História Harry Potter e a Mudança do Mago - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alastor Moody, Alice Longbottom, Alvo Dumbledore, Andromeda Tonks, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Augusta Longbottom, Bellatrix Lestrange, Daphne Greengrass, Gina Weasley, Hermione Granger, Lílian Evans, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Nymphadora Tonks, Personagens Originais, Pomona Sprout, Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter, Tom Riddle Jr., Walburga Black
Tags Harry Potter
Visualizações 179
Palavras 2.719
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Começando essa história pois sou apaixonado por Harry Potter e todas as ideias são muito bem vindas.
Espero que goste, pretendo fazer a postagem a cada 15 dias, dependendo da quantidade de comentários e favoritos posso mudar isso

Capítulo 1 - O Despertar


Fanfic / Fanfiction Harry Potter e a Mudança do Mago - Capítulo 1 - O Despertar

Capítulo 1

Harry James Potter encontrava-se sozinho no vagão do trem arrumando o melhor que podia sua mala, pois sabia que não teria paz nas férias e de uma coisa ele tinha certeza: Era de que os Dursley’s iriam fazer ele se sentir pior do que nunca, então aproveitou e colocou a sua capa de invisibilidade e sua varinha dentro da bolsa que Hagrid havia lhe dado de presente, colocando a bolsa por debaixo da sua roupa trouxa, pois assim que saísse da estação o inferno estaria de volta na sua vida e ele não fazia ideia de como agir em prol disso, tanto que mandou Edwiges ir para a Toca tendo certeza de que ela não iria passar fome, tanto que assim que chegou à estação, foi diretamente ao encontro de seus parentes que o esperavam muito zangados do outro lado da barreira, ele rapidamente colocou tudo dentro do carro e partiram diretamente para a Rua dos Alfineiros nº 4. Assim que guardou suas coisas quando chegou a casa, Harry fora preparar o jantar antes que seus parentes tivessem a oportunidade de reclamar e quando serviu à mesa, os Dursley’s repararam que ele havia preparado um incrível banquete.

- Pra que isso tudo garoto, você nunca preparou algo assim? Perguntou Valter

- É para agradecer por vocês terem cuidado de mim durante todo esse tempo, mesmo eu sendo uma aberração e também para me desculpar pelo que aconteceu com Dudley, juro que não pedi para que fizessem isso. Falou timidamente Harry

- Não ache que isso será o bastante, já guardei todo o seu material e quero você e sua aberração longe da minha vista e de Petúnia quando não tiver fazendo as tarefas que forem designadas estamos entendidos assim? Perguntou Valter

Harry assentiu, comeu sua comida e foi diretamente para o seu quarto tomar um banho e dormir, nos dias que se passaram parecia até que o garoto não estava em casa, pois quando os Dursley’s levantavam para seguir com suas vidas, ele já tinha feito o café da manhã, o almoço já estava pronto e todas as tarefas estavam feitas, ele fazia tudo durante a madrugada, pois assim não corria riscos de seu primo implicar com ele e também conseguia fazer as tarefas rapidamente, tanto que o jardim estava impecável, cerca pintada, grama cortada e todas as outras tarefas foram cumpridas com êxito, e Petúnia levava a comida e colocava na mesa que havia no quarto dele. Mal sabia ele que tudo poderia mudar brevemente, então ele continuou com essa rotina até receber uma visita inesperada numa noite quente de verão enquanto ele estava fazendo a manutenção dos Jardins depois de ter limpado a garagem e lavado os carros de seus tios, quando viu uma criatura estranha e com roupas piores que a dele em pé olhando pra ele com admiração.

- Quem é você e o que quer comigo? Perguntou Harry desconfiado

- Meu nome é Dobby, sou um elfo domestico e vim pedir para que Harry Potter não volte há Hogwarts esse ano, pois coisas terríveis estão pra acontecer. Falou o elfo

- Como você sabe, Hogwarts é o meu lar e eu preciso estudar, tenho que aprender magia. Falou Harry

- Harry Potter não sabe as coisas ruins que estão pra acontecer, quero que me prometa que não irá esse ano. Dobby falou

- Olha Dobby, eu não posso prometer nada a você, mais se algo acontecer eu dou um jeito de me esconder, mas como você chegou aqui? Perguntou Harry

- Aparatando senhor. Falou Dobby que ao perceber que Harry não notou nada continuou: A magia dos elfos é diferente, se quiser posso fazer tudo ficar arrumado em questão de minutos e como Harry assentiu o elfo fez o que foi dito para demonstrar, e posso ir e voltar em todos os lugares rapidamente. Falou Dobby

