minha vida... De novo - Respondeu com aquele sorriso bobo ainda nos lábios. - Não sei o que seria de mim sem você, Mione. - olhou para a mão da garota que segurava a sua, mas ela não estava normal.


Fransiu o cenho e a aproximou dos olhos, depois de colocar seus óculos, a mão de Hermione estava cheia de cicatrizes que Harry tinha certeza, que elas não estavam ali antes.


— Mione o que aconteceu?! - perguntou preucupado, ela rapidamente puxou-a das de Harry, mas ele a segurou novamente. - Alguém te machucou? - ergueu os olhos verdes até encontrar os castanhos dela, e em seguida, deu um leve beijinho na mão machucada.


— Não é nada disso Harry... - ela sorriu - é que quando você desmaiou eu fiquei tão nervosa, que a Professora Minerva me um copo de água com açúcar para tentar me acalmar, mas acabei derrubando no chão, e alguns caquinhos voaram na minha mão.


— Está ficando desastrada que nem eu - ele riu descontraído.


E recebeu um tapa no peito em resposta.


— Aiiiii - ele manhou - meu corpo ainda dói Mione! - fingiu estar chateado.


Hermione cobriu a boca com as mãos, em forma arrependimento.


— É brincadeira boba - disse travesso, puxando a Grifana para si, a fazendo deitar na maca ao seu lado.


— Harry! - bufou em protesto, mas ela queria estar ali.


Estar tão perto de alguém que te faz tão bem, parece ser algo impossível, um sonho, mas para Hermione o destino ia a favor do seu 'sonho'.


— Me ajuda na lição de Aritimancia por favor? - ele pediu manhoso, fazendo biquinho.


Hermione só não se derreteu de fofura, porque ela odiava Aritimancia.


— Já te falei para desistir dessa aula Harry, só tem baboseira. - Respondeu puxando o livro que estava apoiado na cadeira ao lado de Potter.


Por alguns milésimos o Grifinório pode sentir o delicioso cheiro dos caixos de Hermione, uma mistura perfeita de Lavanda, e chocolate, duas coisas que Harry adorava.


— Está me devendo duas - ela respondeu se ajeitando nos braços do amigo, apoiando a cabeça em seu tórax junto ao livro.


— Duas? Como assim duas? - Protestou.


— Na verdade você me deve muitas - Ergueu seus olhos avelã ao do garoto - Quantas vezes eu salvei sua pele? - Harry sorriu revirando os olhos.


Hermione tem uma memória magnífica, que deve até lembrar qual foi a pedra que ele pisou enquanto procuravam as Orcruxes ano passado.


— Tem razão - evitou uma discussão idiota, dando um selinho sereno na testa dela.


— Vamos do começo... - começou a explicar com total calma, a matéria para o amigo, enquanto recebia um cauteloso cafuné em seus caixos castanhos.


Eles estavam tão concertados em aproveitar o momento, que nem perceberam que Dumbledore estava os observando pela porta da Enfermaria, com um ligeiro sorriso no rosto. Então saiu.






Notas Finais


Ai ai esse Dumbledore hein? Kkkkkkkk peço real perdão pela demora mas voltei com essa fofura que é os dois juntos.


E perdão se houver algum erro ortográfico.

Vejo vocês semana que vem sem atraso 😓💫💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...