História Harmione, No límite do amor e amizade. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Alvo Potter, Draco Malfoy, Gina Weasley, Grope, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lilá Brown, Lílian L. Potter, Lord Voldemort, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Murta Que Geme, Neville Longbottom, Nick Quase Sem-Cabeça, Personagens Originais, Remo Lupin, Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Tom Riddle Jr., Tom Riddle Sr.
Tags Harmione
Visualizações 88
Palavras 796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Penas e mais penas, para que serves as penas?


Escuto Gina resmungar e vira pela cama pela quarta vez naquela manhã e para piora levou todo o coberto junto desta vez, sem outra alternativa, levanto para encara o dia.

Levo um tempo para trocar a camisola por calças e camisa e mais um tempo para a higiene pessoal, qualquer um de fora diria que estou adiando, fazendo tudo o mais lentamente possivel sem esta em câmera lenta. Mas a verdade é que precisa de coragem para enfrentar aquele dia e ter aquela conversa, reviver todo o pesadelo e expor a minha vergonha. Apesar de sempre me considerar uma pessoa corajosa...hoje estou dando um verdadeiro vechame.

Engulo o medo e vou para a escada, seguindo em direção a pequena cozinha dos Weasley.

Chegando lá vejo Molly preparando a mesa do café da manhã.

- Bom Dia Querida!. - Comprimenta de forma alegre e indica uma cadeira na mesa. - sente aqui e faça companhia para o Harry enquanto eu termino tudo, está bem?

Penso em retrucar e pergunta se posso ajudar em algo, mas ela desaparece tão rápido quanto apareceu. puxo uma cadeira de frente para ele.

- Bom Dia!. - tento passar animação, mas percebo que falhei quando recebo um olhar divertido do tipo. "isso é sério?" mas comprindo o papel de melhor amigo, ele deixa passar a chance de me zoar e responde normalmente.

- Bom Dia, onde está a Gina?. -

- Dormindo.

-Hum...

E é isso. Acho que aquele noite tomou muita coisa, enclusive nossa amizade. Não conseguimos nós encara por mais de 5 segundos, eu quase posso tocar a culpa emanando dele e aquilo estas a me matar aos poucos. De uma forma inconsciente, coloco a palma da mão sobre a barriga, acariciando a mesma e seu olhar segue o meu gesto, Vejo a dor retocer seu rosto de traços suaves e aquilo me acerta como uma adaga.

Ficamos em um silencio inquieto até a descida do Roni, Gina e Neville.

- Bom Dia Galera. - Roni resmunga e se joga em uma cadeira do meu lado. - Cadé a mamãe ?

- Não faço ideia, ela simplesmente sumil. -

- Deve ter ido acorda o papai. - Gina responde logo depois de dar um beijo estalado na bochecha do Harry. Depois de alguns minutos a Senhora Molly volta com o seu marido Arthur e juntos tomamos café da manhã em silêncio.

Depois do café da manhã, nos reunimos na sala de estar para a tão esperada reunião.

Gina se acomoda em um pequeno sofá com Harry e Neville. Enquanto Roni senta comigo em outro e o Senhor Weasley senta em uma poltrona com a sua esposa sentana no braço da mesma.

- Então garotos, o quê era de tão urgente que fez vocês sair corridos da escola?. - indaga sério nos encarando.

Gina que era a mais calma começou a relatar o fato de sairmos escondidos naquele dia e Lucius Malfoy com outros comersais da morte ter nós encontrado. Relatou o fato de ter ameaçado tanto ela quanto Roni e Neville para que Eu e Harry fazermos a vontade deles.

- Que sería?.

- O-obrigar Har-rry e E-eu a temos R-r-relações . - solto de uma vez e na mesma hora vejo a reação de choque e indgnação no rosto deles.

Arthur Weasley pula da cadeira em um solto e começa a soltar palavrões, ameaçando ir atrás do bastardo naquela hora. Claro que ele foi impedido pelo filho e por Neville.

- A-ahh Minha Queridaa.-

Molly me esmaga em um enorme abraço de urso. Queria desfalecer naquela hora, me desfacer em lágrimas que eu não tinha permitido cair desde daquela noite, chorar pela a minha puresa tomada de mim de uma forma tão vergonhosa, fria e distante. Mas eu me mantive forte, desespero não levaria em nada naquele momento.

Depois de calmo o senhor Weasley sentou novamente na poltrona.

- Mas porque ele queria uma coisa dessas? não poderia ser por puro capricho ou poderia?. - perguntou com um semblante aflito.

- Ele falou sobre uma nova profecía...- Harry começou a falar

- Profecía?

- Sim, uma que envolvia um filho meu com Mione. - Harry finalmente me encara e vejo de novo o quê estou vendo nas últimas semanad. "Desculpe por essa criança que você carrega. " desvio o olhar do dele, farda do mesmo. Pode ter sido concebido de una forma cruel, mas ainda sim é meu filho e eu o amo, para provar, ponho a mão sobre a barriga de forma protetora.

- H- Hermione V-voc-e ...

- Sim! .- corto a senhorita Molly que já iria me dirigir outro olhar de pena. Sem mais uma palavra, saiu da sala deixando toda aquela pena, conpaixão e medo para trás. Não me importa o diabo de uma profecía! vou cuidar do meu filho con unhas e dentes.


Notas Finais


Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...