- Dobby, se eu te pedir um favor, você poderia fazer pra mim, claro que estou prometendo a você que irei me cuidar em Hogwarts. Falou Harry e como o elfo não disse nada ele continuou: Gostaria de saber se tem como você me levar ao Gringotes sem que minha família tenha ciência, pois eu preciso comprar algumas coisas e saber um pouco mais da minha história. Suplicou Harry

- Dobby pode, contanto que Harry Potter prometa que vai se cuidar em Hogwarts. Quando Harry prometeu o elfo segurou a mão dele e disse para não soltar em momento algum e aparatou do local, logo estavam dentro do banco e Harry se dirigiu imediatamente ao caixa mais próximo.

- Boa noite, gostaria de falar com o gerente por gentileza e solicitar acesso a minha conta.

- Ah sim S.R. Potter, o senhor possui a chave? Perguntou o caixa

- Não, eu nunca tive a chave, só descobri sobre minha história há pouco tempo. Falou Harry

- Grampo. Chamou o caixa, assim que o duende apareceu: Favor leve o Senhor Potter ao gerente com urgência, pois eles têm muito que conversar. Falou o Duende

Harry caminhou com Grampo em direção à sala do gerente, se perguntando o que o mesmo tinha para conversar com ele, de acordo com o que Hagrid tinha lhe dito os duendes eram gananciosos e nunca faziam nada de graça, mas afinal ele era Harry Potter, o garoto-que-sobreviveu e sabia que pra ele nada seria tão fácil assim, mas ele tinha esperança de descobrir um pouco mais sobre a história dele e sobre a fortuna que viu no cofre, quando percebeu já estava no escritório, e ficou fascinado com o escritório do gerente, até que o mesmo o cumprimentou.

- Boa noite Senhor Potter, me chamo Orlok e sou o gerente de contas do Banco Gringotes, que seu ouro sempre flua. Falou Orlok

- Boa Noite, que seus inimigos tenham medo da sua lança. Falou Harry com incerteza o que deixou o duende extremamente feliz.

- Senhor Potter, é raro os bruxos serem tão amistosos com a raça dos duendes, mais o senhor é um bruxo incomum. Fiquei sabendo que gostaria de acessar seu cofre sendo que está sem a chave, claro que fora informado que a chave deve sempre ficar na posse do proprietário, mais isso pode ser facilmente arranjado, pois temos vários assuntos a tratar. Falou Orlok: Vou precisar apenas de algumas gotas de seu sangue nesse pergaminho, se estiver tudo bem. Finalizou o Duende

- Por mim tudo bem, mais o que esse pergaminho faz? Perguntou Harry

- Ele irá amostrar sua descendência, se tem algum problema tanto físico quanto magico em você, além de ajudar a descobrir as habilidades com as quais você tem maior afinidade para que possa melhorar. Falou Orlok para Harry que assentiu e concordou. Harry cortou a ponta do dedo e deixou cair algumas gotas de sangue no pergaminho que absorveu rapidamente e logo em seguida começou a escrever:

Harrison James Evans Potter

Pais: James Charlus Fleamont Potter e Lilian Rose Evans Potter

Padrinhos: Sirius Orion Black (Preso) e Alice Marie Fawcett Longbotton (Incapacitada)

Guardião Mágico: Albus Percival Wulfric Brian Dumbledore

Guardiões Trouxas: Petúnia e Valter Dursley.

Heranças: Potter, Black, Evans, Peverell, Griffyndor, Slytherin (Direito) e Merlin.

Diversas Propriedades espalhadas pelo Globo

Habilidades:

Animagia (Bloqueada 100% Albus Dumbledore);

Núcleo Mágico (Bloqueado 80% Albus Dumbledore)

Parseltongue (Bloqueada 100% Albus Dumbledore, Desbloqueada 100% verão de 1991);

Magia sem Varinha (Bloqueada 100% Albus Dumbledore);

Habilidades para Poções (Bloqueada 100% Severus Snape);

Leglimência e Oclumência (Bloqueada 100% Albus Dumbledore);

Metaformogia (Bloqueada 100% Albus Dumbledore).

Manipulações:

Lealdade a Albus Dumbledore (Poção dada por Albus Dumbledore e Hubeus Hagrid);

Ódio contra Sonserina (Poção dada por Albus Dumbledore);

Submissão aos Dursley’s (Poção dada por Albus Dumbledore e Petúnia Dursley);

Lealdade a Ronald Wesley (Poção dada por Albus Dumbledore e Ronald Wesley);

Lealdade a Hermione Granger (Poção dada por Albus Dumbledore e Hermione Granger);

Horcrux (Adquirida em 1981).

Saques:

1000 galeões anuais para Ronald Weasley (desde setembro de 1991);

1000 galeões anuais para Hermione Granger (desde setembro de 1991);

5000 galeões anuais para Molly Weasley (desde 1981);

20000 galeões anuais para Ordem da Fênix (desde 1981);

Contrato de Casamento com Ginevra Weasley (Assinado por Albus Dumbledore).

Quando Harry leu o que estava escrito no pergaminho, ele ficou completamente furioso, como podiam ter feito isso com ele, pessoas em quem ele confiava como, Ron, Hermione e Hagrid, isso não iria ficar assim, ele iria se vingar de todos, eles eram seus amigos e estavam fazendo isso com ele, seus parentes também, ele sofreu muito, mas agora era um novo começo, um novo Harry Potter estava por vir, Vendo que o garoto tinha raiva em seus olhos, Orlok chamou a atenção dele antes que ele acabasse destruindo a sala.

- Senhor Potter, se quiser, podemos tirar esses bloqueios e também essa Horcrux, que é uma coisa maligna que está no seu corpo, claro que isso irá doer e aproveitaremos para fazer um check up geral e curar as imperfeições que estão bem aparentes no seu corpo, claro que tudo isso ira custar um preço. Falou Orlok.

- Tudo bem Orlok, tire de um dos cofres e, por favor, me chame de Harry e desde já agradeço o que está fazendo por mim e tenha certeza de que irei precisar muito dos seus serviços. Falou Harry

Orlok imediatamente chamou outro duende: Harry, esse é o curandeiro Blue, ele irá levar você a sala ao lado onde fará o procedimento, como irá liberar tudo, estaremos prendendo você à cama para realizarmos o ritual, enquanto isso estaremos tirando o rastreador da sua varinha, assim você poderá fazer mágica livremente para poder melhorar a capacidade de sua magia. Falou Orlok enquanto acompanhava Harry e Blue para a sala do ritual.

- Blue, eu quero um exame completo, com fotos e anotações, e se for possível, corrija a vista dele também e cuidado, pois ele tem uma Horcrux dentro dele, enquanto isso vou trabalhar na varinha dele e pedirei a um artesão especializado que venha aqui para fazer outra personalizada. Falou Orlok

Harry e Blue estavam na sala do ritual e ele estava preso no chão quando os outros duendes começaram a cantar em uma linguagem que ele não reconheceu e ele começou a sentir muita dor na testa e somente assim notou que tinha algo diferente, a dor era pior do que quando ficou cara a cara com Voldemort no corpo de Quirell, sentido uma dor avassaladora por todo o seu corpo, um calor se espalhando e de repente começou a doer mais e mais, uma dor insuportável e ele começou a gritar e gritar até que apagou completamente. Quando ele acordou sentiu seu corpo inteiro dolorido, sua mandíbula estava travada e ele conseguia enxergar com perfeição, até que um dos curandeiros falou que tudo tinha ocorrido bem e deram uma poção para poder aliviar a dor que ele estava sentindo, em seguida outro curandeiro apareceu com suas roupas e disse para colocar e encontrar Orlok na sala dele, e Harry fez exatamente isso. Ao chegar lá notou Orlok e um homem desconhecido conversando rapidamente e continuaram como se ele não estivesse na sala, então ele sentou na cadeira e esperou ambos acabarem de conversar até que Orlok apresentou o homem como Simon Reed, um artesão de varinhas, que fazia varinhas sob medida.

- Prazer Senhor Potter, me chamo Simon e como nosso amigo aqui fez questão de me adiantar quais eram os serviços, eu trouxe todo meu arsenal para poder fazer melhor varinha que já existiu, além do que eu já tirei o rastreador da varinha que o senhor comprou no Olivaras, e trouxe dois modelos de coldres de varinhas de dragão, um para panturrilha, que numa luta, se pensarem que você está desarmado, é uma ótima chance, e outro de pulso, se for desarmado a varinha volta automaticamente para o coldre e ele fica invisível no seu braço, assim você pode circular com ele livremente. Falou Simon entregando 3 coldres a Harry que estranhou mais no momento não falou nada e logo começou a ser medido até que achou a combinação perfeita e completamente rara: Veneno de Basilisco, Pena de Fênix Negra e Lágrimas de Trestálio, com a Madeira Negra Africana fazendo uma combinação bem rara.

- Senhor Potter, tenho o prazer de dizer que essa é minha melhor criação e sei que fará coisas maravilhosas com ela. Disse ele entregando uma adaga para Harry: Essa é uma adaga de prata, feita especialmente sobre encomenda que é utilizada com frequência em poções e que você poderá usar em uma luta corporal se for necessário, e seu amigo Orlok já realizou meu pagamento com uma gorda compensação. Finalizou Simon

- Eu Simon Reed, juro por minha magia que nunca revelarei nada relacionado a Harry Potter e os serviços que realizei nesse local hoje. Ele realizou o juramento e uma corrente azul saiu do peito dele e foi em direção a Harry.

- Eu Harry Potter, aceito o juramento de Simon Reed. Falou Harry e uma corrente vermelha saiu e foi direto para o peito de Simon. Depois disso Simon se retirou sem nem pensar duas vezes e Harry sabia que o dia ainda não havia acabado até que Orlok falou com ele:

- Harry venha, vamos comer alguma coisa, pois temos alguns assuntos a tratar. Disse o duende apontando para dois pratos com diversos sanduíches e uma jarra de suco de abóbora. Eles sentaram e começaram a comer, por alguns instantes só o barulho da mastigação era ouvido até eles acabarem, então Orlok falou desaparecendo com os pratos: Agora vamos resolver outros assuntos importantes, enquanto colocava algumas caixas em frente ao jovem: Nessas caixas contém os anéis de herdeiro, você poderá reivindicar o senhorio de cada uma dessas casas, a única que não poderá será a Casa Black, pois o Senhor ainda está vivo. Você irá colocar cada um deles no seu dedo anelar da mão direita, o Black na mão esquerda e veremos o que irá acontecer. Falou Orlok

Harry colocou o Anel Potter que logo o aceitou com seu legítimo senhor, em seguida colocou os anéis Evans, Peverell que mudaram a forma para um preto e vermelho, com um Tigre de Bengala, um Trestálio segurando um Lírio, em seguida colocou o anel Black na mão esquerda que mudou automaticamente para o anel de senhorio, o reconhecendo com o senhor da Casa Black, em seguida colocou os anéis de Griffyndor e Slytherin que também o aceitaram e imediatamente mudaram para um o formato de um marrom com um Corvo, um Grifo e um Basilisco com uma pedra roxa. Parabéns Lord Potter-Black, o senhor acaba de ser aceito por algumas das casas mais importantes da Grã Bretanha, além de que agora você possui vários assentos na Câmara dos Lordes e também no Conselho de Diretores, além de ter vários contratos para poder analisar dentro das suas respectivas responsabilidades. Falou Orlok quando eles escutaram uma apartação e deram de cara com outro elfo doméstico.

- Mestre, sou Monstro o elfo da Muy Antiga e Nobre Casa dos Black's, é bom saber que a casa agora pertence a um Mestre digno. Falou o elfo

- Monstro sou Harry Potter, seu novo mestre e me diga uma coisa, essa casa ficaria aonde, pois eu preciso ficar o mais longe possível das garras de Dumbledore, até decidir o que irei fazer. Falou Harry

- Mestre, assim que entrarmos o senhor pode mudar as enfermarias através do anel para só aqueles que acharem digno entrem na casa. Falou o elfo orgulhoso pela primeira vez em anos.

- Tudo bem, irei com você, mais antes Orlok, gostaria de saber se você pode contratar alguns tutores pra mim, acho que tenho muito que aprender. Falou Harry

- Considere feito Harry e sobre a Horcrux encontrada dentro de você, acho que podemos usar ela para encontrar outras que o Lord das Trevas tenha feito o que você me diz? Perguntou Orlok com um brilho voraz nos olhos.

- Faça o que achar necessário, e me mantenha atualizado sobre isso, além dos contratos que tenho que possa vencer e contratos de casamentos que estão em vigor em todas as minhas heranças e qualquer coisa me encontre na Mansão Black. Disse o garoto segurando a mão do elfo e partindo para a Mansão Negra, mal sabendo que tinha dado um grande passo em direção ao seu futuro.


Notas Finais


Espero que gostem e por favor comentem.
Espero vocês.
Nox!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...